Você está na página 1de 22

ESCOLAS DA CRIMINOLOGIA

Prof. Ariel Koch Gomes


CRIMINOLOGIA
• Paradigma do Consenso: Escola Liberal
Clássica, Escola Positiva Italiana, Escola
Sociológica (teoria estrutural-funcionalista e
da anomia, teoria da desorganização social,
teoria da associação diferencial e as
subculturas delinquentes).
• Paradigma do Conflito: Etiquetamento
(Labeling Approach), Criminologia Crítica e
Criminologia Cultural.
PARADIGMA DO CONSENSO
• ETAPA PRÉ-CIENTÍFICA DA CRIMINOLOGIA
• ESCOLA CLÁSSICA (LIBERAL) – SÉC. XIX
Concebe o crime como fato individual, isolado,
como mera infração à lei: é a contradição com a
norma jurídica que dá sentido ao delito, sem
que seja necessária uma referência à
personalidade do autor (mero sujeito ativo do
fato) ou à sua realidade social, para
compreendê-lo.
ESCOLA LIBERAL CLÁSSICA
• O decisivo é mesmo o fato, não o autor.
• A determinação sempre justa da lei, igual para
todos e acertada, é infringida pelo
delinquente em uma decisão livre e soberana.
ESCOLA LIBERAL CLÁSSICA
• Os três pilares sólidos do pensamento
clássico:
• - Homem como ser racional, livre e igual;
• - Pacto Social – Poder e Sociedade Civil;
• - Concepção utilitária do castigo
ESCOLA LIBERAL CLÁSSICA
• A Escola Clássica simboliza o trânsito do
pensamento mágico, sobrenatural, ao
pensamento abstrato, do mesmo modo que o
positivismo representará a passagem ulterior
para o mundo naturalístico e concreto.
ESCOLA LIBERAL CLÁSSICA
• Principal autor é Cesare Beccaria – Dos delitos
e das penas
ESCOLA LIBERAL CLÁSSICA
• Beccaria defendeu a existência de leis simples,
conhecidas pelo povo e obedecidas por todos
os cidadãos.
• “Se a arbitrária interpretação das leis constitui
um mal, a sua obscuridade o é igualmente,
visto como precisam ser interpretadas”.
• Para ele, só as leis poderiam fixar as penas,
não sendo permitido ao juiz aplicar sanções
arbitrariamente.
ESCOLA LIBERAL CLÁSSICA
• No direito penal de uma sociedade baseada
metaforicamente nesse mesmo contrato, não
há como evitar a necessária reparação do
dano por meio da pena. Daí é que surgem
penas certas e determinadas, como
decorrência dessa matemática reparatória
fixa.
ESCOLA LIBERAL CLÁSSICA
• Do princípio utilitarista da máxima felicidade
do maior número e da ideia do contrato social
segue-se que o critério da medida da pena é o
mínimo sacrifício necessário da liberdade
individual que ela implica.
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• ETAPA CIENTÍFICA DA CRIMINOLOGIA
• ESCOLA POSITIVA ITALIANA – SÉC. XX

• O CIMINOSO COMO “DIFERENTE”


• Procura encontrar todo o complexo das causas
do delito na totalidade biológica e psicológica
do indivíduo.
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Principal autor é o Cesare Lombroso - O
homem delinquente
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• O delito é visto como um ente natural, um
fenômeno necessário, determinado por
causas biológicas de natureza sobretudo
hereditária.
• DETERMINISMO BIOLÓGICO
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Os criminosos são uma espécie de loucos que
reproduzem características próprias dos
nossos avós até chegar aos animais são
decorrências de centenas de comparações das
feições dos criminosos.
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Retrato do delinquente – Estigma
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Fossa Occipital
• Criminoso nato
• Criminoso: uma espécie de fóssil de um tempo
passado: o corpo estigmatizado remete para o horror
do crime e para a suspensão na evolução que o
conduziria à humanidade plena. Representa a
regressão do homem ao primitivismo. É um selvagem
que já nasce delinquente. Tem morfologia diferente
do homem honrado.
• Crime = um fenômeno biológico
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Classificação dos delinquentes:
• Nato (atávico – um atraso na evolução,
primitivo)
• Louco Moral
• Epiléptico
• Louco Ocasional
• Passional
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Pena como meio de defesa social não age de
modo exclusivamente repressivo, segregando
o delinquente e dissuadindo com sua ameaça
os possíveis autores de delitos.
• A criminalidade podia ser estudado a partir de
suas causas, independente das reações sociais
e do Direito Penal.
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Enrico Ferri (1856-1929)
• Criminoso e a sociedade
• Livre-arbítrio
• Crime é uma equação
• Defesa Social
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Rafael Garófalo (1851-1934)
• Implementar as ideias no Direito
• Raças superiores X Selvagens
• Intuição moral tem origem biológica e
hereditária
ESCOLA POSITIVA ITALIANA
• Rafael Garófalo (1851-1934)
• Propostas:
• A) Sistemas penais eliminatórios
• B) Penas indeterminadas
• C) Responsabilização do Estado pela
reincidência
• D) Pena de morte
• E) Crime é a referência (periculosidade)