Você está na página 1de 51

Linguagens e Códigos - Arte

Ensino Médio, 1º. Ano


MODERNISMO – Semana de Arte
Moderna no Brasil
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

A Semana de Arte Moderna de 22,


realizada no Teatro Municipal de
São Paulo, contou com a
participação de escritores, artistas
plásticos, arquitetos e músicos.

Inserida nas festividades de


comemoração do centenário da
independência do Brasil, em 1922,
a Semana de Arte Moderna
apresenta-se como a primeira
manifestação coletiva pública na
história cultural brasileira a favor
de um espírito novo e moderno em
oposição à cultura e à arte de teor
conservador, predominantes no
país desde o século XIX (1).
Imagem: Cartaz da Semana de Arte Moderna de 1922 / Di
Cavalcanti / Acervo do Instituto de Estudos Brasileiros - USP -
Arquivo Anita Malfatti / http://www.arquitetonico.ufsc.br/wp-
content/uploads/semana-de-arte-moderna-de-1922.jpg
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Entre os dias 13 e 17 de fevereiro de 1922, realiza-


se um festival com uma exposição com cerca de 100
obras e três sessões literárias e musicais noturnas.

A produção de uma arte brasileira, afinada com as


tendências vanguardistas da Europa sem perder o
caráter nacional, era uma das grandes aspirações
que a Semana tinha de divulgar (2).
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

São Paulo dos anos 20 era a cidade que melhor apresentava condições para a
realização de tal evento. Tratava-se de uma próspera cidade, que recebia grande
número de imigrantes europeus e modernizava-se rapidamente, com a
implantação de indústrias e reurbanização. Era, enfim, uma cidade favorável a
ser transformada num centro cultural da época, abrigando vários jovens artistas
(3).

Imagem: Caio Guimarães/ Teatro Municipal de São Paulo/ Creative


Imagem: Guilherme Gaensly / Vale do Anhangabaú / Public Domain
Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.0 Generic
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

http://www.moedasdobrasil.com.
Esse era o ano em que o país

Imagem: Moeda de 500 reis /


Coleção Eduardo Rezende/
comemorava o primeiro
centenário da Independência e

br/series.asp?s=19
os jovens modernistas
pretendiam redescobrir o Brasil,
Imagem: Eliseu Visconti / Selo comemorativo do
1º centenario da independência / libertando-o das amarras que o
http://www.eliseuvisconti.com.br/Catalogo/Tecni
ca/2/Aquarelas.aspx prendiam aos padrões
estrangeiros. Seria, então, um
movimento pela independência
artística do Brasil.

Os jovens modernistas da
Semana negavam, antes de
mais nada, o academicismo nas
artes. A essa altura, estavam já
influenciados esteticamente por
tendências e movimentos como
o Cubismo, o Expressionismo e
diversas ramificações pós-
Imagem: Autor Desconhecido / Vista do portal de acesso ao Parque de
impressionistas (4).
diversões no centenário da independência. / Museu da imagem e do som /
http://www.dezenovevinte.net/arte%20decorativa/ad_mlr_ctr.htm
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Até aí, nenhuma novidade nem renovação. Mas, partindo desse ponto,
pretendiam utilizar tais modelos europeus, de forma consciente, para uma
renovação da arte nacional, preocupados em realizar uma arte nitidamente
brasileira, sem complexos de inferioridade em relação à arte produzida na
Europa.
Essa arte nova aparece inicialmente através da atividade crítica e literária
de Oswald de Andrade, Menotti del Picchia, Mário de Andrade e alguns
outros artistas que vão se conscientizando do tempo em que vivem (5).

Imagem: Mario de Andrade / Michelle Rizzo /


Imagem: Oswald de Andrade / Autor

Imagem: Menotti del Picchia / Autor


desconhecido / Domínio Publico.
desconhecido / Public Domain.

Public Domain.
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Oswald de Andrade, já em 1912, começa a falar do Manifesto Futurista, de


Marinetti, que propõe “o compromisso da literatura com a nova civilização técnica”.

Ao mesmo tempo, Oswald de Andrade alerta


para a valorização das raízes nacionais, que
devem ser o ponto de partida para os artistas
brasileiros. Assim, cria movimentos, como o
Pau-Brasil, escreve para os jornais expondo
suas ideias renovadores de grupos de artistas
que começam a se unir em torno de uma
nova proposta estética (6).

Revista paulista editada em São Paulo de 1911 até 1918. Tinha


como principal articulador Oswald de Andrade e Emílio de
Menezes. Revista de cunho literário, esportivo, sociedade
paulista, crítico e com ideias pré-modernistas. Muito bem
impressa e redigida. Esta é a capa do nº59 de 21 de Setembro
de 1912, com uma crítica feroz ao governo do Presidente
Hermes da Fonseca (1910-1914), que instituiu o Estado de Sítio
no Brasil (7).
Imagem: Revista o Pirralho/ Autor desconhecido / http://revistas-
paulistas.flogbrasil.terra.com.br/foto17333864.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Antes dos anos 20, são feitas em São Paulo duas exposições de pintura que
colocam a arte moderna de um modo concreto para os brasileiros: a de Lasar
Segall, em 1913 e a de Anita Malfatti, em 1917 (8).

