Você está na página 1de 10

INTRODUÇÃO À

HISTÓRIA
AULA 1 E 2
1. O que a História estuda?
• Durante sua vida escolar, você já estudou História em várias séries. Então, você sabe que essa
disciplina estuda as ações humanas ocorridas no tempo, em diferentes lugares.
A HISTÓRIA E A HUMANIDADE
• Dizem algumas vezes que “A História é a ciência do passado”. É, a meu ver, falar errado.
• É verdade, ainda se chama de História todo estudo da mudança no tempo.
• Existe, nesse sentido, uma história do sistema solar, na medida em que os astros que o
compõem nem sempre foram como os vemos hoje. Essa história do sistema solar é assunto
para a astronomia.
• Há uma história das erupções vulcânicas que é muito importante para o estudo da física do
planeta Terra.
• Essas histórias não pertencem à História dos historiadores.

o objeto da história é o homem. Digamos melhor: os Homens. Por trás dos grandes vestígios que o
historiador estuda, artefatos, máquinas, textos ou instituições, são os homens que os produziram que a História
quer entender.
“Ciência dos Homens”, dissemos. Isso é ainda muito vago. É preciso acrescentar: “dos homens,
no tempo”.

Adaptado de Marc Bloch, Apologia da História, p.52-55.


2. Como os historiadores fazem para estudar a vida dos homens e
mulheres vivendo em sociedade e suas transformações ao longo do
tempo?
Eles fazem uso de muitos materiais, os quais contêm vestígios, registros, resíduos, sinais da sociedade que
estuda. Tais materiais são conhecidos como fontes históricas.
CUIDADO!!
as fontes NÃO refletem apenas a verdade.
MANIPULAÇÃO DE FOTOGRAFIAS
PERIODIZAÇÕES
Podemos questionar os critérios utilizados nos recortes
adotados por essa divisão clássica. A queda do Império
Romano, por exemplo, não é um evento marcante para os
chineses ou para as civilizações da América pré-Colombiana.
É importante, por isso, ter em mente que as periodizações,
embora nos ajudem a compreender a história, refletem
determinado poder político, econômico e cultural, que se
expressa nas datas e temas escolhidos para serem estudados.
Trata-se de uma visão centrada nos interesses europeus – o
eurocentrismo.

Claudio Vicentino e Gianpaolo Dorigo,


História Geral e do Brasil, v.1, 2011, p.21
TEORIAS E ANÁLISE HISTÓRICA
Apenas o estudo dessas fontes simplesmente não nos diz nada.

Para entender a vida em sociedade o historiador precisa de hipóteses e teorias que o ajudem a entender aquelas
fontes históricas.

O cientista não apenas observa os fatos, mas tem que interpretá-los, entrando aí todas as suas concepções
políticas, religiosas e filosóficas. Por isso, deve-se deixar claro qual a referencia teórica de cada estudo.

Afinal, NÃO EXISTE neutralidade, toda a ciência toma uma posição. Isso pode ocorrer de forma inconsciente ou
consciente.

O cientista poderá se deixar influenciar pela sua opinião sobre o assunto, e até alterar o resultado do experimento.

Um exemplo que temos, foi quando todos os cientistas nazistas que "provaram" que o Ariano era a raça superior.
ANÁLISE CRÍTICA DA REALIDADE
O estudo da História é parte da construção de uma cultura histórica – que é todo o conhecimento que
possuímos sobre a experiência da vida humana.

Essa cultura histórica serve para entendermos e julgarmos diferentes situações, para decidirmos como
devemos agir – isto é, serve para nos orientarmos na vida em sociedade e em suas transformações ao
longo do tempo.

O estudo questionador da História serve para criticarmos a visão que se impõe em nossa sociedade da
História – impedindo assim que reproduzamos preconceitos, injustiças ou interesses alheios sem
sequer percebermos.
ATIVIDADES NO CADERNO

Interesses relacionados