Você está na página 1de 212

|  

  

|     

ë  


Sociológica Jurídica

Política
Teoria Pura do Direito

V     
 

    V 


A Constituição é a soma dos A Constituição é uma decisão A Constituição é norma Jurídico-
fatores reais de poder como a política fundamental (poder Pura, sem qualquer consideração
aristocracia, os banqueiros Constituinte) de ordem social, política ou
filosófica
Há no Pais duas Constituições: a Estabelece uma distinção entre Estabelece uma distinção entre
real (soma dos fatores reais de Constituição (materiais Constituição em Sentido Lógico-
poder e a escrita (³folha de papel´), substancialmente constitucionais jurídico (norma fundamental
sendo que, em caso de conflito, (matérias apenas formalmente hipotética, fundamento da
aquela sempre prevalecerá constitucionais) Constituição em sentido Jurídico-
Positivo (norma Suprema, que
regula a criação das demais
normas)
|     



Teoria Pura do Direito

Constituição Escrita em
sentido
      £orma Fundamental
Hipotética ƛ Constituição em
   Sentido Lógico -
  

Lei 3 £ão está escrito. Simplesmente


cumpra-se a Constituição.
Quadri-hierárquica

Lei 2

Lei 1
Constituição Federal Poder Constituinte

6      6  

 
D    

     
 

  
D    

   
D      


    

       

 !

     

  "

6      6  | 

 # 6 $  % & 
 $
  '( 
 )(

# 


     *

  + 

,  #  
-  . 

/  0
!+ 1"

* Interesse £acional gera Código & Interesse Federal gera £ormas.



 *
(
  |  
 2

# 
6 
 | 

 


 

# 

 | 
 62    3064   
 

   




  <
   
         
  '( 
 #  5  *  *     
<


3
4 0 (
  ,6 4   77 8       
4 

6 
 !306" 9: 

    
  
 
   

 
; :  |   !negativos/primeira


geração/naturais"
  
 |       
 

, #  5 
 
 
  $  


 

  
 

 !   

  
  = "

 *
(
   2
|  

# 
 

   
   

B
# 
6

 ?

  


 |    . <


4  (  
!  )
" 
 C


4
 )  
   $ 4


 6  

(
   

 
(
D


    
4 


     . <
 |     
 
 |   @ A  #   5  


 
4   

 

5
 $
 '(
 

 +

0 

E

 |   >  
4 
   
/ 3 %     
 2
4 
' 4 
         


 .

       
 
  $
B
: 
    



 

4
 6$(
    (   

  
  C


4 


   $ 4

  3

   


 
(
D




O legislador deixou margem à atuação


restritiva por parte da competência
Eficácia Plena discricionária do Poder Público, nos
termos que a lei estabelecer ou nos
termos de conceitos gerais. Novas
regras serão implantadas para restringir
determinas cargos (definir a profissão
Eficácia e
Aplicabilidade das Eficácia Contida de agente de Turismo)
Normas
Constitucionais (JAS) De Principio
Institutivo ou
Organizativo

Eficácia Limitada
De Principio
Programático

Não tem regulamentação; proteção em face da


automação, proibição de despedida sem justa
causa, criação de município, adicional de
pilosidade ao trabalhadores.
Constituição Federal Poder Constituinte

' Teoria da Desconstitucionalização 8  F


 
 
G * 


  
     

  
 
% 
  
$  

     * |   

 )=+ 
  
   

!*,"      @ G 

   $

' Teoria da Recepção 8  F




 
 
%   

 

+HH 
$  
+   : 

 @

  

:  
 

 4 
    
   
 


CF/ Militar CF 88

Importa a matéria
sob outro suporte
Matéria 1 Matéria 1
Matéria 1 pode ser Não existe declaração
inconstitucional superveniente de
em relação a
CF/Militar
inconstitucionalidade
Decreto Lei
Complementar

Lei pena de morte:


Lei pena de morte:
Inciso I
Inciso I
Inciso II Inciso II
derrogado
Constituição Federal Poder Constituinte

' 6 $ 
    ' 

'   

' *G
6  '   

   ' *( 

' Reformador ' $  ' =



| 
 ' Revisor ' )( 
 '   


' Decorrente '  
 ' 6 
 
' )C 
+

0  
 ' ?


Poder Originário e Derivado
PODER Tipo Descrição
6       #
(


  
  
?  6 ?

8 :
   $

= 
; 6   6 +
8 :

<

6  
    

     


$
  6 $  8  C$
   
 

   

G
   
 D   
  : 
( 
 


   $ 
, 6
 8   

     $ 

#  $   0  
 *( :


  
?
 
    6


 $ 
I

 
   

Poder Originário e Derivado


PODER Tipo Descrição

6  * &    

+  #: 
| 
 
(

# *|= % *  .

 

*( :
 .  !*|= *4  "
0 
 
4   
  4 
(

 #
!* -1"
    #
4   |  !
(



<  
4 
     #


 

F
  "
   + 
4
(      $ 





$
  $  !6  " :   
* 
* -1
 | 

 0  

  
 8 :%
( 

Poder Derivado
Diferenças

.  !*  *|=" #


!* -1"
* )  
   ?

* .$  5  =
*( 
* .  F


* .  I

* 6   6

   '  !,


A + JHH"
*     
  # *    

  #

*    

   * &  (K
 ( 
A

#
   #
 #

* + % #. #
 

 . 
Direito Constitucional Poder Derivado

Limitações ao poder Emenda


Constituinte Derivado
=
 * #
(    
<  @   
+    



  

 * *        


 2

  
4  
  
  
 
$ 
6 

  %   4  4  
  A B
 %


  6 B
3 %     


   

 * 
  
 






 

4    4  
 %



 ( 4 
(4 ,   
   (
 * 
>      


 ?


K

 |
   )
 + 
4  
   '   
 * 
:

  
 
C 


D

 C

    (C  




  
 

Direito Constitucional Poder Derivado
Limitações ao poder Emenda
Constituinte Derivado
?

 #  
   

  (C   (


 

 

( 5
 %

 
 
 #
B
 %   4  4  
  A B
 %


  6 B
3 %     


   

 $ 
   

=6 = 

  = 

 6  8 6

 


6 (
    (  )=+


(
 

   
+
     = 

 6   8 # 

(
 


@
  


 (2



 A
  6A       


   + 
   

 !
   

"
Princípios de Interpretação Constitucional
6.L6 |* I|*|# * #       
  

 
 

|* )==IMN !
 
4

 " 
 
 
 4 ( 4 
   $    
 
(      $ 


CF ( 
 :
 

   

 (

 
 
 D
 <
  
     
 

Int1 int2 int3
  

  <
 |
$ @  : 

 

 
   
4   
 

 
Lei Z 
4 
       
   

    
    $ 
(C 5
 6 
)


  4
 3


 ! 
 
  "
6.L6 | #+#= 6  @ 
   ( 
 C$ %   
4 %

=#E.*|.  
 > 
 @ 



  $
 

 (   

 $

6.L6 |* ?O7?* #   $ 4 


 
   
4 %
 ( %
#+#=3|*|# D    @ D  
  
4 


 

)

6.L6 |*    $ 

  

(   @  :

+.?|*|#       D

  
 @ (
 ( 
+I*0 I |* @

 <
A % 
 
    
(    
I)=#P*  
   
6  $   
   

6.L6 |* #   $  
(   @  A 

 
+.M* .?*=3* 

      D


|* )==IMN  
 @ (
 (  @


 <
A % 

(      

  

6.L6 |*    $ 
D
 <
 
 
 
.|Q* ( 
  ( C$  8 @
     @
6.O=* I |*     2
   8  

 

R*.?P*MN  
 $  !
"    

 

6.L6 |* * 
 
   
(  

=#.6.#=*MN

   
   
@4 @
  
+.?# *  
 

 
  2  
)==IMN     
 4    <


 @

    
 

  
Direito Constitucional

Estrutura da Constituição
1. Preâmbulo
1. £ão integra o direito da CO£STITUIÇÃO
2. £ão tem força normativa
3. £ão serve de parâmetro de controle constitucional (CC)
4. £ão é norma de observância
2. Parte Dogmática ƛ Corpo Principal
3. ADCT
1. £orma constitucional
2. Única diferença sua natureza Transitória com a CF
3. Tem eficácia no Tempo
4. Tem a mesma rigidez
|     

+
 E  .'(
* .   )=+
     +
+ 
 
   @ : 

  % > F
 :
 $ 
"

 
  
 ?
@
* 6  $  )$
relação entre * D  #
 8 
governantes e !+E% .#?"      

governados.
+
 #
  + 
 % *  
6:

    +
 I 
#
  

 + 
 

      I 
 
  $   $  
   A  

 #
 *
 2


repartição regional
dos poderes
autônomos :4   
'      

 

|     

) 
 E  6 
 *  : 

6:

 6


   
A   
     
 
 
6 (  
   * * D
  :

    
 K( 


  


poderes Legislativo * D
I   :
e Executivo    4  
6
  $   
 
 
  3 % 


  6 

K


 6  
)

 6  
)=+
|     

.   E  | 

| 
* 3 : | 


 | 

 
 

 = 

*  
6:
 $ 

 * 
 
, | 


- #
 6
* (5  
  :
/ =
  


H *(  

|     

Formas de Estado Um (1) Poder Simples Centralizado puro ± define e executa as Políticas
Território x Poder Político Unitário Públicas
Político Descentralizado regional ± define as políticas e cria
entidades administrativas para executar as políticas
públicas.
<> Poderes Composto Constituição
Políticos Complexo Autonomia
Federal Não secessão
Sistemas de Presidencialismo Independência entre os poderes (Cada Poder tem sua própria
Governo vontade)
Executivo x Mandatos por Prazo Certo
Legislativo Chefia Monocrática ± Chefe de Estado = Chefe do Governo

Tem Haver com o


Parlamentarismo Colaboração, interdependência
PODER
Mandado Incerto
Chefia atual
Forma de Governo República Eletividade
Governantes x Temporalidade
Governados Responsabilidade (deve prestar contas)
Exercício do Poder
Monarquias Hereditariedade
Vitaliciedade
Não há dever de prestar contas
|     

Constituições Tipo Descrição

Conteúdo Materiais substanciais Conteúdo Na visão material


não existe Estado
sem Constituição.
Formais (rigidez) Processos de elaboração Na visão Formal
existe Estado sem
Constituição.
Origem Outorgadas 1824/1937/1967 e 1969
Convém ressaltar
que o povo é
Democráticas, 1891, 1934, 1946 e 1988
sempre o titular
Promulgadas, Populares
Cesaristas Elaboração unilateral referendo Surgiram em
Estados Totalitários.
Pactuadas Pacto entre a Monarquia
(decadência ) e a Burguesia
(ascendência)
Forma Escrita Órgão Constituinte
Certo Momento
Único documento
Não Escrita Costumes, Convenções, Jurisprudência e Leis esparsas
|     

Constituições Tipo Descrição


Elaboração Dogmáticas Retratando as ideias de hoje
(escritas) Elaborada escrita
Históricas Não escrita , não elaborada por um órgão
Sistematização Codificadas

Legais Diferentes Textos


Diferentes Momentos
Constituição Francesa
Correspondência com a Normativas A Constituição tem relacionamento forte com Realidade
Realidade
Karl Loewens Nominativas A Constituição tem relacionamento médio com Realidade

Semânticas A Constituição tem relacionamento nenhum com


Realidade
Nunca houve pretensão (má intencionadas)

Extensão Sintéticas,Concisas

Analíticas, Prolixas
|     

Constituições Tipo Descrição


Estabilidade Imutáveis, rígidas, flexíveis, semi-rigidas

Fins Garantia Negativa ± limita a estabelecer os direito mínimos (um não fazer do
Estado, assegurando os direitos humanos, a constituição se preocupa em
estabelecer rumos,diretrizes para os órgãos estatais.
Dirigente Pragmática Positiva ± Presença de Normas Programática, caminhar o
futuro

Balanço ± editadas reger o estado por um determinado tempo

balanço balanço balanço


|     

Rigidez CC
Inconstitucionalidade
Princípio da Supremacia
(formal) da Constituição
|  

E


 +


m    

   (   E



+


  
4 

 
+ *



 

  ( 
 @ 
 $  

 
    |  


 
 #
 +



m *    + 
JHH 
(    
:      


  
5
 |    E


   
    
 |   )

 |   



 |   6 $ 
, |   
  >  2
  

 6
  6 $ 
|  

E


 +



m 

$
    +

5

    (

 

(

 
(

3  
(

3 I 


3 # 

3  2

3  




Fundamentos Principais

*+

.'(
 )(


' 
 8
    6 
 6 $ 
'  D  
  3
  =
(
D 
0 

 
 
4 : 
#  D



%
    | 

6
R


' +


  , 



) 6 3 | 
Objetivos e Princípios Fundamentais

(C 
.'(
   
 
 4 C

!

