Você está na página 1de 77

PPAP

Processo de Aprovação de Peças de Produção


Programa Desenvolvimento 1

Índice

1 PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção

1.1 Objetivos do Módulo

1.2 Introdução

1.3 Seção 1 - Generalidades

1.4 Seção 2 – Requisitos do PPAP

1.5 Seção 3 – Notificação / Requisitos de Submissão


1.6 Seção 4 – Submissão para o Cliente
1.7 Seção 5 – Status de Submissão

1.8 Seção 6 – Retenção de Registros


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1

Slide Assunto Slide Assunto


3 Objetivos do Módulo 50 Amostras

4 PPAP – Composição 52 Ajudas de Verificação

5 Propósitos e Aplicabilidade 54 Requisitos Específicos / PSW

7 ISO TS 16949 56 Peso da Peça

8 Fluxograma do Processo PPAP 57 Notificação ao Cliente

9 Seção 1 62 Submissão ao Cliente

10 Corrida Significativa de Produção 65 Níveis de Submissão

11 Requisitos do PPAP 68 Status de Submissão da Peça

16 Registros dos Projetos 71 Situação do PPAP no Cliente

19 Documentos Engenharia/Aprovação/FMEA 73 Retenção do Registro

23 DFMEA 74 Requisitos Específicos

24 Fluxograma do Processo 75 Mudanças da 4ª. Edição

25 PFMEA

26 Plano de Controle / MSA

29 Resultados Dimensionais

31 Resultados de Ensaios

34 Estudos iniciais do Processo

48 Documentação de Laboratório Qualificado

49 Relatório de Aprovação de Aparência


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.1

Objetivos do Módulo

 Capacitar os participantes no uso das técnicas e ferramentas do


PPAP (Processo de Aprovação de Peças de Produção).
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.2

PPAP - Composição

 Introdução - Propósito, aplicabilidade e enfoque


 Seção 1 - Generalidades, submissão
 Seção 2 – Requisitos do PPAP
 Seção 3 – Notificação do cliente e requisitos de submissão
 Seção 4 – Submissão para o cliente (Níveis de evidência)
 Seção 5 – Status de submissão de peças
 Seção 6 – Retenção de registros
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.2

PPAP – Propósitos e Aplicabilidade


Propósito:
O PPAP define os requisitos genéricos para aprovação de peças de
produção, incluindo materiais de produção e material a granel. Seu
propósito é determinar se todos os requisitos dos registros de projeto de
engenharia do cliente e especificações, estão adequadamente entendidos
pela organização, e que o processo tem potencial para produzir um
produto, que consistentemente atenda aos requisitos, durante uma
corrida de produção normal, na proporção cotada para produção.

Aplicabilidade:
O PPAP deve aplicar-se ao site interno ou externo da organização que
forneça peças e serviços de produção, materiais de produção e materiais a
granel.
Para materiais a granel, o PPAP não é requerido, a menos que especificado
pelo representante autorizado do cliente.
Uma organização que forneça peças ou serviços de produção,
normalizados por catálogo, deve atender ao PPAP, a menos que
formalmente acordado com o representante autorizado do cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.2

PPAP – Propósitos e Aplicabilidade

• Verificar nos requisitos específicos do cliente para obter mais


informações. Todas as questões sobre o PPAP devem ser
endereçadas para o representante autorizado do cliente.

• Um cliente pode formalmente dispensar uma organização dos


requisitos do PPAP. Tais dispensas somente podem ser emitidas por
um representante autorizado do cliente.

• Uma organização ou fornecedor, que necessite de uma dispensa dos


requisitos do PPAP, deve entrar em contato com o representante
autorizado do cliente. A organização ou o fornecedor deve obter a
documentação da dispensa, com o representante autorizado do
cliente.

• Peças de catálogo (exemplo: parafusos) são identificados e/ou


solicitados por especificações funcionais, ou pelas normas industriais
reconhecidas.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.2

ISO TS 16949

Item 7.3.6.3 Processo de aprovação do produto

A organização deve atender a um procedimento de aprovação, do produto e do


processo de manufatura, reconhecido pelo cliente.
Nota: A aprovação do produto deve ser subseqüente à verificação do processo
de manufatura.
Este procedimento de aprovação do produto e do processo de manufatura
deve, também, ser aplicado aos fornecedores.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.2

Fluxograma do Processo PPAP


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.3

Seção 1 - Generalidades

1.1 Submissão do PPAP


A organização deve obter aprovação completa, do representante
autorizado do cliente, para:
1. Uma nova peça ou produto (exemplo: peça específica, material ou
cor não fornecida previamente, para um cliente específico);
2. Correção ou discrepância numa peça submetida previamente;
3. Produto modificado por uma alteração de engenharia, ou registro de
projeto, especificações ou materiais;
4. Quaisquer situações requeridas pela Seção 3.
Nota: Se houver quaisquer questões sobre a necessidade da aprovação
da peça de produção, entre em contato com o responsável autorizado do
cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Seção 2 – Requisitos do Processo do PPAP

