Você está na página 1de 51

Cálculo Comercial

 50 horas
Cálculo Comercial
 Média
 Média Aritmética Simples
 Média Aritmética Ponderada
 Percentagem
 Percentagem Sobre Preço de Venda
 Percentagem Sobre Preço de Compra
 Desconto
 Desconto Único
 Descontos Sucessivos
 Proporcionalidade
 Proporcionalidade Directa
 Proporcionalidade Inversa
Média Aritmética

 Média Aritmética é o valor que se obtém a


partir de um conjunto de valores,
ordenados segundo um critério matemático.

 A principal característica é serem valores


abstractos

 Podem ser de dois tipos:


› Média Aritmética Simples
› Média Aritmética Ponderada
Média Aritmética Simples
 Dado um conjunto de valores {x1,x2,x3,…,xn}, a média aritmética
simples é obtida a partir da expressão:

x1 + x2 + x3 + … + xn
Ms =
n
 Isto é, a média aritmética simples de um conjunto de valores é o
quociente entre a soma desses valores e o número de elementos do
conjunto.

 A média aritmética simples é simbolicamente representada por Ms


 Exemplo 1:
 Uma empresa industrial utiliza na produção a matéria-prima X. O
serviço de compras fez uma lista do número de encomendas
adquiridas ao fornecedor desta matéria-prima X desde 2000 até 2005:

Anos 2000 2001 2002 2003 2004 2005


Nº Encomendas 19 21 25 23 26 24

Qual é a média simples do número de


encomendas feitas por ano?
 Recorrendo à máquina de calcular, vamos apurar o
número médio de encomendas por ano, assim:

19 + 21 + 25 + 23 + 26 + 24
Ms = 6

 No numerador temos a soma dos números de


encomendas feitas em cada ano (são os valores do
conjunto), e no denominador temos o número de
anos (é o número de elementos do conjunto)
138
Ms = Ms = 23
6
 Então, por ano foram feitas em média (simples)
23 encomendas a este fornecedor.
 O mesmo serviço de compras fez também uma lista com os valores
pagos em cada ano àquele fornecedor pelas encomendas efectuadas:

Anos 2000 2001 2002 2003 2004 2005


Valor 2850€ 3423€ 4175€ 3910€ 4602€ 4296€
 Calcula agora qual foi o valor médio que a empresa pagou por ano ao
fornecedor?

2850 +3423 +4175 +3910 +4602 +4296


Ms= 6

23.256
Ms = 6
Ms = 3876€
 Com base nos dados recolhidos nesta empresa, calcula agora a média
simples do valor de cada encomenda em cada um dos anos analisados.

 Para isso temos de construir uma nova tabela com os dados de cada
ano: precisamos do número de encomendas de cada ano e do valor
total pago por ano.

Anos 2000 2001 2002 2003 2004 2005

Nº Encomendas 19 21 25 23 26 24
Valor 2850€ 3423€ 4175€ 3910€ 4602€ 4296€
 Neste caso sabemos que o valor total das encomendas é já a soma dos
valores das várias encomendas feitas ao longo do ano (soma dos
valores do conjunto).

 Então, basta-nos apurar o quociente desse valor pelo número de


encomendas feitas (número de elementos do conjunto)

 Então, para cada ano, calculamos:

2850€
Ms2000 = Ms2000 = 150€
19

 Vemos que em 2000, cada encomenda teve um custo médio de 150,00€.


3423€
Ms2001 = 21 Ms2001 = 163€
4175€
Ms2002 = 25
Ms2002 = 167€
3910€
Ms2003 = 23
Ms2003 = 170€
4602€
Ms2004 = 26
Ms2004 = 177€
4296€
Ms2005 = 24
Ms2005 = 179€
Exercícios
1- Um responsável comercial duma empresa de distribuição percorreu em
serviço, durante um ano, as seguintes distâncias em quilómetros:

Jan. 1494 Abr. 1586 Jul. 1752 Out. 1643


Fev. 1521 Mai. 1648 Ago. 1798 Nov. 1572
Mar. 1563 Jun. 1695 Set. 1712 Dez. 1780

a) Calcula a média mensal percorrida.


