Você está na página 1de 123

20

INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA
Falta de Planejamento

2
Falta de Planejamento
Quando planejamos

4
Quando planejamos

Sur la Garonne, à
Bordeaux

5
Quando planejamos

6
Objetivo da Logística

 Diminuir a distância entre a produção e


a demanda, de modo que os
consumidores tenham bens e serviços
quando e onde quiserem e nas
condições físicas que desejarem.

 Ajudar a aumentar o grau de satisfação


do cliente
Objetivo da Logística
Praticar a Logística é…
Produto certo
Quantidade certa
Condição certa
Lugar certo
Tempo certo
Cliente certo
Custo certo
DEFINIÇÃO

Logística é “o processo de
planejamento, implementação e
controle eficiente e efetivo do fluxo
e estocagem de bens, serviços e
informação relacionadas, do ponto
de origem ao ponto de consumo,
para atender às necessidades do
cliente”.
ATIVIDADES LOGÍSTICAS

 Compras;
 Programação de entregas para a fábrica;
 Controle de matérias-primas;
 Controle de estoques;
 Processamento de pedidos dos clientes;
 Administração de centros de produção;
 Transporte para centros de produção;
 Transporte para centros de distribuição a
clientes.
Elementos básicos da logística.
Elementos básicos da logística.

Processo de planejar, operar e controlar

Fluxo e Armazenagem
• Matéria prima
Do ponto de origem • Produtos em processo Ao ponto de destino
• Produtos acabados
• Informações
• Dinheiro

De forma econômica, eficiente e Satisfazendo as necessidades e


efetiva preferências dos clientes
O fato de NOÉ ter tido que
terminar de construir a ARCA antes
do dilúvio começar e , ao mesmo
tempo, conseguir reunir animais de
diferentes lugares.
CRISTÓVÃO COLOMBO e CABRAL precisaram dimensionar

a quantidade exata de víveres e o tamanho das


tripulações

para viagens que durariam meses , sem possibilidade de

reabastecimento , ao longo desse tempo.


NAPOLEÃO , ao contar com o reabastecimento das
tropas

pelo espólios conseguidos durante a invasão à


RUSSIA,

ele acabou vendo seus exércitos derrotados pela


fome

e pelo frio.

As provisões foram queimadas pelos russos , que

abandonavam os campos invadidos antes que os

soldados invasores chegassem.


Todos esses eventos tem em comum:

A gestão de recursos finitos.

Limites escassos de tempo.

Estrutura complexas.

Soluções simples.
Porque as empresas necessitam da Logística ?

# Devido a maior competitividade global.

# Escassez da matéria-prima. ?

# Falta mão de obra qualificada.

# Ineficiência na distribuição.

# Necessidade de uma maior ocupação do mercado.


Globalização

σ Aumentam o número de clientes e os pontos de


vendas,

σ Crescem o número de fornecedores e dos


locais de fornecimento;

σ Aumentam as distâncias a serem percorridas;

σ Aumentam a complexidade operacional;

σ Envolvem legislação e cultura;

σ Modais de transporte.
Aumento das incertezas
econômicas

 Aumento substancial da interdependência e a


volatilidade econômica.

 Câmbio, recessão, novas regulamentações,


aumento no preço do petróleo, são incertezas que
afetam a economia global.
A Logística e a Proliferação de
produtos

 Aumento no número de insumos e de


fornecedores,

 Maior complexidade no planejamento e


controle da produção,

 Maior dificuldade para o custeio de


produtos e para planejar e controlar os
estoques,

 Maior dificuldade na previsão de vendas.


Diminuição dos ciclos de
vida dos produtos

 Cada vez mais rápidos temos novos produtos.

 Obsolescência de produtos antigos.

 Perda de rentabilidade das empresas.


Maiores exigências de serviços

 Consumidores cada vez mais exigentes.

 Redução de estoques.

 Compras mais frequentes e em menores


quantidades.

 Consumidor final valoriza cada vez mais a


qualidade dos serviços.