2.1 Corrida significativa de produção


• Para peças de produção
• Produtos para PPAP devem ser tomados de produção significativa.
• Esta corrida significativa deve ser de 1 até 8 horas de produção, de
um total de no mínimo 300 peças consecutivas, a menos que de
outra forma especificado pelo representante autorizado do cliente

• A corrida significativa de produção deve ser conduzida:


• No site de produção, na razão de produção (glossário), usando
ferramental, dispositivos de medição, processo, materiais e
operadores de produção.
• Com peças de cada processo único de produção, como, por exemplo,
linha de montagem duplicada e/ou célula de trabalho, cada posição
de uma cavidade múltipla, molde, estampo ou padrão. Devem ser
medidas e ensaiadas peças representativas de cada processo único.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Seção 2 – Requisitos do Processo do PPAP


• Para materiais à granel:
• Não há um número específico requerido de "peças".
• Se uma amostra for requerida para submissão, isto deve ser
feito de forma a assegurar que esta represente um estado
normal de operação do processo.
Notas:
• Para material a granel, o histórico de produção dos produtos
atuais pode ser freqüentemente usado para estimar a
capacidade ou desempenho do processo de produtos, novos
ou modificados.
• Quando não há histórico de produção, de material a granel
similar ou da tecnologia existente, um plano de contenção
pode ser utilizado, até que uma produção suficiente
demonstre a capacidade ou desempenho, a menos que de
outra forma especificado pelo cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Seção 2 – Requisitos do Processo do PPAP

2.2 Requisitos do PPAP


• A organização deve atender aos requisitos especificados do PPAP
(2.2.1 até 2.2.18), além de também atender a todos os requisitos
específicos do PPAP do cliente.
• As peças de produção devem atender a todos os registros de
projeto de engenharia e requisitos especificados (incluindo
requisitos de segurança e de regulamentação).
• Os requisitos do PPAP para material a granel são definidos através
do checklist completo de requisitos de material a granel (
• Se quaisquer das especificações da peça não puderem ser
atendidas, a organização deve documentar seus esforços para
resolução de problemas, e contatar o representante autorizado do
cliente, para concordância na determinação da ação corretiva
apropriada.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Seção 2 – Requisitos do Processo do PPAP

2.2 Requisitos do PPAP

• Nota: Os itens/registros podem não se aplicar, necessariamente,


a todas as peças dos clientes, para todas as organizações.
• Exemplos: algumas peças não têm requisitos de aparência,
outras não têm requisitos de cor, peças plásticas podem ter
requisitos de marcação de peças em polímero. A fim de
determinar, com certeza, quais itens devem ser excluídos,
consulte o registro de projeto (exemplos: impressão na peça,
documentos relevantes de engenharia ou especificações), com
o representante autorizado do cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Tabela de Requisitos
2.2.1 Registros de projeto
2.2.1.1 Relatório da composição do material da peça
2.2.1.2 Marcação das peças em polímero
2.2.2 Documentos de autorização de modificações de engenharia
2.2.3 Aprovação da engenharia do cliente, se requerido
2.2.4 FMEA de projeto
2.2.5 Diagramas de fluxo do processo
2.2.6 FMEA de processo
2.2.7 Plano de controle
2.2.8 Estudos das análises do sistema de medição
2.2.9 Resultados dimensionais
2.2.10 Registros de material / Resultados de ensaios de desempenho
2.2.10.1 Resultados de ensaio de materiais
2.2.10.2 Resultados de ensaios de desempenho
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Tabela de Requisitos
2.2.11 Estudos iniciais do processo
2.2.11.1 Generalidades
2.2.11.2 Índices da qualidade
2.2.11.3 Critério de aceitação para estudo inicial
2.2.11.4 Processos instáveis
2.2.11.5 Processos com especificações unilaterais ou com distribuição não
normal
2.2.11.6 Ações a serem tomadas quando o critério de aceitação não for
atendido
2.2.12 Documentação do laboratório qualificado
2.2.13 Relatório de aprovação de aparência (RAA), se aplicável
2.2.14 Amostra de peças de produção
2.2.15 Amostra padrão
2.2.16 Meios de Inspeção
2.2.17 Requisitos específicos do cliente
2.2.18 Certificado de submissão da peça (PSW)
2.2.18.1 Peso da peça (massa)
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.1.1 – Registros do Projeto

• A organização deve ter o registro de projeto para o produto/peça


vendável, incluindo registros para componentes e detalhes.
• Se o registro estiver num formato eletrônico (dados matemáticos de
CAD/CAM, por exemplo), a organização deve produzir cópia impressa
(como folhas de tolerância dimensional e geométrica, GD&T, desenho),
para identificar as medições tomadas.

