Você está na página 1de 39

UFCD 0415

PREVENÇÃO DE QUEBRA DAS


MERCADORIAS
APRESENTAÇÕES
CONCEITOS:
STOCK:
Bens armazenados para serem consumidos/vendidos/utilizados no
Futuro.

Inventário:

Lista dos itens em Stock

Item:
Um produto no stock – entrada no inventário

Unidade:
Quantidade Standard de um item
CONCEITOS:
O que são quebras?
São diminuições que não decorrem da venda ou
uso.

Ocorrem devido a:
• Furtos (interno e/ou externo)
• Abates de produtos deteriorados ou
obsoletos.
• Outros Fatores
QUEBRAS - Conceitos
Revisão
TIPO de QUEBRAS:

Extraordinárias: Resultante de causas anómalas não relacionadas com a atividade


económica da empresa.

Operacionais: Resultante da normal laboração da empresa.


Revisão
Causas Naturais

Extraordinárias
QUEBRAS
Causas Humanas

Operacionais
Revisão
TIPO de QUEBRAS:
Extraordinárias:
Causas Naturais
Incêndios Danos por água

3,

• Descuidos dos trabalhadores;


• Faúlhas provenientes de operações de corte, solda ou outros trabalhos;
• Defeitos na instalação elétrica;
• Combustão espontânea de determinados produtos (especialmente químicos);
• Faíscas provenientes de empilhadores e outros equipamentos móveis ;
• Existência de vapores que formem uma atmosfera potencialmente explosiva;
Revisão
TIPO de QUEBRAS:
Extraordinárias:
Causas Naturais

Falhas Estruturais Derrocadas Tempestades

• Solos instáveis;
• Falhas de construção;
• Tempestades no transporte das mercadorias;
Revisão
TIPO de QUEBRAS:
Extraordinárias:
Causas Humanas
Roubos Furtos Vandalismo

o roubo há uma subtração com constrangimento ou violência; no furto a subtração não


comporta constrangimento ou violência.
Quebras: Furtos Internos
Pontos de Risco:

RECURSOS HUMANOS: Os seguintes fatores têm influência no


comportamento dos colaboradores e portanto também
podem agir como inibidores ou potenciadores de certos
comportamentos desonestos:

• Ambiente laboral (motivação, etc…);

• Política de RH e de contratação (tipo de contratos, rotação de


pessoal, políticas de retribuição, etc…).
Quebras: Furtos Internos
Pontos de Risco:

O PRODUTO: O risco de um produto poder ser roubado


aumentará em função da sua atratividade para o
potencial ladrão. Os fatores que determinam esta
atratividade são:
• O valor;
• A novidade;
• A facilidade de venda;
• A facilidade O de ser furtado (tamanho, etc…);
• Localização no armazém, locais das instalações onde é mais
simples “agir”.
Quebras: Furtos Internos
Pontos de Risco:

Os PROCEDIMENTOS: A forma como são executados será


determinante para inibir ou facilitar comportamentos
desonestos. Neste sentido os maiores riscos são:

• As encomendas em que não é possível controlar o


conteúdo no momento da entrega;

• Entregas “cegas” (não é controlado o conteúdo dos


envios no ato da receção da mercadoria).
Quebras: Furtos Internos
Pontos de Risco:

O TRANSPORTE: As operações de transporte estão


sujeitas a uma série de procedimentos de elevado
risco (carga, descarga, entregas, etc.).

Nota: Não esquecer a cumplicidade das pessoas que têm acesso aos
produtos (tanto externas, como internas à organização).
Quebras: Furtos Internos
Como prevenir?

o Normas de funcionamento interno, tanto para


funcionamento geral da empresa, como para os
procedimentos mais críticos, e fazer uma avaliação
e acompanhamento constante da aplicação destas
normas;
o Medidas de prevenção e controlo dos produtos e
nomear responsáveis encarregados de as aplicar.
Quebras: Furtos Internos
Causas:

A tentação: Que variará em função da necessidade do empregado, da sua


Ambição/ganância.

Da tolerância: Dos quadros relativamente às ações desonestas contra a


própria empresa.

Da facilidade: Cometer um furto interno e esta existe se houver


oportunidade (Acesso ao produto, Tempo disponível e Posição que ocupa)

A perceção: Do empregado sobre as possíveis repercussões que possa ter


um comportamento desonesto. Esta dependerá do “medo” de ser
apanhado, de ser castigado e de se sentir culpado.
Quebras: Furtos Internos
Deve-se evitar que sejam criadas percepções entre os empregados
do tipo:

“A empresa já ganha dinheiro suficiente”

Neste caso existe um elevado nível de tolerância relativamente às


pessoas que cometem ações desonestas.

“Aqui roubar é muito fácil”

Os empregados não têm medo, nem de serem apanhados, nem de


serem castigados.
Quebras: Furtos Internos
Deve-se trabalhar eficientemente o conceito de:

“A empresa é a minha casa”


• A cultura empresarial Inibidores
• A integração do empregado de
• A política de Recursos Humanos Tentações