b) E a média mensal por trimestre.
c) Calcula agora a mesma média mensal, mas com base nos
valores trimestrais apurados antes. O que podes concluir?
2- Nessa empresa existem mais oito funcionários comerciais que fazem a
distribuição dos produtos em viaturas da empresa. Para analisar este
sector foram recolhidos os seguintes dados:
Viaturas km a 1/1/05 km a 31/12/05

Viat. nº 1 4219 25.375


Viat. nº 2 5119 29.167
Viat. nº 3 12.964 35.176
Viat. nº 4 21.449 44.165
Viat. nº 5 37.658 59.246
Viat. nº 6 43.778 68.630
Viat. nº 7 137.046 149.262
Viat. nº 8 152.974 163.930
Para efectuares os cálculos seguintes, apura antes os quilómetros
percorridos por cada viatura ao longo do ano.

a) Calcula a média anual percorrida por cada uma das viaturas da


empresa.

b) No conjunto e todas as viaturas, qual foi a média mensal percorrida


por cada uma?

c) Qual a média mensal percorrida por cada uma das viaturas,


especificamente?
Média Aritmética Ponderada
 A média aritmética ponderada é apurada a partir da seguinte
expressão:

x1f1 + x2f2 + x3f3 + … + xnfn


Mp =
f1 + f 2 + f3 +…+ fn

 Ou seja, a média aritmética ponderada obtém-se calculando o


quociente entre a soma do produto dos valores do conjunto pelas
frequências de cada um dos valores e a soma de todas as frequências.
 Na expressão, x representa os diferentes valores do conjunto e f as
frequências de cada valor, isto é, o seu “peso” relativo.

 As frequências reflectem o maior ou menor “peso” relativo, portanto, a


ponderação de cada um dos valores do conjunto.

 Assim, a média aritmética ponderada seria equivalente a uma média


simples em que todas as frequências fossem iguais a 1.

 A média aritmética ponderada representa-se simbolicamente por

Mp.
 Exemplo 2:
 Numa empresa recolheu-se a informação seguinte

relativa às remunerações do seu pessoal:


Remunerações Mensais Nº de trabalhadores
750,00€ 18
900,00€ 22
1200,00€ 6
1500,00€ 4
- 50
Será correcto apurar a média mensal das
remunerações pagas, dividindo por 4 a soma das
classes de remuneração ?
 Com certeza que NÃO.
 Neste caso, a média aritmética tem que ser ponderada, ou seja, deve
reflectir o maior ou menor “peso” que resulta do diferente número de
trabalhadores que existe em cada classe de remunerações.
 Então, recorrendo à máquina de calcular, vamos apurar a remuneração
média mensal, assim:

750x18 + 900x22 + 1200x6 + 1500x4


Mp = 18 + 22 + 6 + 4
46.500
Mp = 50
Mp = 930,00€
Exercícios
3 – Uma empresa teve, durante todo o ano passado, os seguintes custos
com o seu pessoal:

Remunerações Anuais Pessoal


44.800,00€ 2 Gestores
67.200,00€ 5 Administrativos
100.800,00€ 6 Chefes de Linha
302.400,00€ 27 Operários
Considerando que foram pagos Subsídios de Férias e
de Natal a todos os funcionários, além dos 12 meses
de remuneração, calcula:
As remunerações médias mensais de cada categoria profissional.
a)

b) A média ponderado das remunerações

Resolução: a) Calcular as médias simples: do valor para um só


funcionário de cada categoria e depois do valor pago por mês:

44800 : 2= 22400 22400 : 14 = 1600


67200 : 5= 13440 13440 : 14 = 960
100800 : 6 = 16800 16800 : 14 = 1200
302400 : 27 = 11200 11200 : 14 = 800
b) Calcular a média ponderada:
36.800
1600x2 + 960x5 + 1200x6 + 800x27 Mp = 40
Mp = 2 + 5 + 6 + 27 Mp = 920,00€
4 – Uma empresa adquiriu o seguinte material informático (CD), no
primeiro trimestre do ano passado:

