Você está na página 1de 19

Conversando na aula

de PLE: o que faz o


professor?

Denise Barros Weiss - UFJF


Introdução
A complexidade da interação na aula de língua
estrangeira.
Conversação: conversa institucional.
A dupla tarefa do professor durante a conversação:
 criar na sala de aula uma situação social o mais
semelhante possível à de uma conversa
espontânea posição mais simétrica em relação
aos alunos;
 exercer as tarefas esperadas de sua função na
sala: informar seus alunos sobre aspectos da
língua, corrigir a produção oral e avaliá-la. –
posição assimétrica em relação aos alunos.
 Perguntas de pesquisa: Há contradição
entre as duas tarefas?
 Como o professor executa sua função
durante a atividade?
Quadro teórico
Quadro de referência: análise da conversa
etnometodológica.
Objetivo: reconhecer padrões interacionais
que distinguem a conversa institucional
conhecida nos meios educacionais como
“atividade de conversação” da conversa
espontânea.
Metodologia de pesquisa
Tratamento dos dados:
 Gravação em vídeo (aula 1) e em áudio (aula 2)
 Transcrição integral das gravações.
 Divisão em blocos para análise.
 Reconhecimento de padrões interacionais.
 Confrontação dos dados com aporte teórico.
 Análise dos dados.
A conversa institucional na sala de
aula
 A conversa institucional: atividade
interacional derivada da conversa, mas
diferenciada dela, por se organizar para
que os membros atinjam um propósito
específico.
 Atividade de conversação: camada
didática e camada relacional.
Camada didática:
 Situação comunicativa que deu origem à
atividade, e que se define em função do
seu objetivo básico: a relação de ensino /
aprendizagem envolvendo professor e
alunos.
 Preservação da hierarquia e da
discrepância entre as posições, direitos e
deveres dos participantes.
 Relação mais estável, institucional.
Camada relacional:
 Situação comunicativa “de fato”, na qual
são atualizadas e negociadas as regras, os
direitos e os deveres dos participantes.
 Mais homogeneidade na estrutura de
participação.
 Relação mais frágil e sujeita a variações de
contexto
Camadas entrelaçadas na atividade de
conversação
Momentos de tensão entre as duas camadas.
Yukiko Mas porque eu tenho medo é (..) que tipo de medo é diferente (.) o (.)
vai acontecer o que eu não posso imaginar
Diane Claro
Yukiko (...)então polícia
Kyoske e:: polícia sempre tem a:rma polícia armado por exemplo
Diane aqui
Kyoske aqui
Diane lá não né?
Kyoske lá não.
Aki já percebi que eles polícias militares usa aquele ne: negócio que pára
uma uma bala (.) eu não sei como é que isso chama
Diane <colete à prova de bala>
Aki é isso. Eu reparei. Aqui usa.
Diane [Aqui usa.
Aki ºLá nãoº
Diane no Rio usa sempre
Aki a:: lá::
Kyoske quê?
Aki no Rio
Hikaru colete? colete?
Diane no Rio de Janeiro
Diane colete (.) à prova de bala ((fazendo gesto explicativo))
Kyoske [ah , sim.
Hikaru ((faz gesto de bala furando a barriga))
Diane (…)
Kyoske (…)
Diane (vam) lá
Kyoske eu vi
Hikaru ahn?
Kyoske eu vi isso
Aula 1: modificação do padrão
IRA
Padrão IRA – Iniciação – resposta – avaliação
 Modelo de interação professor-aluno.
 Alta previsibilidade.

IRA na atividade de conversação


 Aumento na imprevisibilidade da resposta do
aluno
 Maior possibilidade de ocorrências de IRA
estendido
Diane bom. vamos treinar um pouquinho. o que é que vocês, uma, lembra
pra mim uma coisa que vocês faziam nos países de origem de vocês e que
vocês não fazem no Brasil. qualquer coisa. quem lembra?
Aki brincava no rio.
Diane oi?
Aki eu lembro que eu brincava no rio.
Diane brincava no rio. que delícia! não tinha poluição nada?
Aki não. eu moro no interior.
Diane heim?
Aki eu moro no interior, lá são limpos.
Kyoske no japão, eu trabalhava mas aqui eu não trabalho.
Diane não trabalha. perfeito!
Aula 2: o revozeamento
O revozeamento consiste no “redizer do turno
anterior para reexame pelo seu produtor, que
recebe crédito pela autoria da articulação que
produziu da questão cognitiva sob exame do
grupo”. (GARCEZ, 2006, p. 72).
Distinção entre IRA e revozeamento:
 padrão IRA  estrutura de participação em que
o aluno é posicionado como aprendiz
 revozeamento  estrutura de participação em
que o aluno é tratado como co-apresentador das
informações em circulação na sala de aula.
Características do revozeamento
 contém basicamente uma repetição da informação já
fornecida pelo interlocutor, que agrega à frase, muitas
vezes, palavras ou expressões que o aluno demonstrou
desconhecer, ou ainda termos considerados mais
adequados à situação, que não foram empregados pelo
aluno.
 é privativo da posição institucional da professora. Não
foi localizada nenhuma instância em que esse
comportamento tenha partido de um aluno.
 é característico da atuação da professora nessa prática
comunicativa.
Objetivos do revozeamento
 Estrutura de participação mais igualitária entre
professor e alunos;
 Possibilidade de ensejar situações de auto-
correção para o aluno;
 Manutenção da capacidade de monitoramento
da interação por parte do professor.
 Escamoteamento do caráter didático da
intervenção.
Rita =o chefe na fre::ente. Como é que é isso hoje?
Maria hoje?
Rita no Brasil.
Maria hoje não. porque (.) hoje a chef- não tem chefe. eu acho que não tem
chefe.
Rita ahah porque?
Maria porque a:: (.) a escravi escravi escravas escravas
Aluno a escravidão
Maria a escravidão (0.5) a escravidão (.)hu::m (0.3) a escravidão acabou hoje
Rita acabou hoje. então não tem senhor e não tem escravos. mas a família
tem chefe ainda?
Maria sim, a família tem chefe. chefe é o é a dona de casa
Rita ahn? o chefe
Maria tem o chefe, o senhor de casa ou a dona de casa

Rita a:h, sim. tem o chefe que pode ser o homem ou a mulher.

Maria ou a mulher

Rita você tem visto famílias em que o chefe é homem e em que o chefe é
mulher
Maria não, só só homem
Rita só homem? e no seu país quem é o chefe da família?
Maria lá também o: chefe é é é homem
Rita sempre?
Maria sempre.
Rita (.)sempre.
Maria sempre hhhh
Rita e no seu país, Wilson, como é essa questão da: família?
Conclusão
IRA e revozeamento: técnicas de trabalho do
professor.
 IRA – mantém claro o objetivo didático da
intervenção do professor
 Revozeamento – opacidade do caráter didática da
intervenção do professor.
Reação do aluno:
 Os alunos mantêm-se focados no fluxo das
informações. Independentemente das técnicas
empregadas pelos professores, percebem-se
poucas evidências de que as correções feitas
durante a atividade de conversação sejam
incorporadas imediatamente por eles.
Bibliografia

 GARCEZ, Pedro M. A organização da fala-em-interação


na sala de aula: controle social, reprodução de
conhecimento, construção conjunta de conhecimento.
Calidoscópio. São Leopoldo, v. 4, n. 1, p. 66-80, 2006.
 WEISS, Denise Barros. Conversa institucional na aula de
língua estrangeira: o papel do professor. In: Veredas,
2009/1. Internet:
http://www.revistaveredas.ufjf.br/volumes/24/artigo0
5.pdf

Você também pode gostar