Imagem: A Família/ Lasar Segall / Imagem: A estudante/ Anita Malfatti / Museu de Arte de
http://www.febf.uerj.br/pesquisa/semana_22.html São Paulo Assis / Copyright - Elizabeth Cecília Malfatti
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Vindo da Alemanha, o pintor Lasar Segall


realizou uma exposição em São Paulo e outra
em Campinas, ambas recebidas com uma fria
polidez.

Desanimado,
Segall seguiu
de volta à
Alemanha, só
retornando ao
Brasil dez anos
depois, quando
os ventos
sopravam mais
a favor (9).

Imagem: Perfil de Zulmira / Lasar Segall / Museu de arte Imagem: Os mercadores/ Lasar Segall /
contemporânea da universidade de São Paulo / Direitos do http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos/seculoxx/mo
MAC dulo2/modernismo/artistas/segall/obras.htm
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

A exposição de Anita Malfatti em 1917, recém chegada dos Estados Unidos e da


Europa, foi outro marco para o Modernismo brasileiro. As obras da pintora, então
afinadas com as tendências vanguardistas do exterior, chocaram grande parte do
público, causando violentas reações da crítica conservadora (10).

Imagem: A boba/ Anita Mafaltti/ Museu de arte contemporânea da Imagem: O homem amarelo / Anita Mafaltti / Ilustração do
universidade de São Paulo / Copyright - Elizabeth Cecília Malfatti colega Mario de Andrade / Instituto de Estudos Brasileiros da
USP/ Copyright - Elizabeth Cecília Malfatti.
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Dessa polêmica, o artigo de Monteiro Lobato para o jornal O Estado de S. Paulo,


intitulado: “A propósito da Exposição Malfatti”, publicado na seção “Artes e Artistas”
da edição de 20 de dezembro de 1917, foi a reação mais contundente dos
espíritos conservadores (11).

Bandeira de Mello / Copyright - Elizabeth Cecília Malfatti.


Imagem: O farol / Anita Mafaltti / Col. Chateaubriand
Imagem: Monteiro Lobato/ "Nosso Século"
(1980) da Editora Abril / Public Domain
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

No artigo
publicado nesse
jornal, Monteiro
Lobato, preso a
princípios
estéticos
conservadores,
afirma que
“todas as artes
são regidas por
princípios
imutáveis, leis
fundamentais
que não
dependem do
tempo nem da
latitude” (12).
Imagem: Meu irmão Alexandre/ Anita Mafaltti / Copyright - Elizabeth Cecília Malfatti
http://www.fapesp.br/publicacoes/anita/apresentacao.html#
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Mas Monteiro Lobato vai mais longe ao


criticar os novos movimentos artísticos.
Assim, escreve que “quando as
sensações do mundo externo
transformaram-se em impressões
cerebrais, nós ‘sentimos’; para que
sintamos de maneira diversa, cúbica ou
futurista, é forçoso ou que a harmonia
do universo sofra completa alteração,
ou que o nosso cérebro esteja em
‘pane’ por virtude de alguma grave
lesão. Enquanto a percepção sensorial
se fizer normalmente no homem,
através da porta comum dos cinco
sentidos, um artista diante de um gato
não poderá ‘sentir’ senão um gato, e é
falsa a ‘interpretação que do bichano
fizer um totó, um escaravelho ou um
amontoado de cubos transparentes”
(13). Imagem: A boba/ Anita Mafaltti/ Museu de arte contemporânea da
universidade de São Paulo / Copyright - Elizabeth Cecília Malfatti /
http://www.mac.usp.br/mac/templates/exposicoes/acervo/imgam4.asp
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

A exposição, entretanto, marcou o


início de uma luta, reunindo ao
redor dela jovens despertos para
uma necessidade de renovação da
arte brasileira.
Além disso, traços dos ideais que a
Semana propunha já podiam ser
notados em trabalhos de artistas
que dela participaram (além de
outros que foram excluídos do
evento) (14).

Imagem: Interior de residência / Antonio Moya


http://coisasdaarquitetura.wordpress.com/2011/01/28/a-
arquitetura-na-semana-de-arte-moderna-de-1922/

Imagem: Taperinha na praia grande / Georg Przyrembel /


http://coisasdaarquitetura.wordpress.com/2011/01/28/a-
arquitetura-na-semana-de-arte-moderna-de-1922/
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Desde a exposição de Malfatti, havia dado tempo para que os artistas de


pensamentos semelhantes se agrupassem. Em 1920, por exemplo, Oswald de
Andrade já falava de amplas manifestações de ruptura, com debates abertos. Essa
divisão entre os defensores de uma estética conservadora e os de uma renovadora
prevaleceu por muito tempo e atingiu seu clímax na Semana de Arte Moderna (15).

/ Pinacoteca do Estado de São Paulo / Foto tirada por


Imagem: Musa Impassível / Victor Brecheret

Leandro Lanzoni / Wikimedia Commons

Imagem: Musa Impassível / Victor Brecheret / Pinacoteca do Estado


de São Paulo / Foto tirada por Gabriel de Andrade Fernandes /
http://www.flickr.com/photos/gaf/2530424140/
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

No interior do teatro, foram apresentados


concertos e conferências, enquanto no
saguão foram montadas exposições de
artistas plásticos, como:

• os arquitetos Antonio Moya e George


Prsyrembel;

•os escultores Vítor Brecheret e W.

