Você está na página 1de 12

- Descomplicando o Direito do Trabalho -

TEMA: Princípios do Direito do Trabalho


PRINCIPAIS PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO

+ Princípio da proteção;
+ Princípio da primazia da realidade;
+ Princípio da continuidade;
+ Princípio da inalterabilidade lesiva;
+ Princípio da intangibilidade salarial;
+ Princípio da irrenunciabilidade de direitos.
PRINCÍPIO DA PROTEÇÃO

Trabalhador = parte mais fraca


hipossuficiência Princípio da
Proteção

In dubio pro
operario
Norma mais
favorável

Da condição
mais benéfica
PRINCÍPIO DA PROTEÇÃO

ACÚMULO DE FUNÇÃO. FUNDAMENTO JURÍDICO.


ALTERAÇÃO ILÍCIA DO CONTRATO DE
TRABALHO. Em se tratando de alegação de acúmulo de função a condenação
baseia-se no princípio de proteção ao trabalhador. Pactuadas as condições de
trabalho referentes às atividades a serem exercidas pelo empregado, o acúmulo
de outras funções para além daquelas inicialmente ajustadas dá ao trabalhador
o direito de perceber incremento salarial compatível com a alteração promovida,
sob pena de violação ao artigo 468 da CLT. Recurso parcialmente conhecido e
não provido.

(TRT-10 - RO: 1955201200210004 DF 01835-2012-009-10-00-1 RO, Relator:


Desembargador Mário Macedo Fernandes Caron , Data de Julgamento:
13/11/2013, 2ª Turma, Data de Publicação: 06/12/2013 no DEJT)
PRINCÍPIO DA PROTEÇÃO

.
De acordo com o do trabalhador, em sua vertente
, em caso de dúvida deve ser aplicada à norma jurídica a
, pelo que incabível a restrição alegada pela empresa.
TRT-5 - Recurso Ordinário : RecOrd 00004235320135050029 BA 0000423-
53.2013.5.05.0029
PRINCÍPIO DA PRIMAZIA DA REALIDADE

O que está escrito Verdade dos fatos


PRINCÍPIO DA PRIMAZIA DA REALIDADE

DESVIO DE FUNÇÃO. PRINCÍPIO Caso: O empregado exercia a função


DA PRIMAZIA DA REALIDADE. de soldador, porém em sua CTPS
constava ‘ajudante de soldador’. Os
. salários para as funções eram
Comprovado o desvio de função, o diferentes.
empregado tem direito à retificação O ajudante auxilia o soldador
das anotações na CTPS e ao entregando-lhe o material, mas no
pagamento de diferenças salariais. caso em tela ficou comprovado que o
Reclamante recebeu treinamento e
(TRT-1 - RO:
exercia efetivamente a função de
00019543020105010244 RJ,
soldador, aplicando-se o
Relator: Marcos Cavalcante, Data
de Julgamento: 22/07/2015, Sétima
Turma, Data de Publicação:
05/08/2015)
PRINCÍPIO DA CONTINUIDADE

Em regra o contrato de trabalho tem RUPTURA CONTRATUAL. DISPENSA


vigência por prazo indeterminado INJUSTA.
até que uma das partes deseje .
colocar fim à relação de emprego. O princípio da continuidade da relação de
emprego constitui presunção favorável ao
SÚMULA Nº 212 - empregado, sendo, portanto, ônus da
DESPEDIMENTO. ÔNUS DA empregadora comprovar o término do contrato
PROVA
de emprego, nos termos da Súmula no 212, do
O ônus de provar o término do
C. TST. No caso, a reclamada não comprovou
contrato de trabalho, quando
que o término da relação de emprego se deu por
negados a prestação de serviço e o
justa causa. Recurso a que se nega provimento.
despedimento, é do empregador,
pois o princípio da continuidade da (TRT-1 - RO: 00002198520125010245 RJ,
relação de emprego constitui Relator: Sayonara Grillo Coutinho Leonardo da
presunção favorável ao empregado. Silva, Data de Julgamento: 19/05/2014, Sétima
(TST) Turma, Data de Publicação: 04/06/2014)
PRINCÍPIO DA INALTERABILIDADE LESIVA

DIFERENÇAS DE COMISSÕES.
Art. 468 - Nos contratos
individuais de trabalho só é lícita a - Quando as comissões foram
alteração das respectivas fixadas pelo Autor (CTPS e contrato) não
condições por mútuo constou qualquer especificação sobre a
consentimento, e ainda assim diferença em relação aos cartões de crédito,
desde que não resultem, direta ou de modo que a alteração efetuada
indiretamente, prejuízos ao posteriormente, acabou por ser prejudicial ao
empregado, sob pena de nulidade interesse do empregado e, portanto, é nula,
da cláusula infringente desta nos termos do art. 468 da CLT).
garantia.
(TRT-1 - RO: 01008728720165010073,
Relator: GISELLE BONDIM LOPES
RIBEIRO, Data de Julgamento: 15/02/2017,
Sétima Turma, Data de Publicação:
15/03/2017)
PRINCÍPIO DA ITANGIBILIDADE SALARIAL

Art. 462 - Ao empregador é DESCONTOS SALARIAIS.


vedado efetuar qualquer desconto IMPOSSIBILIDADE.
nos salários do empregado, salvo . Os
quando este resultar de descontos salariais de que trata o § 1º
adiantamentos, de dispositivos de do artigo 462 da CLT pressupõem
lei ou de contrato coletivo. existência de autorização para serem
efetuados e, também, comprovação da
culpa do empregado pelos danos
causados. Apelo patronal desprovido.

(TRT-1 - RO: 00104562820135010025


RJ, Data de Julgamento: 02/12/2015,
Décima Turma, Data de Publicação:
25/01/2016)
PRINCÍPIO DA IRRENUNCIABILIDADE DE DIREITOS

É vedado ao trabalhador renunciar ACORDO EXTRAJUDICIAL. NULIDADE.


qualquer direito disposto em lei. Nulo é acordo individual que teve por objetivo
burlar a legislação trabalhista, a fim de que a
Súmula 276 TST: AVISO PRÉVIO. Autora renunciasse a seu direito a ver o
RENÚNCIA PELO EMPREGADO vínculo reconhecido com tomadora dos
(mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, serviços e, por outro lado, permitiu à
20 e 21.11.2003 O direito ao aviso tomadora contratar a Autora eximindo-se de
prévio é irrenunciável pelo suas obrigações pretéritas. Desse modo, ante
empregado. O pedido de dispensa
de cumprimento não exime o , o acordo é nulo nos termos do
empregador de pagar o respectivo art. 9º da CLT.
valor, salvo comprovação de haver (TRT-1 - RO: 00002651220105010062 RJ,
o prestador dos serviços obtido Relator: Giselle Bondim Lopes Ribeiro, Data
novo emprego. de Julgamento: 26/02/2014, Sétima Turma,
Data de Publicação: 18/03/2014)
OBRIGADO!