Você está na página 1de 48

Treinamento Brigada Voluntária

Eng. Guilherme Saad


•1

Conteúdo Programático:

• Introdução;
• Unidade I - Generalidades sobre o fogo;
• Unidade II - Materiais e equipamentos de prevenção.;
• Unidade III - Abandono de Edificação.

•2

Introdução:

•3

Definição da norma sobre brigadista voluntário:

Brigadista Voluntário: pessoa pertencente ao quadro de


funcionários treinada para atuar em casos de
emergência, exclusivamente no seu local de trabalho,
sendo considerado um sistema de segurança contra
incêndio e pânico;

•4

O Brigadista voluntário precisa:


1) Calma

3) Bom Senso

2) Liderança

•5

A brigada voluntária é ESSENCIAL na prevenção em geral.


Sua atuação ocorrem na prevenção e no combate.

•6

Currículo básico para treinamento e orientação do


Brigadista Voluntário
(Anexo D – NT 007/2011)

•7

Porem, para maior preservação da integridade do


brigadista voluntário, orientamos que o brigadista

voluntário exerça funções INICIAIS .

•8

•9

Notícias Brasileiras de Incêndios



2008 – São Paulo
Teatro Cultura Artística - Sem mortos e feridos
Causa: Curto-circuito

27 de janeiro de 2013 – Santa Maria/RS


Incêndio na boate Kiss 249 mortos e centenas de feridos.
Causa: Um acidente com uma queima de fogos no palco.

6 de junho de 2013 – Porto Alegre


Incêndio no Mercado Público Sem mortos e feridos.
Fogo iniciou no Bar e Choperia Atlântico, junto a tubulação de
energia elétrica.

Fogo x Incêndio x Explosão

Fogo
Para sua existência é necessário o combustível, o oxigênio
associado a fonte de ignição. Entende- se por situação de
fogo quando podemos controlar com relativa facilidade um
dos elementos presentes na reação.

Incêndio
É o fogo em situações desproporcionais ou descontroladas,
destruindo e podendo causar prejuízos ao meio ambiente,
onde se exige a ação intensa de meios e equipamentos
de maior potência para controle e extinção.

Explosão:
Uma explosão é um processo caracterizado por súbito
aumento de volume e grande liberação de energia, geralmente
acompanhado por altas temperaturas e produção de gases.
Uma explosão provoca ondas de pressão ao redor do local
onde ocorre.

Como podemos prevenir incêndios no nosso


local de trabalho?

• Armazenamento adequado principalmente de materiais


inflamáveis devendo ficar fora do edifício principal e
devidamente sinalizado;
• As instalações elétricas devem ser revisadas por
profissionais capacitados e manutenção das máquinas
gambiarras nem pensar;
• O sistema de proteção contra descargas atmosféricas estar
em bom estado de funcionamento comprovados através de
laudos;

•1
6

• Limpeza e organização evitando o acúmulo e aumento


de carga combustível;
• Sistema de Proteção Contra incêndio em bom
funcionamento.

•1
7

Unidade I
Generalidades sobre o fogo;

Triângulo do Fogo:

•1
9

a) Combustível:
É todo material que queima.

São sólidos, líquidos e gasosos, sendo que os sólidos e os


líquidos se transformam primeiramente em gás pelo calor e
depois inflamam.

Sólidos

Madeira, papel, tecido, algodão, etc.

•2
0

b) Comburente:

É todo elemento que, associando-se quimicamente ao


combustível, é capaz de fazê-lo entrar em combustão (o
oxigênio é o principal comburente).

•2
1

c) Energia de Ativação (ignição):

É uma forma de energia. É o elemento que dá início ao fogo,


é ele que faz o fogo se propagar.
Pode ser uma faísca, uma chama ou até um super
aquecimento em máquinas e aparelhos energizados.

•2
2
Calor

Métodos de Extinção:
Abafamento:
Consiste em impossibilitar a chegada de oxigênio à combustão.
Desta maneira, o fogo se apaga.
Exemplo:

combustível •2
3

Resfriamento:

Quando se baixa a “temperatura de ignição”. Extingui-se o


fogo por resfriamento.
Exemplo:

combustível •2
4

Isolamento:

A retirada do combustível, que poderá ser parcial ou total,


diminui o tempo de fogo ou extingue o incêndio, conforme o
caso. Deve-se salientar que a utilização dessa técnica nem
sempre é viável.

combustível
•2
5

Métodos de Transmissão de Calor:


Irradiação:

É a forma de transmissão de calor por meio de ondas


caloríficas que atravessam o ar, irradiadas do corpo em
chamas.

