Você está na página 1de 14

ENFOQUE

PSICANALÍTICO DA
ANSIEDADE

Sergio Cyrino da Costa


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICANÁLISE
ANSIEDADE

 1. HISTÓRICO
 2. ANSIEDADE COMO COMPONENTE DO
PSIQUISMO NORMAL
 3. ANSIEDADE PATOLÓGICA
 4. EQUIVALÊNCIA PSICANALÍTICA COM AS
ENTIDADES CLÍNICAS DA PSIQUIATRIA--
(CID-10)
ANSIEDADE
Histórico

 FREUD: 1895-1900: Teoria Econômica; a


angústia como energia sexual não
elaborada(coitus interruptus, abstinência).
Libido que não encontra representações
para ligar-se.
 FREUD: 1924: 1924: Teoria Estrutural;
angústia como preparação para o perigo.
O ego como sede da angústia.
ANSIEDADE
Histórico
 1ª. Tópica (Consciente e Inconsciente). Até
1923. Ansiedade como libido que não se fixou
adequadamente. Basicamente instintual, vinda
do soma, física.
 2ª. Tópica (Id, Ego e Superego). A partir de
1926, com o trabalho “Inibição, Sintoma e
Ansiedade”. O id não formula juízo sobre o
perigo. A ansiedade é percebida e controlada
pelo ego(vontade). O sintoma é o representante pulsional de
uma satisfação que não ocorre, reprimida pelo ego)
ANSIEDADE
Histórico
 AFETO E REPRESENTAÇÃO
 DEFESA, CONFLITO.

 FREUD: Neuroses Atuais e Psiconeuroses


de Defesa(até então, tudo físico, uterino)
 NEUROSES ATUAIS: sem expressão simbólica, no
presente, não analisáveis, diretas, causa-efeito
concretos(neurastenia e neurose traumática)
 PSICONEUROSES: mediação simbólica, subjetivas,
ligadas ao passado, à história individual.
Analisáveis(histeria/fobias e neurose obsessiva)
ANSIEDADE
Histórico
 FREUD: 3 CONCLUSÕES SOBRE
ANGÚSTIA

 1. Libido não saciada, libido transformada ou libido


recalcada
 2. A angústia é impossível de reconverter
 3. A angústia acaba se fixando secundariamente e
irreversivelmente a um objeto. Não se pode reverter do
símbolo ao simbolizado
ANSIEDADE
 NÍVEIS DE ELABORAÇÃO DA
ANSIEDADE

 1. Livre. Não ligada a representações. Um significante


relacionado ao soma, vindo da parte institntual.
 2. Ligada a representações. Desde um medo genérico,
comum a todos. Raios, bombas, tiros, agressões. Ponto
de fixação. Dos mitos culturais aos individuais.
 3. Grupos de representações. Associações de idéias, às
vezes isoladas do resto do pensamento(histeria, fobias).
ANSIEDADE
Normal

 Idéia-mestra, em Freud, de uma angústia livremente


flutuante, prestes a ligar-se a um objeto, idéia ou grupo
de idéias.
 Qualquer organismo necessita que seu equilíbrio oscile,
entre a escassez e o excesso, para que possa
transformar-se, evoluir. O Princípio de Nirvana e
Princípio de Constância: tendência ao equilíbrio, mas
também sinônimo de estase.
 Cada estágio do desenvolvimento traz consigo uma
bateria de significantes; uma nova leitura simbólica dos
eventos. “Há na angústia algo que prepara para o
susto”(Laplanche)
ANSIEDADE
Normal

 FIXAÇÃO: O que na infância foi susto(schrek), a nova


leitura da adolescência poderá transformar em
temor(Furcht).
 REGRESSÃO: A angústia infantil diante do
desconhecido, do novo, parece preparar o terreno para
a angústia neurótica do adulto.
 Todo esforço da neurose é para encontrar uma
racionalidade, uma limitação, para o processo da
ansiedade(diminuição do sofrimento, da angústia).
ANSIEDADE
Normal

 ANGÚSTIA INFANTIL(a criança é o pai do adulto)


 1. Diante de pessoas(estranhas). Perda do rosto da mãe. Angústia
diante da mãe má(Klein)
 2. Diante de situações: sozinho no escuro, perdido, sem a mãe.
 3. Diante de objetos(pessoas ou coisas que substituem o verdadeiro
motivo do medo)

 O nascimento é a primeira e grande separação; desamparo. Maior


nos humanos do que nos animais.
 Os neuróticos sofrem de reminiscências(Freud)
ANSIEDADE

 OBJETIVA: referente ao mundo externo


 NEURÓTICA: conflito entre o id e o ego.
Desejo proibido X censura.
 MORAL: relacionada com o superego, o
precipitado de nossa educação, da Lei paterna e
social.
 TIPOS: nascimento, separação, castração(morte,
agressões), perda de amor do objeto(fora), perda
do amor do superego(autoestima)(2ª. Tópica).
ANSIEDADE
Equivalências Clínicas

 TRANSTORNO DISSOCIATIVO: a idéia que o sujeito


faz de uma doença física(CID-10). Amnésia, fuga,
transtornos somatoformes, estupor, convulsâo, transe,
possessão.
 HISTERIA: recalcamento(repressão). Expressão teatral
dos sintomas, variados, físicos. Indiferença aparente.
Simbolismo do sintoma. “Doença por representação”.
Neurose de transferência. Sintoma como comunicação.
Afeto suprimido, idéia simbolizada.
ANSIEDADE
Equivalências Clínicas

 TRANSTORNOS FÓBICO-ANSIOSOS: ansiedade


desencadeada por situações específicas, sem perigo
real(agorafobia, fobia social, de animais, etc).
 HISTERIA DE ANGÚSTIA E NEUROSE FÓBICA:
recalcamento gerando ansiedade livre, que depois se
fixa a um objeto a ser evitado para diminuir a ansiedade
(localizada). O objeto escolhido tem ligação simbólica
com a situação traumática. É alcançável pela análise.
Pequeno Hans: medo de cavalos-medo do pai.
ANSIEDADE
Equivalências Clínicas

 TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSIVO:
Pensamentos ou rituais inúteis, sem prazer direto, para
prevenir evento danoso.
 NEUROSE OBSESSIVA: deslocamento do afeto para
representações + ou - distantes do conflito original(sem
ter sucesso). Isolamento, anulação retroativa.
Ambivalência pulsional. Fixação anal. Ego X Superego
Sádico.