  (  
B
% 
 



 

      

B


"  


(<


 
<
 
 < 
  

 
   
B
   (   4     
  4 

4  4 4
  @
@

 
     

6  $  +

    2


6

!)(
  %  


  2






  6
2
   R

 *%  
  
  
, 

   


' F

    

 #
    % ?

 E  6
 #
  |   % 6   
0

     
 8 
 @ 

 
 
 6:
 #  


+
 
 

3 4  4  


  A 

* 

    

    


   


=     $    (   


 :
  $ 


| 

| 

6 (    +
  E !    $ "  : 


*  
   :
4 : A     
 
 (  

  
   &       




 
6 (    (C  

  ) 
  !
 I

"
       
   (   #  @ 
  
*|=
      
 6 (  
+4 
:
 $ 

, * 
.  *  
*  
  

  
 

 
6
  6C   (   
 S    
 


  $   $   , 
4 1S    
 




Direitos Fundamentais Individuais (VILPS) e Direitos Sociais
 |   +

   
 



$
I 

4

(
4   $ 
    
     
4

     
4  
Direitos Individuais Direitos Sociais 
 :

Vida Saúde  6  $   T
 !3 0 6" U
Igualdade Educação |   

 U |   
 
!     $ "
Liberdade Moradia
 6  $   T 
 ! ) V |  
Propriedade Lazer )
 U    *-
+" 
Segurança Segurança |   6    :   #



        #

e todo Art.6 da CF



 
 

 
 $
 

, )     )=+ 
  

  D 
@ <

    4 
 

 
- |   +

 



$
.
Direitos Fundamentais Individuais (VILPS) e Direitos Sociais

Direitos
T 
 3 0 6
T 
 )  V * - + !6A  E
"
T 
 +

4 )
 
4 ? %
( 
T 
 |     

        $  
 

  
  

 !
(
  4 

"
 |   0 @          
  !     (
"
6    $  5
 
4
 =
 ? 
4
 #
 |

3 #
  )  
Direitos Fundamentais Individuais (VILPS) e Direitos Sociais
' + 
 ):   73
' #
 0 (

' Direitos Negativos
' 0 (

6  

E
 ' |       6 $ 

' $   ):   77
' #
 )


 
 ' Direitos Positivos
)

 |   E
 ' 


+


' |   )
4
# G    


' ):   77
=  
' +


E

' |  
 ? 
*( 4 > 6
<4

64 > |

 
6  $  )$  !
  +"

+
(

4
) 

  
.    B
|  

D

B
*
 
B

6
  


  
 '(
4 

 


*
  $    
  
 
 
 

4 

  

2
4 

  desenvolvimento do
ensino e nas ações e serviços públicos de saúde
|    |   
    

Inviolabilidade Descrição
:   
(
  '  :   
   
 2
  
4       
  



     $       A

      


4 
 $
4 
 
 
 




 4

 
   %  ( 
 


   

 
   
  
%

  


 
4


  
 
(
 |  8 .  ' *

:
     

 
  )=+ 

 $ 4  : 
  
 
       
    
C

  $   
4 
 
 




 

 D  

    
4 
 
 


  4 4 


4   
 C

|    |   
    

 
(
 |  
 2
' : inviolável    


  
  2
4


 
 
  
4

 
 


  G


 comunicações
* )     )=+
telefônicas, salvo, no
 
(

  2
 
 último caso, por ordem

  
  
 judicial4 
 D A  

 :
( 
4   $
 
 
@
 
(  
      
  
4 



    



 @
  
 
  <
   
 
8    


(
   



 $ 

' 6   @(

* (5 
 = G
 



|    |   
    

 
(
 |  
Reunião pacificas ƥ todos podem reunir-se
pacificamente, sem armas, em
locais abertos ao público,
independentemente de
autorização, desde que não
frustrem outra reunião
anteriormente convocada para o
mesmo local,  
   !  "
      ù
Relação dialógica ƥ CPI não pode quebrar
£ão confundir Sigilo Telefônico com ƥ Só com ordem judicial, pré via
Intercepção telefônica. investigação criminal ou instituído
de processo penal, o crime deve
ser punido com reclusão.
|    |   
    

 
(
 0uebra do Sigilo Bancário
6   6  | 
 

 | 
  6   
  



     
K

 
4 

  
4       
   

  


  @:  !6"
 *
  
 !0 1,11"
 ?6   @  
 6
 G  !  $ 

(
"

 6  m 6

m =W
m 
(
5 m & 
 

 @
  

1,11
 <

@(
    (
   
 
    C
 !
 : (C 

 
    

"
|    |   
    

   = G


@ D
  
' 
 D A @
 
(   6
       !

   
   
 
" ?64 *
 
6

 
 
 = 
 

 
 = G
 



 =I  

@ 

      
5
 ?
  )    
  )=+ 
 @  =I
 ( 
  
 ! 
"
 | 
 *G 
8 * *
  

  2

 




'

|    |   
    
Inviolabilidade Lei 9296/96
* , 7 % :       
 2

 

 
4 
 
 
  G
4 
4  '  
4 
  C
4 
 D A  

@
 
(   

  
 
   
   

B

Tipo Casos de Inviolabilidade (#$#%&#%)



<
.
 

 ' #
  |

 
(
 ' #
  ) 

 '    
@ D
C  
= G
 ' 6
   $  @ 
 
 C

        
 reclusão
  
   

   
6

' ?64 *
 6 $
  < !)A 
  
  @  

"

 
 ' = 
 

|    |   
    

Tipo Casos de Inviolabilidade (lei 9296/96)


*
   6 ' * 
   8 # 
 
' 
  

  (

4

 
 C 


    
   :   ! * , 7   

"
6
#



'  C <  <    
4
 

  $   


 
    
  
*   



    $  
  
 
!)  )=+4 )?"
  6$   ' | (
 
!


" : $ 

|   @ D
C
     
6

 6
< ' ) 6$    @   <
 @

 
 2   


|

 
' 
|    |   
    

Representação Judicial Representação Processual

 
 
 <
 | 
 
 <

 


  




|
   

  |
   




 C
 !@   
 
  




  

  "   

  4  
 
  
  
 ,64 077
  
Remédios § Garantias

* E


:


@


     $    
* 
 :  :  C$ 4 

 C$
 : 
  


Remédios Legitimados/Critérios Descrição


R
(
  
 '    
 !     
5
 R  6
$
3
4 

4 0 (
4 6 
 
 *
 )

8 306)"
 #
 ' 6+6 2   
 


 R
, 6
  6 $  ' 
( R 

=
 ? 

*  : ' =   6
 
 6  
    

 ' 6    @  
  ' &    
 


*   
 
! 2 
 0 
| 
"
'     D
D A
#  
+HH
' |6I4 |6#4 *EI4 6E#4 6E?  
  : 
Remédios § Garantias

.:  0  
 : |  
 
R
(
 |

 
 '    
 !     
5
R*  6
$
3
4 

4 0 (
4 6 
 
.:   *
 )

8 306)"

$   6
  ' (   

 )A
A

 C 
6 $  
  ( 
 
 

<
  ( :   
  

, #
 
  
 

  
 

' 

. 
  :   

 


  
 

' Não 6    @  
'   



'     D
D A
#  
+HH
' R*    C   
  

!9 
;"
Remédios § Garantias

.:  |
( 
R
(
 |

' 
        @
@
 

R*  )=+B
' 
  
     
 $ 
' 
 

 
  
  
 


   
 !
2
4 4  4
   
   !6  
 

     "
' 
    
A
> 
  


 

     
 



  
C

'
 


' 

 
  @(
   
 G 4 (
     
4  


   
 
 
 > 
 
 

(

' |     : 
     
  

.:  Y E


 8 ?

 )


Legitimidade Ativa Legitimidade Passiva Descrição


 
  *
 '    

 6
$
'(
 !     
5 Vida,
 *
 @
@  Igualdade, Liberdade,
  Propriedade e
 6
  6 $  Segurança ± VILPS"
 * 
, #
 
 
C$
' 6   @  
- X '( 4  

4    


 
*  $ 4 @    $  R  R|
?  :  6'( 

 (  ' * + HH   

 6  

 
6'(  

' |6I4 |6#4 *EI4 6E#4
6E?   
' 6
< 1

'   <  

 
  


$  : 
Remédios § Garantias
.:  0  
 :  |  (

?)    *
  6 2
=

' * <
  ' # 5  

4


   

' ?
  
   *
  
 

6  
     
 . 
 '    
  6 
  
  
 
  4 .   

  *
 <
  



!@
 
  A 
 @

 " 3 
    #
4


  
  
6  
 6
  6 $  

' Necessita Registro
' &    
" |  
 

   

 

 

(" I
  C 

!|
  
  C 
    
)
"

 

Remédios § Garantias
.:  0  
 : |  (


?)    
 <
 ) 
 
 
 6 


' Necessita
Registro 2. Todos têm que ter pertinência Temática
' F
  
4
6         


 <
  #

  
  




  4 


!@
 
    $ 
3   |   



  
@

 " (


  $ 
6  
    
) 


#
  

' Necessita
Registro
Remédios § Garantias

.:  0  
 :  |  
*    *
  6       
6'(
!*6" ' 6 2


 6
  6 $    
'  @ 


  
   #    ?6I !  Z
" D 
 
  
 4
  
 
 #
 
<2%  


  


' 6 2
(


(



 ?6I4 |6I4 |6#4


*EI4 6E#4 6E?
V*
@
4
+
4 )#? 
#6 



   *EI
Remédios § Garantias

.:  0  
 :  |  
?

  *
  .:  


  

4 '   
8  $   

4 

 :  
?

     8   V
    : %6

  
  #     

    
   
'  

 <
  *     @ 
 





 ?

  C 
  #

) 

å!     &  !   ' (

|    6  
     '(      

 4
! 
"    D 

 

 ( 

 


#
*   
 

 
     6     
 
 


   
  :  R4 R|4 ?)


 
(   * 6

  
 X
 .@  % .  
 !


K
"

 .@  % .


 !
K

 

 "

, |     8      
(C   (  D R|  : : 


(   
Remédios / Garantias

Remédios Legitimados/Critérios Descrição


* 
  [ 


  
 
4
6
 ' 6  <     $ 
  
( 4

 ' # 5 ?
  -
 
 G  D A    

|  ?(  ?  :  (   & $  
 .: 
 A    . 
'    
 
*
@
 
 6
  * * 6
  
  4 
  
B
@

 4. Partidos Políticos não
podem
*   
  *  
 

  *
 

    !*?#"
 

  #
    
4 
 
    
!*?#"  ) 

, 6
 
Remédios / Garantias

Remédios Legitimados/Critérios Descrição


*|# *



   :   
+4
*|*|6+ 6
  6 $     )=+4 :
'   
.   


 

  K(  


' &     
 
 

!|
  |6I4 |6#4 *EI4 6E#4 6E?
 )
 !   
*|*|#*|6+
) 
 !) 
"
 6 4 ?
! 

#
  )
"4 6
  6 $ 4
 Q(  

   D + 
*F %
 

*
@
!   !I 
"
*F"  E
?

( :

6E.4 D  #     K


?
 !K

 
4  
 
6E #

)
4
( :
 K


 K(  


 
 
!  D 
(
"
!#
"
Ação Civil Pública
(A.C.P)

* *
  '(
:    
4   
   + 

(
  
    
  
4  @    
  ?  : 
6'(   
 
   

 



5
  4
    
    
 D2

*   4 (


 
 D

 
   
4 4  

 
4  \
   
\4 C @
    



 
    
 ?  :  6'(  !
 J4   

   + 
"

*                

  

: 
  C      


Remédios / Garantias

?


 8





  : 
2
* 
  =
8
 
  : 
Urgência Liminar
3

Mérito
1

Inicio
Periculum in moro ƛ perigo na demora
Exaurir via
Juízo de administrativa. Fumus boni/iuris ƛ fumaça do bom direito (contrato
Admissibilidade de seguro, documentos que provam a boa fé)
Mandado de Injunção

?

  C

 +

 



       


<


A
B

 
( <
    $       (
   
4 

 
 à nacionalidade, à soberania ou liberdade
constitucional4  


 



B

  
   
< 
< 



(








(
% @  : @
@    6  6'(  @ C


C <
  

  C4 



   





   
   
 


 

A 
Mandado de Injunção


( ?

  C

 ) C   



 |     
4

@


    
  : 3$      


      



 |
 6

 



    ?
6 A

 
  ! -1
 


<" ?
6 A


    
  
   C 
?64  
-1
 

(

   %  
  

    

?6 6




 
 
( ?
 C ?

 C A 

   


 |
  6

 



     
@
@ 
 
  


 )
+ 




 


  
 !  5

 "
  <
  |   )


1 .
 + 
  
 $ ! #
  ( 


  <
    
  


"
# 5 )
  $ 
2 6 (   .  8 
<  
    !( " 

  
  
3  
 6 $
 6'(
      
   

 #      0 
     
)=+  
 
   (
 ( 
'    

!*|6+ , 11"
|

 *
 6 
 E
 
 2
D I   #


 + 

 D  6'( 

 +
D=$ 
| 
*

   6   ?  
 =$  


: em 20 anos podendo iniciar a partir 2 ano
pagamento.
 F 
 '    
  

  D 
 F 
  
 !( <
"   



 ?  D   


+ )

, (C D .
*

    


]
 ) 
   
(5* @
 
      
 
  G  

:
  
 )
 
(
D   
  $  
 0
  
(  


 | 

 
 
(
D 

, =
(
D  
  9
 9
|

 )
 
 
 I(


 2
D ? $   |+

 + 

 D  6'( 

 +
D=$ 
| 
6'(
 | D  !* <

  )
"
 .
  1

 F 
  =  
 6
     

? $   
  1 111 D
( 


 ?  D    + )


, (C D |     ! 2


 
"

   + )


5

'   <



4
'   

 ( <

'  
 

 
 
' 6=I  
|

  

 
 .
I(


 2
D I4 #
4 |+4 ? $ 

 + 

 D  6'( 

 +
D |  0 4   <
 A  | D 

 ?  D    

, (C D    

(5
* # 
  
A
8 : 

      


 A

* 0 K
:  


   $ 4 
  :    


? $   
  1 111 D
( 

* 8 = 5 |



Motivo Objeto Pagamento


m |

    + )
5 .
*
=$ 
| 

*
 ) 
    *

  
       6   ?  

 
  G  

=$  


:
 
(
D   
  1
   



  

 0
  
(  


 | 

 


(
D 

, =
(
D  
  9
 9

m |

    + )
5 |     =$ 
| 

)
 
   <

4 ! 2
 6'(
 | D 
 
    

 ( <

 
" !
 <

 
I(

  
 

 
  )
"
6=I  

|     |     |  0 4


m |

 ! 2
   <
 A 
 


" | D 
 

.
I(


* % |


 


 expropriante
 #  $  !I4 #4 |+4 ?"
 3
 

 


 executória
 #  $  !I4 #4 |+4 ?"4 *
@
4 #64 )^?  #6
 * | 

 )A    
 
   $  !I4 #4 |+4 ?"

  
6 ! 

   
"
 6    A  C
: 
 6
 
        : 


  
    

)

  6'( 

 |


1. Indenização Prévia
 6 
 



   '( 

, .@  
  
 
!"
 6 
 
    
 
D

   
< 
 

 

4          '(  )A D

4 # 5  

#  

2. Indenização ulterior se houver dano

- )  *   
 
!
 
 
 
 8  : "
 6 
 
    
 

2. Indenização constante
|    2

#  
% União  #   
4
2

  
 
 

 
4
!+ " 





B
# 5  
(: 
2
  
 

# 5 .E
 % I4 #4 |+4 ?  2

  
 
4
2

  
 
    
D
 
!+ " 
 

 6

  

|    2

Privativa  0 
 |   6

2
0 
  |   =
(
D
A União pode delegar para os  |   6 

Estados e DF ! 

  |     
4 |   * 4
 $ " |   ?
$ 4 * 4
!+ " #

 =
(
D

Concorrente  I  % 
 E
 !0 

2
0 
 + 
" 
6 

!+ "  #|+ % 


 ) 

 ? $  
(:    

 
  
+ J !