 Não pode haver atraso na entrega ou a falta do


produto.
Mudanças econômicas

 Na visão empresarial, a logística


passou a ser vista não mais como uma
simples atividade operacional, um
centro de custos, mais sim como uma
atividade estratégica, uma ferramenta
gerencial, fonte potencial de vantagens
competitiva.
 Material: projeto e desenvolvimento, obtenção,
armazenamento, transporte, distribuição, reparação,
manutenção e evacuação para fins operativos ou
administrativos;

 Pessoal: recrutamento, incorporação, instrução e


adestramento, designação, transporte, bem-estar,
evacuação, hospitalização e desligamento;

 Infraestrutura: aquisição ou construção, reparação,


manutenção e operação de instalações e acessórios
destinados a ajudar o desempenho de qualquer
função militar;

 Serviços: contrato ou prestação.


Transportes

 Para a maioria das empresas o transporte é a


atividade logística mais importante
simplesmente porque ela absorve, em média, de
um a dois terços dos custos logísticos.

 Transporte refere-se aos vários métodos para se


movimentar produtos. Algumas alternativas são
os modos rodoviário, ferroviário, aeroviário,
aquaviário e dutoviário.

 A administração da atividade de transporte


geralmente envolve decidir-se quanto ao método
de transporte, aos roteiros, e à utilização da
capacidade dos veículos.
Manutenção dos estoques
 Geralmente, não é viável providenciar produção
ou entrega instantânea aos clientes. Para atingir
um grau razoável de disponibilidade de produto,
é necessário manter estoques.

 Pelo valor empregado nos estoques a


manutenção dos estoques é uma atividade
chave da logística.

 A administração de estoques envolve manter


seus níveis tão baixos quanto possível, ao
mesmo tempo que provê a possibilidade
desejada pelos clientes.
Processando pedidos

 Os custos de processamento de pedidos


tendem a ser pequenos quando comparados aos
custos de transportes ou de manutenção de
estoques. Sua importância deriva do fato de ser
um elemento crítico em termos do tempo
necessário para levar bens e serviços aos
clientes.

 É a atividade primária que inicializa a


movimentação de produtos e a entrega de
serviços.
Atividades de apoio

1. Armazenagem
2. Manuseio de materiais
3. Embalagem de
proteção
4. Obtenção
5. Programação de
produtos
6. Manutenção de
informação
Armazenagem

 Refere-se à administração do espaço


necessário para manter estoques.
Envolver problemas como localização,
dimensionamento de área, arranjo
físico, recuperação do estoque, projeto
de docas ou baias de atracação e
configuração do armazém.
Manuseio de materiais

Movimentação do produto no local de


estocagem.

 seleção do equipamento de
movimentação,
 procedimentos para a formação de
pedidos,
 balanceamento da carga de trabalho.
Embalagem de proteção

 Um dos objetivos da logística é


movimentar bens sem danificá-los além
do economicamente razoável.
 Bom projeto de embalagem do produto
auxilia a garantir movimentação sem
quebras.
 Dimensões adequadas de
empacotamento encorajam manuseio e
armazenagem eficientes.
Aquisição

 É a atividade que deixa o produto disponível


para o sistema logístico.

 Trata da seleção das fontes de suprimento, das


quantidades a serem adquiridas, da
programação das compras e da forma pela qual
o produto é comprado.
Programação de produtos

 A programação de produto é tida


como a distribuição (fluxo de saída).
 Refere-se primariamente às
qualidades agregadas que devem ser
produzidas e quando e onde devem
ser fabricadas.
 Não diz respeito à programação
detalhada de produção, executada
diariamente pelos programadores de
produção.
Manutenção de informação

 Informações de custo e desempenho.

 Essenciais para correto planejamento e controle


logístico.

 Manter uma base de dados com informações


importantes (localização dos clientes, volumes
de vendas, padrões de entregas e níveis dos
estoques).

 Auxilia a administração na condução eficiente e


eficaz das atividades primárias e de apoio.
Quanto à Estrutura
Quanto à Aplicação

 MATÉRIAS-PRIMAS: material básico que irá receber um processo


de transformação dentro da fábrica, para posteriormente entrar no
estoque de acabados como produto final.
 MATERIAIS SECUNDÁRIOS/ MATERIAIS AUXILIARES: material que
ajuda e participa da execução e transformação do produto, porém
não se agrega a ele, mas é imprescindível no processo de
fabricação.
 PRODUTOS EM FABRICAÇÃO OU SEMI-ACABADOS: materiais em
processamento, são os que estão sendo processados ao longo do
processo produtivo da empresa.
Diferencial Competitivo e
Logística

