Você está na página 1de 22

SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO


PRÓ - REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO
FACULDADE MULTIDISCIPLINAR DO CAMPUS UNIVERSITÁRIO
DO MÉDIO ARAGUAIA
NÚCLEO PEDAGÓGICO DE RIO BRANCO
CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

EDUCAÇÃO E LITERATURA INFANTO-JUVENIL


60h

Profa. Ma. Maria Domingas de Souza

Janeiro de 2018.
O que é
LITERATURA
A arte de criar e recriar textos, de compor
ou estudar escritos artísticos;
O exercício da eloquência e da poesia;
.
LITERATURA
A palavra literatura é intransitiva e,
independente do adjetivo que receba, é arte
e deleite.
LITERATURA
A função social é facilitar ao homem
compreender – os dogmas que a
sociedade lhe impõe.
LITERATURA INFANTIL E
JUVENIL
Esta modalidade literária seja considerada
"menor“
a evolução do maravilhoso ser que é a criança.
O contato com textos recheados de
encantamento faz-nos perceber quão
importante e cheia de responsabilidade é toda
forma de literatura.
INFANTIL
A autêntica literatura infantil não deve
ser feita essencialmente com intenção
pedagógica, didática ou para
incentivar hábito de leitura.

Este tipo de texto deve ser lido pela


criança que há em cada um de nós.
INFANTIL
O termo infantil associado à literatura
não significa que ela tenha sido feita
necessariamente para crianças.
INFANTIL
A literatura infantil acaba sendo
aquela que corresponde, de alguma
forma, aos anseios do leitor e que se
identifique com ele.
INFANTIL
É uma forma de poder de cativar esse
público tão exigente e importante
aparece.
o grande segredo é trabalhar o
imaginário e a fantasia.
O discurso literário infantil apresenta-se em
uma linguagem carregada de ideologia.
O uso social desse reforço, a estrutura vigente
cabe à literatura, prepara a criança para refletir
sobre os valores da sociedade.
O movimento da Literatura Infantil
contemporânea, ao oferecer uma concepção de
texto escrito aberto a múltiplas leituras,
transforma a literatura para crianças em suporte
do mundo.
AUTORES

Ruth Rocha
Ziraldo
Monteiro Lobato
Maria Clara Machado
Elias José
Maurício de Souza
JUVENIL
Falta definição da literatura infanto-
juvenil, decorrente da
diversidade de estilos e de conteúdos que
a compõem, bem como seu tipo de
público, “escorregadio”.
JUVENIL

Este gênero literário - importância


diminuído, muitas vezes, pelo universo
acadêmico.
Monteiro Lobato, em 1921 trazia em
sua primeira obra as diretrizes de
uma literatura infanto-juvenil.
Sítio do
Pica-pau amarelo.
Apelo à imaginação, o enredo, a linguagem visual
concreta, a graça na expressão – toda uma soma de
valores temáticos e linguísticos.

Renovação do conceito de literatura infantil, no


Brasil, ainda preso a certos cânones pedagógicos
decorrentes da enorme fase
da literatura escolar. (Arroyo 1968: 198).
As terras de Dona Benta desempenham função de uma
escola, sendo a proprietária
a professora ideal e os alunos, os moradores do sítio:
O sítio metamorfoseia-se numa escola paralela,
reforçando a aversão do escritor
pela instituição tradicional de ensino, cujas disposições
física e psicológica
o degradavam.
As terras de Dona Benta desempenham função de
uma escola, sendo a proprietária
a professora ideal e os alunos, os moradores do
sítio.
Trata de substituí-las dando-lhe arranjo diferente, ao
mesmo
tempo antigo e moderno. Antigo, porque o modelo é a
escola grega (...): um
sistema de ensino que evoluiu através do diálogo, sem
conclusões pré-fabricadas
ou conclusões previstas por antecipação.
Além disso, não supõe um
espaço predeterminado, fixo de antemão e
classificado como sala de aula. O
espaço dessa escola lobateana muda segundo as
conveniências, podendo ser
tanto a sala principal da sede do sítio (...), ou a
paisagem. (Lajolo & Zilberman
1998, p. 76).
Segundo Ceccantini (2004: 20), o não-incentivo à
pesquisa em literatura infanto-juvenil
deve-se principalmente à “volatilidade do objeto em
causa, resistente ao enquadramento
em definições precisas e à clara delimitação e
definição, situando-se numa espécie de limbo
acadêmico, que o transforma, por vezes, em
propriedade de todos e, ao mesmo tempo, de
ninguém.”

Você também pode gostar