 

+ "
 # 5 |   = ( 4  G 4
 
  4 (
$  
   
X   
Congresso £acional 513
C£J STJ
Senado 81 Conselho
£acional da ) = (

Justiça + 
(11)

STJ - Superior
tribunal da TSM Tribunal
Justiça (min 33) TSE TST Tribunal Eleitoral
Tribunal Superior Tribunal Trabalho Superior Militar
Eleitoral ( min 7) (15)
min 27

Tribunal Federal Tribunal Tribunal Trabalho


Justiça (min 7) Regional Tribunal Regional
( min 7) Militar
Estadual ( = 7)

Tribunal Regional
Eleitoral

Juiz Juiz
Federal Trabalho Juiz Militar
Juiz Juiz
Estadual Eleitoral
Órgãos Judiciário

8 )=+ U 

8 = (
) 
 
! )= " D _ 

8 = (
 
. 
D U /

8 = (
 
+ 
D ?$  /

8 = (
 
=
(
D D ?$  /

8 = (
)  #  
D !=)#" ?$  /

8 = (
)  =
(
D !=)=" D _ / =
(
D

8 = (
)  ? 
 D , !? 
" 8 ?    
$ 

       




  

  
 5

' 

 D
4
'    4
' 

4
' ,      

  A  
(.
Judiciário

?6I 8 !6E."

?6# 8 !6E "

?6I % !6E "

*EI 8 !*EI"
£ão Há Hierarquia
6E# 8 !6E#"
entre os Órgãos
6E? 8 !6E?"

|6I 8 !|6EI"

|6# 8 !|6E#"

*F 8 !*|3"

=I=#=?

?6 #  

Deputados e Vereadores
 I 
m 


   '  
 
  
   '
  D
( 
 !$  H    /1"

 #
  |+
 # 
J 
  

 0  
    '  '  D
( 
 #
  
 
  

 


   '  
 

 

5

! +
5
 *:  
  
 D    U -
 
 @  D 5

! #   )6  /1 D /1 8  U ,H D - V ,H U J

 ? $ 
 K

 
D J
,, 
 D  

   D
( 

 ? $  :   
    


(

R
( 
 D   2
7 6 D ` 
   A 

  =$  D     <    !


 * 



 6
 

? $  : ( 

 6
     
  1 111 D
( 
4 
 0 K
:
  

Sistema Proporcional Sistema Majoritário Observações p/Sistema
Majoritário

    
   D 
@ 
     ?

@ (   

)   !R
( 
 @ '  
 " #    

 
    
   

 #    6  

#   @  
3
 6  V 3  ?

*( 
!  
 
"
|
 + 
 E
  #
 ?

*( 
!  
$  H    /1 V 3   
"

|
 #

 6  D 

 _ 11 111    D
$      J *( 
?

)  
 a 11 111    D
?

*( 

Sistema Proporcional Sistema Majoritário Observações p/Sistema


Majoritário
)
 V  ?

)   !  
)       
"



 3


 2
 
=


#
  

         
(


  '
.'(
4     
 
 
  
 
  #    6  



   
     #   @  
    
 *
% 
  

 @
 

 11    4 :

  (4     @ 

 ($

 



 (D


 4  
 ,1S V  !


 '   )


( 
"  
    
 
  

@ C
   




 

:     ) 
@   D
 ' 
 4   

 

 ($



 

 
  
 
 
  
LEIS
Funções do legislativo
Legislar e Fiscalizar
   + 
%    

*|=
.  J 8 ?

*( 
I

6     |  . 
#
  

. 
= , 




6     |  ? 



=

 



)
%0

0  
4   
4  | 

4 ?
6 A
4 |  0 
 4
. 4=
)( 

   #

8   . 

+ 6     |  . 
0 K
|+
  
 2

 ($

 #
5 
   
 (

6
  
6
? 

#
# . 
= , 




0  
4   
4  | 

4 ?
6 A
4 |  0 
 4
. 4=
)( 

0 K
? 
. 
= 
( :
K

 
  1

+ 
# 6     | 
6
 |  * 0

* 0
  
    
4   
4  | 

4 ?

6 A
4 |  0 
 4 . 4=
£ormas

|   @  6     


5

       
 '(   
4 


 B

        
 
4 
 2
4    4
 A  $    B

 | 
G
0 
*  D    
  @   
4  
 :
 


B 6   
0

 8 #  $(    
 A


 

 |   6
 6 
6

*
 
 
 4 
 

(
  :B

*
   @
@    


A
    (



B

*

 
     inafiançável e imprescritível4 C  >

  4  
 !.E*"B

*
  
   inafiançáveis e insuscetíveis  


 





4    $      

 4 
          D  4       


4       @4     % 4     !R="B
=  .    
  ` ?
:

0   
  =  

 
 @ % 

  $ 

( 
 
   A 
 
  
 

  
  

4
    ' 

  
   

 




"
, A  !
4  4  
 
 ! 
4 
  !@ % 


 
"
 "  ?
C
  
 ` 8 

  

    

  =
 ?$  



( 

 ) (


=  .    
  ?
:

`
0  | 

  

 6   


.   ?


( 
  

 ) I

 

?
 3

 -1
   ?6 
evoga, só
6 A

  -1 suspende

   

 

 ?6 D

 
C

4 @
 


 
Incorporação dos Tratados
Internacionais
STF muda de
posição e
STF firma entendimento passa a
de que o pacto de entender que
San Jose tem status os TIDH tem
de  )  status
1988 1992 Federal 2004 SUPRALEGAL
Pacto de San José
de Costa Rica

1997
Trouxe 1 Hipótese 2008
' EC 45 Trouxe a
CF 88 1. Devedor de Alimentos continua possibilidade de os
ƥ £ão afastou Deposito tratados serem
Duas Hipóteses de Prisão
Infiel de forma direta, incorporados status de
Civil
mas indireta (reflexiva) EC (Art. 5 parágrafo 3)
1. Devedor de Alimentos D Afastou as leis, não
2. Depositário Infiel tem mais
regulamentação
Ato que aprova é um decreto-lei
Entre 1997 e 2008 ƛ Prisões por equiparação
(ao depositário Infiel. Todas as prisões por Ex£U£C
equiparadas a foram afastadas
Incorporação dos Tratados Internacionais

+4 #4 =|R !. 


, 

 " Tipos de Tratados

)
 )
% 
D =|R !.    " = | R
 

 
 
 
! D D 
)
 0
D 
 6 
5 04 04
F
 "
0|4 ?64 |04 .   = !@ 

   D
" = | 
)
0
!


  4
   B A   
)
 

*
  
  ! 5
  

4 6

" = @ 

  

 6
 
bZ D =


 ( | 2
+$
D 6  




= 


 #
 |  0 
  6 H- 4  11H % *

 
 (   
 
   2
     

 
 4
 
  
@4  1  
  11/
 )  #   )=+
        :    @  


 : 

 @ 
    
   


   
4 @

  
  
   

  

 
 
          
  

 * 
  )=+ 
 @ @
  D    
 
  
  
 4  
 


 

  D

     
 C$   
   $  6. R?#
. 

6 0 
* 6 

* |
)


*  
K

 )
   


* )=+

* K
)    

* 6E. !6 
 E

.'(
"

* 
 
6

` 


 0 

6

    *(
  ?

*( 
 D   
 (
 
4 257

 

U , D ,/
)
 H D 
 ?

*( 
U ?
  ?( $  V 
 ?

)   U ?
  6 V 
 ?

`


U , 
` 


 0 

6

     (
 
5 .
5
*(
  ?

*( 
 D     =4
 4 257  F

!K

V )
"
6  


( 

6

*
 ?

)    0  
4
 ?
6 A
4
 . 4
 |  0 
 
?

*( 
0  

 =
,   = #
4
 *|  *| *|6+
 =

 (   R


= `  0 K


 ? $ 
$   1

 ` 
6C  #
  
!6# % 6 "

 T  K

 |
 % , `



 T  K

 |
 % , `



 T  )
 ,
 T  )
 ,

' *

4

  


 
 ! A
"
 




' * 



: 
 ?6)=
Legislatura
' )
 H
 ! 
  

  
"
' ?

| 
!  4        "
 =




%
A ,

(
 

 

 (
  
 
 


 6
< 



(



Controle Judicial da Modificação - Condução de uma PEC

Limitações
    
 

 =

 

 
(
 
6#    



#. 6 


?



6  !6#" .  !#"


  .    * 
 )A    
   
1. Incidental 8 
  @
@



 @
6#   
C





 
  
 @
@ C <   (
! %
 ?) !  
" 
"
 )A )=+ 2. Abstrato8 
   
  
 !*1"   


  )=+ !#.E*%?#)"

( *|*|*|6     5
  D 

  D 

   :  ' #  5 # ,H   //1J
 



3
4 


 .  0  
  

   

6C  0
!60  
60  
"

Sanciona
sim sim
Câmara dos Câmara dos
deputados President Judiciário
deputados ou e
senado ou senado
Não
Não
1. Veto jurídico - lei inconstitucional
2. Veto político ± Interesse Coletivo
6C  0 !60  
60  
"
   
K

%




A 
 



)

 *
  )
 !
 D


"
 #


6  4
 
  


K


6  8 
 
!
 A : (

    
<
@ 
C D

 4 |   
"
 )A
  
 
  C !|    3

 0"
, )A D  
 @ impede o recesso5 *

0|
- 6C !   
  
"     (C


  
 
4 

 

:

( 




"
/ 0      



H 6  não   


5
1. Decreto legislativo
2. PEC
3. Resoluções
6C  0 !60  
60  
"

|

 |  
11
/1/ ) 
H1/
1/ +:

1H
 ) 

11 .  !) # 
"

. 0  
 |  
   |4  )
4
4 |
 + 

 6 6E. 0   
 ?6I
 )=+4 )= 4 =)=4 =)#4 )= 0    >   



Emenda Constitucional

| 
)    % I   8 + 

  6 !6        "
0#E=?*|) 

 #

 6  .'(

 
K

 |
  )

 ?*) c
 *( :

+ 


Limitado
   

! 5 #
 )  4 #
 |
  + 
" %   
 
 
 * +HH  2 D  @
   





II. Vicio de iniciativa5 0  
 +
!  
 
"
 (C 
!  
  
" % #  5 #
:


= ?

*( 

 
 =  

@


, " &  # +
4 
   


 )(C 
% #   6    
   .0    





  #
  

 3  ?

5     2


 
4 :   


 
:
% #?  
 
    )

#

  

1. Formal vicio subjetivo (iniciativa)


2. vicio objetivo (quorum)
Temporal (não criada
pelo PCO) EC
Limitação
1. Cláusula Pétrea Expressa
Circunstancial
2. Cláusula Pétrea Implícita

(5
* 3 ( 
A   : 
6:
!6# @  
 
( 
A     
 D

Congresso, Câmara dos Deputados e Senado Federal
Competências da Câmara

 * <
  4


    
  4  
     

 6   > 



 
    @
  




 

 #
(
   

 |  ( 


 <
4  
4  $
4 
4


     


, #  (   D


.'(

Competências do Senado

* 6 
  C 
   4        


* *
 
4  voto secreto4
A
d  '(

m ?
 
 
 
(   
  
m ?    = (
 
 
    
m E
   A 
m 6     F
  

m 6 

.'(

m D     

* *
 
 4     
  
  
<

 
  
  I 4 #
4 |+4 = A   ? $ 

* +
 

$



I 
Competências do Senado

* +
 

$



I 

* |  (      



   



I 

* ) 
     


   

* *

  
 ) 
= ( 

* |   
 <
4  
4 
4 
4 

4
   
4    

 

 




  

4 (

 
K 
(   

   < 


|    )
 + 

m
2
 )
 A



   
 
 


    
   )=+      ! Senado
não atua no controle abstrato4 D
C
 
@
    )=+ 
 
(
 C  

4   4   

"B

m  )
   2


 
     
 
4 

4  
   
B

m  )
   ( 

 
  
 


  !

%      



0 
 
4 
 @    "B

m
  )
 

4 
    

   )
 + 
B
|    )
 + 

m
  )
 

4      4
 
 

  
   )=+ ! @
   
 
   )=+"B

m
  )
 

4 não   
   !


   :
 
 4 @ 
 
 2
"B

m
   )
  <  

  !#
"B

(
5
)(   
   )
 !     "4 
D 
 
  
 C  
( 

!
4  K( 
*   
 6'(
+ 
4   
   4  
    6 
.'(
"
2
   


m ) 
 ( 4


   ( 

m 6
  

4  < 

4 


4

   4 
'(
4      


m 0     A  !


:4 "

m  
4(    (
  
   A  

4 

   
 *( :
 0 
 


m =
2


   

2
   


m   
 
!


: A
2
  "

m 
 <

  
 
4 C 
4 ?6  |6I  |+

m 
4    


m ?
4        


( 
 

m =  
  
 
2
 #  
   


m .     
 (
  



m * <
   


 


m * <
      


  6
$  
  ,



m *
 
  
   

m * <
 
  )  

m )

 
   6      @  (    




m +
 (  

 
  
   

Competências Exclusivas do Congresso £acional

m ?
 