1922 / Autor Desconhecido / United States Public Domain


Imagem: Capa do catálogo da Semana de arte moderna
Haerberg;

•os desenhistas e pintores Anita Malfatti,


Di Cavalcanti, John Graz, Martins Ribeiro,
Zina Aita, João Fernando de Almeida
Prado, Ignácio da Costa Ferreira, Vicente
do Rego Monteiro e Di Cavalcanti (o
idealizador da Semana e autor do
desenho que ilustra a capa do catálogo)
(16).
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Além disso, havia escritores


como Mário de Andrade,
Oswald de Andrade, Menotti del
Picchia, Sérgio Milliet, Plínio
Salgado, Ronald de Carvalho,
Álvaro Moreira, Renato de
Almeida, Ribeiro Couto e
Guilherme de Almeida.

Na música, estiveram presentes


nomes consagrados, como Villa-
Lobos, Guiomar Novais, Ernâni
Braga e Frutuoso Viana (17).

Imagem: Pierrô e Colombina / John Graz / Acervo Pessoal de John


Graz / http://7c3grupodeestudos2011.blogspot.com/2011/05/john-graz-
caroline-nomura-09-7c.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

A Semana, de uma certa


maneira, nada mais foi do
que uma ebulição de novas
ideias totalmente libertadas;
nacionalistas em busca de
uma identidade própria e de
uma maneira mais livre de
expressão.

Não se tinha, porém, um


programa definido: sentia-se
muito mais um desejo de
experimentar diferentes
caminhos do que de definir
um único ideal moderno.

Imagem: Morro Vermelho / Lasar Segall / Museu Lasar Segall /


http://www.museusegall.org.br/mlsItem.asp?sSume=2&sItem=125 Lasar Segall - Morro Vermelho, 1926
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

13/02/22- Segunda-feira
Casa cheia, abertura oficial
do evento.
Espalhadas pelo saguão do
Teatro Municipal de São
Paulo, várias pinturas e
esculturas provocam
reações de espanto e
repúdio por parte do público.
O espetáculo tem início com
a confusa conferência de
Graça Aranha, intitulada "A
emoção estética da Arte
Moderna".
Tudo transcorreu em certa
calma neste dia (18).
Imagem: Programa da semana de arte moderna de1922 / Autor
Desconhecido / http://www.febf.uerj.br/pesquisa/semana_22.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Enfunando os papos, Urra o sapo-boi:


15/02/22 -Quarta-feira Saem da penumbra, - "Meu pai foi rei!"- "Foi!"
Aos pulos, os sapos. - "Não foi!" - "Foi!" - "Não
foi!".
Guiomar Novais era para ser a grande A luz os deslumbra.

atração da noite. Contra a vontade dos Em ronco que aterra, Brada em um assomo
Berra o sapo-boi: O sapo-tanoeiro:
demais artistas modernistas, aproveitou um - "Meu pai foi à guerra!" - A grande arte é como
intervalo do espetáculo para tocar alguns - "Não foi!" - "Foi!" - "Não foi!". Lavor de joalheiro.

clássicos consagrados, iniciativa aplaudida O sapo-tanoeiro, Ou bem de estatuário.


Parnasiano aguado, Tudo quanto é belo,
pelo público. Mas a "atração" dessa noite foi Diz: - "Meu cancioneiro Tudo quanto é vário,
a palestra de Menotti del Picchia sobre a É bem martelado. Canta no martelo".

arte estética. Vede como primo Outros, sapos-pipas


Em comer os hiatos! (Um mal em si cabe),
Menotti apresenta os novos escritores dos Que arte! E nunca rimo Falam pelas tripas,
Os termos cognatos. - "Sei!" - "Não sabe!" -
novos tempos e surgem vaias e barulhos "Sabe!".
diversos (miados, latidos, grunhidos…) que O meu verso é bom
Longe dessa grita,
Frumento sem joio.
se alternam e confundem com aplausos. Faço rimas com Lá onde mais densa
Consoantes de apoio. A noite infinita
Quando Ronald de Carvalho lê o poema Veste a sombra imensa;
intitulado ”Os Sapos”, de Manuel Bandeira Vai por cinquüenta anos
Lá, fugido ao mundo,
Que lhes dei a norma:
(poema criticando abertamente o Reduzi sem danos Sem glória, sem fé,
A fôrmas a forma. No perau profundo
parnasianismo e seus adeptos). O público E solitário, é
faz coro atrapalhando a leitura do texto. Clame a saparia
Que soluças tu,
Em críticas céticas:
Transido de frio,
A noite acaba em algazarra (19). Não há mais poesia,
Sapo-cururu
Mas há artes poéticas..."
Da beira do rio...
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

17/02/22 - Sexta-feira

O dia mais tranquilo da semana,


apresentações musicais de Villa-
Lobos, com participação de vários
músicos.

