Você está na página 1de 51

Novo acordo ortográfico -

1990

Mudanças na Língua Portuguesa do


Brasil
Alfabeto
 O alfabeto era formado por 23 letras, mais as
letras chamadas de ‘especiais’ k, w, y.
 Agora o alfabeto passa a 26 letras.
 São usadas em siglas, símbolos, nomes
próprios estrangeiros e seus derivados:
 Km, watt, yoga, Byron, byroniano, Darwin,
Kant.
Trema
 O trema é eliminado em palavras
portuguesas e aportuguesadas, mas a
pronuncia da palavra continua a mesma:

 Aguentar, consequência, cinquenta, linguiça,


frequência, tranquilo, pinguim, quinquênio.

 O trema permanece em nomes próprios


estrangeiros e seus derivados: Müller.
Acentuação

Casos especiais
Acentuação
 o acento agudo ( ´ ) - colocado sobre as
letras a, i, u e sobre o e do grupo em, indica
que essas letras representam as vogais
tônicas da palavra: carcará, caí, armazém.
Sobre as letras e e o, indica, além de
tonicidade, timbre aberto: lépido, céu,
léxico.
 OBS: Nem sempre o acento agudo indica
vogal aberta. Pode, tão somente, quando
sobreposto a i e u, assinalar vogal tônica:
tímido, caí, túmulo, baú
 o acento circunflexo ( ^ ) - colocado sobre as letras
a, e e o, indica, além de tonicidade, timbre fechado:
lâmpada, pêssego, supôs, Atlântico.
 o til ( ~ ) - indica que as letras a e o representam
vogais nasais: alemã, órgão, portão, expõe,
corações, ímã.
 o acento grave ( ` ) - indica a ocorrência da fusão da
preposição a com os artigos a e as, com os
pronomes demonstrativos a e as e com a letra a
inicial dos pronomes aquele, aquela, aqueles,
aquelas, aquilo: à, às, àquele, àquilo.
Regras básicas
 As regras de acentuação gráfica procuram
reservar os acentos para as palavras que se
enquadram nos padrões prosódicos menos
comuns da língua portuguesa. Disso,
resultam as seguintes regras básicas:

 proparoxítonas - são todas acentuadas. É o


caso de: lâmpada, relâmpago, Atlântico,
médico, rápido, paralelepípedo, último.
 paroxítonas - são as palavras mais numerosas da
língua e justamente por isso as que recebem menos
acentos. São acentuadas as que terminam em:
 i, is: táxi, beribéri, lápis, grátis, júri.
 us, um, uns: vírus, bônus, álbum, álbuns.
 l, n, r, x, ps': incrível, útil, ágil, fácil, amável, éden,
hífen, pólen, éter, mártir, caráter, revólver, tórax,
ônix, fênix, bíceps, fórceps, Quéops.
 ã, ãs, ão, ãos: ímã, órfã, ímãs, órfãs, bênção,
órgão, órfãos, sótãos.
 ditongo oral, crescente ou decrescente,
seguido ou não de s: água, árduo, pônei, cáries,
jóqueis.
 oxítonas - são acentuadas as que terminam
em:
 a, as: Pará, vatapá, estás, irás, cajá.
 e, es: você, café, Urupês, jacarés.
 o, os: jiló, avó, avô, retrós, supôs, paletó,
cipó, mocotó.
 em, ens: harém, acém, alguém, armazéns,
vintém, parabéns, também, ninguém.
 monossílabos tônicos - são acentuados os
terminados em:
 a, as: pá, vá, gás, Brás, cá, má.
 e, es: pé, fé, mês, três, crê, vê, quê.
 o, os: só, xô, nós, pôs, nó, pó, só.
Ditongo aberto
 ditongo - abertos tônicos
 éi: anéis, papéis – De acordo com o NOVO
ACORDO, o ditongo aberto éi, perde o acento
nas palavras paroxítonas: estreia, ideia,
plateia, assembleia.
 éu: céu, troféu, véu, chapéu,
 ói: herói. De acordo com o NOVO ACORDO,
o ditongo aberto ói perde o acento nas
palavras paroxítonas: jiboia, paranoia,
heroico.
Ditongo aberto