 O gerenciamento logístico eficiente, que pode


proporcionar reduções expressivas de custo e
agregação de valor a produtos e serviços é, na
atualidade, um dos fatores estratégicos para a
obtenção de diferencial competitivo.
Terceirização da Logística

 Muito embora a logística constitua hoje um


fator estratégico de sucesso, diversas
empresas dos setores industrial, comercial e
de serviços têm optado por terceirizar parte ou
o todo de suas atividades logísticas.
Conceito de Operador Logístico

Operador Logístico é uma empresa prestadora


de serviços, especializada em gerenciar e
executar todas ou parte das atividades
logísticas nas várias fases da Cadeia de
Abastecimento, que agrega valor aos produtos
e serviços de seus clientes e que tenha
competência para, no mínimo, prestar
simultaneamente serviços de gestão de
estoques, armazenagem e gestão de
transportes.
Outras Competências dos
Operadores Logísticos

 Apurar sistematicamente os indicadores


de desempenho adequados a cada fase
de seus serviços.
 Competências adicionais constituem-se
nos diferenciais entre os diversos
operadores logísticos.
Atividades Relevantes na
Gestão de Estoques
 Estabelecer a política de estoques com o
cliente.
 Controlar e responsabilizar-se por
quantidades.
 Utilizar técnicas modernas para acompanhar a
evolução dos estoques em termos de
quantidade e localização.
 Emitir relatórios periódicos.
 Garantir a rastreabilidade dos produtos.
Atividades Relevantes na
Armazenagem
 Dispor de instalações adequadas com
equipamentos de movimentação, armazenagem e
outros.
 Receber e expedir.
 Dispor de Sistema de Administração de
Armazéns (WMS), preferencialmente envolvendo
código de barras, leitoras óticas e rádio
freqüência.
 Realizar controle de qualidade nos processos.
 Possuir apólice de seguros para instalações e
materiais.
 Cumprir exigências legais.
Atividades Relevantes na
Gestão de Transportes
 Contratar ou realizar transportes.
 Manter valores de fretes competitivos.
 Qualificar e homologar transportadoras.
 Negociar o nível de serviço com a
transportadora.
 Conferir e realizar o pagamento de fretes.
 Medir e controlar o desempenho das
transportadoras.
 Emitir relatórios periódicos sobre nível de
serviço.
Razões para Terceirizar
Atividades Logísticas
 Manter foco no negócio principal (core
business).
 Aumentar a flexibilidade do processo logístico.
 Reduzir custos.
 Aumentar a cobertura geográfica.
 Ingressar em canais e mercados não familiares
ou ainda não conquistados.
 Substituir área de armazenagem por área de
produção.
 Melhorar o atendimento ao cliente.
Critérios Básicos para a Seleção
de um Operador Logístico
 Estabilidade financeira.
 Experiência e consistência.
 Equipamentos e instalações físicas.
 Métodos operacionais.
 Tecnologia de informação.
 Potencial de crescimento.
 Custos.
Formação dos Preços

A forma de cobrança dos operadores logísticos pode


ser:
• Porcentual sobre o valor das mercadorias operadas,
que é de fácil execução pois não exige controle e
registro das operações efetuadas. O operador
trabalha com uma média dos seus custos;

• Soma de preços unitários, pré-acordados com o


cliente, de todas as operações realizadas num
determinado período. Essa forma exige o controle e
registro das operações realizadas, sendo mais justa,
porém mais complexa.
Atividades Logísticas ao Longo
da Cadeia de Abastecimento
Previsão de
Vendas

Planejamento
da Produção

Administração
Fornecedor Manufatura Distribuição Comércio Consumidor
de Materiais

Atividades
Atividades Atividades Atividades Atividades
Logísticas da Atividades
Logísticas Logísticas da Logísticas da Logísticas da
Administração Logísticas
Próprias da Distribuição Distribuição Distribuição
de Materiais Próprias da
Administração Junto à Junto ao Junto ao
Junto à Distribuição
de Materiais Manufatura Cliente Consumidor
Manufatura
Formação do Contrato de
Terceirização
 O sucesso da terceirização em logística depende
fortemente de contratos cuidadosamente elaborados,
que caracterizem de antemão as obrigações essenciais
que cada que uma das partes deverá cumprir.