Quantidades Custo Unitário


300 2,10€
290 2,00€
320 1,80€
450 1,70€
Considerando que aos valores apresentados acresceu IVA á taxa normal,
calcula o custo médio dos CD adquiridos.
3086,71
2,1 x 1,21 =2,541 X 300 = 762,30
2,0 x 1,21 =2,420 X 290 =
Mp = 1360
701,80
1,8 x 1,21 =2,178 X 320 = 696,96
Mp = 2,2696€
1,7 x 1,21 =2,057 X 450 = 925,65
1360 3086,71
Proporcionalidade Directa
 Diz-se que entre dois conjuntos X e Y existe uma
relação de proporcionalidade directa quando se
verificam as condições:
1ª Existência de uma bijecção.
Uma aplicação é bijectiva se for sobrejectiva ( o contradomínio
coincide com o conjunto de chegada, ou seja, cada elemento do
conjunto de chegada é imagem de pelo menos um elemento do
domínio) e injectiva ( para cada elemento do domínio há uma
imagem diferente no conjunto de chegada)

2ª Os quocientes entre os elementos dos pares


ordenados (x,y) desses conjuntos são constantes, em
que x є X e y є Y.
 Atente-se no exemplo:
 Num agrupamento de escola fez-se o seguinte estudo:

Conjunto X Conjunto Y

Nº de turmas f Nº de alunos

4 72
6 108
10 180

f -1
 No conjunto X está representado o número de turmas de cada escola.

 O conjunto Y representa o número de alunos de cada escola.

 A partir da aplicação f: X→Y, constituem-se os pares ordenados (4,72);


(6,108) e (10,180) formados com os elementos x de X e y de Y.

 Da aplicação inversa f -1: Y→X, obtêm-se os pares ordenados (72,4);


(108,6) e (180,10).

 O quociente entre os elementos de cada par ordenado da aplicação f é


dado por K = y / x, e da aplicação inversa por K-1=1 / K
 Apuremos esses quocientes:
K=y/x
72 / 4 = 18 ; 108 / 6 = 18 e 180 / 10 = 18

 Verificamos que o quociente entre os elementos de cada par ordenado


da aplicação f é CONSTANTE (K = y / x = 18)

K-1= x / y
4/72 = 1/18 ; 6/108 = 1/18 e 10/180 = 1/18

 O quociente entre os elementos dos pares ordenados da aplicação f -1 é


igualmente CONSTANTE
 Estamos na presença de dois quocientes, 18 e 1/18, que são constantes e
podemos representá-los por K e K-1 = 1/K.

 A aplicação dos conjuntos X em Y é bijectiva

 Então, quando se verificam estas duas condições diz-se que existe uma
relação de PROPORCIONALIDADE DIRECTA e que a CONSTANTE DE
PROPORCIONALIDADE (K = y / x) é 18.

Podemos concluir que, em média, existem


18 alunos por cada turma
 Esta relação de proporcionalidade directa pode representar-se através
de um gráfico de eixos cartesianos, assim:
y
alunos y=K.x Concluímos que
180 uma relação de
proporcionalidade
108 directa é
72 representada por
uma recta que
4 6 10 x turmas passa pela origem
Exercícios
5 - Uma empresa de transportes recolheu os seguintes dados relativos a
um veículo
Conjunto A f Conjunto B
Gasóleo consumido Lt. Quilómetros percorridos

3 45
7 105
12 180
25 375

f -1
a) Identifica o tipo de proporcionalidade que existe entre A e B.
b) Determina o valor da constante de proporcionalidade.
c) Diz qual é o consumo médio de gasóleo desta viatura.
d)Representa em gráfico a relação verificada
Resolução:
a)
Como K = y/x
45/3=15 ; 105/7=15 ; 180/12=15 e 375/25=15
e K-1 = x/y
3/45=1/15; 7/105=1/15;12/180=1/15 e 25/375=1/15
Então K = 1 / K-1
A função é bijectiva,
 logo, há proporcionalidade directa.
b) há uma constante de proporcionalidade = 15
c) A viatura consome em média um litro por cada 15
km percorridos.
d) B
km b=15a
375

180

105
45
3 7 12 25 A Lt. Gasóleo
6 – Considera a aplicação g: D→R em que R é o conjunto das
remunerações pagas por uma empresa e D o conjunto dos dias de
trabalho por mês:
Conjunto D g Conjunto R

Dias de trabalho Remunerações pagas

30 900,00€
28 840,00€
25 y3
g -1

Considera um mês de 30 dias.


