Você está na página 1de 32

Fármacos

Anti-inflamatórios
Não-Esteroidais

Magna Suzana Alexandre-Moreira®


Disciplina Farmacologia - UFAL
msamoreira@yahoo.com
ANTIINFLAMATÓRIOS

1.Considerações Gerais

üConceito

üClassificação
üAntiinflamatórios não-esteroidais
(AINEs)
üAntiinflamatórios esteroidais (GC)

üGrupo heterogênio de fármacos


Sinais da Inflamação

Primeiro descrito por Celsus há mais de 2000 anos.


INFLAMAÇÃO

Resposta de tecidos vivos à


agente lesivo

Microrganismos
Interação Antígeno-Anticorpo
Isquemia
Químico ou Físico
Componentes da Inflamação
Alterações no fluxo e calibre vasculares
Adesão celular mediada por selectina e Rooling dos

Migração celular
leucocitos para a superfície das células endoteliaus
Selectina
Adesão celular mediada por selectina e Rooling dos
Fluxo sanguineo
leucocitos para a superfície das células endoteliaus
Selectina

Fluxo sanguineo

Rooling Ligação Diapedese Migração

Rooling Ligação Diapedese Migração


Mediadores Químicos da Inflamação
Biossíntese de Prostaglandinas, Leucotrienos e
Tromboxanas
AÇÕES E PAPÉIS FISIOPATOLÓGICOS

COX-3 ???
Ações Farmacológicas dos AINEs
Inflamação, lesão, tecidual, etc.

Citocinas (PGE2) nos (PGE2) nos


(IL-1, IL-8) Nociceptores Tecidos inflamados

Cérebro (hipotálamo) Sensibilização dos


Amplificação do PI
(PGE2) nocireceptores

DOR

FEBRE INFLAMAÇÃO

AINES TROMBOSE
Classificação do AINEs
Inibidor Inibidores não-seletivos
Inibidores Inibidores
seletivo da
Ä
da COX preferenciais altamente
COX1 (AINEs convencionais) da COX2 seletivos da
Aspirina Aspirina Meloxicam Celecoxib
COX2
Fenilbutazona Etodolaco, Rofecoxib
Indometacina Piroxicam Nimesulida, Valdecoxib
Diclofenaco Nabumetona Lumiracocxib
Ibuprofeno Nabumetona
Cetorolaco
Ác mefenâmico

•Analgésicos e antipiréticos com pouco ação antiinflamatória:


•Paracetamol
•Metamizol (dipirona)
Histórico

Casca do chorão-salgueiro

salicina Isolada em 1829
Fellix Hoffman, 1897
Por Leurox antipirético
O (Bayer, 4,2 ton, 1900´s)

Salicina OH

Hidrólise OH

ácido salicílico

Ácido acetil salicílico


Henri Leroux, 1829 Dresser, Aspirina®, 1899
(introduzido na medicina)
Salix alba; S. spirea
“salgueiro branco” 1899: registro ASPIRIN
A= acetil
spir= flor spirea
in= novos medicamentos
"Uma mistura preparada
com 50 partes de ácido
salicílico e 75 partes
de anidrido acético é
aquecida por cerca de 2
horas a cerca de 500 oC
num balão de refluxo. Um
líquido claro é obtido
do qual, quando
resfriado, é extraído uma
massa cristalina, que é o
ácido acetilsalicílico. O
excesso deanidrido
acético é extraído por
pressão e o ác.
Classes terapêuticas dos AINES

1ªClasse: SALICILATOS
O

OH

O CH3
AAS
INDICAÇÕES CLÍNICAS
lanalgesia - dores leves a moderadas
lcefaléia, mialgias, artralgias, neuralgias,
lantitérmico

lAntiiflamatório

lUso profilático: trombose AAS


Inibição da COX por AAS
ÚNICO INIBIDOR IRREVERSSÍVEL
2ª Classe: Derivados dos ÁCIDOS ANTRANÍLICOS (fenamatos)

O
O O
OH
OH OH N-substituídos H
N
O OH
CH 3
CH3
bioisosterismo
O ácido salicílico
AAS
1° alternativa ao AAS CH 3
Parke-Davis ácido mefenâmico
Ponstan®

INDICAÇÕES CLÍNICAS
lAnalgesia – Cólicas
lUso profilático

SUBSTÂNCIAS: ácido mefenâmico Ponstan®, Ácido flufenâmico, Mobilisin ®


assoc., Ácido etofenâmico, Bayro-gel ®; Ácido meclofenâmico e Ácido
tolfenâmico
3ªClasse: Derivados dos PIRAZOLÔNICOS

HO
O O

N N
N CH 3 N CH 3
O O
oxifenilbutazona fenilbutazona

EFEITOS COLATERAIS MAIS FREQUENTES


l Fenômenos hemorrágicos
l Agranulocitose
l Púrpura
l Trombocitopenia
l hemolítica e anemia aplástica
l

SUBSTÂNCIAS: fenilbutazona, dipirona Novalgina ® apazona, feprazona


Zepelan ®
4ªClasse: Derivados dos PARAMINOFENOL
EFEITOS FARMACOLÓGICOS: não altera tempo sangramento e
menor potência antiinflamatória

SUBSTÂNCIAS: Fenacetina (Descon®, Cibalena, ®, Dorilax ®);


Acetaminofen ou Paracetamol (Tylenol®, Dôrico®)

Sulfatação (sulfato) Paracetamol Glicuronidação (glicuronídio)


Oxidase P450 de função mista

N-acetil-beta-benzoquinona imina
(intermediário tóxico)