 

m  



 
 

    

m *

     
   
  
 
  

m *
 
 
        

 

 


m #  D   =
I 

m * <
  
  $

  
  
 
 
  D$( 

m *
 
4


     
 '(

 
 
    @ D D 

|  0 
        


' Cabe ao 1. Sistema tributário, arrecadação e 1. Organização administrativa, judiciária, do


Congresso distribuição de rendas; Ministério Público e da Defensoria Pública
Nacional, com 2. Plano plurianual, diretrizes da União e dos Territórios e organização
a sanção do orçamentárias, orçamento anual, judiciária, do Ministério Público e da
Presidente da operações de crédito, dívida Defensoria Pública do Distrito Federal;
República, pública e emissões de curso 2. Criação, transformação e extinção de
não exigida forçado; cargos, empregos e funções públicas.
esta para o 3. Planos e programas nacionais, 3. Criação e extinção de Ministérios e órgãos
especificado regionais e setoriais de da administração pública;
nos arts. 49, desenvolvimento;
51 e 52, 4. Fixação do subsídio dos Ministros do
dispor sobre 4. Concessão de anistia Supremo Tribunal Federal .
todas as 5. Limites do território nacional, 5. Matéria financeira, cambial e monetária,
matérias de espaço aéreo e marítimo e bens instituições financeiras e suas operações;
competência do domínio da União; 6. Moeda, seus limites de emissão, e montante
da União, 6. Incorporação, subdivisão ou da dívida mobiliária federal.
especialment desmembramento de áreas de 7. Telecomunicações e radiodifusão
e sobre: Territórios ou Estados, ouvidas 8. Fixação e modificação do efetivo das Forças
as respectivas Assembléias Armadas;
Legislativas;
7. transferência temporária da sede
do Governo Federal;

Exceção; Congresso emitindo uma resolução: As leis delegadas serão elaboradas pelo Presidente da
República, que deverá solicitar a delegação ao Congresso Nacional
|  0 
        


1. Congresso 1. Resolver definitivamente sobre 1. Autorizar o Presidente da República a


Nacional, tratados, acordos ou atos declarar guerra, a celebrar a paz, a
delibera e internacionais que acarretem permitir que forças estrangeiras
editaDecreto encargos ou compromissos transitem pelo território nacional ou nele
s gravosos ao patrimônio nacional; permaneçam temporariamente,
2. Aprovar o estado de defesa e a ressalvados os casos previstos em lei
Legislativos
intervenção federal, autorizar o complementar;
estado de sítio, ou suspender 2. Autorizar o Presidente e o Vice-
2. Sessão qualquer uma dessas medidas; Presidente da República a se
unicameral ausentarem do País, quando a ausência
3. Sustar os atos normativos do Poder
Executivo que exorbitem do poder exceder a quinze dias
3. Presidente regulamentar ou dos limites de 3. Julgar anualmente as contas prestadas
não pode delegação legislativa; pelo Presidente da República e apreciar
vetar decreto 4. Autorizar referendo e convocar os relatórios sobre a execução dos
o legislativo plebiscito; planos de governo;
5. Mudar temporariamente sua sede; 4. Apreciar os atos de concessão e
4. CF ART.49 6. Fixar idêntico subsídio para os renovação de concessão de emissoras
Deputados Federais e os Senadores. de rádio e televisão;
' Presidente 7. Fixar os subsídios do Presidente e do 5. Escolher dois terços dos membros do
não precisa Vice-Presidente da República e dos Tribunal de Contas da União;
sancionar. Ministros de Estado. 6. Aprovar iniciativas do Poder Executivo
8. Fiscalizar e Controlar, diretamente, referentes a atividades nucleares;
ou por qualquer de suas Casas, os 7. Autorizar, em terras indígenas, a
atos do Poder Executivo, incluídos exploração e o aproveitamento de
os da administração indireta; recursos hídricos e a pesquisa e lavra
9. Zelar pela preservação de sua de riquezas minerais;
competência legislativa em face da 8. Aprovar, previamente, a alienação ou
atribuição normativa dos outros concessão de terras públicas com área
Poderes; superior a dois mil e quinhentos
hectares.
.     
K

 |


' Compete 1. Autorizar, por dois terços de seus 1. eleger membros do Conselho da
privativamente membros, a instauração de República. O Conselho da República é
à Câmara dos processo contra o Presidente e o órgão superior de consulta do
Deputados: Vice-Presidente da República e os Presidente da República, e dele
Ministros de Estado; participam:
2. proceder à tomada de contas do 1. o Vice-Presidente da República;
Presidente da República, quando 2. o Presidente da Câmara dos
não apresentadas ao Congresso Deputados;
Nacional dentro de sessenta dias 3. o Presidente do Senado Federal;
após a abertura da sessão
legislativa; 4. os líderes da maioria e da minoria
na Câmara dos Deputados;
3. Elaborar seu regimento interno;
5. os líderes da maioria e da minoria
4. dispor sobre sua organização, no Senado Federal;
funcionamento, polícia, criação,
transformação ou extinção dos 6. o Ministro da Justiça;
cargos, empregos e funções de 7. seis cidadãos brasileiros natos,
seus serviços, e a iniciativa de lei com mais de trinta e cinco anos
para fixação da respectiva de idade, sendo dois nomeados
remuneração, observados os pelo Presidente da República,
parâmetros estabelecidos na lei de dois eleitos pelo Senado Federal e
diretrizes orçamentárias; dois eleitos pela Câmara dos
Deputados,todos com mandato de
três anos, vedada a recondução.
.       )


' Compete 1. Processar e julgar o 1. Aprovar previamente, por voto secreto,


privativamente Presidente e o Vice-Presidente após argüição pública, a escolha de:
ao Senado da República nos crimes de 1. a) Magistrados, nos casos
Federal: responsabilidade, bem como estabelecidos nesta Constituição;
os Ministros de Estado e os 2. b) Ministros do Tribunal de Contas da
Comandantes da Marinha, do União indicados pelo Presidente da
Exército e da Aeronáutica nos República;
crimes da mesma natureza
conexos com aqueles; 3. c) Governador de Território;
2. Processar e julgar os 4. d) Presidente e diretores do banco
Ministros do Supremo central;
Tribunal Federal, os membros 5. e) Procurador-Geral da República;
do Conselho Nacional de 6. f) titulares de outros cargos que a lei
Justiça e do Conselho determinar;
Nacional do Ministério 2. Dispor sobre limites globais e condições
Público, o Procurador-Geral para as operações de crédito externo e
da República e o Advogado- interno da União, dos Estados, do Distrito
Geral da União nos crimes de Federal e dos Municípios, de suas
responsabilidade; autarquias e demais entidades controladas
3. Estabelecer limites globais e pelo Poder Público federal;
condições para o montante da 3. Dispor sobre limites e condições para a
dívida mobiliária dos Estados, concessão de garantia da União em
do Distrito Federal e dos operações de crédito externo e interno;
Municípios;
4. Suspender a execução, no
todo ou em parte, de lei
declarada inconstitucional por
decisão definitiva do Supremo
Tribunal Federal;
.       )


' Compete 1. Aprovar previamente, por voto 1. Avaliar periodicamente a funcionalidade do


privativamente secreto, após argüição em Sistema Tributário Nacional, em sua
ao Senado sessão secreta, a escolha dos estrutura e seus componentes, e o
Federal: chefes de missão diplomática desempenho das administrações tributárias
de caráter permanente; da União, dos Estados e do Distrito Federal
2. Autorizar operações externas e dos Municípios. Parágrafo único. Nos
de natureza financeira, de casos previstos nos incisos I e II,
interesse da União, dos funcionará como Presidente o do Supremo
Estados, do Distrito Federal, Tribunal Federal, limitando-se a
dos Territórios e dos condenação, que somente será proferida
Municípios; por dois terços dos votos do Senado
3. Dispor sobre sua organização, Federal, à perda do cargo, com inabilitação,
funcionamento, polícia, por oito anos, para o exercício de função
criação, transformação ou pública, sem prejuízo das demais sanções
extinção dos cargos, judiciais cabíveis.
empregos e funções de seus 2. Fixar, por proposta do Presidente da
serviços, e a iniciativa de lei República, limites globais para o montante
para fixação da respectiva da dívida consolidada da União, dos
remuneração, observados os Estados, do Distrito Federal e dos
parâmetros estabelecidos na Municípios;
lei de diretrizes 3. Aprovar, por maioria absoluta e por voto
orçamentárias; eleger secreto, a exoneração, de ofício, do
membros do Conselho da Procurador-Geral da República antes do
República, nos termos do art. término de seu mandato;
89, VII. 4. Elaborar seu regimento interno;
3 Poderes
Check Balance
6  % D Z
 F

 
#    * =$ 
m *   
 

F *$ 
 6    

 4   

 !  6 
.

"

:
 
% 
 ! 
"
   
  
 

 0  

  
 
  




. 4  
  
 


 
 ?
6 A
8 
 
4 
   5
. 
4 I    


(5 K

 )
     4    
| 
6  % D Z
 F

 
0 
  * =$ 
 0 
 
 

$ 
 )
 C 
   
(
 5  4 3 4
    )=+4 *EI4 6EI  ?6
 + 
<

F *$ 
 |  0 
  )
  4 
4 

 
4
  


 .
  
?
6 A
 
 

!#7%=I"
 ?
  



 ( 
 



 ! 
 "
 |   
?#||* 6 A

   * =$ 
m C  

F + 
<
 )=+  
   
Controle entre os Poderes - Executivo

    #            

  

:
 veto de projeto de lei inconstitucionalidade

 #
 


 6 4 A : (

  

 #       
 
4     % 

 #    D         ( D  

, )A     

 



#    D   D 0 
  3  6C  0    


Controle entre os Poderes
Executivo

Controle de
legalidade Preventivo Emenda
via
Executivo Legislativo
VETO  *
Jurídico
Publica Só projeto lei
Lei Ordinária e inconstitucional
Complementar

 3 C$  %      



 !#    A  


      

    

"

 3  $  8    0



4  #         

   

4 
   6'(  4 
  @ C 
4
  3  C 
 : 
  
 #     
 
   
    6 
0 
 

 0 
  D   D 0 
  ! 8

 
 
  
<       

  não de
legalidade"
m =



   
    

 0 
  D   D #   
 .C 
 ?6 !     

 ( 
#   "
 )
 
 
  @  ( 
  6 
.

 !    
 A 

"
    6 
0 
 
Repressivo
Legislativo Executivo

Preventivo
CCJ Legislativo não atua como Preventivo
pois estaria lesando os 3 poderes

   6


       
! " D *

  0 
 

 .  D *A
(



 6  D *
6(


 6 : 
 $
  
 
     
  

    D .  D 0 
 

    D 0 
  
D$  !A  


   "
m =
  

?

  )

 )
      %   
|   
 
 %
Mandado de
   
Controle Segurança no
de STF    
Ato ilícito
legalidade .
<
(
 
Emenda Constitucional
6 


.#6.#))3
Legislativo Judiciári
   Legislativo
hígido
o

Controle Hígido via Mandado de Segurança


Análise de uma MP
como ADI£
REPRESSIVO REPRESSIVO REPRESSIVO

TCU 6      4 
Executivo REPRESSIVO
  

MPU
  R$  8 6






  
 
C 

4    
 


* $  :     
  

 


 A   

 

 )=+ 6



  C   @
  
  
  
4   
TUTELA JURISDICIONAL
  
m )A @
  
         6.#3#=3 
.#6.#))3


  D #         .  # 5)=+
  
(  #    
?6 
*|

  D 0 
  #
  
: # 5 0 
  
<
(

     


6     
 4    


  A   
   
 6 4 
  
 )=+  *|
( #

0 
 

  D    6     
< 
  # 5    
<

 2 @  

  
 =  
  
!
 
 

% 
"
  

m         6.#3#=3  .#6.#))3 D )A


@
  


' ?  :  6'(  


(: 
< 
  
 2 @ 
  
 ?6I      , mas pode propor Adin

  

' = (
 
 
< 
  
     
4 =I
         
   
' #  5 )
 
 (

 6    @ 



    :  6   


     

Análise se o
tema/análise mérito
Análise da MP se é relevante a
essa é determinada
constitucionaleurgen É categoria
te constitucional,
MP aprova
Presidente Comissão sim Câmara CCJ Comissão
Mista deputados análise Temática MP
editou MP (deputado Aprovada
federal e
senador
Em caso de Rejeita Rejeita
relevância e MP Rejeita
MP
Urgência MP

(5
*   ?:  8


 ' 
?6 #  5
#  5 |  
  4
  4 

  >
)
' ]
?
6 A

' 2
   8 )A  

' +
% @

 #
4 |+  ? $  )'
 )=+  
?6  #
 !   
 8 E
"

' 

$( ?6  #4 |+  ? $ 

' ' 
 . K

 I2

   

' ?
:
C 

 ?66#     (C


 
 

?
6 A

`
@


 

      
4 

     
 


(

: @    
   
 
Texto da MP sem
Texto da MP sem Casa alteração/aprovaçã
Revisora
alteração/aprovaçã o total Promulga
o total
Casa
Texto da Iniciadora Senado CN
MP1 Câmara
Presidente dos
edita/public Deputados
a MP
Texto da Texto da Senado
MP1 Casa MP sem Texto da MP sem
alterado Revisora alteração/ alteração/
1. Veto o Texto Casa Aprovação parcial
Aprovação
alterado ou Iniciadora
parcial
2. Sancionar
/promulga
MP1 já vigente original
?
6 A

?
    
 
:
 

  

6 A
 ?6  

 -1 V -1
 8 
 

+
 
 

I
?
 )  @   C 
?6 



 
 


6 A

!


"
(

 )  @  

?64 


 
  

  ! 

"4 
%

  


!  
" `
 





: 


  


 
(


 *  6    
?6 !   
 ?6  D
D A"4

     
 
 

?64  
 @
?6 




4 
 ! 1 
  "4 
  C 

?6 
?6  




   
< 
  1
" 
 ?6 


4  

4

6

?6 : D

 C

4 
  :  

 !

(  
?

"
6 A

      
   
?6 
    
    
@ 
  #7%=I  #7%I  # 
    |  


?6  #7 8


4 A I

  , K


   
 


    
  
 )A
     D
 
 
 

?
6 A
!

 C 
"
   - 

 C 

?6 ! 
  
"4   
?6  
 

 
    
       

 
 
4   

 


#    0 

 I


I    


   #

 ) 2
 


   @  
4
 
C





 
  

 

* | 
#
 I* #)=6I0* I?* *0`I=*

E
5 ?O7?* |# 1S
 * $@
 
1S
 * $@
$ 
,S
 * $@
 
1S
 * $@
$ 
,S
' *
$@
 1S 

  



* *  


: 


@  F
 

 G

  

 0 7 
$@
1S 

  
 ?) : 


 b
 0 b 
$@
,S B
 b  


   
   

!)= = "
 *  7 : 


!    
A " )= ..#I 6.`I# * 0# b 
 

)==I*0
4 #
 |
 #
 )  
Intervenção Federal Decreta e
  pede
autorização
ao C£
presidente C£ £ão há restrições

  4

@
Decreta e
 
  

  pede

B
autorização
#
  |

    
ao C£
presidente  2
B
restrições
     

 
  G

 ( 
  
2
 


 

B
Primeiro
pede restrições     $    


#
  )   autorização

   
   
ao C£
depois B
decreta    
 
 >  
(


presidente C£
 2
4
   


4 > 
  

 > (
  
4 
  
  4 


 B
 
(
   B
.    

*  + 
!   " 5
m 6   




  

* #
  |
! 1
"5
m 6   




  
!D V ,
"
m  4

@  
  



m )     2

m )    
  
  G

.    

' #
  )  
* 6   

   6 

! 