 Muito embora contratos, na sua forma final, devam ser


preparados por advogados, é importante que as
condições e características técnicas dos mesmos
sejam elaborados por pessoal que estará diretamente
envolvido com as operações e seu controle.
Pontos Essenciais
do Contrato de Terceirização
 Características dos itens a serem operados e
cuidados com os mesmos
 Quantidades envolvidas
 Freqüência das operações
 Nível de serviço exigido
 Preços e forma de cobrança
 Penalidades pelo não cumprimento das
cláusulas
 Seguros
20
Transportes
CURIOSIDADE

Na onda do Tudo Se Transporta, foi construído em Torku, na Finlândia, o primeiro


edifício transportável do mundo!
Ele tem 220 toneladas e foi construído pela companhia finlandesa Neapo Oy. O projeto,
tem três andares, 12 metros de altura, 33 metros de comprimento e 12 metros de
largura.
Depois de construído dentro do estaleiro STX de Turku, o edifício foi transportado em
uma embarcação a um terreno alugado próximo ao litoral. A estrutura é toda feita de
células de aço, particularmente rígidas, leves e resistentes. Sua instalação foi feita com
ajuda de um guindaste.
Area útil de 864 metros quadrados, demorou apenas oito meses para ficar pronto. A
companhia responsável pela obra patenteou os painéis de aço utilizados para a
construção.
“ O TRANSPORTE”

1. Representa o elemento mais importante


do custo logístico;

2. Tem papel fundamental na prestação do


Serviço ao Cliente
O transporte no processo
logístico

1. Usa 60% das despesas logísticas;

2. Pode variar entre 4% e 25% do


faturamento bruto, e em muitos casos
supera o lucro operacional;

3. Buscar soluções imediatas que


satisfaçam o cliente.
O transporte no processo
logístico
MODALIDADE
(UM MEIO DE TRANSPORTE)

MULTIMODALIDADE
(UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS)

INTERMODALIDADE
(UTILIZAÇÃO INTEGRADA DA CADEIA DE
TRANSPORTE)

OPERADORES LOGÍSTICOS
(FORNECEDOR DE SERVIÇOS INTEGRADOS)
O transporte no processo
logístico

É preciso Planejar – ter visão sistêmica do sistema de


transporte.

É preciso Conhecer – os fluxos nas diversas ligações da


rede; o nível de serviço atual; o nível do serviço
desejado; as características (parâmetros) da carga; os
tipos de equipamento disponíveis e suas características
(a capacidade, o fabricante).

É preciso Foco no Cliente – para que se tenha um nível


de serviço desejável, assim satisfazendo-o totalmente.
Seleção da Modalidade

Para escolher uma modalidade de transporte


deve se analisar os seguintes itens:

• Custos do serviço
• Tempo médio de entrega e a sua
variabilidade
• Perdas e danos
• Tempo em trânsito
• Fornecimento de informação situacional
• Disponibilidade de serviço
Processo Decisório
Cadeia Logística

• Característica da Carga
♦Carga Geral e a Granel
♦Natureza da Carga
• Preparação para o Transporte
♦Embalagem
♦Unitização
• Modos de Transporte
♦Vantagens e Desvantagens de cada modal
O transporte no processo
logístico

Tipos de transporte

• Rodoviário
• Fluvial/Marítimo
• Dutoviário
• Aéreo
• Ferroviário
Matriz de Transportes

Rodoviário
4%
13% Ferroviário

Aquaviário

Dutoviário e
Aéreo
24%
59%
Comparativo Brasil X EUA
Brasil EUA

0,1%
4,5%
12,2% 0,4%
23,8% 15,1%

39,6%
15,5%

29,5%
59,2%

Aéreo Dutoviário Aéreo Dutoviário


Aquaviário Rodoviário Aquaviário Rodoviário
Ferrovia Ferrovia
Comparativo Internacional
Rússia 81% 8% 11%

Canadá 46% 43% 11%

Austrália 43% 53% 4%

EUA 43% 32% 25%

China 37% 50% 13%

Brasil 24% 62% 14%

Ferroviário Rodoviário Hidroviário


“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”