Nota 1: Para qualquer produto, peça vendável, peça ou componente,


haverá só um registro de projeto, indiferente de quem tenha a
responsabilidade pelo projeto. Esse registro pode fazer referência a
outros documentos que fazem parte do registro.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.1.1 – Registros do Projeto


Nota 2: Um registro único pode representar diversas peças/configurações de
montagem, tal como montagem de sub-frame com furos para diferentes
aplicações.
Nota 3: Para peças identificadas como black box (glossário), o registro de projeto
especifica a interface e os requisitos de desempenho.
Nota 4: Para peças identificadas de catálogos, o registro pode consistir somente
numa especificação funcional ou uma referência a uma norma industrial
reconhecida.
Nota 5: Para materiais a granel, o registro pode incluir a identificação de
matérias primas, formulações, passos e parâmetros de processamento e
especificações de produto final ou critério de aceitação. Se os resultados
dimensionais não forem aplicáveis, então os requisitos de CAD/CAM também
não serão aplicáveis.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Registros do Projeto
2.2.1.1 Relatando a composição do material da peça
A organização deve fornecer evidência de que o relatório de composição do
material/ substância requerido pelo cliente foi completado para a peça e que
os dados do relatório atendem a todos os requisitos específicos do cliente.
Nota: Este relatório de material pode ser encontrado dentro do IMDS (International
Material Data System), ou através de outro método/sistema específico do cliente. O
IMDS está disponível no site http:www.mdsystem.com./index.jsp.
2.2.1.2 Marcando as peças em polímero
Onde aplicável, a organização deve identificar as peças em polímeros com os símbolos
da ISO, tal como especificado na ISO 11469, “Plásticos –
Identificação genérica e marcação de produtos plásticos” e/ou ISO 1629,
“Borracha – nomenclatura”. O critério por peso, abaixo, deve determinar se o requisito
de marcação é aplicável:
• Peças em plástico, com peso mínimo de 100 g (use a ISO 11469/1043-1)
• Peças em elastômero, com peso mínimo de 200 g (use a ISO 11469/1629)
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Seção 2
2.2.2 Documentos de autorização de modificação de engenharia

A organização deve ter quaisquer documentos de autorização de


modificação de engenharia, para as modificações que ainda não foram
registradas no registro do projeto, mas que foram incorporadas ao produto,
peça ou ferramental.

2.2.3 Aprovação da engenharia do cliente

Onde especificado pelo cliente, a organização deve ter evidência da


aprovação da engenharia do cliente.

Nota: Para materiais a granel, este requisito é atendido por uma assinatura
na linha do item “Aprovação de Engenharia”, no checklist dos requisitos de
material a granel (Apêndice F) e/ou da inclusão na lista de materiais
aprovados mantida pelo cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Seção 2

2.2.4 Análise dos efeitos e modos de falha do projeto (FMEA de projeto),


se o fornecedor é responsável pelo projeto

A organização responsável pelo projeto deve desenvolver um FMEA de


projeto, de acordo com os requisitos específicos do cliente, e atendendo
aos mesmos (Manual de referência do FMEA).
Nota 1: Esse FMEA pode ser aplicável a uma família de peças, ou materiais
similares.
Nota 2: Para materiais a granel, ver o Apêndice F.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

FMEA – Análise dos Modos de Falha e seus Efeitos

• Conceito de FMEA (Failure Modes and Effects Analysis): É uma ferramenta


preventiva, aplicada no desenvolvimento de Projetos (DFMEA) e de Processos
(PFMEA).
• Também aplicado em modificações/melhorias a se introduzir em projetos e
processos antigos ou quando existem modificações no ambiente de trabalho.
• É um método analítico sistemático, para identificar problemas potenciais, suas
causas e efeitos, com a execução de trabalho em equipe.
• É um documento vivo, devendo estar em constante atualização, interagindo com
os planejamentos da produção e da qualidade, através dos Planos de Controle.

• Alguns objetivos do FMEA:


• Melhorar: qualidade/confiabilidade/segurança dos produtos/processos
avaliados.
• Reduzir o tempo de desenvolvimento do produto e de seu custo.
• Documentar e monitorar as ações tomadas, com o intuito de reduzir riscos
nos lançamentos do produto e do processo.
• Melhorar a satisfação dos clientes e dos consumidores.
Roteiro para o FMEA
Controles Atuais Resultados das Ações
Função do Processo / Modo de Falha Efeito(s) Potencial S C Causa(s) e O D S R Ações Responsável e O S
Requerimentos Potencial e l Mecanismo(s) c e P Recomendadas Cronograma c
Ações S D R
v a Potenciais o t x N o x
Prevenção Detecção tomadas e e e P
s r e r
Data v t N
s r c O r O
e

Quais Qual é a
são os Severidade?
Efeitos? Ações
Recomendadas
Qual é a
Função?
Modificações:
Quais Qual é a - Projeto
são as Ocorrência?
causas? - Processo
O que pode
dar errado?
Controles Especiais
Alterações de
Modo de Quais os Documentos
Falha Controles Qual é a
Atuais? Detecção?
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.4 - DFMEA
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.5 – Fluxograma de Processo