 Os acentos permanecem nas palavras


oxítonas e monossílabos tônicos: dói, herói,
constrói, anéis, papéis, anzóis, mói, réis, rói.
Hiato
 hiato - i e u nas condições:
 sejam a segunda vogal tônica de um hiato ;
 formem sílabas sozinhos ou com s na mesma
sílaba ;
 não sejam seguidas pelo dígrafo nh, ou r, z, l, m ;
 não forem repetidas (i-i ou u-u) ;
 ex.: aí: a-í; balaústre: ba-la-ús-tre; egoísta: e-go-ís-ta;
faísca: fa-ís-ca; viúvo; vi-ú-vo; heroína: he-ro-í-na;
saída: sa-í-da; saúde: sa-ú-de ; juuna: ju-u-na, xiita:
xi-i-ta, raiz: ra-iz, cair: ca-ir, ruim: ru-im, Raul: Ra-ul.
Hiato com vogal duplicada
 Não se acentua o hiato duplicado –oo: voo,
enjoo, coo, moo, perdoo, coroo

 Não se acentua o hiato –ee dos verbos crer,


ler, dar, ver e seus derivados: creem, leem,
deem, veem, reveem

 Os monossílabos tônicos continuam


acentuados: crê, lê, dê, vê
Hiato
 As palavras paroxítonas, com "i" e "u"
tônicos, quando precedidos de ditongo,
como "feiúra" e "baiúca" passam a ser
grafadas "feiura" e "baiuca" (pequeno
restaurante barato e mal frequentado).

 As palavras “saída”, “viúva”, “faísca”


continuam acentuadas e as demais regras do
hiato permanecem.
Tem – têm vem - vêm
 Atenção: os verbos ter e vir e seus derivados
mantêm seus respectivos acentos diferenciais para
que se distinga singular de plural.
 Ele/a tem – eles/as têm (ter)
 Ele/a mantém – eles/as mantêm (manter)
 Ele/a contém – eles/as contêm (conter)
 Ele/a retém – eles/as retêm (reter)
 Ele/a detém – eles/as detêm (deter)
 Ele/a atém – eles/as atêm (ater)
 Ele/a entretém – eles/as entretêm (entreter)
Tem-têm vem - vêm
 Ele/a vem – eles/as vêm (vir)
 Ele/a intervém – eles/as intervêm (intervir)
 Ele/a convém – eles/as convêm (convir)
 Ele/a provém – eles/as provêm (provir)
 Ele/a advém – eles/as advêm (advir)
 Ele/a se desavém – eles/as se desavêm
(desavir-se)
 Ele/a sobrevém – ele/as sobrevêm (sobrevir)
Acento diferencial
 Não se acentuam palavras paroxítonas que
são homógrafas:
- Para – verbo parar e preposição
- Pela – verbo pelar, subst.(bola) e contração
de prep.
- Pera – subst.(fruta e pedra) e prep.arcaica
- Pelo – subst.,verbo pelar, contração de prep.
- Polo – subst.(ave, extremidades) e contração
de prep.
Acento diferencial
 O acento diferencial dos homógrafos pode
(3ªp. do sing. do presente do ind. do verbo
poder) e pôde (3ª p. sing. do pretérito
perfeito do ind.) permanece.
 Quê – substantivo
 Ás – carta do baralho, piloto exímio.
 Também permanece o acento diferencial
entre por, preposição, e pôr, verbo.
 Fôrma – forma - opcional
Grupos que/qui e gue/gui
 Formas verbais que têm o acento tônico na raiz, com
"u" tônico precedido de "g" ou "q" e seguido de "e" ou
"i“:
 algumas poucas formas de verbos, como averigúe
(averiguar), apazigúe (apaziguar), argúem (arg(ü/u)ir)
e enxagúo (enxaguar) passam a ser grafadas
averigue, apazigue, arguem com a mesma
pronúncia tônica na sílaba –gu. Se a sílaba –gu é
considerada átona, pode-se assim escrever: eu
averíguo, ele enxágua, com pronúncia tônica na
sílaba acentuada.
Uso do hífen
 aero, agro, além, ante, anti, aquém, arqui,
auto, circum, co, contra, eletro, entre, ex,
extra, geo, hidro, hiper, infra, inter, intra,
macro, micro, mini, multi, neo, pan, pluri,
proto, pós, pré, pró, pseudo, retro, semi,
sobre, sub, super, supra, tele, ultra, vice etc.