    

4  



 4


  
"

 ( 
  
2
 

  

B
    $    



   

   B
   
 
 >  
(

 2
4

  
 
4 > 
  
  >
(
  
4 
     4 



 B
 
(
   B
, (

   $ B
-  
 
    '( B
/ @    (
Seguridade Social (SS D PAS)

* 6 2

* * 2

* )
' 

' 6
 
   + 


 E !I4 #4 |+4 ?"
 #

 

 =
(
D

, .  
   6A  !0
# 
"
- *
  
 
   A


' (C     !6  $ "


 #@
    !


 @ 
D

"
 | 

 
 + ! 
 

5 4

4444"

' (C   *  D I 



4     5
)  
4 |  (
4 I 

£acionalidade

£ecessário serem Brasileiro £atos:

1. Presidente

1. Vice- presidente, presidente da câmara dos deputados, presidente do


senado e presidente do STF

2. Ministro da Defesa, Oficial das Forças Armadas e %   


å+*

3. Embaixador

4. STF (11 ministros têm de ser natos)

,- V./01 0,201 3401&0,

%- .V5 62 5  V.45&6


Constitucionalidade
Controles Constitucionais

1. Atos Constitucionais Federais - CF, Emenda , ADCT e TI

ƥ Atos legais federais (Complementar, Ordinário, Delegada),


ƥ Atos Distrital(DF),
ƥ Decreto Legislativos,
ƥ Resoluções
ƥ Medidas Provisórias

2. Atos Constitucionais Estaduais - CE ( Lei Orgânica) , Emenda Lei Orgânica e ADCT

ƥ Atos legais estaduais (Complementar, Ordinário, Delegada),


ƥ Decreto Legislativos,
ƥ Resoluções
ƥ Medidas Provisórias

3. Atos Constitucionais Municipais - CM (Lei Orgânica), Emenda de Lei Orgânica , ADCT

ƥ Atos legais municipais (Complementar, Ordinário, Delegada),


ƥ Decreto Legislativos,
ƥ Resoluções
ƥ Medidas Provisórias

1. Só os atos constitucionais sofrem hierarquia, devido à Supremacia da Constituição. £ão existe hierarquia dos atos
legais entre si, mas este sofrem em relação das Constituições
2. TI (direitos humanos ) e 2 turnos (3/5) = Emenda Constitucional (CF) D ECE (2 turnos 3/5) e Emenda Municipal
(2 turnos 3/5).
Constitucionalidade
Restrito no STF Nos TJs
2Aberto) Incidental Abstrato

CF
STF CF
Recurso
Recurso
Extraordinário RE
Extraordinário Reprodução
STF CF Obrigatória
RE

Recurso Especial - TJ CE
RESP ADC ADI ADPF
LEI
STJ Federal

Normas
estaduais ou
Municipais
Normas
TJ TRF Só
Normas
Federais,
Federais e
Normas Estaduais
Estaduais Pela CF é permitido para os
e
Estados terem ADI, contudo
Municipais
algumas CF estaduais
criaram seus ADCs e ADPFs
JD JF
)A 

TJ é o guardião da CE. ADIN é o


A )A 

remédio e irrecorrível, salvo no
caso de Reprodução
,1JHH 
 : Obrigatória, caberá RE ao STF.

,1JHH
Subsidiaria/supletiva
 


   
5     
 
  B
 2



<
   5    (
  '

6     !)=+  = "B

   5 *|4 *| 6. ?))N4 *|#  *|6+B
  

   6    5  

4
      
 
 
 !
"

 
 D *(
4 *4 .
4 + D

4  =
2
5 A )=+
.: 5 *|4 *|#  *|6+

.# !.  # 
    
(   
     #.E*%
?#)
| 
   

 
5 @
@ 
C


 B
 2



<
   5 @
@ C <   (
 6 
  4  K(   
2
B

   5 @
@   (  >

  6 
  4  

   
(
B
  

   6    5  
 


 

   !  
"

|  D  
4 # 4 |
4 *(

2


5 `
@ A  6    
`
@ :   *|4 *|#  *|6+
.# !.  # 
    
(   
4    
=#.%6*.=#)
)=+   
  .# #.E*%?#)
)=+ 
<
   *(
  
 ? 
  *|6+  
.  # 
    = !
  .  ( 
A
"
# 
  

Difusão   
EC de1965 Criado o
controle :
Criação
1. Uma só Ação
da ADC
ADI
Criado Controle
Difuso (Incidental) 2. Um Legitimado
CF 1824 sob a influência dos CF 1946 PGR CF 1988 EC3/93
EUA.

CF 1891
Não havia Controle de CF 1965
Constitucionalidade
Manteve os controles,
ampliando o
abstrato ADI,
ADO e ADPF e o
rol de
legitimados
(Art. 103)

(5 # ,  
'
  

Constitucionalidade

Decreto do Executivo pode ser objeto de ADI perante no STF.

Caso 1 Caso 2

CF É cabível ADI
Conflito de Ilegalidade CF
e não conflito de em relação ao
constitucionalidade; Decreto Autônomo
não cabe ADI contra Conflito de
Decreto Regulamentar Constitucionalidade
Lei Decreto
Autônomo

Decreto
Regulamentar
0  
 6 2

=

6 
.'(
I 

E
 #
 

6E. I 

?

K

 |
   )
 I 

?

*( :
0 
 

K

 
 
 

6
  6 $   
   

I 

 D + 

*F I 

*
  *
 + 
 D 
   

 !*F? !*?)6 V *?. V *?.)"


#
 
  K(  



 
 ) 
! @ 
  





8  2

"
  

 .  0  
 


*|  *|#  *|6+
?: 

$< 
  *   (


*EI
 
£ão
Há Juízo de
Admissibilidade?
6E#
 
*| :   

SIM

I  #
 ? $ 

6E. 6E 6E?

AGU 6E#
Constitucionalidade Rol dos Legitimados para propor
ADI£ / ADECO£ / ADPF
Legitimado Pertinência
Temática =   C 
  + 

Presidente da República Universal
*2
 + 
2

Governador Estado especial
   
+ '
PGR Universal
Mesa da Câmara dos Universal * 2
 + 2

Deputados ou do

   '
Senado.
  
 
#
Mesa da Assembléia especial
Legislativa ou da câmara
legislativa.  |
6'(

#
 !|6#"
Partido Político com Universal
representação no
 | 6'( 
Congresso Nacional
#
 !|6E#"
Conselho Federal da Universal
OAB
Associação de especial  #
   
 
4   C 
 
Associações + #
4 
  
 > I   C 
  ' 
Funcionamento há mais
de 1 ano (ABM (AMSP +  6E : C 
   #
  >  

#
AMRJ + AMRS) 
+
Entidade de classe em especial
âmbito Nacional |    
  
 

5 6
 
Confederação Sindical especial 6 $   
  
  K(  


(tem que comprovar
interesse para categoria
± pertinência temática)
  



'  


 
 @   


:
4  D
 (
    =      *(


  )=+5

' * 2

'  


' |
 > 
' D


 6 
' 
 >


'  )=+ 


  
 (
   * 
 
   
4          
6  @ 
    (C    
 $
  A

 
   )=+ : 
    
    



  



  
 não     4  
4


   )=+
 *    )




   + 
4 #

  ? 

 )
 A

    
 
 
  

 4 
  
 $ 4  :  
   
 

  D   @

  4   


(
2
 
 #7=I

Suspende uma ADI


Senado STF
determinada lei
X Lei federal,
estadual ou
municipal

(5
 *

  )
 (   
C 
%
  
*(
  )=+
 *: DC  
  *|  
 > )'
 )=+
  


 *   
D   #
  |+  #
  |+  

  $  $ 

 )A     

 6E. 
< 

 

*|  

     #


 8 
(  


PGR STF Presidente C£

.
 |  D .@   6    
   

   

 )


' * I  não  
<   
  $  DC  
@ 
      



+ 
 * I   

<   $   
  A 

 *    % 


 

!


   
"4 
(  

6 <   #
  : 

 ) 

 * 
 4  )=+  
@  1
 C
 
 ) 

  4  )=+    
(   
<4  
2

  
Obs.: ADI não atinge norma revogada.
 *| E:

  



'     
       

  


@   
  
 
4  
 4
   @ 
= (

 

    4      %  


 
       (

3  

 6    5 * 
0 7
# *| 
)=+
?
     
>

   % 


  ,1 4 (

' *  


 *| : 
  
   

 
 :

C


@ C


 .
  



=

   (%
   

   6 $  
0 
 .

   
(
 A :  D
 A )=+  =
   
  
8 2



<

    


@
@ C$<   (

!*F#.=*"

(
 
5
 |+  
 K

 |+     *|4 |+   

   

 K
( 
6    
 * I  : @ 
<    
 >  K
 |+
  



 
 *| 
D

2

(C

Julgamento
Revogação da lei X

ADI x ADI x

*| C
 

(C4 
 

 

A
 

:


6


Constitucionalidade
Atuação no mundo Jurídico

# A    *   6'(

Município
União Estado
1. Procurador Geral do
1. Defensoria Pública Estado (DPE)
1. Defensoria Pública União (DPU) Município (PGM)
Defensor Público da Estado
Defensor Público da União (DPGU) protege e auxilia
(DPGE)
juridicamente os 2
2. Ministério Público da União (PGR) 2. Ministério Público do Estado poderes (não tem
(MPE) ƛ Procurador Geral da poder judiciário,
3. Advocacia Geral da União (AGU) Justiça (PGJ) defende legislativo e
protege e auxilia juridicamente os 3 executivo)
3. Procurador Geral do Estado -
poderes
(PGE) protege e auxilia 2. Município não tem
juridicamente os 3 poderes Judiciário (nem
Defensoria e nem
Ministério)

AGU, PGE e PGM Podem também Propor


1. HC (interesse individual) ' *EI4 6E#  6E?
2. HD (interesse individual) não   
3. MS (interesse individual) *|
4. A.C.P (Interesse Coletivo) Ação Civil
Pública
5. Súmula Vinculante
Principio da  6  6 *| 6  6 *6
Simetria

X  |
6'(

I  !|6I"  6   *
I     D A  !   6(
!*6"
("
 |6EI 8  (  


I  !
    

.'(
"
 ?  :  6'( 
I  !?6I"
 *EI !




I 


 A  
  
*|*|6+"
X  |
6'(
 #
 !|6#"  6   *  
#
  |6E# | (  
 6(

#
  6E# !6 

E

 ?  :  6'(  #

!?6#"  #



 6E# !6 

E
 #
" A  
  

*|*|6+"
# X     : 5 R4 R*4 ?) !    
" 4 *6
!      "  )'
3  
 eee
Principio da  6  6 *| 6  6 *6
Simetria
X 6E? 6 


 ? $   6   *
? $    6(

   


|
 
?  :  6'( 
*EI  *EI    )=+
 ?  :  '(  
  

  A   

 

 4     

   !+ 
<
"
 *|4 *|6+
 6E#  6E?

   

   
  
  %

# X     : 5 R4 R*4 ?) !    


" 4
*6 !      "  )'
3  
 eee
6   
) 

*EI %    + 



6E# %    #


 *EI _a6E# ! 


 
 #
"  6E?

 *EI  

C
    
I 
  6   
 
 *EI
  *EI   6 R4 R|4 ?)  *6
3 *EI     *| 

 

4 A 





 6E. !?6I" _a6E !#% = " ! 


 

 
"

 )  
   4   
D  
 6E.    *|4 *|#4 *|6+ D )=+
 6  6 R4 R|4 ?)  *6 !      "
3 6E    *|4 *|#4 *|6+ D =
3     ?)   
6   
) 

*EI %    + 



6E# %    #


 6E#     *|4 *|#4 *|6+

 6E? !

? $  D )A  #     0 
 4   6 
  "

        


  C$ 
 ?6I

  *EI    


I 5

* .
  A
I 
F  
*
  #   
6   
) 

*EI %    + 



6E# %    #


I  #
 ? $ 

?6I6E. ?6#6E 6E?


+ 
+ 
+ 

*|  )=+ *| 
=

*EI*EI 6E#6E#
   *|
 *|

|6EI |6E# 6E?


   *|
Ministérios Públicos
?  :  6'( 
I  !6E." 8   
      4
A      
D    

 ?  : 6'(  + 
D  <  
4 = (
 

 
4 )   (
 C 
!)= "

 ?  :  6(  =
(
D 8  < =
(
D4 = (
 

=
(
D %=.=4 = (
)   =
(
D 8=)=

 ?  :  6'(  ? 
 8  < ? 
4 = (
+ 
 !=.?"
 = (
 + 
 !)=?"

 ?  :  6'(  |+ !6E D  ("

, ?  :  6'(  = A 

ƥ Todos os membros podem ingressam com HC, HD, MS, A.C.P e


Ação penal Pública não podem propor MS Coletivo. Só o chefe
deles pode propor ADI£.
Ministérios Públicos

Tribunal de Contas da União Tribunal de Contas do Estado


(TCU) ƛ Promotor tribunal (TCE)
de contas da União
1. Ministério Publico 1. Ministério público
Especial especial

ƥ Todos os membros podem ingressam com HC, HD, MS, A.C.P e


Ação penal Pública não podem propor MS Coletivo. Só o chefe
deles pode propor ADI£.
  



União
ƥ MPU D chefe D PGR (não pertencem a nenhum poder ƛ fiscais da leis)
ƥ Pedem para o AGU (HC/HD/MS D Individual (não podem MS
coletivo))
ƥ A.C.P D Difuso Coletivo
ƥ PGR pode propor ADI£/ ADECO£ /ADPF D Supremo Tribunal
Federal

Estado
ƥ MPE D chefe D PGJ (não pertencem a nenhum poder ƛ fiscais da
leis)
ƥ Pedem para o PGE (HC/HD/MS D Individual ( não podem MS
coletivo))
ƥ A.C.P D Difuso Coletivo
ƥ PGJ pode propor ADI£ D TJ /STJ (devem comprovar interesse
temático)
ADI£/ADECO£/ADPF

?
0  
 8  

   : D:     9
D  ; !

 (  "4    

 ?


 D


   

 * 
  =
D
 
 : 

Medida Mérito
Cautelar /   Decisão

Final

Inicio
2009 1. EXTU£C D retroage desde
 #7I  ?


( 
U - a publicação da Lei.
  

 
?
2. Modulação da decisão
0  
 !
" EX£U£C ou Efeitos
 #7=I  

 Futuros D À $&5
#76.#))*  )=
ADI£/ADECO£/ADPF

 6

*|*|#*|6+ A   Medida Cautelar
2. Para ADI£/ADECO£/ADPF não existe Antecipação Tutela.