 O Sr. Pires, ganha por mês 900,00€, mas num mês em que faltou 2 dias
ganhou apenas 840,00€.
a) Identifica o tipo de proporcionalidade que existe entre D e R.
b) Determina o valor em euros da constante de proporcionalidade.
c) Determina a remuneração do Sr. Pires se tivesse faltado 5 dias.
d)Representa em gráfico a relação verificada
a) Como K = y/x ⇒ 900/30=30 e 840/28=30
e K-1 = x/y ⇒ 30/900=1/30 e 28/840=1/30
Então K = 1 / K-1
e como a função é bijectiva, há proporcionalidade directa.
b) há uma constante de proporcionalidade = 30,00€
c) y3 = K . X3 ⇒ y3 = 30 . 25 ⇒ y3 = 750,00€
d) €
900 y = 30 . x
840

750

25 28 30 Dias
Proporcionalidade Inversa

 Diz-se que entre dois conjuntos X e Y há uma


relação de proporcionalidade inversa quando
se verificam as duas condições seguintes:
1ª Existência de uma bijecção.
2ª Os produtos dos elementos que
constituem os pares ordenados (x,y) desses
conjuntos são constantes, em que x є X e y є Y.
 Vejamos o seguinte exemplo:
 Uma empresa transporta encomendas em todo o país e relativamente
ao percurso entre Aveiro e Almada recolheu os seguintes dados:
Conjunto X h Conjunto Y
Nº horas de percurso Velocidade em km/h
X
5 Y 54
3 90
2 135
h-1
 No conjunto X está representado o número de horas necessárias para
efectuar este percurso de Aveiro a Almada ou vice-versa.

 O conjunto Y representa a velocidade média do veículo em km/h.

 A partir da aplicação f: X→Y, constituem-se os pares ordenados (5,54);


(3,90) e (2,135) formados com os elementos x de X e y de Y.

 Da aplicação inversa f -1: Y→X, obtêm-se os pares ordenados (54,5);


(90,3) e (135,2).

 Os quocientes entre os elementos de cada par ordenado são todos


diferentes, isto é:
54 / 5 ≠ 90 / 3 ≠ 135 / 2
 Mas, verificamos que é constante o quociente entre os elementos do
conjunto Y pelo inverso dos elementos de X:
 K = Y / ( 1 / x ) ⇒ K = XY
54 / (1 / 5) = 90 / (1 / 3) = 135 / (1 / 2)
⇒ 54 X 5 = 90 X 3 = 135 X 2 = 270
 Ou seja, é constante o produto dos elementos de cada par ordenado.
 Neste caso diz-se que há uma relação de proporcionalidade inversa em
que a constante de proporcionalidade é 270 (K=XY)

Podemos concluir que o percurso entre Aveiro


e Almada tem cerca de 270 km
 Esta relação de proporcionalidade directa pode representar-se através
de um gráfico de eixos cartesianos, assim:
y
km Concluímos que
135 Hipérbole uma relação de
equilátera proporcionalidade
90 inversa é
y= K / x representada por
54 uma curva que
tende a tocar o
2 3 5 x Horas eixo dos yy para
xx muito baixos
Exercícios

7 – Uma empresa tem de parar as suas máquinas para


proceder a revisões periódicas que durarão entre 8 a
20 dias conforme o número de horas de paragem
diárias:
Conjunto X f Conjunto Y
Dias de paragem Horas de paragem diárias
20 2
10 4
8 5

f -1
a) Identifica o tipo de proporcionalidade que existe
entre X e Y (justifica e apresenta os cálculos).
b) Qual o valor que representa a Constante de
proporcionalidade?
c) Explica o significado desse valor.
d) Escreve a equação que representa esta
proporcionalidade e apura o número de horas que
teria de se trabalhar por dia para que a paragem fosse
de apenas 5 dias.
e) Representa em gráfico a relação verificada
a) Como K = y*x ⇒ 20*2 = 40 e 10*4 = 40 e 8*5 = 40 e K-1 = x*y
(não é preciso verificar pois a multiplicação é comutativa)
Então K = K-1
e como a função é bijectiva, há proporcionalidade inversa.

b) A constante de proporcionalidade = 40h

c) Significa que a revisão completa das máquinas exige uma


paragem total de cerca de 40h

d) Y = K / x . Para que a paragem (x4) fosse de apenas 5 dias,


teria de se parar por dia (y4): y4 = 40h / 5dias ⇒ y4 = 8 horas
por dia
Percentagem