 1. Como prefixos, usa-se sempre o hífen


diante de palavra iniciada por h. Exemplos:
hífen
 anti-higiênico
 anti-histórico
 macro-história
 mini-hotel
 proto-história
 sobre-humano
 super-homem
 ultra-humano
 Exceção: subumano e sub-humano (ambas corretas
no VOLP)
2. Não se usa o hífen quando o prefixo termina em vogal diferente da
vogal com que se inicia o segundo elemento.

 Aeroespacial  coautor
 Agroindustrial  coedição
 Anteontem  extraescolar
 Antiaéreo  infraestrutura
 Antieducativo  plurianual
 Autoaprendizagem  semiaberto
 Autoescola  semianalfabeto
 Autoestrada  semiesférico
 Autoinstrução  semiopaco
hífen
 Exceção: o prefixo co aglutina-se em geral
com o segundo elemento, mesmo quando
este se inicia por o:
 coobrigar, coobrigação, coordenar, cooperar,
cooperação, cooptar, coocupante etc.

 Atenção:
 Coerdeiro – sem h
3. Não se usa o hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo

elemento começa por consoante diferente de r ou s.

 anteprojeto  microcomputador
 antipedagógico  pseudoprofessor
 autopeça  semicírculo
 autoproteção  semideus
 coprodução  seminovo
 geopolítica  ultramoderno

Atenção: com o prefixo vice, usa-se sempre o hífen. Exemplos: vice-rei,


vice-almirante etc.
4. Não se usa o hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo

elemento começa por r ou s. Nesse caso, duplicam-se essas letras

 antirrábico  infrassom
 antirracismo  microssistema
 antirreligioso  minissaia
 antirrugas  multissecular
 antissocial  neorrealismo
 biorritmo  neossimbolista
 contrarregra  semirreta
 contrassenso  ultrarresistente.
 cosseno  ultrassom
5. Quando o prefixo termina por vogal, usa-se o hífen se o segundo

elemento começar pela mesma vogal

 anti-ibérico  contra-atacar
 anti-imperialista  contra-ataque
 anti-inflacionário  micro-ondas
 anti-inflamatório  micro-ônibus
 auto-observação  semi-internato
 contra-almirante  semi-interno
6. Quando o prefixo termina por consoante, usa-se o hífen se o

segundo elemento começar pela mesma consoante

 hiper-requintado  Atenção:
 inter-racial  Nos demais casos não se
 inter-regional usa o hífen. Exemplos:
 sub-bibliotecário hipermercado,
intermunicipal,
 super-racista superinteressante,
 super-reacionário superproteção.
 super-resistente  Com o prefixo sub, usa-se o
 super-romântico hífen também diante de
palavra iniciada por r: sub-
região, sub-raça etc.
 Com os prefixos circum e
pan, usa-se o hífen diante
de palavra iniciada por m, n
e vogal: circum-navegação,
pan-americano etc.
7. Quando o prefixo termina por consoante, não se usa o hífen se o

segundo elemento começar por vogal.

 hiperacidez  superamigo
 hiperativo  superaquecimento
 interescolar  supereconômico
 interestadual  superexigente
 interestelar  superinteressante
 interestudantil  superotimismo
8. Com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, usa-se

sempre o hífen.

 além-mar  pós-graduação
 além-túmulo  pré-história
 aquém-mar  pré-vestibular
 ex-aluno  pró-europeu
 ex-diretor  recém-casado
 ex-hospedeiro  recém-nascido
 ex-prefeito  sem-terra
 ex-presidente
 9. Deve-se usar o hífen com os sufixos de
origem tupi-guarani: açu, guaçu e mirim.
Exemplos: amoré-guaçu, anajá-mirim, capim-
açu.
 10. Deve-se usar o hífen para ligar duas ou
mais palavras que ocasionalmente se
combinam, formando não propriamente
vocábulos, mas encadeamentos vocabulares.
Exemplos: ponte Rio-Niterói, eixo Rio-São
Paulo.
11. Não se deve usar o hífen em certas palavras que perderam a noção

de composição.

