Você está na página 1de 12

Ricardo Reis

“Vem sentar-te comigo, Lídia, à


Beira do Rio”

Dinis Marnoto 12º TMI


Hugo Queirós 12º TMI
Índice
1. Biografia de Ricardo Reis .
2. Características da Poesia .
3. Tema & Filosofia da vida do sujeito poético.
4. Análise Externa.
5. Análise Interna .
6. Biografia.
Biografia de Ricardo Reis
Ricardo Rei, nasceu a 1887 no Porto, formou-se em
Medicina e foi educado num colégio de Jesuítas.
Viveu no Brasil desde 1919.
Era Monárquico e morreu em 1936.

Monarquia: é a mais antiga forma de governo. O chefe de


Estado mantém-se no cargo até à sua morte ou à sua abdicação,
sendo normalmente um regime hereditário.
Características da Poesia
Horacianismo:
Carpe diem “aproveita o dia”, vive os prazeres do momento.
Áurea Mediocritas “ouro medíocre”, a felicidade reside na simplicidade natural.
Epicurismo:
Procura de felicidade relativa.
Moderação nos prazeres.
Fuga às sensações externas.
Busca do estado de ataraxia (tranquilidade sem perturbação).
Estoicismo:
Indiferença perante as emoções.
Aceitação do poder do destino .
Atitude de abdicação.
Paganismo:
Crença nos Deuses Clássicos.
Inspiração na civilização Grega.
Tema/Filosofia de vida do sujeito poético
Abdicação consciente face aos sentimentos e gozos da
vida.
Análise Externa
Estrutura da ode;
Rima Branca;
Regularidade Estrófica e Métrica
Análise interna
1ª parte- A efemeridade da vida
2ªparte- A inutilidade dos compromissos
3ª parte- A busca da tranquilidade
4ª parte- A ausência da perturbação face a morte
1ª parte- estrofe 1 e 2
Metáfora do rio e o correr da água;
A inutilidade de qualquer compromisso;
A necessidade de predomínio da razão sobre a emoção,
como defesa contra ao sofrimento
O ambiente bucólico, e o nome “Lídia”
2ª parte- estrofe 3 e 4
O enlaçar e desenlaçar das mãos como recusa de
qualquer compromisso.
A morte como única certeza do percurso existencial.
A recusa constante de (ódios, amores, paixões,
inveja…)
Evitar todos os desassossegos que possam provocar
dor.
4ª parte- Estrofe 7 e 8
A aceitação pacífica da morte.
A morte não deve ser motivo de sofrimento .
Justificação para o modelo de vivência amorosa
definida pelo leitor.

Ricardo Reis Vê a natureza com a razão.


3ª parte- estrofe 5 e 6
O estabelecer de um programa de vida.
Valorização do carpe diem.
Biografia