Você está na página 1de 26

Aeróbica

Caracterização

Enquanto atividade de grupo, a aeróbica associa-se à área do fitness (aptidão física).


Com origem na ginástica aeróbica, enquanto vertente competitiva, tem evoluído para
vertentes lúdicas, atraindo cada vez mais praticantes às aulas de grupo.

Vertente lúdica:
As vertentes lúdicas, consistem na realização de um conjunto de movimentos
associados entre si ao som de uma música.

Vertente competitiva:
A vertente competitiva possui um enquadramento formal, com execução
de uma rotina e acompanhamento musical de estilo livre, onde é efetuada uma
coreografia. Apresenta as seguintes categorias:

- Individual (Masculino/Feminino);
- Par misto;
- Trios e Grupos (Cinco a dez elementos).
Enquadramento

Música:
Em modalidades como a aeróbica, a música é utilizada para enquadrar
o ritmo das ações técnicas a efetuar. A cadência musical determina
a frequência e velocidade gestual, influenciando a intensidade
do exercício. Com efeito, torna-se fundamental compreender
os fundamentos genéricos de uma estrutura musical.

Composição da estrutura musical:

As músicas são constituídas por blocos musicais de 64 tempos,


e estes, por sua vez, são divididos em duas frases musicais
de 32 tempos cada. Cada frase musical é formada por quatro
ciclos de oitos tempos musicais.
Enquadramento

Composição da estrutura musical (cont.):


Tempos musicais: Cada batida na música é designada tempo musical. Sequencialmente, verifica-
se a alternância entre tempos fortes e fracos. Os tempos musicais fortes, sendo ímpares, assumem
maior protagonismo, pois dão início aos movimentos. Por sua vez, os tempos musicais fracos,
ocorrem nos tempos pares.

Frase musical: Sendo que cada frase musical é composta por quatro ciclos de oito tempos musicais
(32 tempos), para cada ciclo de oito tempos existe um ciclo de batimentos com sonoridade diferente
do anterior, definido por um grupo específico de batidas. Apesar desta diferença, dentro de cada
frase musical, os diversos ciclos partilham alguma sonoridade comum.

Frase musical
Ciclo de oito tempos musicais
(32 tempos musicais)
Enquadramento

Composição da estrutura musical (cont.):

Ritmo musical: Os componentes básicos do ritmo musical são o som


e o silêncio, que, quando combinados, permitem formar padrões sonoros.
Tais padrões sonoros são repetidos ao longo de uma melodia, dando, assim,
origem ao ritmo, que pode ter uma batida constante ou variável.
As batidas podem ser fortes, extensas, breves ou suaves. A composição
musical pretendida determinará a tipologia e conjugação das batidas.

Batidas por minuto (BPM): As BPM referem-se ao número de tempos


musicais que ocorrem por minuto, em cada música. Quanto maior for
o número de tempos musicais encontrados num minuto, mais rápida é a sua
cadência. Consequentemente, mais elevada terá de ser a velocidade
de execução dos movimentos. Na modalidade da aeróbica, o número
de BPM que compõem normalmente os blocos musicais, varia entre 135
e 155.
Ações técnicas
Passos básicos

Marcha:

Tempo de execução – 1 batida


Realizar apoios alternados dos pés, com uma ligeira elevação dos mesmos.
Passos básicos

Corrida:

Tempo de execução – 1 batida


Realizar movimentos alternados dos membros inferiores, no mesmo local.
Passos básicos

Passo toque (step-touch):

Tempo de execução – 2 batidas


• O membro inferior livre realiza um apoio lateral (1.º tempo);
• O outro membro inferior aproxima-se ao primeiro apoio (2.º tempo),
tocando-lhe na sua parte interior, e assim sucessivamente.
Passos básicos

Elevação do joelho:

Tempo de execução – 2 batidas


Elevação do joelho, com flexão sensivelmente a 90º (1.º tempo), alternando
sucessivamente os apoios.
Passos básicos

