Você está na página 1de 28

PROTEÇÃO CONTRA INCENDIO E

EXPLOSÕES

Profº.Nerivaldo Rodrigues da Silva

Mestre em Engenharia Térmica e Fluido

Engenheiro de Segurança Engenheiro Industrial

NORMAS E LEGISLAÇÕES DE

PROTEÇÃO CONTRA

INCÊNDIOS

INTRODUÇÃO

No Brasil há um diversidade de documentos

legais e normas brasileiras que regem as

atividades técnicas de uma forma geral. Nas

áreas de engenharia e arquitetura isto se torna

importante porque organiza as cidades através

de planos diretores, as edificações através de códigos de obras, etc., com o objetivo de tornar as cidades e as edificações mais belas,

agradáveis, confortáveis e seguras.

AS NORMAS BRASILEIRAS

As normas brasileiras sobre proteção contra incêndios

são relativamente recentes.

No início da década de 70 houve uma aceleração na elaboração de novas normas e revisão das existentes impulsionadas pelos grandes incêndios no Brasil a partir

daquela época.

Como o trabalho de recuperar o tempo perdido era e ainda é, muito grande, até para a estrutura da ABNT, foram elaboradas normas não com a rapidez desejada e nem com a abrangência necessária.

DEFINIÇÃO DE NORMA

Segundo a ABNT, norma é um documento estabelecido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido, que fornece, para uso

comum e repetitivo, regras, diretrizes ou características para atividades ou seus resultados, visando à obtenção de um grau ótimo de ordenação em um dado contexto.

DEFINIÇÃO DE LEI

Ainda segundo a ABNT, lei ou regulamento é um documento que contém regras de caráter obrigatório e que é adotado por uma autoridade, o qual estabelece requisitos, seja diretamente, seja pela referência ou incorporação do

conteúdo de uma norma, visando, em geral,

assegurar aspectos relativos a saúde, segurança ou meio ambiente.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE

As normas brasileiras dão recomendações,

enquanto que as leis ou regulamentos determinam

obrigações. Uma norma determinará obrigações

quando ela for referenciada por uma lei.

LEGISLAÇÃO FEDERAL

A lei federal 6.514, de 22 de dezembro de 1977, que trata da Segurança e Medicina do trabalho, atribui ao Ministério do

Trabalho

a

incumbência

de

estabelecer disposições

complementar, que são feitas através da portaria 3.214 de 08

de junho

de

1978

com

regulamentadoras (NR).

a

criação

de

normas

O problema é que, apesar de seu caráter compulsório, elas têm uma abrangência bem restrita sobre determinados assuntos da proteção contra incêndios, com o texto dedicado, quase que exclusivamente, para saídas de emergência e ao

combate a incêndios, ambos de maneira superficial.

NR-23

NR-23 9

NR-23

A NR-23 Proteção Contra Incêndio, trata especificamente sobre proteção contra incêndio, mas de uma forma bem genérica com ausência de parâmetros para dimensionamentos, sem definição de equipamentos que devem ser usados com seus respectivos parâmetros, etc.

Os princípios da NR-23 devem ser obedecidos, por ser lei

federal. As legislações subalternas podem interferir apenas para complementar ou adotar critérios mais rígidos.

Decreto Federal 5.296/2004 - Acessibilidade

Em 02/12/2004 foi assinado o Decreto Federal 5.296, que regulamenta as leis 10.048, de 08/11/2000, que determina prioridade de atendimento ás pessoas, e 10.098, de 19/12/2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida

12

NORMA DE ACESSIBILIDADE

Estabelece ainda, que a concepção e a implantação dos projetos arquitetônicos de edificações devem atender os princípios do desenho universal, tendo como referências as

normas técnicas de acessibilidade da ABNT NBR 9.050/2004.

A LEGISLAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO

O estado de São Paulo tem a melhor legislação do Brasil que também é recente, através do Decreto Estadual

46.076/2001- Regulamento de Segurança Contra Incêndio

das Edificações e Áreas de Risco do Estado de São Paulo.

Este decreto classifica as edificações,preconizando medidas de proteção mais rigorosas, incorporando novas

tecnologias, contemplando o uso de novos equipamentos de

segurança, desenvolvendo mecanismo ágeis que permitem acompanhar a evolução da sociedade e os desenvolvimentos tecnológicos dos materiais de construção.

Decreto Estadual 46.076/2001

Fazem parte deste decreto estadual as 38 Instruções

Técnicas (IT), elaboradas pelo Corpo de Bombeiros, que

estabelecem e regulamentam os assuntos relacionados com a prevenção e o combate a incêndios. Os textos destas IT, foram revisados e começaram a vigorar

em junho de 2005, com uma apresentação mais clara e

didática , com o objetivo de facilitar as consultas e compreensão dos engenheiros, arquitetos e técnicos.

REGULAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

DAS EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO

DECRETO Nº. 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001

CAPÍTULO I - Disposições preliminares

Artigo 1º - Este regulamento dispõe sobre as medidas de segurança contra incêndio nas edificações e áreas de risco atendendo ao previsto no artigo 144§ 5º da Constituição Federal, ao artigo 142 da Constituição Estadual, ao disposto na lei Estadual nº 616, de 17 de dezembro de

1974 e na Lei Estadual nº 684, de 30 de setembro de

1975.

DECRETO Nº. 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001

CAPÍTULO I - Disposições preliminares

Artigo 2º - Os objetivos deste regulamento são:

I - Proteger a vida dos ocupantes das edificações e áreas de risco, em caso de incêndio;

II Dificultar a propagação do incêndio, reduzindo danos ao meio ambiente e ao patrimônio;

III Proporcionar meios de controle e extinção do incêndio;

IV Dar condições de acesso para as operações do Corpo de Bombeiros.

DECRETO Nº. 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001 CAPÍTULO II Das Definições

Artigo 3º - Para efeito deste regulamento são adotadas as definições descritas:

I Altura da edificação : É a medida em metros entre o ponto que caracteriza a saída ao nível de descarga, sob a projeção do parâmetro externo da parede da edificação, ao piso do último pavimento, excluindo-se áticos, casas de máquinas, barriletes; reservatórios de água e assemelhados. Nos casos onde os

subsolos tenham ocupação distinta de estacionamento de veículos

vestiários e instalações sanitárias ou respectivas dependências sem aproveitamento para quaisquer atividades ou permanência humana, a mensuração da altura será a partir do piso mais baixo do subsolo ocupado.

DECRETO Nº. 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001 CAPÍTULO II Das Definições

Artigo 3º - Para efeito deste regulamento são adotadas as definições descritas: (cont.)

VII Ático: É a parte do volume superior de uma edificação, destinada a abrigar máquinas, piso técnico de elevadores, caixas de água e circulação vertical;

IX Carga de Incêndio É a soma das energias caloríficas possíveis de serem liberadas pela combustão completa de todos os materiais combustíveis contidos em um espaço, inclusive o

revestimento das paredes,divisórias, pisos e tetos;

DECRETO Nº. 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001 CAPÍTULO II Das Definições

Artigo 3º - Para efeito deste regulamento são adotadas as definições descritas: (cont.)

XII Compartimentação: São medidas de proteção passiva,

constituídas de elementos de construção resistentes ao fogo, destinados a evitar ou minimizar a propagação do fogo, calor e gases, interna ou externamente ao edifício, no mesmo pavimento ou

para pavimentos elevados consecutivos.

XXII Medidas de Segurança Contra Incêndio: É o conjunto de dispositivos ou sistemas a serem instalados nas edificações e áreas de risco necessários para evitar o surgimento de um incêndio, limitar sua propagação, possibilitar sua extinção e ainda propiciar a proteção à vida, ao meio ambiente e ao patrimônio;

DECRETO Nº. 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001 CAPÍTULO II Das Definições

Artigo 3º - Para efeito deste regulamento são adotadas as definições descritas: (cont.)

  • XXVI Prevenção de Incêndio: É o conjunto de medidas que

visam: evitar o incêndio; permitir o abandono seguro dos ocupantes da edificação e áreas de risco; dificultar a propagação do incêndio

proporcionar meios de controle e extinção do incêndio e permitir o

acesso para as operações do Corpo de Bombeiros.

  • XXXI Segurança Contra Incêndio: É o conjunto de ações e

recursos internos e externos à edificação e áreas de risco que permite controlar a situação de incêndio.

AS LEGISLAÇÕES MUNICIPAIS

As maiores cidades do Brasil apresentam legislações próprias de proteção contra incêndios. Como exemplo mais

de 40 cidades do Estado do Rio Grande do Sul apresentam

uma forma, no mínimo, de legislação sobre o assunto. Estas legislações muitas vezes apresentam determinação conflitantes com a legislação estadual e em alguns casos até com a normas brasileiras

MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

O município de São Paulo também tem legislação

própria sobre segurança contra incêndios em edificações, que se encontra no Código de Obras e

Edificações (COE), criado pela lei municipal 11.228

/1992, regulamentado pelo decreto 32.329, de 23/09/1992. Após, foram editadas várias leis com alterações e atualizações.

A HIERARQUIA DAS LEGISLAÇÕES

É importante salientar que as legislações dos estados e municípios brasileiros podem ser supletivas à lei federal, mas perfeitamente

harmônicas entre si. Mas, num choque de leis, a

legislação de hierarquia maior prevalece sobre as demais, ou seja, a federal sempre prevalece

sobre as estaduais e municipais e a estadual

sobre as municipais.

25
26

EXERCICIO 2

APÓS

CLASSIFICAR

AS

EDIFICAÇÃO

E

DETERMINAR

AS

MEDIDAS

DE

PROTEÇÃO,

VERIFICAR NA IT01 QUAL O TIPO DE PROJETO

QUE

SE

ENQUADRA

E

COMO

DEVE SER

APRESENTADO.

FIM