O público em número reduzido,


portava-se com mais respeito, até
que Villa-Lobos entra de casaca,
mas com um pé calçado com um
sapato, e outro com chinelo; o
público interpreta a atitude como
futurista e desrespeitosa e vaia o
artista impiedosamente. Mais
tarde, o maestro explicaria que
não se tratava de modismo e,
sim, de um calo inflamado (20).
Imagem: Cartaz da Semana de Arte Moderna / Autor Desconhecido /
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Arte-moderna-8.jpg
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Entretanto, acredita-se que a


Semana de Arte Moderna não
tenha tido originalmente o
alcance e amplitude que
posteriormente foram atribuídos
ao evento.

A exposição de arte, por


exemplo, parece não ter sido
coberta pela imprensa da época.
Somente teve nota publicada
por participantes da Semana
que trabalhavam em jornais
como Mário de Andrade, Menotti
del Picchia e Graça Aranha
(justamente os três
conferencistas, cujas idéias
causaram grande alarde na
imprensa) (21).
Imagem: Retirantes / Candido Portinari / Col. Museu de Arte de São Paulo Assis
Chateaubriand /
http://www.proa.org/exhibiciones/pasadas/portinari/salas/id_portinari_retirantes.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

A Semana não foi tão importante no seu contexto temporal, mas o tempo a presenteou
com um valor histórico e cultural talvez inimaginável naquela época. Não havia entre
seus participantes uma coletânea de ideias comum a todos, por isso ela se dividiu em
diversas tendências diferentes, todas pleiteando a mesma herança (22).

http://www.portinari.org.br/candinho/candinho/gen_1.pl-BR+exact+OA-
Imagem: Café / Candido Portinari / Museu Nacional de Belas Artes /

1191+GT-02++.htm
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Entre os movimentos que surgiram


na década de 1920, destacam-se:

•Movimento Pau-Brasil;
•Movimento Verde-Amarelo e Grupo Anta;
•Movimento antropofágico.

A principal forma de divulgação destas


novas ideias se dava através das revistas.

Entre as que se destacam, encontram-se:

•Revista Klaxon e
•Revista de Antropofagia.

Imagem: Revista Klaxon nº1 / Guilherme de Almeida /


http://blogs.estadao.com.br/p2p/2010/03/16/antropofagia-
digitalizada/
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

O Movimento Pau-Brasil foi


um movimento artístico lançado
no Brasil em 1924 por Oswald de
Andrade e Tarsila do Amaral que
apresentava uma posição primitivista,
buscando uma poesia ingênua, de
redescoberta do mundo e do Brasil e que
foi inspirada nos movimentos de
vanguarda europeus, devido às viagens
que Oswald fazia à Europa.

O movimento exaltava a inovação na


poesia, o primitivismo e a era presente,
ao mesmo tempo em que repudiava a
linguagem retórica na poesia. Convivem
dialeticamente o primitivo e o moderno, o
nacional e o cosmopolita, sendo
ideologicamente a raiz do Movimento
Antropofágico (23).
Imagem: Revista Pau Brasil / Tarsila do Amaral /
http://letteri.blogger.com.br/2007_05_01_archive.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Movimento Verde-Amarelo e Grupo da Anta foram movimentos culturais


decorrentes da Semana de Arte moderna em 1922. Na literatura tem por
característica textos patrióticos, ufanistas e a idealização do país.
Características formais, versos livres, sem rima, sem métrica, em estrofação e
discurso não linear.

Recusando todo e qualquer contágio com ideias europeias, este movimento é


uma reação às intenções primitivas do Pau – Brasil.

Liderado por Cassiano Ricardo, Menotti Del Picchia, Plínio Salgado e outros,
o grupo acabou caindo num nacionalismo ufanista, escolhendo como
símbolo de suas ideias a anta, animal que tinha uma função mítica na cultura
tupi.

Esse movimento converteu- se, em 1926, no chamado Grupo da Anta, que


seguiu uma linha de orientação política nitidamente de direita, da qual sairia,
na década de 1930, o Integralismo de Plínio Salgado (24).
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

O Manifesto Antropófago ou
Antropofágico foi um manifesto
literário escrito por Oswald de
Andrade, publicado em maio de
1928, que tinha por objetivo
repensar a
dependência cultural brasileira.

Propunha basicamente devorar a


cultura e as técnicas importadas e
sua re-elaboração com autonomia,
transformando o produto importado
em exportável.

O nome do manifesto recuperava a


crença indígena: os índios
antropófagos comiam o inimigo,
supondo que assim estavam
Imagem: Manifesto Antropofago / Revista de Antropofagia, Ano 1, No. 1,
assimilando suas qualidades (25).
maio de 1928. / http://antropofagia.uol.com.br/manifestos/antropofagico/
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

O Manifesto foi publicado na primeira


edição da Revista de Antropofagia,
meio de comunicação responsável
pela difusão do movimento
antropofágico brasileiro.

A linguagem do manifesto é
majoritariamente metafórica, contendo
fragmentos poéticos bem-humorados
e torna-se a fonte teórica principal do
movimento (26).

Imagem: Revista de antropofagia / Autor Desconhecido /


http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Revantrof.png
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

O Manifesto Antropofágico
foi um marco no Modernismo
brasileiro, pois não somente
mudou a forma do brasileiro
de encarar o fluxo de
elementos culturais do
mundo, mas também colocou
em evidência a produção
própria, a característica
brasileira na arte,
ascendendo uma identidade
tupiniquim no cenário artístico
mundial (27).