Obs:
*     :    -    !)=+" 


  
- 2 ( 
   

* |
     
       

Constitucionalidade

Decisões do STF

1. não vinculam o STF (pode modificar seus pareceres)

2. Vinculam os Poderes Executivo, Judiciário, MP, TC

3. £ão vincula o Poder Legislativo na função £ormativa , mas vincula


na função Administrativa e/ou jurisdicional.

vincula vincula
Executivo STF Judiciário

£ão Vincula na função


administrativa ou
TCU
judicial
STF
Legislativo
MPU
Constitucionalidade

#


1. ADI£ Genérica (Liminar/mérito)

2. ADI£ Omissão (produz efeito Erga Omnes por mérito) D £ 


  7 * /  8/8£å '8£9 -

3. ADI£ Interventiva (não produz efeitos Erga Omnes)

4. ADECO£ D tem liminar (prazo 180 dias) e tem mérito.


Constitucionalidade
Produzir Erga Omnes

Liminar ƛ Liminar (máx. 180


ADI£ dias) declara a
susta a norma
GE£ÉRICA Mérito ADECO£ norma constitucional
Produz Mérito
efeitos
ADI£ Erga
ADPF
OMISSAO Omnes Mérito
Erga
Recurso
Omnes
extraordinário
ADI£ sobre ADI£ TJ
Súmula
I£TERVE£TIVA
Vinculante


5 *  

C  2
 D       
A  

 >  @  

  


   
  )=+
Constitucionalidade

=  |   
*|# * )A 


  

*   
 !
<   H1
"
*  : 
*|6+ 8 *d   * |   R

|    * 6  $    
  44  /
6   +

* 6  $  $ 
* I
  
   (C  *|6+ #
:

'

 
 

 @ 
 

 
 )=+
*|6+ !  " *
 (
 
   :
(  
*  (
  
 
   


    
:%   
B
Constitucionalidade

=  |   
*|     *|  <   

 #    ! 
+

 
      
 $
 

  
<  1

 *|   <   (  0 
 
!       
 $
"
 )=+ 8 *|  0 
  


  

  ? $ 
 )=+ 8 *|  0 
  


 
( E  )  6'( 
* 
4
 
4
   (
  ? $ 4

%%   

4   $   
  0
 
 + 
4      
:
4 

 (  4 > 
  ? $    4
A  
 
#   3
(
 ? 
4

  (
 




Constitucionalidade CF 52 ƛ CF 103
Controle Incidental
Súmula
Vinculante

4
O STF   STF STJ
   ao 3
SE£ADO, maioria Recurso Especial
absoluta 3
Recurso Extraordinário ou 8  : 
8  : 
Senado
TJ

2
Declara a lei
1 Juiz inconstitucional
HC Estadual Inter-parte e Incidental
ou
)
   

1 Juiz

 
4 

4 Federal
 
  
4 
#  #
?#)
#7I4

: 
. 
Constitucionalidade - CF 52/103

 )'
3  
 %  

   



 $

4  )=+  (
 )'
3  
5
 `   (  )=+
 6       6

 0  
 

 6(
4 .   
 
5
 ? *|4 *|#  *|6+
 |6EI
 = (
    

 .  # 
  
 .:  C$ 
@
 

  $     
  

 


@  <   %

 R
  
    )=+  

:



( 

 ( 
< 

 )#*| +#|#.*04  
  

:    


   




   #
    #7 I ( *| 
= (
  


5  )=+  
 (    
  !  "     !  " >
  
  .  # 
  "
Constitucionalidade - CF 52/103

ƛ Cláusula de Reserva de Plenário - os tribunais só podem declarar a inconstitucionalidade


de ato normativo por voto da  *    * , mesmo que seja
incidental ou concentrado, salvo se:

ƛ já houver manifestação do STF

ƛ maioria absoluta do Órgão: TJ pode criar um órgão especial (mínimo 11 ƛ


máximo 25 desembargadores). Órgão Fracionário não pode declarar a
inconstitucionalidade. (CF92-102)

OF - 3
OF ƛ Órgão
8 Especial 25
TJ
STM

Obs.: não se aplica reserva de plenário para órgão singular


Constitucionalidade
Andamento de um recurso no Judiciário

 = D .  #
D )=

 = D D 

 .
 6  

 = D .  # 
   D )=+! 6
"   D )
 D  
! 

 
   
" 
 
 + 
4 #

4 |  

 ? 
!#.E* ?#) 8 #7 I"
' # 5 # 
   D 
@  :  !
 
( 
A
" D .  # 
   D )= !#
"

  
 .
 6   8   (
 A   



   

 
 
   



( 
 
( @ C
 
 
  

4 
 5
  D 
 
  )=+
 ?


( 
 X 
  (
 C 


 *    :        


 :  $ 4 

(
  

 !=
 


K
"

Senado expede resolução/Congresso expede decreto legislativo


Constitucionalidade
Embargação de declaratório

* |   :        


 :  $ 4 
 
(
  

 #(

  

A  ! 

" : 
  @ 
 


K
4  :4 (


    < 
A  A
= C   *|4
  :  $ 
 #(
  |

  =

Embargação de STJ
declaração Recurso
especial

*|*|#*|6 Embargação de
+ A     declaração TJ
   #(
 apelação
 |

 Embargação de
declaração
/Sempre na
mesma Instância
Juiz

Outros tipos de recursos: apelação, agravo de instrumento, recurso


extraordinário no supremo, recurso especial.
Constitucionalidade
£ormas de Reprodução Obrigatória


  .  ( 
A
:
'
#   
  
    
#(
  5 * 
+    <
 
 
#"

PGJimpetra
IPREM D Regime
ADI£ CF
Próprio de
Aposentadoria TJ
compulsória 65 anos £ormas de
TJ
Reprodução
indeferiu
ADIN com Obrigatória
ADI£ é base na CE
CE
irrecorrível,
mas neste PGJ no å    )  vai ter que
caso é demonstrar que a norma não reproduz as
possível. £ormas de Reprodução Obrigatória CF

STF Erga Omnes ƛ para todos

Vinculado para todo Brasil

PGJ entra com recurso extraordinário no STJ e não ADIN Municipal


Constitucionalidade
Leis que podem sofrer Adin

 
 >    + 
4 (
    
    #
%(B
    
  

 ! 
4  
4  

"   |   + 
4  
@  D 
 (  

B
 

 

B
 
  A
  
  

B

,    6 


.'(
  E
  #
 !   @  C



"B
-    
  @
 

 

B
/    6 
.'(
@    

   

B
H    
    

@ 

   
 
  
6  #    @  (     

    
 
  
 

J     (
  6    B
1
  
C$
 |   6'( 
I    #
B
 
  
   6  #   

   6 
.'(
  
E
  #
B
     
  
 
   (
  6    
*
  )
 + 

)A       


 
   ( 


 
  
 

 D 
< 






*
  *    
  


)
  : 

+ 

 )
     
  
 )=+

  

 :

 

* 2
 )



 
 
4 

   


*    )


 C 
%

     


=   . 

 # 
  

 * . A

 *
  

 *


, * #

- #(
  |



Adin/ADC/ADPFsó sofre este tipo Embargo de Declaração de recurso e TRAMITA na mesma Instância
 + 

X @ 


 (2



    5

6  0 
  ) 

!
( :
 3  

#

 K

6 
 
 
 |+

.@  
= )=+ 3  
 6 

)=+
.@  

.  # 
   8   
:

=)#   
D@  
 )=+

)= .  #
8   
:


  
D@  
 )=


+    =  5

  + 
#K

  + 
6

% % 
  


 A4         
 

! (  
@  "

8 |    8 *  + 


  



        6 
.'(
4 

< (
4   




8   6 $  8     


  ( 
>

   

 
<   D


8     

 #K

 


 

B !   

I



"
   
 
 
  



+ 
  
B
 G 

  
  '(
B
! 
  6'(
"
3 

   livre exercício de qualquer dos Poderes 



+ 
B
3 
 <

  




+ 
 @5
! 

 + 

"
    


$


 
 
 
   4 
    

B
 
  

 ? $    
  (



 
  4   
<

(     B
3 
      
4      C



* I      #


   |   + 
4   

5

m 


 

B

m   
 
 
  


+ 
  
B

m G 

  
  '(
B

m 

      $   @
@  6  
 


+ 
B

m 
 <

  




+ 
 @5

    


$


 
    !"

  4 
    

B

 
  

 ? $    
  (
 

 

  4   
< 
(     B


* I      #


   |   + 
4   5

m 
      
4      C
B

m !6.L6) )#)L3#)"


(K
  
  $    
5

 
(

4  

       B

  

D

B



 
B

 
  


  
 '(
4 
  


,

  $    
  
 
  


4 

   
2
4 


         

   
'(   
' 
Intervenção

' 6   


 + 
D   ! 
   D

'(
" D 

   D

' K
  

    !
(    
'(
4


 '(
4 

 #
 

  


 $

 
 D + "

'  + 


  )=+4 )=  =)# D Requisição

6 4      


' 6         #


 !

( :
  
  

   "4 
 0 
 #    

  
! não está vinculado"4 D  6  @  

 )=+

' 
    4  @  

    = @ 
 


  )=+ D 
 @  
   !  está vinculado
neste caso)

' *( :
E
 D ) 

 6  !    "
Intervenção

' *
 
    

  
  
 
 
 

.'(
4 
  )=+4 @
   

  

I 4  
   |+4   
  D

   $ 
$ 4   @
  
%

2
 
  
  



@
 
 

  


ƥ Súmula 637 - NÃO CABE RECURSO EXTRAORDINÁRIO CONTRA


ACÓRDÃO DE TRIBUNAL DE JUSTIÇA 0UE DEFERE PEDIDO DE
INTERVENÇÃO ESTADUAL EM MUNICÍPIO.
Intervenção

' *   

   
( <

  
 

 

+4 
 

(:
A

4

@ 
 A




 D

 
 (

'      
   $  
+4  :  @      $ 
$   
(
4 
 
 
   
C$  


   
 
4     
   $ 
 $  
 
(  4   
:  
  
  
    
 
 
     D A   






Imunidades

?
:
6  +
      
.
(

6    *  



 
3  

 )=+    

.'(
  6 
.'(
4   


   
K

)=+
6   
 |
4   
)

 ( 
C 
  #
D % 

 6  
  ) = (
 2

 

+ 
4 
 
  

4

 
 4  
    
  )
 + 
4  
( <
     
(

 


 #@
  (  
D

.(
 
 
A
4 
   $  

 4  
 
6 
.'(

 
 C 
 
  6 
.'(
4

 2
 


4    

( <
 


D
   $  

 
Imunidades

?
 6       

 .
(

+

E
 0 1/J,1 = (
 *( :
0 
 

#
#

   

, (   
  )=
   
*( :

 
 
 ,
(


  D    
      
= 
6   |
2
=  96A ;!


 
 

" D K


 |
 8     

= (
!=.#4 =.+"  A  D =
 !6
 "
Imunidade durante o período Representantes

 .
 ) 
 ! 
"

 .
 6*

'  


 8 .       >
 

 
(
D
D  :

 


 6'(  *

 



 
    
 
:
   )      :   


4
  

 


: 
   

4 salvo por falta grave.

 .
 =
(
D


' #
 
 11 
 
 !não tem
imunidade"
Extradição e Deportação

  < 

D

 D = ! 

" .   
   )=+

  < 

D

 D = ! 

" .  
)=

 .     D )=+  5



  
 

 )=+
 


 *  D      @


   
4 
 


  


 

 )=+  
 
 D    

  

 )=+     D   



  

(     

     $     
Território
 & 
*
@

I 4 
    


  :   
 4  



  
 !   D) 
?
C    

  4         8

  $ 
, *"

 =  |
 + 
!     ) 
6 
8
 $ 
"

, E
 D 
    
.'(
4
A
d  '(
 )
 D *
  
Ato Complexo
Presidente Senado
2 vontades e 1 ato Federal

-  
D : 
I 

/   
!63*" D : 
I 

H  
!6=I" D 
I        $ 

J  
  11 111 D
( 
 D   

 E
4
 ?  :  6'(  = 
    6A  !=   A "

1 6   0 


  4  
 K

 
  
  
 @   

  :   


  
  
 

Súmulas Vinculantes

)f?I0* +#|# * E*.*=* )==I*0 | *= I.L| 6#.+#= *


3I0*=# |#)N `I#4 )#? 6|#.*. *) .I)=Q*) | *) .#=4
6  |#))|#.* * 3*0|#P # * #+O* |# *.| )=*=# |#
=#.? |# *|#)N )==IL| 6#0* 0# ?60#?#=*. 6 111

)f?I0* & )==I*0 * 0# I *= .?*=3 #)=*|I*0 I |)=.=*0


3I0*=# `I# |)6R* )F.# ))=#?*) |# )X.) # ).=#)4
6  0I)3# FE) # 0=#.*)

)f?I0* ) 6.#))) 6#.*=#  =.FI*0 |# =*) |* IN


3I0*=# *))#EI.*?%)#  =.*|=X. # * *?60* |#+#)* `I*| |*
6  |#)N 6I|#. .#)I0=*. *I0*MN I .#3E*MN |# *=
*|?)=.*=3 `I# F##+#  =#.#))*|4 #7#=I*|* *
*6.#*MN |* 0#E*0|*|# | *= |# #))N *0 |#
*6)#=*|.*4 .#+.?* # 6#)N

)f?I0* )*03 ) *)) 6.#3)=) * )==IMN4  )*0O. ?L? N


3I0*=# 6|# )#. I)*| ? |#7*|. |# F*)# |# O0I0 |# 3*=*E#?
6  |# )#.3|. 6fF0 I |# #?6.#E*|4 #? )#. )IF)==IL| 6.
|#)N I|*0
Súmulas Vinculantes
)f?I0* * +*0=* |# |#+#)* =&* 6. *|3E*|  6.#))
3I0*=# *|?)=.*=3 |)60*. N +#|# * )==IMN
6 ,
)f?I0* N 30* * )==IMN  #)=*F#0#?#= |# .#?I#.*MN
3I0*=# +#.. * )*0O. ?L? 6*.* *) 6.*M*) 6.#)=*|.*) |#
6 - )#.3M ?0=*. *0
)f?I0* * .?* | Y6 | *.=E J |* )==IMN4 .#3E*|* 6#0*
3I0*=# #?#|* )==I*0 6 1114 `I# 0?=*3* * =*7* |# I.)
6 / .#*) * S * *4 =R* )I* *60*MN |*|* [ #|MN |#
0# ?60#?#=*.
)f?I0* )N )==I*)  6*.OE.*+ f | *.=E ,6 |
3I0*=# |#.#=%0# 6 ,-JJ// # ) *.=E) , # - |* 0# 6 HJJ4 `I#
6 H =.*=*? |# 6.#).MN # |#*|g* |# .&|= =.FI=O.
Súmulas Vinculantes
)f?I0*  |)6)=  *.=E / |* 0# 6 /1JH !0# |# #7#IMN
3I0*=# 6#*0" + .##F| 6#0* .|#? )==I*0 3E#=#4 # N
6 J )# 0R# *60*  0?=# =#?6.*0 6.#3)=  *6I= | *.=E ,H