Glutation
Macromoléculas celulares

Ácido mercaptúrico
Morte celular
5ª Classe: Derivados dos ÁCIDOS FENILACÉTICO

homologação
Adição do nº de C

O OK O ONa

H Voltaren®
Cataflan® N
H N

Cl Cl Cl Cl

diclofenaco de potássio diclofenaco de sódio

EFEITOS ADVERSOS
l hepatotoxicidade (15%)
l Fenamatos (anemia hemolítica)
6ªClasse: Derivados dos INDOLACÉTICO
NH 2

HO
Mediador Inflamatório Merck Screening ca. 350 compostos
Aumento da Permeabilidade indólicos
N Vascular 1963
H
serotonina
OH
MAO
OH H3CO
OH O
CH3
HO O
HO O Fase I N
Psicose, cefaléia
CH 3
frontal, depressão,
O
N Hidrólise
N Vertigem,
H O-demetilação
H alucinações, etc.
metabólito ativo
ácido indolilacético Simplificação
Cl
molecular
Similaridade estrutural Indometacina
(Indocid®, 1963) OH
OH OH

F O
O O
N CH3 N CH3 CH 3
Bioisosterismo (Z)
H3C
O O
Proscrito 1983 H3C
S
Reações
O O Clinoril®
anafiláticas [O] Merck
Cl H3C H3C
H3C S sulindaco
S O (Pró-fármaco)
Zomepirac (1980) Tolmetin (Tolecti n®, 1976)
ca. 500 vezes + ativo
7ªClasse: Derivados dos PIRROLACÉTICO

SUBSTÂNCIAS: Etodolaco®, Tolmetin®, Zomepiraco ®

8ª CLASSE: DERIVADOS DA FENOXIMETANOSSULFANILIDA

EFEITOS FARMACOLÓGICOS
linibidor PGs fraco
lmecanismo central analgésico noradrenérgico
lanalgésico somente

EFEITOS COLATERAIS MAIS FREQUENTES: Hepatotoxicidade

SUBSTÂNCIAS: Nimesulida (Scaflan®, Antiflogil®, Neosulida®, Sintalgin®)


9ªClasse: Derivados dos PROPIÔNICO

Researchers at Boots Company O


(Nottingham) H
O
2,4 g = 4g AAS
(< antiinflamatório, > analgésico)
Atividade
CH3 Antiinflamatória
Processo de
OH
CH3

Screening ca. 600 compostos


O
H3C

Ibuprofeno
(Motrin®, Upjohn)

CH3
O CH3
O OH
O CH3 S OH
OH O
O
Fenoprofeno
Suprofeno CH3
O (Nalfon®, Dista) CH3
(Profenal®, Alcon) OH
OH
Cetoprofeno
(Orudis®, Wyeth-Ayerst) O
O
H3CO Naproxeno
F Flurbiprofeno (Naprosin®, Syntex)
(Ansaid®, Upjohn) 20 x + potente AAS
10ª Classe: Derivados dos OXICANS

OH O N
OH O
C H3
N S
N N
N H
N H Bioisosterismo S C H3
S CH3
O O
O O piroxicam meloxicam

Pfizer Boehringer Ingelheim

SUBSTÂNCIAS: Piroxicam (Feldene®) Tenoxicam (Tilatil®), Meloxicam (Tenoxen ®)


Antiinflamatórios não esteróides de 2ª Geração

11ªClasse: Derivados dos COXIBS


O O
O O
S S
H3 C H2N

N N
O
CF3
O
H3C
R
celecoxib
rofecoxib (Vioxx ) COX-2 seletivo
IS=460
IC5 0 PGHS-1 = 1,7 µ M
IC5 0 PGHS-2= 0,02 µ M
IS= 85

lTempo ½ vida: 12h


lTempo ½ vida: 7h
lMetabolização hepática
lMetabolização hepática
lSulfonamida

Etoricoxib
Valdecoxib
Seletividade
Se um fármaco reconhece diversos alvos, porém interage
PREFERENCIALMENTE com um, ele pode possuir a propriedade
de SELETIVIDADE
CARACTERÍSTICAS FARMACOCINÉTICAS
§Absorção
§Boa absorção por via oral;

§Biodisponibilidade
§Não é alterada na presença de alimentos
§Ligam-se altamente as PP (albumina 98%)

§Metabolismo
§Hepático

§Excreção
§Filtração glomerular ou secreção tubular;
§Por ser ácidos orgânicos se acumulam no local da
inflamação.
EFEITOS INDESEJÁVEIS
§ GASTRO-INTESTINAIS
§ Dispepsia, diarréia, constipação, náuseas e
vômitos;
§ Lesão gástrica;
lLESÕES CUTÂNEAS

§Erupções leves;
§Urticária;
§Reações de fotossensibilidade.
lEFEITOS RENAIS ADVERSOS
§Insuficiência renal aguda;
§Nefropatia por analgésicos;
§Nefrite crônica e necrose papilar renal;
§Fenacetina e Paracetamol.
EFEITOS INDESEJÁVEIS

lOUTROS EFEITOS ADVERSOS


l

§Distúrbios da medula óssea e distúrbios


hepáticos ;
§Aspirina:
§Salicilismo ( tonteira, surdez e zumbido);
§Inibição da função plaquetária;
§Síndrome de Reye.
§
§
§COX-2 seletivos
Escolha do AINE
INEVITAVELMENTE EMPÍRICA
§Natureza do problema

§Relação dor/inflamação

§Gravidade

§Fatores de risco de cada paciente


Escolha do AINE

§Dor discreta a moderada, com pouca inflamação:

PARAC ou IBUP  doses

§Dor musculoesquelética aguda: DICLF ou COXIB

§Dor pós-operatória: Cetorolaco, Nefopan

§Intolerância gástrica: COXIBs

§AR e doenças correlatas exacerbada: INDO, PIROX,

Naproxeno, AAS

§Associação não aconselhada


OBRIGADA.