 Percentagem é definida como o quociente entre duas grandezas


directamente proporcionais em que a medida da segunda é 100. Isto é:

A = x
B 100

⇒ x = A x 100
B
 Assim, dados os conjuntos X e Y, tal que 100 Є X e a relação de
proporcionalidade directa f: x y, designa-se por percentagem ao valor da
função f para x=100 [f(100)]
f: x y
X Y
2000 500
100 y2

K = y/x ⇒ K = y1/x1 ⇒ K = 500/2000 ⇒ K = 0,25


Então y2 = K . X2 ⇒ y2 = 0,25 x 100 ⇒ y2 = 25 ou
A/B=X /100 ⇒ 500/2000=X /100⇒ X= 0,25 x 100
 A expressão “por cento” representa-se pelo símbolo % que significa
centésimas.

ex.: 25% = 25 / 100 = 0,25


8% = 8 / 100 = 0,08
5 1/4% = 5,25 / 100 = 0,0525

 Regra prática:
Para representar a percentagem de qualquer
número, coloca-se uma virgula deslocada duas
casas decimais para a direita e acrescenta-se o
símbolo %
ex.: ¼ = 0,25 = 25% ; 1/8 = 0,125 = 12,5%
1/20 = 0,05 = 5% ; 1/0,8 = 1,25 = 125%
Exercícios
Descontos

 Os descontos são uma prática corrente nas relações cliente-fornecedor e


podem ser de natureza comercial e/ou financeira.

 Os descontos comerciais são aqueles que representam reduções do


preço de compra (revenda, quantidade, bónus).

 Os descontos financeiros são reduções que se fazem ao valor a pagar


no total das facturas, em geral, por pronto pagamento.
Descontos Comerciais

 Uma empresa de comércio por grosso de loiças e vidros pratica um


desconto de 15% aos seus clientes que sejam pequenos retalhistas.

1- Determina o valor do desconto concedido pela venda de um serviço de


jantar cujo preço de catálogo era de 625,00€.

2- Determina o preço de catálogo de um jarro que deu origem a um


desconto de 45,00€.
 Recorrendo à relação de proporcionalidade directa entre dois
conjuntos, temos:
X f: x y Y
100 15
625 y2

y = K . x e f (x)=K . x
como K = 15 / 100 ⇒ K = 0,15
então, f (625)= 0,15 x 625 ⇒ f (625)= 93,75€

 Pela via aritmética:


100 = 15 ⇒ y2 = 625 x 15 ⇒ y2 = 93,75€
625 y2 100
 Recorrendo à relação de proporcionalidade directa entre dois
conjuntos, temos:
X f: x y Y
100 15
625 93,75
x3 45


y3 = K . x3 x3= y3 / K
⇒ x3 = 45 / 0,15 ⇒ x3 = 300,00€
 Pela via aritmética:
100 = 15 ⇒ x3 = 45 x 100 ⇒ x3 = 300,00€
x3 45 15
Descontos Financeiros

 Uma empresa concede aos seus principais clientes um desconto de


pronto pagamento de 3% quando recebe até ao 15º dia após a emissão
da factura.

 Determina o valor ilíquido de uma factura cujo valor após o desconto


foi de 1940,00€.

 Determina os valores líquido e ilíquido duma factura cujo cliente teve


um proveito financeiro de 36,00€.
 Recorrendo à relação de proporcionalidade directa entre dois conjuntos,
temos:
X f: x y Y
100 97 (100%-3%)
x2 1940

y=K.x e K=y/x
como K = 97 / 100 ⇒ K = 0,97 e y = K . x
então, y2= K.x2 ⇒ x2= 1940/0,97 ⇒ x2= 2000,00€
Pela via aritmética:
100 = 97 ⇒ x2 = 1940 x 100 ⇒ x3 = 2000,00€
x2 1940 97
 Recorrendo à relação de proporcionalidade directa entre dois
conjuntos, temos:
X f: x y Y
100 3
x2 36

y=K.x e K=y/x
como K = 3 / 100 ⇒ K = 0,03 e y = K . x
então, y2= K.x2 ⇒ x2= 36 / 0,03 ⇒ x2= 1200,00€
Pela via aritmética:
100 = 3 ⇒ x2 = 36 x 100 ⇒ x3 = 1200,00€
x2 36 3