- Utilizado no deslocamento de grande


tonelagens de produtos homogêneos
para longas distâncias;
- Exemplos – minérios (ferro, manganês);
carvões minerais; derivados de petróleo, e
grãos que são transportados a granel;
- No Brasil não temos a cobertura desse
meio de transporte num fluxo mais
amplo.
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”

Transporte Ferroviário Regular – presta


serviço para qualquer usuário, tendo as
regras de termos econômicos emitidas
pelos governos (federal, estatal e
municipal);

Transporte Ferroviário Privado – é de


propriedade de um usuário particular que
o utiliza com exclusividade
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”

Dos custos:
 Altos custos fixos – em equipamentos,
terminais e vias férreas, etc...
 Baixo custo variável;
 O custo do transporte ferroviário é bem
menor do que o transporte rodoviário,
porém não é amplamente utilizado no
Brasil, por motivos de problemas com a
infra-estrutura e a falta de investimentos
nas ferrovias.
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”

Características da Malha Ferroviária


 Malha Ferroviária Federal concedida
28.671 km

 13 concessões operadas por 7 grupos privados e 1 estatal


(Valec)
• Concessões da RFFSA 25.896 km
• Demais Concessões 2.776 km

Frota em Operação
• Locomotivas 2.125
• Vagões 74.400
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”
O sistema ferroviário brasileiro foi construído
por empresas estatais. As malhas eram operadas
Mapa Ferroviário pela RFFSA, FEPASA e CVRD (Companhia
Vale do Rio Doce).
Nova Configuração das Companhias
Ferroviárias

•América Latina Logística


•Companhia Ferroviária do Nordeste – CFN
•Estrada de Ferro Carajás – EFC
•Estrada de Ferro Vitória / Minas – EFVM
•Estrada de Ferro Trombetas – EFT
•Estrada de Ferro Jari – EFJ
•Estrada de Ferro do Amapá – EFA
•Ferrovia Centro-Atlântica S.A – FCA
•Ferrovia Bandeirantes S.A – FERROBAN
•Ferrovia Norte Brasil S.A – FERRONORTE
Fonte: Ministério dos Transportes
•Ferrovia Norte – Sul
•Ferrovia Novoeste S.A.
•Ferrovia Paraná S.A. – FERROPAR
•Ferrovia Tereza Cristina S.A. – FTC
•MRS – Logística S.A.
•Rede Ferroviária Federal S.A. - RFFSA
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”

Processo de Transporte
 Um vagão tem 20 Tons de tara

 Uma Locomotiva tem 120 Tons de tara

 Um vagão transporta até 96 tons

 Três Locomotivas transportam até 100 vagões

 O sistema roda-trilho reduz o atrito dos materiais


tornando altamente eficiente em termos energéticos

 O maior custo de operação de uma ferrovia é o custo


fixo
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”

Vantagens Logísticas
• Transportam grande quantidade de carga por
viagem
• Percorre longas distâncias
• Flexível quanto às mercadorias
• Custo menor em relação ao rodoviário para
grandes volumes de mercadoria
• A velocidade é boa para longas distâncias
• Não são prejudicadas pelo tempo ou tráfego
competitivo
• Pode utilizar o vagão ou o próprio container
para o transporte
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”

Desvantagens Logísticas

 Tem custos altos e baixa segurança


(Brasil) para produtos de alto valor
agregado e pequenos.
 Tem freqüências de saídas menores
em relação ao rodoviário
 Seu tempo de trânsito é maior
 Ineficiente para curtas distâncias
 Os custos de manuseio são altos
 Não serve para serviço à domicílio
 É ineficiente para alguns produtos
“TRANSPORTE FERROVIÁRIO”

Principais problemas das Ferrovias

 Invasão da faixa de domínio nos centros


urbanos e nos acessos aos portos;

 Utilização compartilhada das linhas para


passageiros e cargas na Região
Metropolitana de São Paulo;

 Idade média elevada e quantidade


insuficiente de vagões e locomotivas;

 Interação operacional deficiente das


malhas;