 girassol  paraquedas
 madressilva  paraquedista
 mandachuva  pontapé

Observação: para-raios, para-brisa, para-choque, guarda-roupa, entre


outras palavras compostas, continuam separadas por hífen.
 12. Para clareza gráfica, se no final da linha a
partição de uma palavra ou combinação de
palavras coincidir com o hífen, ele deve ser
repetido na linha seguinte. Exemplos:
 Na cidade, conta-
-se que ele foi viajar.
 O diretor recebeu os ex-
-alunos.
Pronomes enclíticos
 Verbos que recebem pronomes átonos na
posição enclítica respeitam as regras de
acentuação:
 Amá-lo(a)
Verbos terminados em r,s,e z perdem
 Fazê-lo(a) essas letras para a colocação do
pronomes o,a,os,as. O acréscimo da
 Substituí-lo(a) letra L ao pronome facilita a
 Dizê-lo(a) sonoridade da palavra.

 Fê-lo(a)
 Dá-lo(a)
Algumas dúvidas de
Língua Portuguesa

Casos mais comuns


_ AO ENCONTRO DE / DE ENCONTRO A
 - AO ENCONTRO DE: significa "a favor de, para
junto de".
 Exemplos:
 Esta sua decisão veio ao encontro das minhas
pretensões.
Ana foi toda feliz ao encontro do namorado.
 - DE ENCONTRO A: equivalente a "contra, idéia de
choque, de oposição".
 Exemplos:
 Naquela questão, as idéias do PT vieram de
encontro às do PSDB.
O carro foi de encontro ao poste.
_ A NÍVEL DE ou EM NÍVEL DE?
 Em verdade, a forma "a nível de" está incorreta. Deste modo,
devemos usar a expressão "em nível de", mesmo assim
somente quando houver "níveis".
 Exemplos:
 Este problema só poderá ser resolvido em nível de diretoria
(assessoria, secretaria...).
 As decisões tomadas em nível federal (estadual, municipal)
poderão ser definitivas.
 A frase “A nível de Brasil...” está duplamente incorreta, porque
não se pode nivelar “Brasil” como substantivo próprio e não se
deve empregar “a nível de”. Portanto o correto seria: “Quanto
ao Brasil...” ou “No que diz respeito ao Brasil...”
 Observação: Quanto ao mar, é aceitável dizer "ao nível do
mar" ou "no nível do mar".
_ AONDE / ONDE / DE ONDE
 - ONDE: com verbos que indicam movimento, um destino, como
os verbos ir, chegar e dirigir-se e regem a preposição a, esta se
justapõe ao onde e forma AONDE.
 Exemplos:
 Aonde você vai?
Aonde você quer chegar?
 - ONDE: com verbos que indicam permanência, como o verbo
estar.
 Exemplos:
 Onde você está?
A casa onde moro é muito antiga.
 - DE ONDE ou DONDE: com verbos que indicam procedência.
 Exemplos:
 De onde você saiu?
Donde você surgiu?
_ AONDE / ONDE / DE ONDE
 Atenção: esses advérbios quando são
usados como pronomes relativos,
obrigatoriamente pedem um antecedente que
indique “lugar concreto”: A casa onde moro
é pequena; A praça aonde vamos está logo
ali (casa e praça são lugares concretos). Por
isso não diga: A situação onde me encontro é
grave (situação não indica um lugar concreto).
PARA EU FAZER
 Os pronomes eu e tu não devem ser antecedidos de
preposição, porque possuem função de sujeito na oração. Para
tanto possuem formas oblíquas tônicas mim e ti que aceitam
preposições:
 - Fale de mim.
 - Nada há nada entre mim e ti (ou entre mim e você ou entre
você e mim ou entre ele/a e mim ou entre mim e ele/a)
 - Pense em mim.
 - Você está contra mim.
 - Faça isso por mim.
 - O livro é para mim.
 - Para mim, ler é importante. OU Ler é importante para mim.
PARA EU FAZER
 Na frase: O livro é para eu ler, a palavra PARA aparece como
conjunção que indica uma finalidade na forma de uma oração
reduzida. Na frase: O livro é para que eu o leia, percebe-se
com mais clareza a forma desenvolvida da oração e o pronome
eu na função de sujeito (para que eu leia o livro).
 Então, fale:
 - para eu fazer o trabalho
 - para eu trazer o dinheiro
 - para eu corrigir as provas
 - para eu ler o livro
 - para eu dizer a verdade
 - para eu ser sincero/a
 - para eu falar corretamente.
HOUVE MUITOS PROBLEMAS
 O verbo HAVER quando significa ocorrer,
acontecer, existir ou quando indica tempo é
impessoal, ou seja, deve ser conjugado
sempre no singular.
 - Não houve casos de dengue na cidade.
 - Haverá muitas pessoas no evento.
 - Há sinais de violência no corpo.
 - Há anos não nos vemos.
FAZ HORAS QUE ESTOU ESPERANDO