)f?I0* 30* * 0OI)I0* |# .#)#.3* |# 60#O. !+4 *.=E J/" *


3I0*=# |#)N |# X.EN +.*O. |# =.FI*0 `I#4 #?F.* N
6 1 |#0*.# #76.#))*?#=# * )==I*0|*|# |# 0# I *=
.?*=3 | 6|#. 6fF04 *+*)=* )I* |g*4  =| I
#? 6*.=#

)f?I0* )X & 0L=  I) |# *0E#?*) #? *)) |# .#))=g* # |#


3I0*=# +I|*| .## |# +IE* I |# 6#.E [ =#E.|*|# +L)*
6  6.X6.* I *0R#*4 6. 6*.=# | 6.#) I |# =#.#.)4
I)=+*|* * #7#6*0|*|# 6. #).=4 )F 6#* |#
.#)6)*F0|*|# |)60*.4 30 # 6#*0 | *E#=# I |*
*I=.|*|# # |# I0|*|# |* 6.)N I | *= 6.#))I*0 *
`I# )# .#+#.#4 )#? 6.# ILP |* .#)6)*F0|*|# 30 |
#)=*|

)f?I0* * F.*M* |# =*7* |# ?*=.LI0* *) I3#.)|*|#) 6fF0*)


3I0*=# 30*  |)6)=  *.= 1-4 34 |* )==IMN +#|#.*0
6 
Súmulas Vinculantes
)f?I0* * ?#*MN |# h IE#4 ?6*R#. I 6*.#=# #? 0R*
3I0*=# .#=*4 0*=#.*0 I 6. *+|*|#4 *=&  =#.#. E.*I4
6  0I)3#4 |* *I=.|*|# ?#*=# I |# )#.3|. |* ?#)?*
6#))* I.L|* 3#)=| #? *.E |# |.#MN4 R#+* I
*))#)).*?#=4 6*.*  #7#.L |# *.E #? ?))N I
|# +*M* I4 *|*4 |# +IMN E.*=+*|* *
*|?)=.*MN 6fF0* |.#=* # |.#=* #? `I*0`I#. |)
6|#.#) |* IN4 |) #)=*|)4 | |)=.= +#|#.*0 # |)
?IL6)4 ?6.##||  * I)=# ?#|*=# |#)E*Mi#)
.#L6.*)4 30* * )==IMN +#|#.*0

)f?I0* & |.#= | |#+#).4  =#.#))# | .#6.#)#=*|4 =#.


3I0*=# *#)) *?60 *) #0#?#=) |# 6.3* `I#4 O |I?#=*|)
6  #? 6.#|?#= 3#)=E*=X. .#*0P*| 6. X.EN ?
?6#=g* |# 60L* I|O.*4 |E*? .#)6#= * #7#.L
| |.#= |# |#+#)*
)f?I0*  O0I0 |# E.*=+*Mi#) # I=.*) 3*=*E#) | )#.3|.
3I0*=# 6fF0 N |# )F.#  *F I=0P*| 6*.* )# *=E. 
6 , )*0O. ?L?
)f?I0* ) *.=E) /64 34 # J4 Y 6 !.#|*MN |* # JJH"4 |* )==IMN4
3I0*=# .#+#.#?%)# * ==*0 |* .#?I#.*MN 6#.#F|* 6#0 )#.3|.
6 - 6fF0
Súmulas
SÚMULA Nº 624 NÃO COMPETE AO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL CONHECER ORIGINARIAMENTE DE MANDADO DE SEGURANÇA
CONTRA ATOS DE OUTROS TRIBUNAIS.
SÚMULA Nº 629 A IMPETRAÇÃO DE MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO POR ENTIDADE DE CLASSE EM FAVOR DOS
ASSOCIADOS INDEPENDE DA AUTORIZAÇÃO DESTES.

SÚMULA Nº 630 A ENTIDADE DE CLASSE TEM LEGITIMAÇÃO PARA O MANDADO DE SEGURANÇA AINDA 0UANDO A PRETENSÃO
VEICULADA INTERESSE APENAS A UMA PARTE DA RESPECTIVA CATEGORIA.

SÚMULA Nº 632 É CONSTITUCIONAL LEI 0UE FIXA O PRAZO DE DECADÊNCIA PARA A IMPETRAÇÃO DE MANDADO DE
SEGURANÇA.

SÚMULA Nº 637 NÃO CABE RECURSO EXTRAORDINÁRIO CONTRA ACÓRDÃO DE TRIBUNAL DE JUSTIÇA 0UE DEFERE PEDIDO DE
INTERVENÇÃO ESTADUAL EM MUNICÍPIO.

SÚMULA Nº 642 NÃO CABE AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE DE LEI DO DISTRITO FEDERAL DERIVADA DA SUA
COMPETÊNCIA LEGISLATIVA MUNICIPAL.

SÚMULA Nº 643 O MINISTÉRIO PÚBLICO TEM LEGITIMIDADE PARA PROMOVER AÇÃO CIVIL PÚBLICA CUJO FUNDAMENTO SEJA A
ILEGALIDADE DE REAJUSTE DE MENSALIDADES ESCOLARES.

SÚMULA Nº 645 É COMPETENTE O MUNICÍPIO PARA FIXAR O HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTO COMERCIAL.

SÚMULA Nº 646 OFENDE O PRINCÍPIO DA LIVRE CONCORRÊNCIA LEI MUNICIPAL 0UE IMPEDE A INSTALAÇÃO DE
ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS DO MESMO RAMO EM DETERMINADA ÁREA.

SÚMULA Nº 647 COMPETE PRIVATIVAMENTE À UNIÃO LEGISLAR SOBRE VENCIMENTOS DOS MEMBROS DAS POLÍCIAS CIVIL E
MILITAR DO DISTRITO FEDERAL.

SÚMULA Nº 653 NO TRIBUNAL DE CONTAS ESTADUAL, COMPOSTO POR SETE CONSELHEIROS, 0UATRO DEVEM SER ESCOLHIDOS
PELA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA E TRÊS PELO CHEFE DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL, CABENDO A ESTE
INDICAR UM DENTRE AUDITORES E OUTRO DENTRE MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO, E UM TERCEIRO A SUA
LIVRE ESCOLHA.
SÚMULA Nº 654 A GARANTIA DA IRRETROATIVIDADE DA LEI, PREVISTA NO ART 5º, XXXVI, DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA, NÃO
É INVOCÁVEL PELA ENTIDADE ESTATAL 0UE A TENHA EDITADO.

SÚMULA Nº 655 A EXCEÇÃO PREVISTA NO ART. 100, "CAPUT", DA CONSTITUIÇÃO, EM FAVOR DOS CRÉDITOS DE NATUREZA
ALIMENTÍCIA, NÃO DISPENSA A EXPEDIÇÃO DE PRECATÓRIO, LIMITANDO-SE A ISENTÁ-LOS DA OBSERVÂNCIA DA
ORDEM CRONOLÓGICA DOS PRECATÓRIOS DECORRENTES DE CONDENAÇÕES DE OUTRA NATUREZA.
Súmulas
SÚMULA Nº 666 A CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA DE 0UE TRATA O ART. 8º, IV, DA CONSTITUIÇÃO, SÓ É EXIGÍVEL DOS
FILIADOS AO SINDICATO RESPECTIVO.

SÚMULA Nº 667 VIOLA A GARANTIA CONSTITUCIONAL DE ACESSO À JURISDIÇÃO A TAXA JUDICIÁRIA CALCULADA SEM
LIMITE SOBRE O VALOR DA CAUSA.

SÚMULA Nº 675 OS INTERVALOS FIXADOS PARA DESCANSO E ALIMENTAÇÃO DURANTE A JORNADA DE SEIS HORAS NÃO
DESCARACTERIZAM O SISTEMA DE TURNOS ININTERRUPTOS DE REVEZAMENTO PARA O EFEITO DO ART. 7º,
XIV, DA CONSTITUIÇÃO.
SÚMULA Nº 681 É INCONSTITUCIONAL A VINCULAÇÃO DO REAJUSTE DE VENCIMENTOS DE SERVIDORES ESTADUAIS OU
MUNICIPAIS A ÍNDICES FEDERAIS DE CORREÇÃO MONETÁRIA.
SÚMULA Nº 682 NÃO OFENDE A CONSTITUIÇÃO A CORREÇÃO MONETÁRIA NO PAGAMENTO COM ATRASO DOS
VENCIMENTOS DE SERVIDORES PÚBLICOS.

SÚMULA Nº 683 O LIMITE DE IDADE PARA A INSCRIÇÃO EM CONCURSO PÚBLICO SÓ SE LEGITIMA EM FACE DO ART. 7º, XXX,
DA CONSTITUIÇÃO, 0UANDO POSSA SER JUSTIFICADO PELA NATUREZA DAS ATRIBUIÇÕES DO CARGO A
SER PREENCHIDO.
SÚMULA Nº 693 NÃO CABE "HABEAS CORPUS" CONTRA DECISÃO CONDENATÓRIA A PENA DE MULTA, OU RELATIVO A
PROCESSO EM CURSO POR INFRAÇÃO PENAL A 0UE A PENA PECUNIÁRIA SEJA A ÚNICA COMINADA.

SÚMULA Nº 694 NÃO CABE "HABEAS CORPUS" CONTRA A IMPOSIÇÃO DA PENA DE EXCLUSÃO DE MILITAR OU DE PERDA DE
PATENTE OU DE FUNÇÃO PÚBLICA.

SÚMULA Nº 695 NÃO CABE "HABEAS CORPUS" 0UANDO JÁ EXTINTA A PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE.
SÚMULA Nº 702 A COMPETÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PARA JULGAR PREFEITOS RESTRINGE-SE AOS CRIMES DE
COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA COMUM ESTADUAL; NOS DEMAIS CASOS, A COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA CABERÁ
AO RESPECTIVO TRIBUNAL DE SEGUNDO GRAU.
SÚMULA Nº 704 NÃO VIOLA AS GARANTIAS DO JUIZ NATURAL, DA AMPLA DEFESA E DO DEVIDO PROCESSO LEGAL A
ATRAÇÃO POR CONTINÊNCIA OU CONEXÃO DO PROCESSO DO CO-RÉU AO FORO POR PRERROGATIVA DE
FUNÇÃO DE UM DOS DENUNCIADOS.
SÚMULA Nº 721 A COMPETÊNCIA CONSTITUCIONAL DO TRIBUNAL DO JÚRI PREVALECE SOBRE O FORO POR PRERROGATIVA
DE FUNÇÃO ESTABELECIDO EXCLUSIVAMENTE PELA CONSTITUIÇÃO ESTADUAL.

SÚMULA Nº 722 É DA COMPETÊNCIA LEGISLATIVA DA UNIÃO A DEFINIÇÃO DOS CRIMES DE RESPONSABILIDADE E O


ESTABELECIMENTO DAS RESPECTIVAS NORMAS DE PROCESSO E JULGAMENTO.
Contribuições dos Trabalhadores (Art. 8 IV) ƥ Confederativa
1. pela Assembléia geral é fixada
2. £ão é tributo
3. Só e devido pelos filiados
ƥ Sindical
1. Fixada em lei
2. é tributo
3. Devida por todos

*  H 3 %

( :



 (  @4   

  

  
4
  

  D
4 

    
 
 

  

  
4   
 (   
  B
* ,
   !306)"

=   
 

 4     @
@ 
<
4 

  %

(
   
 
     6
$
 
(
    > 
4 > (
4
> 

4 > 

 >  
4    5

I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;

II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;

III - ninguém será submetido à tortura nem a tratamento desumano ou degradante;

IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material,
moral ou à imagem;
VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos
religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;
VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares
de internação coletiva;
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou
política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir
prestação alternativa, fixada em lei;
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,
independentemente de censura ou licença;

X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a
indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;
* ,
   !306)"
XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador,
salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação
judicial;
XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações
telefônicas, salvo, no último caso, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para
fins de investigação criminal ou instrução processual penal; (Vide Lei nº 9.296, de 1996)
XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a
lei estabelecer;
XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao
exercício profissional;
XV - é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei,
nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens;
XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de
autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo
apenas exigido prévio aviso à autoridade competente;
XVII - é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar;

XVIII - a criação de associações e, na forma da lei, a de cooperativas independem de autorização, sendo vedada a
interferência estatal em seu funcionamento;
XIX - as associações só poderão ser compulsoriamente dissolvidas ou ter suas atividades suspensas por
decisão judicial, exigindo-se, no primeiro caso, o trânsito em julgado;
XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado.

