Você está na página 1de 10

ECO Aula 8

LA303-A - 2017
Retomando:
Como definir ou determinar um valor
esttico que justifique a importncia do
papel do leitor/intrprete?

Como trabalhar com os textos propostos


por Marcelo Fedrizzi-iuzi?
http://marcelo-fedrizzi-iuzi.squarespace.c
om/corredor-literrio-de-so-paulo/zrb3hf20t
yjm3igasrx6oug1bom0r1
Valor esttico

Questes: o que belo, o que literrio, o


que tem valor
(e para quem tem valor comunidade
interpretativa de Stanley Fish)

Palavras da crtica Jos Luis Jobim (org)


Imago:
Captulo Literatura Jorge Wanderley
Semitica Hermtica - Eco
Similaridade (14 critrios p. 54-55) ideia
de successo interminvel;
Analogia (um excesso de perguntas leva a
superestimar as coincidncias explicveis
de uma outra forma- p.59);
Anagrama (relaes criadas no interior do
texto que justifiquem uma determinada
interpretao )
Para definir uma m interpretao preciso
de critrios que definam o que seria a boa
interpretao (p.61);
Elo dialtico entre intentio operis e intentio
lectoris;
Leitor-modelo (que pensa em um autor
modelo) vs leitor emprico/autor emprico;
Reconhecer a intentio operis reconhecer
uma estratgia semitica (p.76);
Coerncia interna do texto;
Respeito ao texto.
Elementos interpretativos
a linguagem, necessariamente comum a
autor e intrprete;
o texto, estranho ao intrprete (interpreta-
se as partes e o todo e o todo e as partes)

Surge, ento, a ideia do leitor-modelo leitor


crtico, que considera todo o processo de
construo de sentidos (diferente do leitor
ingnuo que interpreta apenas
semanticamente)
Deslizamento do significado
possvel deslizar de um significado para outro, de uma
cadeia/conexo para outra e revelar efeitos desse
deslizamento do significado dentro de um contexto dado;

Diferena entre contexto e co-texto;


Uma seleo contextual registra os casos em que dado
termo ocorre concomitantemente com outros termos
pertencentes ao mesmo sistema semitico. As selees
contextuais prevem possveis contextos: quando estes se
realizam, realizam-se num co-texto. (1983, p.18-19)

Texto como mquina pressuposicional depende de um


processo de circulao intertextual.
Diferenas entre Eco e
Derrida

Intepretar no traduzir;
Primeiro interpretar, depois traduzir;
Tipos de intepretao (relacionados ao
tipos de traduo, de Roman Jakobson):
Por transcrio;
Intra-sistmica (intra-semitica,
intralingustica, execuo)
Inter-sistmica (intersemitica,
interlingustica, reelaborao)
Com mutao de matria (parassinonmia,
adaptao)