Passo cruzado (Grapevine):

Tempo de execução – 4 batidas


• Deslocamento lateral do membro inferior livre (1.º tempo), seguido
de cruzamento atrás por parte do 2.º apoio (2.º tempo);
• Novo deslocamento lateral (3.º tempo), seguindo-se a junção dos membros
inferiores (4.º tempo).
Passos básicos

Passo em «V» («V» step):

Tempo de execução – 4 batidas


• O cumprimento do passo implica a execução de um movimento em «V»;
• Partir da posição de pés juntos, avançando os dois apoios alternadamente
(à largura dos ombros). Voltar a juntar os apoios, atrás.
Passos básicos

Balanços:

Tempo de execução – 1 batida


Realizar transferência de peso de um apoio para
o outro.

Agachamento (squat):

Tempo de execução – 4 batidas


• Efetuar afastamento lateral (1.º tempo), seguido
de flexão dos membros inferiores (2.º tempo);
• Terminar com extensão dos membros inferiores
(3.º tempo), voltando em seguida à posição inicial
(4.º tempo).
Passos básicos

Mambo:
Tempo de execução – 4 batidas
• O membro inferior livre efetua apoio à frente
e atrás;
• O outro membro inferior efetua a mesma
sequência de movimento;
• Os apoios são realizados alternadamente.

Chassé:

Tempo de execução – 4 batidas


• Deslocamento lateral, efetuando três
movimentos em dois tempos;
• O membro inferior livre realiza dois apoios
consecutivos, em simultâneo com os dois
tempos musicais, e o outro membro inferior
realiza um apoio no contratempo.
Passos básicos

Chuto:
Tempo de execução – 1 batida
• Executar chuto à frente com o membro inferior
livre (1.º tempo) e voltar à posição inicial (2.º
tempo);
• Segue-se o chuto com o outro membro inferior
(3.º tempo) e retorno à posição inicial (4.º tempo).

Tesouras:

Tempo de execução – 1 batida


Realizar apoios simultâneos, com um membro
inferior à frente e outro atrás.
Passos básicos

Twist:
Tempo de execução – 1 batida
Realizar movimentos lateralizados através
da rotação dos pés, com os calcanhares
elevados.

Slide:

Tempo de execução – 4 batidas


• Realizar um afastamento lateral, à largura
dos ombros (1.º e 2.º tempos), do membro
inferior livre;
• Em extensão, o outro membro inferior deve
deslizar, em apoio no solo, para junto
do primeiro apoio (3.º e 4.º tempos).
Exemplos de variantes

Partindo dos passos de base é possível introduzir variantes como: deslocamento,


amplitude, alternância das repetições, direção do movimento e conjugação
de ações dos membros superiores. Com efeito, é possível gerar inúmeras ações
técnicas, permitindo criar coreografias multivariadas.

Passo e toque (step touch):


• O membro inferior livre realiza um apoio lateral
(1.º tempo);
• O outro membro inferior cruza atrás do primeiro
apoio (2.º tempo), e assim sucessivamente.

Elevação do joelho:
O movimento de elevação do joelho decorre com
uma orientação lateral, com um apoio à frente e o
apoio da perna livre atrás.
Coreografia musical
Coreografia musical

Transições entre passos:


As transições ocorrem entre o final de um movimento e o início do seguinte.
A escolha de uma sequência de movimentos deve permitir uma execução
contínua, fluida e dinâmica entre os passos.

Liderança dos movimentos:


Para garantir a fluidez das transições entre os movimentos, deve ser definido qual
o membro inferior de liderança, isto é, o membro a iniciar o próximo passo.

Princípio da perna pronta:


Os movimentos seguem o padrão natural de locomoção, ou seja, um apoio
a seguir ao outro (direita, esquerda, direita, ...).

Passo de liderança simples:


Ocorre quando um passo é iniciado sequencialmente com a mesma perna sem
que se verifique uma troca do membro inferior que inicia o movimento.

