Você está na página 1de 14

O QUE DIZ O PSICÓLOGO (A) DA

PSICANÁLISE NO CAPS?

Patrícia Figuerêdo Nardaci


Mae Soares da Silva
José Cláudio de Oliveira Neto
INTRODUÇÃO
 A psicanálise, sustentada pela escuta do
inconsciente através da fala concebida ao
sujeito, vai de encontro com a proposta da
Reforma Psiquiátrica, ao voltar o seu olhar para
o sujeito e não mais para a sua loucura em si.

 Amancio afirma que (2015, p.07) “o diferencial


que a inserção da psicanálise traz ao
movimento da Reforma é a luta por um espaço
onde se possa dar vez e voz a uma clínica do
sujeito [...]”.
INTRODUÇÃO
 Buscou identificar as perspectivas de
psicólogos de orientação psicanalítica que
atuam em Centros de Atenção Psicossocial
(CAPS) acerca das linhas de cuidado em
saúde mental, para conhecer o fazer clínico
fora do consultório tradicional e inserido no
contexto da política da saúde mental.
METODOLOGIA
 Trata-se de uma pesquisa qualitativa, descritiva
e analítica, realizada com psicólogos de
orientação psicanalítica em CAPS de
diferentes modalidades do Município de São
Luís, Maranhão.

 Os dados foram coletados a partir de


entrevistas semiestruturadas e a amostra seguiu
o critério de saturação temática.
METODOLOGIA
 O estudo faz parte da pesquisa “Percepções
de Profissionais e Usuários da Rede de Atenção
Psicossocial Acerca do Desenvolvimento de
Linhas de Cuidado em Saúde Mental”,
aprovada pelo CEP da Universidade Ceuma
sob Parecer de Nº 1.760.219.
 Os dados foram analisados pela técnica de
Análise de Conteúdo, modalidade Temática.
Foram entrevistados seis psicólogos.
RESULTADO E DISCUSSÃO
 Da análise do material coletado emergiram
dois temas, onde foram agrupados os
resultados e que constituem a discussão que
será apresentada posteriormente: “A escuta
psicanalítica do usuário do CAPS” e a
“Reforma Psiquiátrica e o Projeto Terapêutico
Singular”.
RESULTADO E DISCUSSÃO
 A escuta psicanalítica do usuário do CAPS

No que diz respeito à escuta psicanalítica


como orientação teórica e técnica para atuação
de psicólogos no CAPS, os entrevistados
defenderam que a psicanálise tem um papel
importante em instituições de modo geral e em
especial na saúde mental, “porque ela vai poder
favorecer a circulação de discursos, às vezes
engessados pelos programas e tentativas de
padronizar os atendimentos” (P02).
RESULTADO E DISCUSSÃO
 A escuta psicanalítica do usuário do CAPS

As entrevistas trouxeram apontamentos sobre a


prática psicanalítica em CAPS como dispositivo
essencial para incluir a escuta da loucura, sem
tentar adequá-la às convenções, como pode ser
verificado na fala de P05: “pensando, por exemplo,
nos usuários dos serviços como indivíduos singulares,
logo temos que escutar suas especificidades,
escutar a psicose e tentar não fazer que o psicótico
se torne um bom neurótico”.
RESULTADO E DISCUSSÃO
 Reforma Psiquiátrica e o Projeto Terapêutico
Singular

Os entrevistados apresentaram o
atendimento em rede como principal
contribuição da reforma psiquiátrica, através da
consolidação dos serviços substitutivos com base
na “descentralização e regionalização dos
serviços e substituição ao antigo manicômio [...]
oferecendo serviços no território para construir
uma rede de serviços” (P01).
RESULTADO E DISCUSSÃO
 Reforma Psiquiátrica e o Projeto Terapêutico
Singular

Os entrevistados apontam a construção da


autonomia do sujeito, como parte da lógica do PTS,
dentro de uma elaboração fundamentada na
“visibilidade e autonomia para esses sujeitos de
alguma forma perceber o quanto eles são capazes
também de um certo nível de autonomia, de
capacidade de trabalho, de relação com o outro”
(P04)
RESULTADO E DISCUSSÃO
 Reforma Psiquiátrica e o Projeto Terapêutico Singular

 Uma das questões em destaque trata-se da clínica


tradicional em relação à clínica da instituição do tipo
CAPS. As entrevistas revelam a necessidade de
dinamizar a clínica de acordo com a política do CAPS,
como afirma P02 “O psicólogo, ele precisa entender
que o trabalho no CAPS ele é muito diferente do
trabalho que tradicionalmente o psicólogo desenvolve
em outros contextos [...] a gente ainda encontra uma
prática muito focada na reaplicação de um modelo
tradicional. ”
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Concluiu-se que a psicanálise tem um papel
importante em instituições de saúde mental, por
favorecer a circulação de discursos, às vezes
engessados pelos programas e atendimentos
padronizados.
Apresenta-se como uma possibilidade para
gerir questões relacionadas a uma prática
multiprofissional, essencial para a construção do
PTS.
REFERÊNCIAS
 AMANCIO, V. R. A construção de uma clínica
para os CAPS a partir da direção da
psicanálise. Revista Fluminense de Extensão
Universitária, v. 5, n. 1, p. 5–9, 2015.
OBRIGADO!