Você está na página 1de 8

Contextualização

histórico-literária
Contextualização histórico-literária

Camilo Castelo Branco

 Nasce, em 1825, em Lisboa.

 Após a morte de sua mãe, vive grande parte


da sua vida no Norte do país, em casa de uma tia
que o acolhe.

 Desenvolve atividades jornalísticas, que lhe


trazem inimizades.
Contextualização histórico-literária

É preso, entre 1860 e 1861, na Cadeia da Relação do Porto, devido à relação


adúltera que mantém com Ana Plácido.

É na cadeia da Relação que escreve, em apenas 15 dias, Amor de perdição, cujo


protagonista, que é tio de Camilo Castelo Branco, revela uma vida amorosa
semelhante à do autor.

Suicida-se, em 1890, em S. Miguel de Ceide.


Contextualização histórico-literária

Movimento Romântico
(século XIX)

 Surge por oposição ao racionalismo do século anterior.

 Centra-se no indivíduo, no drama humano, no amor, na tragédia, no sonho,


na morte e nos desejos de fuga.

 Os ideais utópicos do Romantismo, em Portugal, coincidem com os do


Liberalismo, da Regeneração e da refundação do país.

 O Romantismo português foi desencadeado por aqueles que participaram na


Revolução Liberal.
Contextualização histórico-literária

Génese do Romantismo

Afirmação de direitos fundamentais da pessoa humana, em conexão com ideais


revolucionários como a liberdade, a igualdade e a fraternidade, podendo estes ser
relacionáveis com:
a valorização da Natureza como espaço primordial;
a busca do absoluto (amoroso, estético, social, etc.);
a vivência de comportamentos de rebeldia, que colocava o sujeito em situação
de rutura com constrições sociais, morais e religiosas;
o culto de tradições populares e recuperação de cenários medievais;
uma atitude de superioridade e ironia relativamente às convenções burguesas.
Contextualização histórico-literária

Herói romântico

A solidão caracteriza-o, mesmo que não se trate de uma solidão física. O herói
romântico tem predisposição para o isolamento.

É dotado de um dinamismo orientado para a superação de adversidades.


O seu individualismo surge associado a um egocentrismo que remete para o
idealismo, provocando no herói romântico a ambição do infinito.

Quando os seus ideais não são atingidos, o herói romântico entrega-se à destruição
e desilusão.

O suicídio, comum no Romantismo, surge como solução.


Contextualização histórico-literária

Em suma, são características do herói romântico a defesa da liberdade, que


pode conduzir a comportamentos de:
-rebeldia,
-individualismo,
-idealismo
-ânsia pelo absoluto,
traduzíveis no vigor anímico e na tentativa de superação do herói ou no seu
isolamento e desistência, quando finda a esperança de atingir certos ideais.
Contextualização histórico-literária

O viajante sobre o mar de névoa, c. 1818,


Caspar David Friedrich, Galeria de Arte
Kunsthalle, Hamburgo.