Passo de liderança alternada:


No final do movimento, o membro inferior contrário ao que começou o passo
precedente inicia a sequência seguinte do mesmo passo.
Métodos de construção de uma coreografia

A elaboração de uma coreografia organiza-se pela conjugação gradual


de passos, que são agrupados sequencialmente até à formação final
da coreografia. São vários os métodos de construção de uma
coreografia.

Método da adição – estilo livre:


• A coreografia é constituída por passos, repetidos e enquadrados
na estrutura musical;
• Este procedimento ocorre, sucessivamente, para os restantes
passos, sem se repetir os passos anteriormente abordados.

Exemplo:
A+A+B+B+C+C+D+D+E+E
Métodos de construção de uma coreografia

Método da pirâmide:

• Neste método, os movimentos da coreografia devem ser repetidos


diversas vezes;
• Posteriormente, o número de repetições é reduzido para metade até
que seja apenas efetuado o produto final da coreografia.

Exemplo:
AAAA + BBBB + CCCC + DDDD
AA + BB + CC + DD
A+B+C+D
Métodos de construção de uma coreografia

Método piramidal de pares:

• A coreografia é elaborada através de duas pirâmides independentes,


exercitadas separadamente.
• Após a realização de ambas as pirâmides, promove-se a junção
de todos os movimentos que irão constituir a coreografia final.

Exemplo:
AAAA + BBBB
AA + BB
A+B+A+B
CCCC + DDDD
CC + DD
C+D+C+D
A+B+A+B + C+D+C+D
A+B+C+D
Métodos de construção de uma coreografia

Método associativo:

A coreografia é construída através da introdução sistemática de novos


movimentos, repetindo sempre os anteriores após cada movimento novo,
até à coreografia final.

Exemplo:
Movimento A
Movimento B
Ligação e repetição de A+B

Movimento C
Ligação e repetição de A+B+C

Movimento D
Ligação e repetição de A+B+C+D
Construção coreográfica

Exemplo de método associativo:

A [marcha – direita e esquerda × 16 (32T)] + B [passo em «V» – direita e esquerda × 16 (32T)].

Repetição:
A [marcha – direita e esquerda × 16 (32T)] + B [passo em «V» – direita e esquerda × 16 (32T)]

Adicionar: C [passo cruzado – direita e esquerda × 8 (32T)]

Repetição:
A [marcha – direita e esquerda × 16 (32T)] + B [passo em «V» – direita e esquerda × 16 (32T)]
+ C [passo cruzado – direita e esquerda × 8 (32T)]

Adicionar: D [mambo – direita e esquerda × 8 (32T)]

Repetição/final:
A [marcha – direita e esquerda × 4 (8T)] + B [passo em «V» – direita e esquerda × 4 (8T)]
+ C [passo cruzado – direita e esquerda × 2 (8T)] + D [mambo – direita e esquerda × 2 (8T)]
Construção coreográfica

Exemplo de método pirâmide:

A [marcha – direita e esquerda × 16 (32T)] +


B [mambo – direita e esquerda × 8 (32T)] +
C [passo e toque – direita e esquerda × 16 (32T)] +
D [passo cruzado – direita e esquerda × 8 (32T)]

A [marcha – direita e esquerda × 8 (16T)] +


B [mambo – direita e esquerda × 4 (16T)] +
C [passo e toque – direita e esquerda × 8 (16T)] +
D [passo cruzado – direita e esquerda × 4 (16T)]

A [marcha – direita e esquerda × 4 (8T)] +


B [mambo – direita e esquerda × 2 (8T)] +
C [passo e toque – direita e esquerda × 4 (8T)] +
D [passo cruzado – direita e esquerda × 2 (8T)]
Construção coreográfica

Progressão:
Ao elaborar uma coreografia deve-se ter em conta a sua progressão e,
consequentemente, a sua necessária complexificação e intensidade.