Você está na página 1de 17

COMPLICAÇÕES

E SUA PREVENÇÃO

Alcobaça, Setembro de 2010 ENF. SUBTIL


CONCEITO DE SAUDE
 Não é só a ausência de doença, mas sim o completo
bem-estar físico e social .
 Como dar resposta às necessidades dos idosos de
forma a proporcionar-lhes o equilíbrio de que
necessitam e a que tem direito?
 É fundamental que quem lida ou trabalha com idosos
tenha a noção de todas as complicações, para que
possa colaborar na planificação da participação dos
idosos nos seus próprios cuidados, encorajando a sua
mobilidade física e psicológica, mantendo-os activos,
dentro das suas limitações.
ÁREAS E CAUSAS DA IMOBILIDADE

Imobilidade Física – É a mais evidente (trauma/coluna)


Imobilidade Emocional – Doença maligna e cirurgia
mutilante.
Imobilidade Intelectual – Por AVC, drogas e debilidade
mental.
Imobilidade Social – Abandono do idoso e da criança
hospitalizada.
Imobilidade
Órgãos e sistemas afectados
 Sistema Cardiovascular
 Hipotensão ortostática - perda do tonos muscular
 Taquicardia – Sobrecarga de trabalho cardíaco
 Flebotrombose
 Reserva cardíaca diminuída
 PLANO DE CUIDADOS:
- Levante logo que possível
- Mudanças de decúbito
- Exercícios activos e passivos
NO SISTEMA RESPIRATÓRIO
 ATROFIA DOS MÚSCULOS RESPIRATÓRIOS.

 DIMINUIÇÃO DA CAPACIDADE RESPIRATÓRIA.

 DIMINUIÇÃO DA AMPLITUDE RESPIRATÓRIA.

 RETENÇÃO DE SECREÇÕES – Pneumopatias, etc.


 DESEQUILÍBRIO O2-CO2 com aumento do CO2,
levando a acidose respiratória e à morte.
PLANO DE CUIDADOS
 DESPISTE DE SINAIS DE HIPOXIA
 Posicionar correctamente o utente

 Proporcionar-lhe uma hidratação adequada

 Ensinar o utente como respirar profundamente


utilizando os músculos abdominais, intercostais e o
diafragma, para facilitar uma inalação profunda e uma
expiração prolongada
 Promover o auto cuidado
IMOBILIDADE-- DOR
 DOR 5 º SINAL VITAL

 COMBATER A DOR PARA


FAVORECER A MOBILIDADE

 INCENTIVAR A REALIZAÇÃO DE
EXERCÍCIOS ACTIVOS, SEM
CARGA, ATÉ AO LIMIAR DA DOR
EFEITOS DA IMOBILIDADE NO
SISTEMA GASTRO INTESTINAL
AFECTA AS TRÊS PRINCIPAIS FUNÇÕES:

 INGESTÃO—ANOREXIA

 DIGESTÃO—ESTASE GÁSTRICA

 ELIMINAÇÃO—OBSTIPAÇÃO E FLATULÊNCIA
COMO PREVENIR/MINIMIZAR
 ANOREXIA- Propor refeições ligeiras e frequentes
 OBSTIPAÇÃO- Alimentação adequada favorecendo os
alimentos com efeito laxativo
- Quantidade apropriada de matéria
volumosa e de celulose
- Adequada ingestão de líquidos e
sumos de fruta
A utilização abusiva de laxantes e enemas deve ser
desaconselhada, pois pode levar à interrupção da
actividade intestinal normal
COMPLICAÇÕES DA IMOBILIDADE
NO SISTEMA URINÁRIO
 ESTASE URINÁRIA
 CALCULOSE RENAL
 INCONTINÊNCIA
 INFECÇÃO URINÁRIA
-Ingestão adequada de líquidos durante todo o dia
favorecendo um regime alimentar acidificante
-Só algaliar quando falharem todas as medidas ou
estiver em risco a integridade cutânea
EFEITOS DA IMOBILIDADE NO
SISTEMA MOTOR
 O movimento é a propriedade fundamental da vida animal
e é indispensável à manutenção da estabilidade do sistema musculo
esquelético.

PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES
OSTEOPOROSE- De imobilidade

CONTRACTURAS- Atrofia
muscular com perda da
coordenação de movimentos

INCENTIVAR – Posturas funcionais


e movimentos activos e activos
assistidos, sem carga
ÚLCERAS DE PRESSÃO
 Em consequência de isquémia seguida de necrose da
pele comprimida entre dois planos duros

PREVENÇÃO- Higiene adequada da pele e mudança de


decúbito 3/3 horas ou segundo as
características da pele.

AVALIAR regularmente o estado da


pele – cor , hidratação
LEVANTE – SEMPRE QUE NÃO
TENHA CONTRA-INDICAÇÃO.
EFEITOS DA IMOBILIDADE NO
EQUILÍBRIO PSICO-SOCIAL
 AS NECESSIDADES, OS DESEJOS E AS EMOÇÕES
SÃO INFLUENCIADOS PELA IMOBILIDADE.
 TRAZ MUITAS VEZES A EXPRESSÃO DE REACÇÕES
EMOCIONAIS INAPROPRIADAS OU EXAGERADAS:
- Perda de valor pessoal;
- Medo;
- Orgulho ferido;
- Culpabilidade;
- Desgosto ou cólera.
TÉCNICAS DE FACILITAÇÃO
COM IDOSOS
 POSICIONAMENTOS

 TRANSFERÊNCIAS

 MATERIAL DE APOIO

 UTILIZAÇÃO DE AUXILIARES
DE MARCHA : ANDARILHO,
CANADIANAS, TRIPÉ.
CONFORTO E REPOUSO, POSICIONAMENTOS
CORRECTOS E FUNCIONAIS
 ALTERNAR PERÍODOS DE EXERCÍCIO COM
PERÍODOS DE REPOUSO
 ENSINAR O IDOSO:
- A SENTAR-SE E A LEVANTAR-SE
- A DEITAR-SE E A LEVANTAR-SE
- A SUBIR E DESCER ESCADAS
 ENSINAR OS FAMILIARES :
- A AJUDÁ-LOS NESTAS TAREFAS
-A PEDIREM AJUDA E A CONHECEREM
OS RECURSOS EXISTENTES.
QUALIDADE DE VIDA
 Não é inevitável que o idoso passe os seus dias confinado ao
seu quarto, ao seu sofá ou a uma cadeira de rodas .

 Cada vez mais nos é pedido que sejam mobilizados os


recursos adequados para responder ao aumento da
longevidade.

 A experiência profissional tem-nos demonstrado que é


possível acolher, tratar e recuperar idosos, devolvendo a
muitos a alegria de viver que julgavam já ter perdido.
O MUNDO DA IMOBILIDADE, QUASE SEM ESTÍMULOS SENSORIAIS
E CHEIO DE ABERRAÇÕES DE CONDUTA. EXCLUI OU ESTÁ SEMPRE
A MODIFICAR AS ROTINAS DITADAS PELO TEMPO.
 SOU METADE DE MIM, MAS SOU UM HOMEM,
 QUE SE ARRASTA, QUE TOMBA,
 QUE SE ESQUECE DE SI.
 SOU METADE DE MIM,
 MENOS DE METADE DO QUE FUI,
 MAS CONTINUO A SER EU.
 OLHO-ME E NÃO ME RECONHEÇO,
 QUERO ENCONTRAR A OUTRA METADE,
 PORQUE EU SOU UM TODO.