• A organização deve ter um diagrama de fluxo de processo, no formato específico da
organização, que claramente descreva os passos e a seqüência do processo de produção,
conforme for adequado, e que atenda às necessidades, requisitos, expectativas especificados
pelo cliente (Manual do APQP). Para material a granel, o Diagrama de Fluxo de Processo
equivalente é uma Descrição de Fluxo do Processo.
• Nota: Os diagramas de fluxo por "famílias" de peças similares são aceitos, se as novas peças
tiverem sido analisadas pela organização para torná-las comuns.
• O fluxograma é um método gráfico simplificado, para visualizar o processo como um todo,
sendo usado para: Análise das fontes de variação; Ênfase no impacto das fontesde variação
do processo; Análise sistêmica do processo; Ajuda na focalização do processo; Visualização da
interdependência de cada parte do processo.
Simbologia normalmente usada:
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.6 – FMEA de Processo


• A organização deve desenvolver um FMEA de processo, de acordo com os
requisitos específicos do cliente, e atendendo aos mesmos (Manual de
referência do FMEA).
• Nota: Um único PFMEA pode ser aplicado para um processo de manufatura,
para uma família de peças, ou materiais similares, se analisados pela
organização para torná-los comuns.
• O PFMEA tem muita similaridade com o DFMEA, guardados seus objetivos e
aplicações, devendo ser sempre precedido pelo Fluxograma de Processo.
• Tal similaridade estende-se ao Modelo de trabalho, à Seqüência de passos
de elaboração, ao Formulário utilizado, às Colunas do formulário, etc.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Plano de Controle e MSA


2.2.7 Plano de controle
• A organização deve ter um Plano de Controle que defina todos os
métodos usados para o controle de processo e que atenda aos
requisitos específicos do cliente (Manual do APQP e Plano de
Controle).
• Os planos de controle por famílias de peças são aceitos, se as novas
peças forem analisadas pela organização para torná-las comuns.
• A aprovação do Plano de Controle pode ser requerida por alguns
clientes.
2.2.8 Estudos das análises do sistema de medição
• A organização deve ter estudos das Análises do Sistema de Medição
(R&R, Tendência, Linearidade, Estabilidade), para todos os
dispositivos de medição, equipamento de medição e ensaio, novo ou
modificado (Manual de Referência de MSA – Análises do Sistema de
Medição).
• Os critérios de aceitação do GR&R estão definidos no Manual de
MSA.Para materiais a granel, as análises do sistema de medição
podem não ser aplicáveis.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Modelo de Plano de Controle


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Exemplo de MSA
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.9 – Resultados Dimensionais

• A organização deve fornecer evidência de que as verificações dimensionais,


requeridas pelo Registro de Projeto e pelo Plano de Controle, tenham sido
completadas e os resultados indiquem a concordância com os requisitos
especificados.
• A organização deve ter os resultados dimensionais para cada processo único de
manufatura, tais como células ou linhas de produção e todas as cavidades,
moldes, modelo ou matriz (ver 2.2.18).
• A organização deve registrar, com os resultados atuais, todas as dimensões
• (exceto as dimensões de referência), características e especificações conforme
anotadas no registro de projeto e plano de controle. A organização deve indicar
a data do registro do projeto, nível de modificação e quaisquer documentos de
modificação de engenharia, autorizadas e que ainda não foram incorporados no
registro do projeto, no qual a peça foi fabricada.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.9 – Resultados Dimensionais

• A organização deve registrar o nível da modificação, data do desenho, nome da


organização e número da peça, em todos os documentos auxiliares (exemplos: folhas
de resultados de layout, croquis, desenho do traçado, resultados de pontos de
inspeção por CMM -máquina de medir por coordenadas-, folhas de tolerância
dimensional e geométrica ou outros desenhos auxiliares usados em conjunto com o
desenho da peça).
• Cópia destes materiais devem acompanhar os resultados dimensionais, de acordo
com a Tabela de Requisitos de Retenção/Submissão. Um desenho do traçado deve
estar incluso, quando um projetor de perfil for usado.
• A organização deve identificar uma das peças medidas, como amostra padrão (ver
2.2.15).
• Formulários de resultados dimensionais, uma ilustração, folhas de tolerância
dimensional e geométrica, ou um desenho boletado, em que os resultados foram
escritos de modo legível num desenho,incluindo as seções transversais, traçados ou
rascunhos, conforme aplicáveis, podem ser utilizados para este propósito.
• Resultados dimensionais geralmente não se aplicam aos materiais a granel.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Registros de Resultados de Ensaios

A organização deve ter registros dos resultados de ensaio (material e/ou


desempenho), para ensaio especificado (Registro de projeto/Plano de
Controle).

