Você está na página 1de 9

Marcelo Azevedo Carvalho RA 172001279

Renan Silva Campos RA 172001309


“ Aprender Jiu-Jitsu não é só dominar as técnica, é desenvolver movimentos
físicos e mental para compartilhar todo o contexto vivido e compreendido. E
assim continuar evoluindo”
Michel Boiteux

JIU-JITSU MÍDIA
 RUFINO e DARIDO (2009a), o  THOMPSON, 1995 – Mídia é uma
jiu jitsu está em constante grande formadora de opinião,
transformação (número de agindo, em alguns casos, como
praticantes, competições, manipuladora da massa.
federações e confederações e,
até mesmo, o número de golpes,  BETTI (2006), as mídias
chaves e posições relacionadas informam e ditam formas,
à modalidade).
constroem novos sentidos e
modalidades de entretenimento e
 Princípio e fundamento, instruem consumo.
que o praticante deva treinar o
físico e o espírito, respeitando  CAMARGO, CARVALHO e
seu mestre e colegas, além de
prestar ajuda a quem precisar, MARQUES (2005) a mídia só
isto é, preocupando-se com as divulga outros esportes em época
outras pessoas. de competições em nível mundial,
como as Olimpíadas.
 GERAL:
Promover a reflexão sobre os valores atribuídos a modalidade
desportiva jiu-jítsu no século XXI; relatar os efeitos da mídia
especializada brasileira sobre o esporte em questão, cuja
intenção é observar se existe algum favorecimento.

 OBJETIVO ESPECÍFICO:
 Analisar o propósito do jiu-jítsu na formação do aluno praticante.
 Identificar o papel da mídia acerca do esporte jiu-jítsu.
 Comparar a influência da mídia em diferentes sociedades.
 Este trabalho seguirá uma linha de pesquisa
qualitativa. As informações serão coletadas por
meio de livros, artigos acadêmicos e revistas, cuja
finalidade é de reunir informações sistematizadas
sobre o papel do esporte jiu-jítsu e a sua relação
com a mídia especializada
 Devemos “aprender” ou “entender” o jiu-jitsu como uma filosofia de
vida e não apenas como uma rotina de golpes e movimentos.

 No Brasil: “Família Gracie” é a grande responsável pelo


desenvolvimento do estilo de arte marcial de origem japonesa
conhecido hoje como jiu-jitsu brasileiro, Brazilian Jiu-Jitsu ou BJJ;

 Os praticantes do jiu-jítsu dizem que essa luta possui a técnica


mais eficiente para derrotar o adversário em “lutas reais”.

 Segundo Luiz Dias, isso seria o mesmo que reduzir e muito a


“nossa arte suave”;

 BOURDIEU (1983) e o esporte moderno


 Para BETTI (2006), mesmo focando prioritariamente o esporte, as
mídias buscam destacar outras temáticas da cultura corporal de
movimento como, por exemplo, as ginásticas, os “esportes radicais”
e as lutas, que passaram a ser objeto do processo de
espetácularização mediado pela televisão, temática da publicidade,
pauta de matérias em jornais, revistas e sites da internet.

 Para CAMARGO, CARVALHO e MARQUES (2005) a mídia só


divulga outros esportes em épocas de competições em nível
mundial, fora disso os demais esportes são deixados de lado;

 Existe uma atenção exclusiva com o futebol, como se não


existissem interessados e praticantes de outros esportes, ou ainda
como se o Brasil não tivesse competência explícita e reconhecida
em muitas outras áreas.
“As idéias se aperfeiçoam. O sentido das palavras também. O
plagiato é necessário. O avanço implica-o. Ele acerca-se
estreitamente da frase de um autor, serve-se das suas
expressões, suprime uma idéia falsa, substitui-a pela idéia
justa”.

Guy Debord
 Diante das informações até aqui coletadas vemos a
necessidade de fomentar estratégicas que assegurem
uma aproximação entre os dois contextos aqui
estudados, para os que dessa modalidade se inspira
possam se sentir confortável e pleno na sua prática não
só como um produto, mas uma ferramenta útil de
transformação social.
 AWI, F. (2012). Filho teu não foge à luta: como os lutadores brasileiros transformaram o MMA em um fenômeno
mundial. Rio de Janeiro: Intrínseca.

 BETTI, M. (2006). Imagens em ação: uma pesquisa-ação sobre o uso de matérias televisivas em programas de
educação física do ensino fundamental e médio. Movimento. Porto Alegre, v.12, n. 2, p. 95-120, mai/ago.

 BOURDIEU, P. (1983). “Como é possível ser esportivo?” In: Bourdieu, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro,
Marco Zero, pp. 137-153.

 CAMARGO, Vera Regina Toledo; CARVALHO, Sérgio; MARQUES, José Carlos. (2005). Comunicação e Esporte –
Tendências. Santa Maria: Pallotti.

 DEBORD, G. (2003). A Sociedade do Espetáculo. Fonte Digital base Digitalização da edição em pdf originária de
www.geocities.com/projetoperiferia, Página 1 de 140.

 DIAS, L. O Jiu-Jitsu como filosofia de vida para um melhor rendimento diário. Artigo do site
http://jiujitsuportugal.com/2016/06/20/o-jiu-jitsu-como-filosofia-de-vida-para-um-melhor-rendimento-diario-por-luiz-dias/.
Publicado no dia 20 de junho de 2016, visualizado no dia 21/10/2017.

 GREEN, T.A.; SVINTH, J.R. (Org.) (2003). Martial arts in the modern world. Londres: Praeger.

 RUFINO, L. G. B.; DARIDO, S. C. (2009a). Considerações iniciais sobre o jiu jitsu brasileiro e suas implicações
para a prática pedagógica. In: Congresso Paulistano de Educação Física Escolar, 2009, Caraguatatuba. Anais...
Caraguatatuba: CONPEFE, CD ROM.

 THOMPSON, John B. (1995). Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação
de massa. Petrópolis: Vozes.

 http://www.ishindo.org.br/artes-marciais/estilos-modernos/jiu-jitsu/familia-gracie/ - Site visitado no dia 27 de Outubro de


2017.