 Traçado das linhas incompatível com as


condições atuais.
TRANSPORTE RODOVIÁRIO

O mais expressivo transporte de carga hoje no


Brasil, atingindo praticamente todos os pontos
do território nacional;
Deu-se maior ênfase na década de 50 por conta
da implantação da indústria automobilística que
desencadeou a pavimentação das rodovias e
cresce cada dia, por isso é o mais procurado –
eficiente em porta a porta.
Difere do ferroviário – transporta produtos
acabados e semi-acabados em curtas distâncias;
É recomendado para mercadorias de alto valor ou
produtos perecíveis.
TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Transp. Rodoviário não é recomendado para


produtos agrícola a granel, pois seu custo
é muito baixo para esse modal;
Esse transporte é dividido em:
- Transportadoras regulares;
- Frota própria;
- Transportadores contratados (que são
utilizados por um número limitado de
usuários com contratos de longa duração,
- Autonomos.
TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Dos custos:
- Custos Fixos Baixos:
- Rodovias estabelecidas e
construídas com fundos
públicos e privatizadas.

- Custos Variáveis Médio:


- Combustível;
manutenção; mão de obra;
pedágio, etc...
TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Vantagens:-
- Possibilidade de transporte
integrado porta a porta, adequação
aos tempos pedidos, assim como
a freqüência e disponibilidade dos
serviços;

Desvantagens:-
- Transporta somente cargas
pequenas e médias;
- Custos elevados para longas
distâncias.
TRANSPORTE RODOVIÁRIO
TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Processo de Transporte

• É o mais importante economicamente


• Possui vias (1,7 milhões de Km,
apenas 10% pavimentada)
• As vias são algumas de
responsabilidade do Governo Federal,
Estadual, Municipal e outras são
privatizadas
TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Vantagens Logísticas
• Flexibilidade do serviço am áreas
geográficas dispersas
• Manipulação de lotes relativamente
pequenos
• Serviço é extensivo e adaptável
• Serviço rápido
• Entrega à domicílio ou “porta a porta”
• Transportam todo tipo de cargas e
embalagens
• Altas Freqüências
TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Desvantagens Logísticas

• Custos elevados para distâncias


superiores à 700Km
• Volume transportado menor em
comparação ao transporte ferroviário e
marítimo (até 45 Tons)
• Custo mais elevado em comparação ao
transporte ferroviário e marítimo
• É prejudicado pelo tempo e pelo tráfego
• Maior intensidade de risco
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO

Utilização:-
- Transporte de granéis líquidos, produtos
químicos, areia, carvão, cereais e bens
de alto valor (nos operadores
internacionais) e em containeres.

Os tipos:-
- Navios dedicados; navios containeres e
navios bidirecionais para veículos.
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO

Formas de navegação:-
- Cabotagem – é realizada entre portos ou
pontos do território nacional (até 12
milhas da costa);
- Interior – é realizada em hidrovias
interiores em percurso nacional ou
internacional;
- Longo Curso – realizada entre porto
brasileiros e estrangeiros.
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO

Dos custos:-
- Custo Fixo Médio
- Navios e equipamentos;

- Custo Variável Baixo


- Capacidade de transportar grande quantidade
de tonelagem.

Este é o modal com o mais baixo custo


TRANSPORTE HIDROVIÁRIO
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO
Características do Subsetor Portuário
Nacional
40 PORTOS PÚBLICOS
• 21 administrados pelas 7 Companhias Docas pertencentes à União:
- Codesp
- CDRJ
- Codesa
- Codeba
- Codern
- CDC
- CDP
• 18 administrados por Estados e Municípios
• 01 administrado pela iniciativa privada
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO

Processo de Transporte

 Possui sistema de controle de tráfego e navegação


marítima

 Os sistemas de tráfego geralmente são oferecidos pelo


Governo de cada país

 Atualmente alguns Portos são privatizados

 Os terminais incluem todos os equipamentos


para a carga e descarga dos produtos
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO

Vantagens Logísticas
 Transporta grande quantidade de carga por viagem

 Percorre longas distâncias

 Flexível quanto às mercadorias

 Transportam produtos perigosos, carga à granel, líquido,


gasoso e veículos ou containers

 Custo operacionais menores

 Característica de produtos com menor valor agregado


TRANSPORTE HIDROVIÁRIO

Desvantagens Logísticas

• Não serve para cargas pequenas ou


emergenciais

• Perda de tempo nas descargas e


transferência de transporte

• Altos níveis de danos sobre a mercadoria

• Tempo de transito longo

• Baixa Freqüência / Periódica


TRANSPORTE AEROVIÁRIO

Utilização:-
- Nos transportes de cargas de alto valor unitário
(artigos eletrônicos, relógios, alta moda, etc..) e
perecíveis (flores, frutas nobres, medicamentos,
pequenos animais, etc...);