2.2.10.1 Resultados de ensaios de material (Parte 1)


A organização deve executar os ensaios para todos os materiais das peças e
produtos, quando requisitos químicos, físicos ou metalúrgicos forem
especificados pelo registro de projeto ou pelo Plano de Controle.
• Resultados de ensaios de materiais devem indicar e incluir:
• Nível de modificação do registro do projeto da peça ensaiada;
• Qualquer documento de autorização de modificação de engenharia, que
ainda não tenha sido incorporado no registro do projeto
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Registros de Resultados de Ensaios

• Número, data, e nível de modificação das especificações, nos quais a


peça foi ensaiada; Data na qual o ensaiado foi executado; Quantidade
ensaiada; Resultados atuais;
• Nome do fornecedor do material e, quando requerido pelo cliente, o
código do vendedor/fornecedor designado pelo cliente.
• Os resultados de ensaio de material podem ser apresentados em
qualquer formato conveniente.
• Para produtos com especificações de materiais desenvolvidas pelo
cliente, e uma lista de fornecedor aprovado pelo cliente, a organização
deve desenvolver materiais e/ou serviços (exemplos: pintura, tratamento
térmico e superficial, solda) de fornecedores desta lista.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Registros de Resultados de Ensaios

2.2.10.2 Resultados de ensaio de desempenho

A organização deve executar ensaios para toda(s) a(s) peça(s) ou material(ais)


de produto, quando requisitos de desempenho ou funcional forem especificados
pelo Registro de Projeto ou pelo Plano de Controle.
• Os resultados de ensaio de desempenho devem indicar e incluir:
• Nível de modificação do registro de projeto da peça ensaiada;
• Quaisquer documentos de modificação de engenharia autorizada que não
tenham ainda sido incorporados no registro do projeto;
• Nº, data, e o nível de modificação da especificação nos quais a peça foi
ensaiada;
• Quantidade testada; Resultados atuais.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Estudos Iniciais do Processo

2.2.11.1 Generalidades

• O nível de capacidade inicial de processo ou desempenho deve ser


determinado como aceitável, antes da submissão, para todas as
características especiais designadas pelo cliente ou pela organização.
• A organização deve obter o acordo com o cliente no índice para estimar
a capacidade inicial do processo, antes da submissão.
• A organização deve executar as análises do sistema de medição, para
entender como os erros de medição afetam as medições estudadas (ver
2.2.8).
• Onde não for identificada nenhuma característica especial, o cliente se
reserva o direito de requerer a demonstração
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Estudos Iniciais do Processo

• O propósito é determinar se o processo produtivo é apropriado para


produzir produtos que atendam aos requisitos do cliente. O estudo inicial
do processo está focado em variáveis e não em atributos. Os erros de
montagem, falhas no ensaio e defeitos de superfície são exemplos de
dados de atributos, cujo entendimento é importante, mas que não são
cobertos por este estudo inicial. Para entender o desempenho das
características monitoradas por atributos, serão necessários mais dados
coletados ao longo do tempo. A menos que seja aprovado pelo
representante autorizado do cliente, dados de atributo não são aceitáveis
para a submissão do PPAP.

• Cpk e Ppk são descritos a seguir. Outros métodos mais apropriados, para
certos processos ou produtos, podem ser substituídos, pela aprovação
prévia de um representante autorizado do cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Estudos Iniciais do Processo

• Os estudos iniciais do processo são de curto prazo, e não prevêem os


efeitos do tempo e variação de pessoas, materiais, métodos,
equipamento, sistemas de medição e o ambiente. Mesmo para estes
estudos de curto prazo, é importante coletar e analisar os dados nos
pedidos de produção usando os gráficos de controle.

• Para características que podem ser estudadas usando os gráficos de Xbar e


R, um estudo de curto prazo deve ser baseado em um mínimo de 25 sub-
grupos contendo, no mínimo, 100 leituras de peças consecutivas, de uma
corrida significativa de produção (ver 2.1). Os dados do estudo inicial
podem ser trocados pelos dados históricos, de longo prazo, ou de mesmo
processo ou similar. Para certos processos, ferramentas analíticas
alternativas, como gráficos de indivíduos e amplitudes móveis, podem ser
apropriadas e permitidas, com a aprovação de um representante
autorizado do cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Carta de Média e Amplitude


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.11.2 – Índices da Qualidade


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.11.2 – Índices da Qualidade

40)
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.11.2 – Índices da Qualidade


Estudos iniciais de processo (continuação)

• Por outro lado, para processos com causas especiais previsíveis e


conhecidas, e saída atendendo às especificações, o Ppk deveria ser usado.
• Quando não existirem dados disponíveis suficientes (< 100 amostras), ou
houver fontes desconhecidas de variação, contate o representante
autorizado do cliente para desenvolver um plano apropriado.
• Nota 2: Para estudos iniciais do processo, envolvendo mais que uma cauda
do processo, podem ser requeridos métodos estatísticos adicionais
apropriados, ou abordagens.
• Nota 3: Para material a granel, a organização deve obter um acordo do
cliente, considerando técnicas adequadas para os estudos iniciais do
processo, se requerido, a fim de determinar uma estimativa eficaz da
capacidade.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Critérios de Aceitação
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Capacidade do Processo
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Capacidade do Processo
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Capacidade do Processo
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.11.4 - Processos Instáveis

• Dependendo da natureza da instabilidade, um processo instável pode não


atender aos requisitos do cliente.
• A organização deve identificar, avaliar e, sempre que possível, eliminar as
causas especiais da variação, antes da submissão do PPAP.
• A organização deve notificar o representante autorizado do cliente, sobre
quaisquer processos instáveis que possam existir, e deve submeter um
plano de ação corretiva ao cliente, antes de qualquer submissão.
• Para materiais a granel, para processos com causas especiais previsíveis e
conhecidas, cujas saídas atendam às especificações, planos de ação
corretiva podem não ser requeridos pelo cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.11.5 – Especificação Unilateral ou Distribuição não Normal

A organização deve determinar, com o representante autorizado do cliente,


um critério de aceitação alternativa, para os processos com especificações
unilaterais ou com distribuição não normais.

