Você está na página 1de 8

TIPOS DE REVESTIMENTO E

LIBERAO DE FRMACOS A PARTIR


DE COMPRIMIDOS E
MULTIPARTICULADOS
Prof. Diogo Miron
CONCEITOS
Segundo o vocabulrio controlado de formas farmacuticas,
vias de administrao e embalagens de medicamentos publicado
pela ANVISA temos:
Liberao imediata: tipo de liberao que no modificada
intencionalmente por um desenho de formulao especial e/ou
mtodo de fabricao.
Liberao prolongada: tipo de liberao modificada que permite a
reduo na frequncia de dose quando comparada com o
medicamento apresentado na forma de liberao imediata. obtida
por meio de um desenho de formulao especial e/ou mtodo de
fabricao.
Liberao retardada: tipo de liberao modificada que apresenta
liberao retardada do princpio ativo. A liberao retardada obtida
por meio de um desenho de formulao especial e/ou mtodo de
fabricao. As preparaes gastrorresistentes so consideradas
formas de liberao retardada, pois so destinadas a resistir ao fluido
gstrico e liberar o princpio ativo no fluido intestinal.
EXEMPLOS

Figura 1. Representao esquemtica da quantitadade


cumulativa de frmaco liberado de comprimidos de liberao
imediata, prolongada e retardada.
OUTROS CONCEITOS
Liberao repetida uma dose individual liberada regularmente
aps a administrao, e uma segunda ou terceira doses so
subseqentemente liberadas, em intervalos intermitentes.
Liberao sustentada indica liberao inicial de frmaco
equivalente a uma dose teraputica, seguido de liberao gradual do
frmaco por um perodo de tempo estendido.
Liberao estendida refere-se a formas farmacuticas que liberam
o frmaco lentamente de modo a manter as concentraes
plasmticas no nvel teraputico, por um perodo prolongado de
tempo (em geral, 8 a 12 horas).
Liberao controlada refere-se a formas farmacuticas que
liberam o frmaco em uma velocidade constante e fornecem
concentraes plasmticas invariveis no tempo.
Se a velocidade for constante durante um tempo longo, obtida a
cedncia de ordem zero (M=kt, onde M a quantidade cumulativa de
frmaco liberado e t o tempo de cedncia).
EXEMPLOS

Liberao modificada segundo a USP, so formas farmacuticas cujas


caractersticas de curso e/ou localizao da liberao de frmacos so
escolhidas para satisfazer objetivos teraputicos ou de convenincia no
oferecidas pelas formas convencionais, enquanto que a liberao estendida
permite reduo na freqncia de doses ou aumento da adeso do paciente
ao tratamento, ou melhor eficcia teraputica.
EXEMPLOS
Ordem zero vs resultados clnicos
EXEMPLOS
Ordem zero vs resultados clnicos
EXEMPLOS
Liberao Modificada

Você também pode gostar