Você está na página 1de 13

Intertextualidade

Luís de Camões e Fernando Pessoa


Intertextualidade | Luís de Camões e Fernando Pessoa

“Tanto Camões como Pessoa, cantores da pátria, são


poetas da ausência. Poetas do que foi ou do que
poderá vir a ser.”
Jacinto do Prado Coelho, in Camões e Pessoa – Poetas da Utopia
Semelhanças | Contexto histórico-social

Os Lusíadas (1572) Mensagem (1934)


• Séc. XVI: • Séc. XX:
• Decadência (início do • Decadência (fase terminal
processo de dissolução do de dissolução do Império)
Império) • Fim da monarquia;
• Perda da independência e 1ª República (1910-1926)
do domínio marítimo • Portugal vive há um ano sob
• Corrupção e perda de o domínio salazarista (1933-
valores morais 1968 Estado Novo), regime
• Parasitismo, ostentação, com características fascistas.
luxo excessivo
Semelhanças | Objetivo

De Camões ao escrever Os Lusíadas: De Pessoa ao escrever Mensagem:


1. Evocar um passado recente: 1. Apelar a um ressurgimento:
período áureo dos Descobrimentos recuperar a grandeza perdida através
(glorificação do povo português). da vinda de um Supra- Camões (ele
2. Apelar a um ressurgimento pátrio, próprio).
dirigido 2. Profetizar a fundação de um novo
império de natureza espiritual: um
 aos mais novos: a geração antiga
servirá de exemplo e estímulo aos império da Cultura e da Língua
jovens; Portuguesa (o Quinto Império)

 ao próprio Rei (conquista do O assunto da Mensagem não é os


Portugueses ou eventos concretos,
Norte África).
mas a essência de Portugal e a sua
missão por cumprir (J.Prado Coelho)
 Valorização do passado Apelo dirigido:
 aos jovens Portugueses capazes de
cultura e amantes do seu país.
 Exaltação do futuro
Diferenças

Em Os Lusíadas, Camões canta: Em Mensagem, Pessoa canta:


• Império material, terreno, real • Império espiritual, “da
• Expansão territorial (dilatação matéria de que os sonhos
da fé e do império) são feitos”, imaginário; a
loucura; “a febre do além”
• Pensamento católico
• Expansão da Cultura e
Língua Portuguesas
• Pensamento ocultista e
vagamente cristão, baseado
no conceito de tolerância
• Só no domínio da cultura,
Portugal poderá impor-se no
mundo
Diferenças

Os Lusíadas: Mensagem:
• caráter predominantemente • caráter menos narrativo e
narrativo e pouco mais interpretativo e
abstratizante; cerebral;
• tema real, histórico, factual • tema - a essência de
(os acontecimentos, os Portugal e a necessidade
lugares); de cumprir uma missão;
• os heróis são pessoas com • os heróis são mitificados e
limitações próprias da encarnam valores
condição humana, mesmo simbólicos, assumindo
se ajudados nos sonhos pela proporções gigantescas;
intervenção divina cristã ou
pelos deuses do Olimpo;
Diferenças

• os deuses olímpicos regem • os deuses são superados


os acidentes e as peripécias pelo destino, que é força
do real quotidiano; abstrata e inexorável;
• heróis e mitos que narram • heróis e mitos que exaltam
as grandezas passadas; as façanhas do passado em
função de um desesperado
• apontam para o passado apelo para grandezas
futuras;
• aponta para o futuro,
promessa, expectativa
messiânica, visionação, o
Quinto Império.
Síntese da temática de Mensagem

• O mito é tudo: sem ele a realidade não existe, pois é dele que
ela parte (“Ulisses”, “D. Dinis”)

• Deus é o agente da história, ou seja, é ele quem tem as


vontades; nós somos os seus instrumentos que realizam a sua
vontade. É assim que a obra nasce e se atinge a perfeição (“D.
Fernando, Infante de Portugal”, “O Infante”)

• O sonho é aquilo que dá vida ao homem: sem ele a vida não


tem sentido e limita-se à mediocridade (“D. Sebastião, Rei de
Portugal”, “Horizonte”)
Síntese da temática de Mensagem

• A verdadeira grandeza está na alma; é através do sonho e da


vontade de lutar que se alcança a glória (“O Mostrengo”,
“Padrão”)

• Portugal encontra-se num estado de decadência, por isso, é


necessário voltar a sonhar, voltar a arriscar, de modo a que se
possa construir um outro império, um império que não se
destrói, por não ser material: é o Quinto Império, o Império
Civilizacional-Espiritual (“O Quinto Império”, “As Ilhas
Afortunadas”)
Síntese da temática de Mensagem

• D. Sebastião, além de ser o exemplo a seguir (pois deixa-se


levar pela loucura saudável/sonho), é também visto como o
salvador, aquele que trará de novo a glória ao povo português
e que virá completar o sonho, cumprindo-se assim Portugal
(“D. Sebastião”, “Screvo meu livro à beira-mágoa”).

Nota: os poemas indicados são apenas exemplos.


Síntese da temática de Mensagem

• Mensagem recorre ao ocultismo para criar o herói – o


Encoberto – que se apresenta como D. Sebastião. O ocultismo
remete para um sentimento de mistério, indecifrável para a
maioria dos mortais. Daí que só o detentor do privilégio
esotérico (=oculto/secreto) se encontra legitimado para
realizar o sonho do Quinto Império.
• O ocultismo:
 Três espaços: o histórico, o mítico e o místico
 “A ordem espiritual no homem, no universo e em Deus”
 Poder, inteligência e amor na figura de D. Sebastião.
 O verdadeiro conhecimento é aquele a que se consegue ter acesso
através do ocultismo e esoterismo: importância dos símbolos (na
perspetiva pessoana).
Síntese da temática de Mensagem

• A conquista do mar não foi suficiente (o império material


desfez-se, ou seja, a missão ainda não foi cumprida): falta
concretizar o novo sonho – um império espiritual, cultural.
• A construção do Futuro (a revolução cultural) tem que ter em
conta o Presente e deve aproveitar as lições do Passado,
fundamentando-se nas nossas ancestrais tradições.
• A atitude heroica é importante para a aproximação a Deus,
mas o herói não pode esquecer que o poder baseado na
justiça, na lealdade, na coragem e no respeito é mais valioso
do que o poder exercido violentamente pelo conquistador – a
opção clara pelo poder espiritual, pelo poder moral, pelos
valores.
Intertextualidade
Luís de Camões e Fernando Pessoa