 Também o verbo FAZER é impessoal


quando indica tempo e deve ser conjugado
no singular.
 - Faz dois anos que ele partiu.
 - Na semana passada, fez cinco meses que
ela viajou.
 - Faz dias que ele esteve aqui.
HORÁRIO: 19h30min
 A abreviatura de horas é somente h (sem ponto, a
menos que seja ponto final) e a abreviatura de
minutos é min (também sem ponto, a menos que
seja ponto final).
 - A aula inicia-se às 07h15min e termina às
12h45min.
 - O intervalo será às 09h.
 - O curso iniciou-se às 13h.
 Estão incorretas as formas grafadas abaixo:
 - 07:15h
 - 08:00h
 - 13hs (essa é de doer)
 - 13hrs (essa dói mais ainda)
ELA NÃO HAVIA CHEGADO (ou TINHA CHEGADO)

 O particípio do verbo CHEGAR é CHEGADO


e não há outro. Está incorreto dizer que
“fulano não tinha chego” ou “eu não tinha
chego ainda”.

 Para os demais particípios duplos, a regra


sugere usar a forma regular com os
auxiliares TER ou HAVER e a forma irregular
com os auxiliares SER ou ESTAR:
Verbos abundantes
 - O carnê/carné está pago.
 - Ele tinha pagado o carnê/carné em dia ( de
acordo com o novo acordo ortográfico,
palavras oxítonas derivadas do francês
podem receber acento agudo ou circunflexo:
bebé/bebê, matiné/matinê, carné/carnê,
croché/crochê, rapé/rapê).
Nunca diga:

 - Menas (sempre menos)


- Iorgute (iogurte)
- Mortandela (mortadela)
- Mendingo (mendigo)
- Trabisseiro (travesseiro)
- Cardaço (cadarço)
- Asterístico (asterisco)
- Meia cansada (meio cansada)
 MEIO , como advérbio, é palavra invariável e
significa “um tanto” : estou meio exausta, meio
confusa, meio tonta, meio chateada.
Lembre-se:
 Trezentas gramas (a grama pode ser de um pasto). Se você
quer falar de peso, então é O grama: -.duzentOs gramas
- trezentOs gramas
-quinhentOs gramas

 - Di menor, di maior (é simplesmente maior de idade ou


menor de idade).

 - O certo é BASCULANTE e não VASCULHANTE, aquela


janela do banheiro ou da cozinha.

 - Se você estiver com muito calor, poderá dizer que está


"suando" (com u) e não "soando", pois quem "soa" é sino !
Lembre-se:
 - O peixe tem ESPINHA (espinha dorsal) e não ESPINHO.
Plantas têm espinhos.

 - Homens dizem OBRIGADO e mulheres OBRIGADA.

 - PROBLEMA e não POBLEMA ou POBREMA

 - A PARTIR e não à partir


 - A RESPEITO e não à respeito
 - ÀS VEZES (sempre craseado)
 - DE REPENTE
 - POR ISSO
 - O DÓ ( dó – palavra masculina: Senti um dó da criança
machucada...)
O horror divulgado pelo pessoal do
TELEMARKETING:
 Não é
“eu vou ESTAR mandando”
“vou ESTAR passando”
“vou ESTAR verificando”

 E sim
eu vou MANDAR
vou PASSAR
vou VERIFICAR
A pior de todas :
 SEJE e ESTEJE não existem!!

 SEJA e ESTEJA são as expressões


corretas.

 - Seja Feliz! Esteja certo(a) disso.