Imagem: A Lua / Tarsila do Amaral /


http://www.tarsiladoamaral.com.br/versao_antiga/historia.htm
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Logo após a realização da Semana, alguns artistas fundamentais que dela


participaram acabam voltando para a Europa (ou indo lá pela primeira vez, no
caso de Di Cavalcanti, dificultando a continuidade do processo que se iniciara (28).

Por outro lado, outros


artistas igualmente
importantes chegavam
após estudos no
continente, como
Tarsila do Amaral, um
dos grandes pilares do
Modernismo Brasileiro
(29).

Imagem: Mulheres Protestando / Di Cavalcanti /


http://www.fiocruz.br/ccs/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=2986&sid=9
&tpl=printerview
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil
Houve ainda bastante confusão estilística e
estrangeirismos contrários aos ideais da
amostra, como demonstram títulos como
"Sapho", de Brecheret, "Café Turco", de Di
Cavalcanti ou "Cubismo" de Vicente do Rego
Monteiro.
Não resta dúvida, porém, que a Semana
integrou grandes personalidades da cultura
na época e pode ser considerada importante
marco do Modernismo Brasileiro, com sua
intenção nitidamente anti-acadêmica e
introdução do país nas questões do século
(30).

nas/enciclopedia_IC/index.cfm?fuseacti
on=obra&cd_verbete=498&cd_obra=11
http://www.itaucultural.org.br/aplicExter
Aita / Coleção Yan de Almeida Prado /
Imagem: Homens trabalhando / Zina
Imagem: Jardineiro (Mulato) / Zina Aita /
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_IC/in
dex.cfm?fuseaction=obra&cd_verbete=498&cd_obra=11639

638
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

A própria tentativa de estabelecer uma arte brasileira, livre da mera repetição


de fórmulas europeias foi de extrema importância para a nossa cultura e a
iniciativa da Semana, uma das pioneiras nesse sentido. Aliás, o principal
legado da Semana de Arte Moderna foi libertar a arte brasileira da reprodução
nada criativa de padrões europeus, e dar início à construção de uma cultura
essencialmente nacional (31).

Imagem: Sapateiro de Brodowski/ Cândido Portinari / Imagem: Catequese / Cândido Portinari /


http://www1.folha.uol.com.br/folha/galeria/album/20031229- http://www.andreamachado.com.br/2011/07/no-atelie-de-
portinari-10.shtml portinari.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Ainda assim, nota-se até as últimas


décadas do Século XX a influência da
Semana de 1922, principalmente
no Tropicalismo e na geração da Lira
Paulistana nos anos 70 (Arrigo
Barnabé, Itamar Assumpção, entre
outros). O próprio nome Lira Paulistana
é tirado de uma obra de Mário de
Andrade.

Mesmo a Bossa Nova deve muito à


turma modernista, pela sua lição
peculiar de "antropofagia", traduzindo a
influência da música popular norte-
americana à linguagem brasileira do
samba e do baião (32).

Imagem: Retrato de Joaquim Rego Monteiro / Vicente Rego


Monteiro / Coleção Museu de Arte Contemporânea da
Universidade de São Paulo /
http://www.andreamachado.com.br/2011/07/no-atelie-de-
portinari.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Imagem: Meninos brincando / Cândido Portinari/


http://www.imaginariopoetico.com.br/manoel-de-barros-de-calcas-
curtas/

Imagem: Grupo de meninas / Cândido Portinari/ Col. Museus Castro Maya /


http://www.proa.org/exhibiciones/pasadas/portinari/salas/portinari_grupo_m
eninas.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Imagem: Os operarios/ Tarsila do Amaral / Acervo Artístico-


Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo /
http://www.revistadehistoria.com.br/secao/em-dia/yes-nos-temos-
muito-mais-que-bananas

Imagem: Abaporu / Tarsila do Amaral / Colección Costantini


(Buenos Aires, Argentina) / Material protegido por direitos autorais
no Brasil até 2043. / http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Abaporu.jpg
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Imagem: Mulheres na Janela / Di Cavalcanti / Estação Pinacoteca /


http://ibuiky.blogspot.com/2008/06/ladres-roubam-obras-de-picasso-di.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

http://www.itaucultural.org.br/aplicExtern
as/enciclopedia_IC/index.cfm?fuseactio
n=obra&cd_verbete=17&cd_obra=1795
Imagem: Bandeirinhas / Alfredo Volpi /
Coleção do artista /
Imagem: Mastros e Bandeirinhas de fundo azul / Alfredo Volpi /
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_ic/index.
cfm?fuseaction=artistas_obras&acao=mais&inicio=49&cont_aca
o=7&cd_verbete=17 as_obras&acao=menos&inicio=57&cont_ac
enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=artist
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/
Imagem: Composição em ogiva / Alfredo

ao=8&cd_verbete=17

Imagem: Mastros e Bandeirinhas / Alfredo Volpi / Coleção Particular /


Volpi /

http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_IC/index.cfm?fuse
action=obra&cd_verbete=17&cd_obra=1769
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Imagem: Menino e Ovelha / Alfredo Volpi / Coleção Gilberto


