Você está na página 1de 48

RECITAL DE CANTO E POESIA

Pelo Coro da Escola EB 2,3/S de Monte da Ola

6-01-20167– 10.15h – 14.20h Biblioteca


Poemas de Natal
Natal Tão Pouco
Nasceu em Belém, ou Nazaré
(A nova teoria),
Este que nos é
O Pai-Nosso em cada dia?

Que importa onde nasceu,


Se num presépio, se num leito?
A verdade sou eu
A aguardá-lo no peito.

Pois abro o coração


Pra o receber,
Quer venha ou não
Do céu ou ventre de mulher.

Mas, ai! a adoração dura-me instantes!


Em breve irei negá-lo
Três vezes, antes
De cantar o galo!

António Manuel Couto Viana, in 'Disse e Repito'


O Nosso Galo
O nosso galo é bom cantor
É bom cantor tem boa voz
Está sempre a cantar
Cócóró, cócóró
Está sempre a cantar
Cócóró, cócóró
Está sempre a cantar
Cócórócócó. Bis

Mas veio um dia


E não cantou
Outro e mais outro
E não cantou
Nunca mais se ouviu
Cócóró, cócóró
Nunca mais se ouviu
Cócóró, cócóró
Nunca mais se ouviu
Cócórócócó. Bis
Natal cada Natal
Quando na mais sublime dor,
A mulher dá à luz,
Há sempre um Anjo Anunciador
A murmurar-lhe ao coração — Jesus!

Cada criança é o Céu que vem


Pra nos remir do pecado
E as palhas d’oiro de Belém
Espalham-se no berço, como um Sol espelhado

Por sobre o lar presepial , o brilho


Da estrela abre o convite dos portais:
— Vinde adorar a floração do filho
No alvoroço da raiz dos pais.

António Manuel Couto Viana, in 'Mínimos'


A PALAVRA MAIS BELA
Fui ver ao dicionário de sinónimos
A palavra mais bela sem igual
Perfeita como a nave dos Jerónimos...
E o dicionário disse-me NATAL.

Perguntei aos poetas que releio:


Gabriela, Régio, Göethe, Poe, Quental,
Lorca, Olegário... e a resposta veio:
Christmas... Nöel... Natividad... Natal...

Interroguei o firmamento todo!


Cobras, formigas, pássaros, chacal!
O aço em chispa, o "pipe-line", o lodo!
E a voz das coisas respondeu NATAL.

Cânticos, sinos, lágrimas e versos:


Um N, um A, um T, um A, um L...

Perguntei a mim próprio e fiquei


mudo...Qual a mais bela das palavras,
qual?
Para que perguntar se tudo, tudo,
Diz Natal, diz Natal, e diz Natal?!
Adolfo Simões Müller
HISTÓRIA ANTIGA,
Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava, e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.
E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da Nação.
Mas,
Por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças. Miguel Torga - Antologia Poética /Coimbra, Ed. do Autor
NATAL (1988)
Menino Jesus feliz
Que não cresceste
Nestes oitenta anos!
Que não tiveste
Os desenganos
Que eu tive
De ser homem,
E continuas criança
Nos meus versos
De saudade
Do presépio
Em que também nasci,
E onde me vejo sempre igual a ti
Litania do Natal
A noite fora longa, escura, fria.
Ai noites de Natal que dáveis luz,
Que sombra dessa luz nos alumia?
Vim a mim dum mau sono, e disse: «Meu Jesus...»
Sem bem saber, sequer, porque o dizia.

E o Anjo do Senhor: «Ave, Maria!»


Ai dias de Natal a transbordar de luz,
Na cama em que jazia, Onde a vossa alegria?
De joelhos me pus Todo o dia eu gemia: «Meu Jesus...»
E as mãos erguia. E a tarde descaiu, lenta e sombria.
Comigo repetia: «Meu Jesus...»
Que então me recordei do santo dia. E o Anjo do Senhor: «Ave, Maria!»

E o Anjo do Senhor: «Ave, Maria!» De novo a noite, longa, escura, fria,


Sobre a terra caiu, como um capuz
Que a engolia.
Deitando-me de novo, eu disse: «Meu
Jesus...»

E assim, mais uma vez, Jesus nascia.


José Régio, in 'Antologia Poética
CANTIGA
Branca estais e colorada
Virgem sagrada!
Em Belém, vila do amor,
Da rosa nasceu a flor;
Virgem sagrada!
Em Belém, vila do amor,
Nasceu a rosa do rosal;
Virgem sagrada!
Da rosa nasceu a flor,
Pera nosso Salvador;
Virgem sagrada!
Nasceu a rosa do rosal,
Deus e homem natural,
Virgem sagrada!
Gil Vicente
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia
Aleluia!

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia


Aleluia!

Aleluia - Aleluia,

Aleluia - Aleluia,

Aleluia - Aleluia,

Aleluia!
David Mourão Ferreira
O Menino já nasceu
Os pastores ´stão dormindo
Os pastores ´stão dormindo

Acordai rudes pastor´s


Acordai rudes pastor´s,
Vinde adorar o Benvindo,
Vinde adorar o Benvindo.
Balada da Neve
Batem leve, levemente,
Fui ver. A neve caía
como quem chama por mim.
do azul cinzento do céu,
Será chuva? Será gente?
branca e leve, branca e
Gente não é, certamente
fria…
e a chuva não bate assim. E descalcinhos, doridos…
Há quanto tempo a não
via! a neve deixa inda vê-los,
É talvez a ventania: primeiro, bem definidos,
E que saudades, Deus
mas há pouco, há depois, em sulcos compridos,
meu!
poucochinho, porque não podia erguê-los!…
nem uma agulha bulia
Olho-a através da vidraça.
na quieta melancolia Que quem já é pecador
Pôs tudo da cor do linho.
dos pinheiros do caminho… sofra tormentos, enfim!
Passa gente e, quando
passa, Mas as crianças, Senhor,
Quem bate, assim, levemente, porque lhes dais tanta dor?!…
os passos imprime e traça
com tão estranha leveza, Porque padecem assim?!…
na brancura do caminho…
que mal se ouve, mal se
sente? E uma infinita tristeza,
Fico olhando esses sinais
Não é chuva, nem é gente, uma funda turbação
da pobre gente que
nem é vento com certeza. entra em mim, fica em mim
avança,
e noto, por entre os mais, presa.
os traços miniaturais Cai neve na Natureza
duns pezitos de criança… e cai no meu coração.
Augusto Gil
Joy to the World
Joy to the world! The Lord is
come:
Let earth receive her King;
Let every heart prepare Him
room,
And heaven and nature sing,
And heaven and nature sing,
And heaven, and heaven and
nature sing.
Joy to the world! The Savior
reigns:
Let men their songs employ;
While fields and floods, rocks,
hills, and plains
Repeat the sounding joy,
Repeat the sounding joy,
Repeat, repeat the sounding
joy.
He rules the world with truth
and grace,
And makes the nations prove
The glories of His righteousness
STILLE NACHT Noite de Paz! Noite de Amor!
Nas colinas ao Pastor.
1. Stille Nacht! Heil'ge Nacht! Lindos Anjos mandados por Deus!
Alles schläft; einsam wacht Anunciam a Nova dos Céus!
Nur das traute hoch heilige Paar. Nasce o Bom Salvador!
Holder Knab' im lockigen Haar, Nasce o Bom Salvador.
|: Schlafe in himmlischer Ruh! :|

Noite de Paz! Noite de Amor!


Nas colinas ao Pastor.
Lindos Anjos mandados por Deus!
Anunciam a Nova dos Céus!
FINAL