• O critério de aceitação mencionado (2.2.11.3) assume normalidade e


especificação bilateral (meta no centro).
• Quando isto não for verdade, o uso desta análise pode resultar em
informações não confiáveis.
• Este critério de aceitação pode requerer um tipo diferente de índice ou
algum método de transformação de dados.
• O foco deveria ser o entendimento das razões da não normalidade
(exemplo: o processo é estável ao longo do tempo?), e o gerenciamento da
variação.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.11.6 – Ações quando o critério de aceitação não for aceito

• A organização deve contatar o representante autorizado do cliente, se o


critério de aceitação (2.2.11.3) não puder ser alcançado até a data
prometida de submissão do PPAP.
• A organização deve submeter ao representante autorizado do cliente, para
aprovação, um plano de ação corretiva e um Plano de Controle modificado,
providenciando normalmente uma inspeção 100%.
• Esforços para reduzir a variação devem ser contínuos, até que o critério de
aceitação seja atendido, ou até que a aprovação do cliente seja recebida.
• Metodologias de inspeção 100% estão sujeitas à análise crítica e
concordância do cliente.
• Para material a granel, inspeção 100% significa uma avaliação de uma
amostra de produto de um processo contínuo, ou lote homogêneo, que é
representativo de uma corrida inteira de produção.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.12 – Documentação do Laboratório Qualificado

• A inspeção e os ensaios para o PPAP devem ser executados por um


laboratório qualificado, conforme definido pelos requisitos do cliente
(exemplo: um laboratório acreditado). O laboratório qualificado (interno ou
externo à organização), deve ter um escopo e documentação, mostrando
que é qualificado para o tipo de medições ou ensaios conduzidos.
• Quando um laboratório externo / comercial for usado, a organização deve
submeter os resultados de ensaios, no papel de carta do laboratório ou no
formato de relatório normal do laboratório. O nome do laboratório que
executou os ensaios, a(s) data(s) dos ensaios e a norma utilizada para
executar os ensaios devem ser identificados.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.13 – Relatório de Aprovação de Aparência (RAA)

• Um Relatório de Aprovação de Aparência (RAA) deve ser preenchido, separadamente


para cada peça, ou séries de peças, se houver requisitos de aparência no registro de
projeto.
• Uma vez completos satisfatoriamente todos os critérios requeridos, a organização
deve registrar a informação no RAA. O RAA preenchido, mais os produtos/peças
representativos da produção, devem ser submetidos ao local especificado pelo
cliente, para receber a disposição do RAA (completa com a disposição e assinatura do
representante autorizado do cliente).
• Em seguida, a organização deve acompanhar o PSW, no prazo da submissão final,
uma vez que seja requerido pelo nível de submissão. Ver os requisitos específicos do
cliente para os requisitos adicionais.
• O RAA aplica-se, geralmente, só para peças com requisitos de cor, granulação ou
acabamento de superfície.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Amostras

2.2.14 Amostras de peças de produção


A organização deve prover uma amostra do produto, conforme especificado
pelo cliente.

2.2.15 Amostra padrão


A organização deve reter uma amostra padrão, pelo mesmo período do registro
de aprovação da peça de produção, ou, a) Até que uma nova amostra padrão
seja produzida para um mesmo número da peça para aprovação do cliente, ou,
b) Quando uma amostra padrão for requerida pelo registro de projeto, Plano de
controle ou critério de inspeção, como uma referência ou padrão. A amostra
padrão deve ser identificada como tal, e deve mostrar a data da aprovação do
cliente na amostra. A organização deve reter uma amostra padrão para cada
posição de uma cavidade múltipla, molde, ferramenta ou modelo, ou processo
de produção a menos que de outra maneira especificada pelo cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Amostras
2.2.15 Amostra padrão

Nota 1: Quando o tamanho/volume das peças, etc. fizer com que o


armazenamento da amostra seja difícil, os requisitos de retenção da amostra
padrão podem ser modificados ou dispensados por escrito pelo representante
autorizado do cliente. O propósito dessa amostra é ajudar na definição do
padrão de produção, especialmente quando os dados forem ambíguos ou com
detalhes insuficientes para replicar completamente a peça de seu estado
originalmente aprovado.