Chateaubriand /
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_IC/index.cfm?fus
eaction=obra&cd_verbete=3494&cd_obra=2503
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Imagem: Mural de Vidro em homenagem a imprensa / Di cavalcanti / fachada


do hotel Novotel Jaraguá / http://toursp.blogspot.com/2009/02/di-cavalcanti.html
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

• Artistas que iniciaram o Modernismo no Brasil


e que participaram da Semana: Mário de
Andrade, Oswald de Andrade, Anita Malfatti,
Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Víctor
Brecheret, Plínio Salgado, Menotti Del Pichia,
Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor
Villa-Lobos entre outros.
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Sugestões de links para ampliar o conhecimento sobre a Semana de Arte


Moderna de 1922.

Museu Virtual - Museu de Arte Contemporânea da cidade de São Paulo


http://www.macvirtual.usp.br/mac/conteudo/acervo/acervo.asp

Museu Virtual - Museu de Arte Brasileira (MAB)


http://www.faap.br/museu/

Vídeo sobre a Semana de Arte Moderna


http://www.youtube.com/watch?v=PLmPNFjx2Tk

Vídeo sobre a Semana de 22 ao som do Trenzinho Caipira de Villa Lobos


http://www.youtube.com/watch?v=61xrvZh0Cnw
ARTE, 1º. Ano
Modernismo – Semana de Arte Moderna no Brasil

Fontes de pesquisa:

-ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna; São Paulo:


Companhia das Letras, 1992.

- CHIPP, H.B. Teorias da Arte Moderna. São Paulo:


Martins Fontes, 1993.

- GOMBRICH, E.H. A História da Arte. Rio de Janeiro:


Editora Guanabara, 1978.

- PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo:


Editora Ática, 1994.
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

2 Cartaz da Semana de Arte Moderna de 1922 / http://www.arquitetonico.ufsc.br/wp- 07/03/2012


Di Cavalcanti / Acervo do Instituto de Estudos content/uploads/semana-de-arte-moderna-de-
Brasileiros - USP - Arquivo Anita Malfatti / 1922.jpg
http://www.arquitetonico.ufsc.br/wp-
content/uploads/semana-de-arte-moderna-de-
1922.jpg

4a Guilherme Gaensly / Vale do Anhangabaú http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Guilhe 07/03/2012


/ Public Domain rme_Gaensly_-
_Palacete_Prates_(Vale_do_Anhangaba%C3%B
A),_ca._1920.jpg
4b Caio Guimarães/ Teatro Municipal de São 07/03/2012
Paulo/ Creative Commons Attribution- http://www.flickr.com/photos/eltonmelo/1420
NonCommercial-NoDerivs 2.0 Generic 68682/sizes/o/in/photostream/
5a Eliseu Visconti / Selo comemorativo do 1º http://www.eliseuvisconti.com.br/Catalogo/Tec 09/03/2012
centenario da independência / nica/2/Aquarelas.aspx
http://www.eliseuvisconti.com.br/Catalogo/Tec
nica/2/Aquarelas.aspx
5b Moeda de 500 reis / Coleção Eduardo Rezende/ http://www.moedasdobrasil.com.br/series.asp? 09/03/2012
http://www.moedasdobrasil.com.br/series.asp? s=19
s=19
6a Oswald de Andrade / Autor desconhecido / http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Oswal 09/03/2012
Public Domain. d_de_andrade_1920.jpg
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

6b Menotti del Picchia / Autor desconhecido / http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Meno 09/03/2012


Domínio Publico. tti_del_Picchia.jpg?uselang=pt-br
6c Mario de Andrade / Michelle Rizzo / Public http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mario 09/03/2012
Domain. _de_andrade_1928b.png
7 Revista o Pirralho/ Autor desconhecido / http://revistas- 09/03/2012
http://revistas- paulistas.flogbrasil.terra.com.br/foto17333864.
paulistas.flogbrasil.terra.com.br/foto17333864. html
html
8a A Família/ Lasar Segall / 09/03/2012
http://www.febf.uerj.br/pesquisa/semana_22.h http://www.febf.uerj.br/pesquisa/semana_22.h
tml tml
8b A estudante/ Anita Malfatti / Museu de Arte de 09/03/2012
São Paulo Assis / Copyright - Elizabeth Cecília http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Anita_Ma
Malfatti lfatti_-_A_Estudante.jpg
9a Perfil de Zulmira / Lasar Segall / Museu de arte http://www.mac.usp.br/mac/templates/projet 09/03/2012
contemporânea da universidade de São Paulo os/seculoxx/modulo2/modernismo/artistas/seg
all/obras.htm
9b Os mercadores/ Lasar Segall / http://www.mac.usp.br/mac/templates/projet 09/03/2012
http://www.mac.usp.br/mac/templates/projet os/seculoxx/modulo2/modernismo/artistas/seg
os/seculoxx/modulo2/modernismo/artistas/seg all/obras.htm
all/obras.htm
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

