Você está na página 1de 13

VISÃO PANORÂMICA

DOS PROFETAS DO
ANTIGO TESTAMENTO
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá)
• Joel: época em que a terra fora atingida
por uma terrível praga de gafanhotos e
por uma grande seca; durante a
infância do Rei Joás, que subiu ao
trono aos 7 anos de idade.
- Profecia da descida do Espírito Santo
sobre toda a carne
- Ênfase no Dia do Senhor, um dia
especial da ação de Deus, consolo aos
servos e terror aos inimigos
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá)
• Amós: apesar de ser de Judá profetizou
para o Reino do Norte, na época do Rei
Jeroboão II (período de poderio israelita,
mas internamente de idolatria e
corrupção).
• Contemporâneo de Jonas, Miquéias e
Isaias.
- Falou contra a religião existente como
simples ritual e aparência
- Foi expulso e perseguido pelo sacerdote
de Betel Amazias (7: 10-17)
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá)
• Miquéias: época da queda do
Reino do Norte pela Assíria,
mensagem ao povo simples de
Judá.
- Clamava por justiça social em
uma época de exploração pelos
ricos, opressão pelos
governantes e falsos profetas.
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá)
• Sofonias: época do período da
reforma espiritual promovida pelo Rei
Josias, mas também pegou a época
do reinado de Manassés e Amom
(ruim).
- Apesar da Reforma, o povo mantinha
hábitos pecaminosos fruto da época
de Manassés e Amom, Sofonias diz
que Deus estava esquadrinhando a
situação.
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá)
• Naum: o Reino do Norte já havia
caído diante de Nínive, a profecia é
dada a Judá sobre a queda de
Nínive, já que apesar da conversão
dos ninivitas com a pregação de
Jonas, as gerações futuras não
seguiram o caminho de Deus.
- OBS: Jonas profetizou em Nínive
100 anos antes.
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá)
• Habacuque: diferente dos outros
profetas que ouviam a voz de
Deus e transmitiam ao povo,
Habacuque vê a situação da nação
de Judá e vai perguntar a Deus o
porquê.
- Deus o consola dizendo que agirá.
- Dá o incentivo a buscar-se a Deus
independente das circunstâncias.
Eram Profetas no Reino do Norte
(Israel)
• Obadias: profetiza contra Edom, que
auxiliou os inimigos de Israel nas
guerras contra Jerusalém. Fala da
aparente improvável queda da forte
Edom, mas que ocorrerá.
- Lembramos que Edom são os
descendentes de Esaú.
- Reflexo da velha disputa Esaú-Jacó
(que se reconciliaram, mas não seus
descendentes).
Eram Profetas no Reino do Norte
(Israel)
• Jonas: das histórias mais conhecidas
dos profetas. Relutou em profetizar a
Nínive. Foi no território Assírio pregar.
Sua mensagem foi das mais acolhidas
entre os profetas que pregaram.
- A mensagem dos profetas raramente
era ouvida pelo povo e governantes;
curiosamente Jonas pregou aos
“ímpios” e foi ouvido e respeitado
como outros profetas não foram no
meio do povo de Deus.
Eram Profetas no Reino do Norte
(Israel)
• Oséias: contemporâneo de Amós,
profetizou no Reino do Norte (Israel,
às vezes chamado Efraim, por
causa da tribo mais importante).
- Oséias pregou com sua vida: em
obediência a Deus, casa-se com
uma prostituta, resgatando-a, que o
trai e ele a perdoa de novo.
Simboliza a relação entre Deus e
Israel, o amor que Deus oferece e a
traição de Seu povo.
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá- Período Pós Exílio)
• Ageu: já é um profeta que trouxe sua
mensagem após o período dos 70 anos
de cativeiro babilônico. Convoca o
povo a restaurar o Templo de
Jerusalém.
- A vida pessoal do povo estava bem,
suas casas estavam reedificadas, mas
a reconstrução do Templo estava
parada a 16 anos. Após a profecia de
Ageu, em 4 anos o Templo fora
reconstruído.
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá- Período Pós Exílio)
• Zacarias: contemporâneo de Ageu. De
linhagem sacerdotal. Período de
reconstrução de Jerusalém sob a
proteção do Império Medo-Persa.
- Personagens importantes: Josué, o
sumo-sacerdote e Zorobabel o
governador de Judá.
- A segunda parte do livro traz profecias
sobre Alexandre o Grande, o período
dos Macabeus, a vinda de Cristo e os
tempos finais (apocalipticos).
Eram Profetas no Reino do Sul
(Judá- Período Pós Exílio)
• Malaquias: profetizou num período de paz à
nação de Judá. O Templo estava reconstruído e
havia liberdade religiosa.
- Infelizmente como fruto desta “bonança” o povo
praticava uma religião fria e formal, os líderes
religiosos não davam exemplos e a lei de Deus
não era cumprida. Achavam que não
compensava seguir a Deus (3: 14).
- Há a profecia sobre a vinda de João Batista,
após Malaquias há os 400 anos de silêncio
profético, quebrado com a vinda de João Batista,
o último profeta no estilo do Antigo Testamento.