Os tipos:-
- Serviços regulares, contratuais e próprios;
Ballou (1993, pg 129)
TRANSPORTE AEROVIÁRIO

Classificação:-
- linhas-tronco domésticas regulares,
- cargueiras (somente carga),
- locais (principais rotas e centros menos populosos,
passageiros e cargas),
- suplementares (charters, não tem programação
regular),
- regionais (preenchem rotas abandonadas pelas
domésticas, aviões menores)
- táxi aéreo (cargas e passageiros entre centros da
cidade e grandes aeroportos)
- internacionais (cargas e passageiros)
TRANSPORTE AEROVIÁRIO

Dos custos:-
- Custo Fixo Alto
(aeronaves, manuseio e sistemas de
cargas);

- Custo Variável Alto


(combustível, mão-de-obra, manutenção,
etc...)
TRANSPORTE AEROVIÁRIO

Vantagens:-
- Velocidade elevada; distância alcançada,
segurança (roubos, danos e extravios); redução
de custo com estoque;

Desvantagens:-
- Custo alto de frete, tempos de coleta e entrega,
manuseio no solo e dimensões fiscais dos
porões de transporte dos aviões.
TRANSPORTE AEROVIÁRIO
TRANSPORTE AEROVIÁRIO
IATA - International Air Transport Association
 Fundada em 1945

 Sede: Montreal – Canadá

 Sócios: 150 Cias Aéreas Internacionais

 Finalidades:
♦ Administrar serviços para Cia Aéreas
♦ Desenvolver o tráfego aéreo
♦ Estudar: rotas, tráfegos e fretes
♦ Nomear: Agentes de Carga
TRANSPORTE AEROVIÁRIO

Processo de Transporte
 Possui sistema de controle de tráfego
e navegação aérea

 Os sistemas de tráfego geralmente


são oferecidos pelo Governo de cada
país

 As transportadoras são responsáveis


por oferecer seu próprio terminal e
instalações de manuseio

 A maioria dos custos são variáveis


(custo de operação)

 Existe container próprio para este


transporte
TRANSPORTE AEROVIÁRIO

Vantagens Logísticas

 Transporte mais rápido


 Transportes emergenciais
 Redução de níveis de inventário e
conseqüente redução de custo de
estoque
 Prioridade para produtos
perecíveis
 Menor custo de Seguro
TRANSPORTE AEROVIÁRIO

Desvantagens Logísticas
 Restrição de capacidade
 Impossibilidade de transporte à granel
 Inviabilidade de produtos de baixo custo unitário
 Restrição a artigos perigosos
 Custo de transporte elevado
 É prejudicado pelo tempo e pelo tráfego
TRANSPORTES DUTUVIÁRIOS

Os dutos são tubos subterrâneos impulsionados


por bombeamento para superação dos
obstáculos do relevo.

Esse sistema de transporte diminui


consideravelmente o congestionamento das
rodovias e ferrovias; são exemplos de dutos:
oleoduto, gasoduto, mineroduto, aquaduto.
TRANSPORTES DUTUVIÁRIOS

Utilização:-
- Transporte de líquidos e gases em
grandes volumes; materiais que podem
ficar suspensos (petróleo brutos e
derivados, minérios, etc.)

Obs: Essa utilização ainda é muito limitada.


A movimentação é muito lenta, sendo
contrabalanceada pelo fato de ser um
meio de transporte que opera 24 horas
por dia e 7 dias por semana.
TRANSPORTES DUTUVIÁRIOS

Dos custos:-
- Custo Fixo (muito) Alto
Direitos de acesso, construção, requisitos
para controle das estações e capacidade de
bombeamento;

- Custo Variável Baixo


Nenhum custo com mão-de-obra de grande
importância.