10a A boba/ Anita Mafaltti/ Museu de arte http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos 09/03/2012


contemporânea da universidade de São Paulo / /seculoxx/modulo2/modernismo/artistas/malfa/
Direitos do MAC obras.htm
10b O homem amarelo / Anita Mafaltti / Ilustração 09/03/2012
do colega Mario de Andrade / Instituto de
Estudos Brasileiros da USP/ Direitos da USP http://obrasanitamalfatti.wordpress.com/
11a Monteiro Lobato/ "Nosso Século" (1980) da http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Montei 09/03/2012
Editora Abril / Public Domain ro_Lobato.jpg
11b O farol / Anita Mafaltti / Col. Chateaubriand 09/03/2012
Bandeira de Mello / Copyright - Elizabeth Cecília
Malfatti. http://obrasanitamalfatti.wordpress.com/
12 Meu irmão Alexandre/ Anita Mafaltti / http://www.fapesp.br/publicacoes/anita/aprese 09/03/2012
Copyright - Elizabeth Cecília Malfatti ntacao.html#
http://www.fapesp.br/publicacoes/anita/aprese
ntacao.html#
13 A boba/ Anita Mafaltti/ Museu de arte 09/03/2012
contemporânea da universidade de São Paulo /
Copyright - Elizabeth Cecília Malfatti /
http://www.mac.usp.br/mac/templates/exposic http://www.mac.usp.br/mac/templates/exposic
oes/acervo/imgam4.asp oes/acervo/imgam4.asp
14a Taperinha na praia grande / Georg Przyrembel / http://coisasdaarquitetura.wordpress.com/2011 09/03/2012
http://coisasdaarquitetura.wordpress.com/2011 /01/28/a-arquitetura-na-semana-de-arte-
/01/28/a-arquitetura-na-semana-de-arte- moderna-de-1922/
moderna-de-1922/
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

14b Interior de residência / Antonio Moya / 09/03/2012


http://coisasdaarquitetura.wordpress.com/201 http://coisasdaarquitetura.wordpress.com/201
1/01/28/a-arquitetura-na-semana-de-arte- 1/01/28/a-arquitetura-na-semana-de-arte-
moderna-de-1922/ moderna-de-1922/
15a Musa Impassível / Victor Brecheret 09/03/2012
/ Pinacoteca do Estado de São Paulo / Foto
tirada por Leandro Lanzoni / Wikimedia http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Musaimpa
Commons ss.jpg
15b Musa Impassível / Victor Brecheret 09/03/2012
/ Pinacoteca do Estado de São Paulo / Foto
tirada por Gabriel de Andrade Fernandes /
http://www.flickr.com/photos/gaf/2530424140 http://www.flickr.com/photos/gaf/2530424140
/ /
16 Capa do catálogo da Semana de arte moderna 09/03/2012
1922 / Autor Desconhecido / United States http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Seman
Public Domain a_de_arte_moderna_1922.jpg?uselang=pt-br
17 Pierrô e Colombina / John Graz / Acervo Pessoal 09/03/2012
de John Graz /
http://7c3grupodeestudos2011.blogspot.com/2 http://7c3grupodeestudos2011.blogspot.com/2
011/05/john-graz-caroline-nomura-09-7c.html 011/05/john-graz-caroline-nomura-09-7c.html
18 Morro Vermelho / Lasar Segall / Museu Lasar 09/03/2012
Segall / http://www.museusegall.org.br/mlsItem.asp?sS
http://www.museusegall.org.br/mlsItem.asp?sS ume=2&sItem=125
ume=2&sItem=125
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

19 Imagem: Programa da semana de arte moderna http://www.febf.uerj.br/pesquisa/semana_22.h 12/03/2012


de1922 / Autor Desconhecido / tml
http://www.febf.uerj.br/pesquisa/semana_22.h
tml
21 Cartaz da Semana de Arte Moderna / Autor http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Arte- 12/03/2012
Desconhecido / moderna-8.jpg
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Arte-
moderna-8.jpg
22 Retirantes / Candido Portinari / Col. Museu de http://www.proa.org/exhibiciones/pasadas/por 12/03/2012
Arte de São Paulo Assis Chateaubriand / tinari/salas/id_portinari_retirantes.html
http://www.proa.org/exhibiciones/pasadas/por
tinari/salas/id_portinari_retirantes.html
23 Café / Candido Portinari / Museu Nacional de http://www.portinari.org.br/candinho/candinh 12/03/2012
Belas Artes / o/gen_1.pl-BR+exact+OA-1191+GT-02++.htm
http://www.portinari.org.br/candinho/candinh
o/gen_1.pl-BR+exact+OA-1191+GT-02++.htm
24 Revista Klaxon nº1 / Guilherme de Almeida / http://blogs.estadao.com.br/p2p/2010/03/16/a 12/03/2012
http://blogs.estadao.com.br/p2p/2010/03/16/a ntropofagia-digitalizada/
ntropofagia-digitalizada/
25 Revista Pau Brasil / Tarsila do Amaral / http://letteri.blogger.com.br/2007_05_01_archi 12/03/2012
http://letteri.blogger.com.br/2007_05_01_archi ve.html
ve.html
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