Nota 2: Muitas propriedades do material a granel são, por sua natureza,


dependentes do tempo, e se uma amostra padrão for requerida, esta pode
consistir de registro de manufatura, resultados de ensaios, e análises do
certificado dos ingredientes chaves, para a amostra de submissão aprovada
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.16 – Ajudas de Verificação

• Se requerido pelo cliente, a organização deve submeter,


juntamente com a submissão do PPAP, alguma montagem
específica de ajuda de verificação da peça ou componente.
• A organização deve certificar que todos os aspectos da ajuda de
verificação estejam de acordo com os requisitos dimensionais da
peça.
• A organização deve documentar todas as modificações do
projeto de engenharia entregues, que tenham sido incorporadas
nas ajudas, no momento da submissão.
• A organização deve fornecer manutenção preventiva para as
ajudas de verificação, pelo tempo de vida da peça;
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.16 – Ajudas de Verificação

• Estudos das Análises do Sistema de Medição, por exemplo R&R,


exatidão, tendência, linearidade, estabilidade, devem ser
conduzidos, de acordo com os requisitos do cliente. (ver 2.2.8 e
o Manual de Referência do MSA.
• Nota 1: As ajudas de verificação podem incluir os fixadores,
dispositivos de medição por variáveis e atributos, modelos,
templates, mylars específicos do produto sendo submetido.
• Nota 2: As ajudas de verificação, etc, geralmente não se aplicam
para materiais a granel. Se as ajudas de verificação para
materiais a granel forem usadas, a organização deve entrar em
contato com o representante autorizado do cliente
considerando este requisito.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

Seção 2
2.2.17 Requisitos específicos do cliente
• A organização deve ter registros de conformidade
com todos os requisitos específicos do cliente
aplicáveis. Para materiais a granel, requisitos
específicos do cliente aplicáveis devem ser
documentados no Checklist de requisitos de
material a granel.

2.2.18 Garantia de submissão de peça (PSW)


• Uma vez completados todos os requisitos do PPAP, a organização deve
completar a Garantia de Submissão de Peça (PSW).
• Um PSW separado deve ser preenchido para cada número da peça do
cliente a menos que de outra forma acordado com o representante
autorizado do cliente.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.18 – Garantia de Submissão de Peça

• Se a produção das peças for realizada em mais que uma cavidade, molde,
ferramenta, estampo, modelo ou processo de produção, tal como linha ou
célula, a organização deve completar a avaliação dimensional (ver 2.2.9) de
uma peça de cada. As cavidades, moldes, linhas, etc. específicas, devem,
então, ser identificadas na linha "Molde/Cavidade/Processo de Produção" no
PSW, ou em um anexo do PSW
• A organização deve verificar que todos os resultados de medição e ensaio
mostrem a conformidade com os requisitos do cliente e que toda a
documentação requerida esteja disponível e, para os níveis 2, 3 e 4, esteja
incluída na submissão como apropriado. O responsável da organização deve
aprovar o PSW e fornecer a informação de contato.
• Nota 1: Uma garantia por número de peça do cliente pode ser usada, para
sumarizar muitas modificações permitindo que estas estejam adequadamente
documentadas, e a submissão esteja em conformidade com os requisitos de
prazo dados pelo cliente.
• Nota 2: Os PSWs podem ser submetidos eletronicamente, de acordo com os
requisitos do cliente
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.4

2.2.18.1 – Peso da Peça


• A organização deve registrar no PSW o peso da peça, como embarcado, no
PSW, medido e expresso em quilogramas, com quatro casas decimais
(0,0000), a menos que especificado de outra forma pelo cliente.
• O peso não deve incluir os protetores de embalagem, dispositivos de
montagem ou materiais de embalagem.
• Para determinar o peso da peça, a organização deve pesar individualmente10
peças, selecionadas aleatoriamente, calcular e relatar o peso médio. No
mínimo uma peça deve ser medida de cada cavidade, ferramenta, linha ou
processo, a ser usada na realização do produto.

Nota: Este peso é usado para análise do peso do veículo


somente e não afeta o processo de aprovação. Onde não
houver requisito de produção ou serviço, para um mínimo de
10 peças, a organização deveria usar o número requerido para
cálculo da média do peso da peça. Para materiais a granel, o
campo do peso da peça não é aplicável.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.5

Notificação ao Cliente

3.1 Notificação ao cliente

• A organização deve notificar o representante autorizado do cliente


de qualquer modificação no projeto, processo, ou no site. Exemplos
estão indicados nos próximos slides.
• As organizações são responsáveis por notificar o representante
autorizado do cliente, de todas as modificações do projeto da peça
e/ou do processo de manufatura.
• Uma vez que o representante autorizado do cliente tenha sido
notificado, e aprove a modificação proposta, depois da
implementação da modificação a submissão do PPAP é requerida, a
menos que de outra forma especificada.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.5

Notificação ao Cliente
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.5

Notificação ao Cliente
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.5

Notificação ao Cliente
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.5

Notificação ao Cliente
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.5

3.2 – Submissão ao Cliente

• A organização deve submeter a aprovação do PPAP, antes do primeiro


embarque de produção, nas seguintes situações, a menos que o
representante autorizado do cliente tenha dispensado deste
requisito.

• Nota: Nas situações descritas a seguir, antes da notificação ou


comunicação, a autorização do representante do cliente é assumida.