Nota: A aplicação de medidas de controlo sobre os empregados pode ter


efeitos contrários ao facto de os trabalhadores verem a empresa como a
“sua” casa.
Quebras: Furtos Externos
Medidas de controlo e prevenção das Instalações:

o Controlar o acesso às instalações de pessoas e


veículos alheios;

o Atribuir acreditações às pessoas alheias à


organização e colocar distintivos nos veículos
externos para que sejam identificados no interior;

o Atribuir cartões de identificação a todos os


empregados que tenham acesso às instalações;

o Reduzir na medida do possível o número de entrada


e saídas nas instalações;
Quebras: Furtos Externos
Medidas de controlo e prevenção das Instalações:

o Manter permanentemente vigiadas as portas por


onde entram e saem veículos e pessoal;
o Vedar as instalações;
o Relativamente ao estacionamento de veículos, é
recomendado:
o sinalizar as zonas,
o estacionamento dos empregados longe dos
edifícios
o criar lugares para as visitas;
o Potenciar iluminação (elemento de segurança
para o vigilante e é um elemento dissuasivo)
Quebras: Furtos Externos
Medidas de controlo e prevenção das mercadorias:

o Não permitir que estacionem veículos particulares nas


zonas de carga e descarga ou onde é armazenado
produto.
o Manter vigiadas zonas críticas como o acesso dos
vestuários à zona onde está a mercadoria, o acesso aos
cais, …
o Guardar as mercadorias de mais valor em zonas
especialmente vigiadas e registar os movimentos de
entrada e saída a essas zonas: data, hora, número do
selo...
Quebras: Furtos Externos
Papel do motorista na prevenção e controlo:

o Deve estar presente durante a carga e descarga;


o Deve assumir a responsabilidade de que a mercadoria que figura
na nota de entrega seja a que carregou e descarregou;
Contingências:

o É recomendado que o motorista possua


um documento que certifique que se viu
obrigado a retirar o selo do veículo por
exigência das forças de segurança.
o Caso esta situação ocorra, o documento também deve certificar que
o veículo foi de novo selado na presença das autoridades.
Quebras: Furtos Externos
Tecnologia aplicada ao controlo e prevenção durante o transporte de
mercadorias:

Global Positioning Systems (GPS): Esta tecnologia permite fazer


um acompanhamento do movimento das cargas, disponibilizar
informações precisas sobre o local, a situação dos envios e, se
forem utilizados alarmes para detetar, se a carga do veículo foi
violada;

Selagem da carga ou do veículo: Deixa registo que o conteúdo da


carga ou do veículo foi violado; No caso de cargas seladas
verificar que os selos não foram manipulados e que os números
dos selos estão corretos.

Outros: Alarmes de deteção nas entradas e saídas e utilização de


um Circuito Fechado de Televisão.
Revisão
TIPO de QUEBRAS:
Operacionais:
Validade dos Produtos Mau Acondicionamento Acidentes
Ultrapassada
Revisão
TIPO de QUEBRAS:
Operacionais:
Deficiente Registo da Localização Devolução de Clientes

Furtos e
Erros na Expedição
Quebras: Erros
Os erros são falhas na gestão, que fazem com que as
contas dos resultados apresentem valores inferiores.

Pontos de Risco

A Falta de formação e de meios materiais adequados para


o tratamento da informação, originam diferenças entre os
fluxos físicos de mercadoria e o fluxo de informação:
o Quantidades e produtos incorretos (referência,
formato...)..
o Deterioração dos produtos.
Quebras: Erros
Pontos de Risco

o A preparação das encomendas;


o Os processos de entrega e receção da mercadoria;
o A gestão das devoluções e produtos estragados.
o A deterioração dos produtos acontece por não
existirem instalações adequadas que permitam:
• Manter uma temperatura adequada para a conservação
dos produtos;
• Execução de uma “paletização” correcta.
Quebras: Erros
Procedimentos na prevenção e controlo dos Erros

Recomenda-se:

o A definição eficiente dos procedimentos mais críticos;


o O controlo sobre a execução dos mesmos;
o A utilização eficiente das ferramentas adequadas.
o É recomendado realizar ações de formação dos
operadores sobre:
• Aplicação dos procedimentos estabelecidos;
• Utilização e manuseamento das ferramentas necessárias.
Quebras: Erros
Conclusão:

Estas ferramentas permitem reduzir as ocorrências e controlar os


pontos de risco que constituem uma fonte de erros na logística:
o Agilizam e aumentam a qualidade da informação para os
fluxos administrativos e operacionais.
o Reduzem ocorrências nas entregas e no processo de
faturação.
o Aumentam os níveis de informação e localização dos
produtos.
Revisão
Prevenção de Quebras das Mercadorias
Relacionamento com os Fornecedores Controlo do Pessoal e das
Operações com Stocks
Matéria a Lecionar
Prevenção de Quebras das Mercadorias

Implementação de Sistemas de Implementação de Sistemas de segurança


Avaliação de Melhoria
Matéria a Lecionar
Prevenção de Quebras das Mercadorias

Arrumação das Mercadorias e Manuseamento e embalagem da Mercadoria


Métodos de Precisão
Matéria a Lecionar
Prevenção de Quebras das Mercadorias

Sistemas de Segurança
Quebras: Sistemas de segurança
Implementar Sistemas de segurança especificamente
desenvolvidos para controlar e circulação de mercadorias
e pessoas de forma a ser possível:

• Deteção de roubos
• Sistemas de deteção
• Sistemas de alarme
• Manutenção periódica e melhoria constante de todos
estes sistemas
• Sinalização
Quebras: Sistemas de segurança
Implementar Sistemas de segurança especificamente
desenvolvidos para controlar e circulação de mercadorias
e pessoas de forma a ser possível:

• Deteção de roubos
• Sistemas de deteção
• Sistemas de alarme
• Manutenção periódica e melhoria constante de todos
estes sistemas
• Sinalização
o Sistemas de segurança
Os sistemas de segurança controlam acessos, detetam
intrusos, controlam viaturas para transportes de valor
elevado via central de GPS.

o O sistema de segurança permite-nos supervisionar o


desenrolar de todas as operações garantindo:
• o controlo do fluxo de mercadorias dentro da organização
• responder aos mais exigentes critérios de segurança ativa para
armazenagem e transporte de mercadorias especiais.
Sistemas de segurança
Sistemas de segurança
Sistemas de segurança