27 Manifesto Antropofago / Revista de http://antropofagia.uol.com.br/manifestos/antr 12/03/2012


Antropofagia, Ano 1, No. 1, maio de 1928. / opofagico/
http://antropofagia.uol.com.br/manifestos/antr
opofagico/
28 Revista de antropofagia / Autor Desconhecido / http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Revantrof. 12/03/2012
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Revantrof. png
png
29 A Lua / Tarsila do Amaral / http://www.tarsiladoamaral.com.br/versao_anti 12/03/2012
http://www.tarsiladoamaral.com.br/versao_anti ga/historia.htm
ga/historia.htm
30 Mulheres Protestando / Di Cavalcanti / 12/03/2012
http://www.fiocruz.br/ccs/cgi/cgilua.exe/sys/sta http://www.fiocruz.br/ccs/cgi/cgilua.exe/sys/sta
rt.htm?infoid=2986&sid=9&tpl=printerview rt.htm?infoid=2986&sid=9&tpl=printerview
31a Jardineiro (Mulato) / Zina Aita / http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/en 12/03/2012
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/en ciclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_v
ciclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_v erbete=498&cd_obra=11639
erbete=498&cd_obra=11639
31b Homens trabalhando / Zina Aita / Coleção Yan 12/03/2012
de Almeida Prado /
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/en http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/en
ciclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_v ciclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_v
erbete=498&cd_obra=11638 erbete=498&cd_obra=11638
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

32a Sapateiro de Brodowski/ Cândido Portinari / http://www1.folha.uol.com.br/folha/galeria/alb 12/03/2012


http://www1.folha.uol.com.br/folha/galeria/alb um/20031229-portinari-10.shtml
um/20031229-portinari-10.shtml
32b Catequese / Cândido Portinari / 12/03/2012
http://www.andreamachado.com.br/2011/07/n http://www.andreamachado.com.br/2011/07/n
o-atelie-de-portinari.html o-atelie-de-portinari.html
33 Retrato de Joaquim Rego Monteiro / Vicente 12/03/2012
Rego Monteiro / Coleção Museu de Arte
Contemporânea da Universidade de São Paulo /
http://www.andreamachado.com.br/2011/07/n http://www.andreamachado.com.br/2011/07/n
o-atelie-de-portinari.html o-atelie-de-portinari.html
34a Grupo de meninas / Cândido Portinari/ Col. http://www.proa.org/exhibiciones/pasadas/por 12/03/2012
Museus Castro Maya / tinari/salas/portinari_grupo_meninas.html
http://www.proa.org/exhibiciones/pasadas/por
tinari/salas/portinari_grupo_meninas.html
34b Meninos brincando / Cândido Portinari/ http://www.imaginariopoetico.com.br/manoel- 12/03/2012
http://www.imaginariopoetico.com.br/manoel- de-barros-de-calcas-curtas/
de-barros-de-calcas-curtas/
35a Os operarios/ Tarsila do Amaral / Acervo http://www.revistadehistoria.com.br/secao/em- 12/03/2012
Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do dia/yes-nos-temos-muito-mais-que-bananas
Estado de São Paulo /
http://www.revistadehistoria.com.br/secao/em-
dia/yes-nos-temos-muito-mais-que-bananas
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

35b Abaporu / Tarsila do Amaral / Colección http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Abaporu.jp 12/03/2012


Costantini (Buenos Aires, Argentina) / Material g
protegido por direitos autorais no Brasil até
2043. /
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Abaporu.jp
g
36 Mulheres na Janela / Di Cavalcanti / Estação http://ibuiky.blogspot.com/2008/06/ladres- 12/03/2012
Pinacoteca / roubam-obras-de-picasso-di.html
http://ibuiky.blogspot.com/2008/06/ladres-
roubam-obras-de-picasso-di.html
37a Mastros e Bandeirinhas de fundo azul / Alfredo http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc 12/03/2012
Volpi / iclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=artistas_obra
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc s&acao=mais&inicio=49&cont_acao=7&cd_verbe
iclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=artistas_obra te=17
s&acao=mais&inicio=49&cont_acao=7&cd_verbe
te=17
37b Bandeirinhas / Alfredo Volpi / Coleção do artista http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc 12/03/2012
/ iclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_ver
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc bete=17&cd_obra=1795
iclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_ver
bete=17&cd_obra=1795
Tabela de Imagens
37c Composição em ogiva / Alfredo Volpi / http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc 12/03/2012
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc iclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=artistas_obra
iclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=artistas_obra s&acao=menos&inicio=57&cont_acao=8&cd_ver
s&acao=menos&inicio=57&cont_acao=8&cd_ver bete=17
bete=17
37d Mastros e Bandeirinhas / Alfredo Volpi / Coleção http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc 12/03/2012
Particular / iclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_ver
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc bete=17&cd_obra=1769
iclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_ver
bete=17&cd_obra=1769
38 Menino e Ovelha / Alfredo Volpi / Coleção http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc 12/03/2012
Gilberto Chateaubriand / iclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_ver
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enc bete=3494&cd_obra=2503
iclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=obra&cd_ver
bete=3494&cd_obra=2503
39 Mural de Vidro em homenagem a imprensa / Di http://toursp.blogspot.com/2009/02/di- 12/03/2012
cavalcanti / fachada do hotel Novotel Jaraguá / cavalcanti.html
http://toursp.blogspot.com/2009/02/di-
cavalcanti.html