•2
6

•2
7

Condução:

É a forma de transmissão de calor que se processa de um


elemento a outro, de molécula a molécula.

•2
8

•2
9

Convecção:
É quando o calor se transmite através de uma massa de ar
aquecida, que se desloca do local em chamas, levando para
outros locais quantidade de calor suficiente para que os
materiais combustíveis aí existentes atinjam seu ponto de
combustão, originando outro foco de fogo.

•30

•31

Unidade II
Materiais e Equipamentos de
Prevenção.

•3
2

Classes de Incêndio:
Os incêndios dividem-se em quatro classes:

Classe A:

Materiais que queimam em superfície e


em profundidade e deixam resíduos.

•3
3

Classe B:

Queimam somente na superfície, não


deixando resíduos.

•3
4

Classe C:

São os que ocorrem em equipamentos


elétricos energizados.

•3
5

Agentes Extintores:

É o conjunto, procedimentos e instalações hidráulicas,


elétricas, acessórios e demais instalações e
componentes pertinentes que quando acionados ou
em uso possibilitam a extinção do incêndio.

•36

Classificação dos Extintores:
Pó Químico – PQS
Água Pressurizada Gás Carbônico (CO2) (ABC)

Água (H2O):

• É o mais comum e muito usado por ser encontrado em


abundância;
• Age por resfriamento;
• É difícil extinguir o fogo em líquidos inflamáveis com água
por ser ela mais pesada que eles;
• É boa condutora de energia elétrica, o que a torna
extremamente perigosa nos incêndios de Classe C;
•Duração de 60 segundos;
•Pesa mais ou menos 12 kgs;
•Alcança 7 metros e meio;
•Eficiente em incêndio classe “a” que
queima em superfície e profundidade;
•Ataca o fogo dirigindo jato para sua base.

Gás Carbônico
(CO2)

• Gás insípido, inodoro, incolor, inerte e não condutor de


eletricidade;
• Quando aplicado sobre os incêndios, age por abafamento,
suprimindo e isolando o oxigênio do ar.
• É utilizado para incêndios de Classes A*, B e C.
• Duração de 45 segundo;
• Forma de gelo seco que queima;
• Possui epunhamento e difusor;
• Não possui manômetro;
• Ataca o fogo, procurando abafar toda a área atingida.

*Não dá bons resultados nos incêndios de Classe A.


Pó Químico (ABC)

• Age por abafamento, age por interrupção da reação em


cadeia de combustão, motivo pelo qual é o agente mais
eficiente para incêndios de Classe B;
• Não conduz eletricidade e pode ser usado em fogo de
Classe C. Contudo, deve-se evitá-lo em equipamentos
eletrônicos onde, aliás, o CO2 é mais indicado.
• Duração de 50 segundo;
• Pó bicarbonato;
• Possui manômetro;
• Verde pressão normal;
• Vermelho pressão insuficiente;
• Não se utiliza na base do fogo,
• Usar formando nuvem por cima das chamas;
• Ataca o foco procurando formar uma nuvem de pó a fim de
cobrir a área atingida.

MANUSEIO DOS EXTINTORES:

A finalidade de um extintor é combater, de maneira imediata,


os focos de incêndios.
Eles não substituem os grandes sistemas de extinção e
devem ser usados como equipamentos para extinguir os
incêndios no início, antes que se torne necessário lançar mão
de maiores recursos.

•4
2

1. Aproximar-se do foco de
incêndio progressiva e
cautelosamente, com o vento
pelas costas.

2. Dirigir o jato para a base das


chamas.

3. Varrer, lentamente, toda a


superfície incendiada.
•4
3

4. No caso de o combustível ser líquido,
evitar uma pressão muito forte na sua
superfície impedindo o alargamento da
área afetada.

5. Não avançar senão quando estiver


seguro de que o fogo não o envolverá
pelas costas.

6. Atuar sempre no sentido do vento.

7. Dar por terminada a sua atuação,


apenas depois de se assegurar de que o
incêndio não se reacenderá.
•4
4

Demais dicas:
Ao retirar o pino de segurança:

•4
5

Retirar a mangueira do encaixe:

•4
6

Cada extintor deverá ter uma etiqueta de identificação


presa ao seu bojo, com data em que foi carregado, data
para recarga e nº de identificação. Essa etiqueta deverá
ser protegida convenientemente a fim de evitar que esses
dados sejam danificados.

•4
7

Obrigado !!!

•48