XXI - as entidades associativas, quando expressamente autorizadas, têm legitimidade para representar seus
filiados judicial ou extrajudicialmente;
XXII - é garantido o direito de propriedade;

XXIII - a propriedade atenderá a sua função social;


* ,
   !306)"
XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por
interesse social, mediante justa e prévia indenização em dinheiro, ressalvada os casos previstos nesta
Constituição;
XXV - no caso de iminente perigo público, a autoridade competente poderá usar de propriedade particular,
assegurada ao proprietário indenização ulterior, se houver dano;
XXVI - a pequena propriedade rural, assim definida em lei, desde que trabalhada pela família, não será objeto de
penhora para pagamento de débitos decorrentes de sua atividade produtiva, dispondo a lei sobre os meios
de financiar o seu desenvolvimento;
XXVII - aos autores pertence o direito exclusivo de utilização, publicação ou reprodução de suas obras,
transmissível aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar;
XXVIII - são assegurados, nos termos da lei:
1. a proteção às participações individuais em obras coletivas e à reprodução da imagem e voz
humanas, inclusive nas atividades desportivas;
2. o direito de fiscalização do aproveitamento econômico das obras que criarem ou de que
participarem aos criadores, aos intérpretes e às respectivas representações sindicais e
associativas;
XXIX - a lei assegurará aos autores de inventos industriais privilégio temporário para sua utilização, bem como
proteção às criações industriais, à propriedade das marcas, aos nomes de empresas e a outros signos
distintivos, tendo em vista o interesse social e o desenvolvimento tecnológico e econômico do País;
XXX - é garantido o direito de herança;

XXXI - a sucessão de bens de estrangeiros situados no País será regulada pela lei brasileira em benefício do
cônjuge ou dos filhos brasileiros, sempre que não lhes seja mais favorável a lei pessoal do "de cujus";
XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor

XXXIII - todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse
coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas aquelas
cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado; (Regulamento)
* ,
   !306)"
XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas:
1. o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de
poder;
2. a obtenção de certidões em repartições públicas, para defesa de direitos e esclarecimento de
situações de interesse pessoal;
XXXV - a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito;

XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada;

XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;

XXXVIII - é reconhecida a instituição do júri, com a organização que lhe der a lei, assegurados:
1. a plenitude de defesa;
2. o sigilo das votações;
3. a soberania dos veredictos;
4. a competência para o julgamento dos crimes dolosos contra a vida;
XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal;

XL - a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu;

XLI - a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais;

XLII - a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos
da lei;
XLIII - a lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis de graça ou anistia a prática da tortura , o
tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o terrorismo e os definidos como crimes hediondos, por
eles respondendo os mandantes, os executores e os que, podendo evitá-los, se omitirem;
XLIV - constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a
ordem constitucional e o Estado Democrático
* ,
   !306)"
XLV - nenhuma pena passará da pessoa do condenado, podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação do
perdimento de bens ser, nos termos da lei, estendidas aos sucessores e contra eles executadas, até o
limite do valor do patrimônio transferido;
XLVI - a lei regulará a individualização da pena e adotará, entre outras, as seguintes:
1. privação ou restrição da liberdade;
2. perda de bens;
3. multa;
4. prestação social alternativa;
5. suspensão ou interdição de direitos;
XLVII - não haverá penas:
1. a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos termos do art. 84, XIX;
2. b) de caráter perpétuo;
3. c) de trabalhos forçados;
4. d) de banimento;
5. e) cruéis;
XLVIII - a pena será cumprida em estabelecimentos distintos, de acordo com a natureza do delito, a idade e o sexo
do apenado;
XLIX - é assegurado aos presos o respeito à integridade física e moral;

L - às presidiárias serão asseguradas condições para que possam permanecer com seus filhos durante o
período de amamentação;
LI - nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturalizado, em caso de crime comum, praticado antes da
naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma
da lei;
LII - não será concedida extradição de estrangeiro por crime político ou de opinião;
LIII - ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente;

LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal;
* ,
   !306)"
LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o
contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;
LVI - são inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por meios ilícitos;

LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória;

LVIII - o civilmente identificado não será submetido a identificação criminal, salvo nas hipóteses previstas em
lei;
LIX - será admitida ação privada nos crimes de ação pública, se esta não for intentada no prazo legal;

LX - a lei só poderá restringir a publicidade dos atos processuais quando a defesa da intimidade ou o
interesse social o exigirem;
LXI - ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade
judiciária competente, salvo nos casos de transgressão militar ou crime propriamente militar, definidos
em lei;
LXII - a prisão de qualquer pessoa e o local onde se encontre serão comunicados imediatamente ao juiz
competente e à família do preso ou à pessoa por ele indicada;
LXIII - o preso será informado de seus direitos, entre os quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a
assistência da família e de advogado;
LXIV - o preso tem direito à identificação dos responsáveis por sua prisão ou por seu interrogatório policial;
LXV - a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela autoridade judiciária;
LXVI - ninguém será levado à prisão ou nela mantido, quando a lei admitir a liberdade provisória, com ou sem
fiança;
LXVII - não haverá prisão civil por dívida, salvo a do responsável pelo inadimplemento voluntário e inescusável
de obrigação alimentícia e a do depositário infiel;
LXVIII - conceder-se-á "habeas-corpus" sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou
coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder.
* ,
   !306)"

LXIX - conceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo, não amparado por "habeas-
corpus" ou "habeas-data", quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder for
autoridade pública ou agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições do Poder Público;
LXX - o mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por:
1. partido político com representação no Congresso Nacional;
2. organização sindical, entidade de classe ou associação legalmente constituída e em
funcionamento há pelo menos um ano, em defesa dos interesses de seus membros ou
associados;
LXXI - conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o
exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à
soberania e à cidadania;
LXXII - conceder-se-á "habeas-data":
1. para assegurar o conhecimento de informações relativas à pessoa do impetrante, constantes de
registros ou bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter público;
2. para a retificação de dados, quando não se prefira fazê-lo por processo sigiloso, judicial ou
administrativo;
LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio
público ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e
ao patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo comprovada má-fé, isento de custas
judiciais e do ônus da sucumbência;
LXXIV - o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de recursos;
LXXV - o Estado indenizará o condenado por erro judiciário, assim como o que ficar preso além do tempo fixado
na sentença;
* ,
   !306)"

LXXVI - são gratuitos para os reconhecidamente pobres, na forma da lei:


1. o registro civil de nascimento;
2. a certidão de óbito;.
LXXVII - são gratuitas as ações de "habeas-corpus" e "habeas-data", e, na forma da lei, os atos necessários ao
exercício da cidadania
LXXVIII %a todos, no âmbito judicial e administrativo, são assegurados a razoável duração do processo e os meios
que garantam a celeridade de sua tramitação. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

§ 1º - As normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais têm aplicação imediata.

§ 2º - Os direitos e garantias expressos nesta Constituição não excluem outros decorrentes do


regime e dos princípios por ela adotados, ou dos tratados internacionais em que a
República Federativa do Brasil seja parte.

§ 3º Os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada
Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros, serão
equivalentes às emendas constitucionais. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) (Decreto
Legislativo com força de Emenda Constitucional)

§ 4º O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal Internacional a cuja criação tenha manifestado
adesão. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
#


' # --4  /11 | 




 Y -6 
 -
  
+ 
4 @  (
 (
 

    A 4
     @    :


 C
 
   !"

  



  
  
   !  "


' # -,4  /11 * 



 
  
$  3  =$  3

   + 
  
 
 /4 


  

C 

' # -4  1111 * 



 -6
   + 
4 


 < 


    


' # -4  1111 * 


 Y ,6 
 JH
   + 



 (   


  


  < 

 6
 

 

     
'   
  (
 >
 

' # -4  1J11J * 

 11
   + 


 

 J/
 *
 |     
 =
 A
4
      
 

  
A    #
4
|   + 
 ? $ 
#


' # -4  11J * 



 1%F
   + 
4 


 

    D 

  


' # -14  11J * 



 HJ  *
 |     

=
 A
 

 (  @
        
   %
= A  + 
 . G


' # ,J4  11J *  


Y 6

 /-  *
 |  
  
 =
 A
 

 < 4

4

     $  
11J4   

|  

 .  

I    (
    
 > 
         @



 
   + 
4  


     3 

 1H4  


( 
 
     @

<

 



(
2
 

  
 







 
 (

#


' # ,H4  1J11J * 




    3 
 
 J  

 J%*
   + 
4 

 
   
 
 >
  
 K

 ? 


' # ,/4  H11H *  



 
 *
 |  
  
 =
 A
 



 
  
4 4
 
  (
  ? $ 

' # ,-4  111/ 6


 
<   
 
 /-  *

' # ,,4  11J11/ * 



 ,J
   + 
4


 

   
I 
 +   6
 
 
? $ 
' # ,4  11J11/ | 

 >
$
    
 

'    + 

 

 J,
 *
 |  
  
 =
 A
4

      
 
(
   
   
 
#

' # ,4  J11- | 



 /64 4 14 1-4 1H4  

   + 


 -1  *
 |  
  
 =
 A


' # ,4  1H111- | 




 Y 6 
 /
  
+ 


  

  
   


' # ,4  111- *  


 YY 64 ,6  -6

 JH
  
+ 


' # ,14  111- ? 



 ,/
   + 


' # J4  1H111- * 






$
( 
 

$


  77 
 
  



    3 
 

//
   + 


    A 
I 
 4


<
 
 <
  
 A  
%

4 


: 4
$ 
   

' # H4  11H11, *  
 Y 6

 ,
   + 
4
     6
 

  

#


' # /4  1,1/11, * 



 /4 14 J,  1
  
+ 
4 

 (
 2

4   
  2

' # -4  1,1,11, * 
   3 
 1
   + 

' # ,4  11 * 
   
 ,64 -4 ,4 J4 J4 J,4 JH4
JJ4 14 14 14 1,4 1/4 1J4 4 4 4 ,4 ,4 -4 /4 H4
J4   -H
   + 
4 
 

 1%*4 1F4
%*  1%*4   
  2

' # 4  11-11 * 
 ) 
= (  

  

 2

' # 4  ,111 * 

   *
 |  
  
 =
 A
4 
 4  1 ! <"
4


4 


I 4   
 $   
    
 >
 
 
 .  %   
' # 4  J11 * 
 ) 
= (  

  

 2

' # 4  J11 ? 

 /4 14 4 H4 J-4 J  1

   + 
4 
   7  Y  
 
  
+ 
   
#
  
6 14  ,  <(
 JJH4   
  2

' # 14  J1,11
`    

6  $ 4    


 



'  % 6
 C$
    '(      
   



'  % |



    
4  D
(
  : 
($ 4 @
 
 

(   D   
      
 @



 


  

' , 8 | 
   2
4 



 ,6
  
 
4
 (
   2
  4  


4 

 referentes a fatos negativos
' - 8 *   (
  
 

>@  @ C :   


   

 >   
' 1 8 * 



    
   : 


  


 <

'  8  
   + 
4    


   

>    >  
  
(
D
'  8        
4
  

4   
  
4    @ 



 


 
   
C

  
 
`    

6  $ 4    


 



' J 8 * 


  


 

  :   


 

@
D
 

'  8 .
E
4   
  (
  


%
 


d$  
4
:    
4  @   ( $  
6 
.'(
    
  >   
'  % 6  $ 


  

     G 
 
  
 (
  
' , 8      


aspecto de direito à prestação
jurídica.
' - 8 6
C$
  '(      
    


   
   $ 
' / 8 & $

  

  




C  
 =

4 

@ C

  4   
4
:

 
    @   4
 2
     
   @      
($  
  >


 

`    

6  $ 4    


 



'   (
  
% .% >   (
  GC 
%
D !
"   
 
d$ 
 4
:   

  
4  D  6  #    + 
4 #


? 
  @  D
    ( $     

  >   

' , 8          


4  D
(
    
 <
 


< 
 
 > (
    


 
 
 

' ,, 8 

   

 
   
( 
 
  
' -1 8 * 
< 
   
  
  :      



  
      
(
  
`    

6  $ 4    


 


' Art. 3o O civilmente identificado por documento original não será
submetido à identificação criminal, exceto quando:

I. estiver indiciado ou acusado pela prática de homicídio doloso,


crimes contra o patrimônio praticados mediante violência ou
grave ameaça, crime de receptação qualificada, crimes contra a
liberdade sexual ou crime de falsificação de documento público;
II. houver fundada suspeita de falsificação ou adulteração do
documento de identidade;
III. o estado de conservação ou a distância temporal da expedição de
documento apresentado impossibilite a completa identificação
dos caracteres essenciais;
IV. constar de registros policiais o uso de outros nomes ou diferentes
qualificações;
V. houver registro de extravio do documento de identidade;
VI. o indiciado ou acusado não comprovar, em quarenta e oito horas,
sua identificação  
`    

6  $ 4    


 



' / 8 *        



 
 (
   

 
   
 (
  
' // 8
8 * 


  




  '  $ 
@  
   '(   @  D
C

  
    
8  D

> 





   4   C <4
 
 

8 * 





  (

  

  
  @  
       '( 4  
 
4   
8 =
 R   ?)     G4  

4 


   

 '(
 



> 






`    

6  $ 4    


 


' H, 8 *

 A     
  
 

 K    

' 1- 8 * 
 
    
 

 

  

4


@
 
  








  



' 1H % I
 

<

  4   


   

'  8 *

    
 

 
 
 
 
 


  
 
4 @
  

 
 
 

  '( 
'  8 *

 
< 
    


<
  (


      $    
 
(
D   4
  A    D 
   
' , 8 ) 
C  2
 )=+4
 
(
    

 2
4
 
  
  
  :
( 
4
  $ 
     
  


 
<  

'(
4    
  
  


  C$
4 @
            


(


 $ 

`    

6  $ 4    


 


' -1 8   $    $     
    4
@
@
D
4 
  

  4 
  


    #
 
 
 C
4 :4   $     

      
 
 

' J 8 6
 $
4       '(      
 
  


' J- 8     


 

4 
    
(
  
4
  C  
  
 $

' 1 8 |
  $    4   
  
  


 

 C 
 
      $ 
' 1 8 *  (

  
 






 
   $ 
' 1, % *     
 


 
4   =$  (
|    E


 +

4      
  D  


  C$

' 1/ 8    $ 


       @  C < @ 
  $ 
 

  
 



 
   


`    

6  $ 4    


 


'  8  (C   

  

   
  


     @ C
  
 

 


  @  
 
<

 
     
4  
    @    C
A 





' 
 C$    :
@  
<
 (
 

   

:
 

 .



  
@  B 


 


 

   
 


@   
 
' * 
 

 4 


 4
 
 
   

 <
4   


2


 
 
B
' *

 A     
  
   


 
 
  decisão judicial, exigindo-se, no primeiro
caso, o trânsito em julgadoB
'  :     


% 

 

B
' &


4  
 4

 
 2
  



     
  
   
B
?  :  6'( 

' ?  :  6(  


5
  ?  :  6'( 
I 4 @  5

"  ?  :  6'(  + 

("  ?  :  6'(   =
(
DB
"  ?  :  6'(  ? 

"  ?  :  6'(   |   + 
 = A B
  ?  :  6'(   #

?  :  6'( 
 *   ?6   
(:
 
<




  4


 
 G  '(    <          
'( 
  

 
  

  ?  :  6'(  





 #
5 não pode ser
    
 (  




  

 ) ( ! 


  " 2 (
 




  
  4  (
 
  )
 D


 autonomia
institucional e independência funcional do Ministério Público4



 
  

 *
 (     

  ?  :  6'(  
  
  J
   + 
4  
$  \|

 
 >  
\

, *  
 (   ?6I  
 
0  
 6
/,J
?  :  6'( 

 

 
    

        



B

 

 
    

   B

 

d          


 
   + 
!*|6+"B

 

 

  
 #
  
|   + 
B

, 4  
 
4 a ação penal pública4 


 B

- 
 D
(
   

  

B

/   @:   
ação civil pública