• A organização deve analisar criticamente e atualizar, conforme


necessário, todos os itens aplicáveis no arquivo de PPAP para refletir
o processo de produção, independentemente se o cliente solicitar ou
não uma submissão formal. O arquivo de PPAP deve conter o nome
do representante autorizado do cliente que concede.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.5

3.2 – Submissão ao Cliente


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.5

3.2 – Submissão ao Cliente


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.6

Níveis de Evidência
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.6

Níveis de Evidência
• Ver os requisitos de retenção/submissão na Tabela 4.2, a seguir, para os
requisitos de cada nível de submissão.

• A organização deve usar o Nível 3, como nível "default“, para todas as


submissões, exceto quando especificado de outra forma, pelo
representante autorizado do cliente.

• O requisito mínimo de submissão para material a granel é o PSW e o


Checklist de material a granel. Para as submissões de PPAP para material
a granel, marque “Outro” para a razão da submissão, no formulário de
PSW (Part submission warrant) e especifique o “material a granel”. Isto
indica que o “checklist dos requisitos de material a granel” foi usado para
especificar os requisitos do PPAP para material a granel, e deve ser
incluído no pacote de submissão.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.6

Níveis de Evidência

• Nota 1: O representante autorizado do cliente pode identificar o nível de


submissão, diferente do nível default, que deve ser usado para toda
organização, ou combinação de organização e número da peça do
cliente. Locais diferentes do cliente podem designar diferentes níveis de
submissão para o mesmo local de manufatura da organização e níveis de
submissão para o mesmo local de manufatura do fornecedor.

• Nota 2: Todos os formulários mencionados neste documento podem ser


substituídos por fac-símiles gerados por computador. A aceitabilidade
destes fac-símiles deve ser confirmada com o representante autorizado
do cliente, antes da primeira submissão.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.6

Requisitos de Submissão / Retenção


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.6

Requisitos de Submissão / Retenção


PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.7

Status de Submissão da Peça

5.1 Generalidades
Após a aprovação da notificação, a organização deve garantir que a produção
futura continue a atender a todos os requisitos do cliente.
Nota: Para aquelas organizações que foram classificadas como "auto
certificadoras”(Nível 1 de submissão do PPAP), por um cliente específico, a
submissão da documentação requerida, mostrando aprovação da organização,
será considerada como aprovada pelo cliente, exceto se a organização tiver
sido informada do contrário.

5.2.1 Aprovado
Aprovado indica que a peça ou material, incluindo todos os sub-componentes,
atende a todos os requisitos do cliente. A organização é, portanto, autorizada a
embarcar quantidades produzidas
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.7

5.2 – Situação do PPAP no Cliente


5.2.2 Aprovação condicional
• Aprovação condicional permite o embarque do material para os requisitos de produção,
por um tempo ou quantidade básica de peças. A aprovação condicional será concedida
somente quando a organização tiver:
• Definida claramente a aprovação preventiva do não atendimento; e,
• Preparado um plano de ação de aprovação condicional com o cliente. A
resubmissão do PPAP é requerida para obter a situação de "aprovação plena".
• Nota 1: A organização é responsável por implementar ações de contenção, para garantir
que somente material aceitável esteja sendo embarcado para o cliente.
• Nota 2: Peças com situação de “Aprovação Condicional”, não são consideradas
“Aprovadas”.
• O material coberto por uma aprovação condicional, e que deixa de atender ao plano de
ação acordado, seja por ultrapassar a data limite ou a quantidade autorizada de peças,
será rejeitado. Nenhuma entrega adicional é autorizada, a não ser que seja dada uma
extensão da aprovação condicional.
• Para material a granel, a organização deve usar o Formulário "Aprovação condicional de
material a granel", ou seu equivalente
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.7

5.2 – Situação do PPAP no Cliente

5.2.3 Rejeitado
Rejeitado significa que não atende aos requisitos do cliente, na submissão
do PPAP, com base no lote produzido do qual este for tomado, e a
documentação que o acompanha não atende aos requisitos do cliente. Em
tais casos, a submissão deve ser aprovada antes que as quantidades
produzidas possam ser embarcadas.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.8

Seção 6 – Retenção de Registro

• Os registros de PPAP (ver 2.2), sem considerar o nível de


submissão, deve ser mantido pelo tempo em que peça estiver ativa
(glossário), mais 1 ano calendário.
• A organização deve garantir que os registros apropriados do PPAP,
de um arquivo de PPAP de uma peça substituída, sejam incluídos,
ou referenciados, no arquivo do novo PPAP.
• Nota: Um exemplo de um registro/documento apropriado, que
deveria ser carregado de um arquivo de uma peça antiga para um
arquivo novo, seria a certificação do material de um fornecedor de
matéria prima, para uma nova peça que represente somente uma
alteração da dimensão de um número da peça antiga. Isto deveria
ser identificado pela condução de uma análise de "gap" do PPAP,
entre os números das peças antigas e os novos.
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.8

Requisitos Específicos
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.8

Mudanças da 4ª Edição
PPAP – Processo de Aprovação de Peças de Produção 1.8

Mudanças da 4ª Edição