Obs. É o segundo modal com mais baixo custo,


ficando atrás apenas do transporte hidroviário.
Escolha de modais

Preços relativos dos diferentes modais


(em US$ por 1000 ton-quilômetro)

EUA (US$) Brasil (US$)*


Aéreo 320 523
Rodoviário 56 19
Ferroviário 14 11
Dutoviário 9 11
Aquaviário 5 7
* Os dados do Brasil foram convertidos par US$ a uma taxa de 2,50 reais por dolar
“Mercado” dos Modais
Brasil e EUA
Brasil EUA
Rodoviário 61% 26%
Ferroviário 20% 38%
Aquaviário 13% 16%
Dutoviário 5% 20%
Aéroviário « 1% « 1%
Estudo de Caso – Rede de transporte
- Avalie sistemicamente a sua rede de
transportes (suprimento/distribuição).
- Escolha os modais.
- Projete a rede.
- Especifique os equipamentos necessários.
- Fazer uma pequena apresentação para a
próxima aula (10 minutos para cada grupo).
Custo de Transporte

 Varia em função das características da


carga, distância a ser percorrida,
velocidade, densidade (peso e volume) ,
fragilidade, valor e outros.
 Carga completa ou fracionada
Custo de Transporte

 Distância
 Volume
 Densidade ( peso X volume)
 Ocupação de espaço
 Manuseio
 Oferta de transporte
 Outras variáveis
Modal de Transporte

R$

Custo de transporte

Custo Total

Custo de estoque

Trem Caminhão Avião


Transporte Rodoviário

 Frota Própria
Depreciação dos veículos, salários dos
motoristas e auxiliares, combustíveis,
manutenção, tributos, seguro, pedágios,
outros.
Transporte Rodoviário

Serviços de Terceiros
Custo dos serviços oferecidos podem
ser cobrados por:

 Percentual do valor da carga


 Peso
 Carga total
 Cubagem
Frota Própria ou de Terceiros

 Volume de cargas e operações


 Competência interna
 Possibilidade de retorno
 Outros
FRETE

• PREÇO F.O.B – FREE ON BOARD: indica preço da


mercadoria colocado no veículo de transporte (navio,
avião, caminhão, etc), no porto de embarque; indicado
obrigatoriamente pelo comprador, sendo que as despesas
relativas a valores de fretes e seguros até o porto de
embarque, são de responsabilidade do comprador.

• PREÇO C.I.F. – COST INSURANCE FREIGHT:


indica que o fornecedor já incluiu no preço da
mercadoria, as despesas com frete e com a
cobertura do seguro, do ponto de origem da
mercadoria e entre o ponto de embarque até o
porto de desembarque.
FRETE

 PREÇO F.A.S. – FREE ALONG SIDE SHIP: livre ao


costado — preço a costado — preço colocado ao
lado do veículo de transporte. Indica preço da
mercadoria, sem os valores da cobertura de frete e
seguro, que são de responsabilidade do comprador
(igual preço F.O.B.). Ao fornecedor, compete o direito
de determinar o local onde a mercadoria será
colocada à disposição para o embarque, sendo de
sua responsabilidade o transporte e o seguro até o
local especificado.

• PREÇO C & F – COST FREIGHT: O fornecedor assume


os custos de transportar a mercadoria até o porto de
desembarque. O seguro corre por conta do comprador.
FRETE

 PREÇO C & I – COST INSURANCE: o


fornecedor assume o custo do seguro e
contrata no seu país. O custo do frete é de
responsabilidade do comprador.
 Portanto:
 FOB + FRETE + DESPESAS DIVERSAS = C & F
 C & F + SEGURO = C.I.F.
• PREÇO EX-WORKS: o comprador aceita total
responsabilidade de providenciar transporte a partir da
base do fornecedor até o destino final — base do
comprador.
FRETE

 PREÇO DELIVERED: é o oposto de EX-WORKS.


O fornecedor assume total responsabilidade
pelo transporte e seguro da mercadoria até seu
destino.
• PREÇO POSTO FÁBRICA (F.O.B. / FÁBRICA) ou
(F.O.B. / DEPÓSITO): indica que a mercadoria
deve ser retirada na (fábrica ou depósito) do
fornecedor;
• PREÇO POSTO FÁBRICA (C.I.F. / FÁBRICA) ou
(C.I.F. / DEPÓSITO): indica que a mercadoria deve
ser entregue no destino final (fábrica ou depósito),
indicado pelo comprador, correndo as despesas
com frete e seguro por conta do fornecedor;

Você também pode gostar