Você está na página 1de 38

FARISEUS, SADUCEUS E ESCRIBAS

INTRODUÇÃO
• Existe uma mudança significativa na leitura do Novo
Testamento para o Velho Testamento, a começar
pelos personagens;
• Durante o período do “silêncio profético”, após a
destruição do Templo de Salomão em 586 aC,
surgiram alguns grupos entre a população judaica;
• As suas formações se deram como consequência das
diversas interpretações sobre as fontes e os modos de
viver a religião de Israel;
INTRODUÇÃO
• Jesus confronta, repreende,
se engaja, e até mesmo se
submete na morte a
pessoas que detêm títulos
como “Escriba”, “Fariseus”, e
“Saduceus”.

Mas quem fazia parte desses grupos?


Qual a diferença entre eles?
Quais as suas características?
OS FARISEUS
OS FARISEUS
• É provável que este grupo surgiu a partir de um grupo
sacerdotal de separatistas judeus durante a revolta
dos Macabeus, que se opunha ao movimento de
helenização, liderado por Antioco Epifano.
• Seu nome, em hebreu perushim, significa "os
segregados".
• Os fariseus surgem desse grupo conservador
separatista que quer preservar a ortodoxia, ou seja, a
cultura judaica, a lei (Torah) e não se contaminar com
a cultura grega;
OS FARISEUS
• Por acreditarem que os seus antepassados foram
para o cativeiro babilônico porque não guardaram a
lei, os Fariseus se sentiam responsáveis por
“proteger” a Lei (Torah)
• Eles criaram aproximadamente 613 mandamentos
para proteger o povo de transgredir a Lei.
• Um exemplo: Quantos metros uma pessoa poderia
andar no sábado, sem ser considerado como
trabalho? Os intérpretes da Tradição Oral decidiram
que uma pessoa poderia andar no máximo 2000
côvados (914,4 metros). Isto ficou conhecido como
uma jornada de sábado. (Atos 1:12)
OS FARISEUS

Lucas 18:10-12
OS FARISEUS
• Os Zelotes surgem em meio aos fariseus, nome este,
possivelmente, dado por eles mesmos, que fazia
alusão ao zelo por Deus e pelo cumprimento da Lei;
• Por estarem convencidos de que o Senhor contava
com a colaboração humana, consideravam que não
podiam recusar o uso da violência quando esta fosse
necessária para vencer, nem se devia ter medo de
perder a vida em combate, pois era com um martírio
para santificar o nome do Senhor;
• Eles acreditavam que a justificação/salvação vinha
pelas suas obras.
OS FARISEUS
• O problema que ocorria, era a falta de entendimento
dos Fariseus em compreender que a interpretação da
Lei deveria ser balanceada pela misericórdia;
Estando Jesus em casa, foram comer com ele e seus discípulos muitos
publicanos e "pecadores". Vendo isso, os fariseus perguntaram aos
discípulos dele: "Por que o mestre de vocês come com publicanos e
‘pecadores’? “ Ouvindo isso, Jesus disse: "Não são os que têm saúde
que precisam de médico, mas sim os doentes. Vão aprender o que
significa isto: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios’. Pois eu não vim
chamar justos, mas pecadores". (Mateus 9:10-13)

• Jesus deliberadamente quebrava muitas dessas


tradições farisaicas (não todas), para mostrar que não
eram parte dos mandamentos de Deus.
OS FARISEUS

João 9
OS FARISEUS
• De acordo com a Tradição Farisaica, Jesus teria
quebrado o sábado três vezes ao curar este cego.:
1. Primeiro, os Fariseus consideravam como pecado a cura
no sábado, mas eles mesmo faziam a circuncisão de
crianças no sábado.
2. Segundo, fazer um pouquinho de lama, que foi usada para
a cura, também era considerado trabalho pelos Fariseus.
3. Terceiro, fazer o cego ir e voltar do Tanque de Siloé, levaria
mais do que 2000 côvados.
• Assim os Fariseus se perdiam na sua errônea
interpretação da Lei e dos Mandamentos de Deus.
OS FARISEUS
• Esses homens “zelosos” pela Lei de Deus,
foram incapazes de perceber que Jesus era a Lei de
Deus encarnada.
• Os falsos Fariseus (falso zelo) estavam diante da
perfeita revelação da Lei, que estava tentando
ensinar como eles deveriam interpretar a Lei,
porque Ele mesmo era a Lei, mas ainda assim alguns
deles queriam matá-lo!
• Ao invés de se aproximar de Deus pelo zelo das
escrituras, uma parte deles se distanciava de Deus.
Atividade Avançada
1) Em que período da história é provável que tenha sido
a formação dos diversos grupos judaicos?
2) O que significa Fariseu e o porque desse nome?
3) Quem eram os Zelotes?
4) Como Jesus se posicionava diante dos
mandamentos ciados pelos fariseus para “proteger”
a Lei?
5) No que consistia a Lei Oral?
OS SADUCEUS
A LEI ORAL
• Segundo a tradição judaica rabínica, a Torá escrita foi
entregue por Deus para Moisés no Monte Sinai em
conjunto com a Torá (Lei) Oral;
• Lei Oral é o conjunto de ensinamentos e especificações
de como cumprir os mandamentos da Torá escrita e que,
originalmente foram transmitidos de maneira oral de
geração a geração através dos sábios do povo;
• De acordo com o pensamento rabínico, não é possível
estudar a Torá escrita sem antes estudar a Torá oral.
“Nada acrescentem às palavras que eu lhes ordeno e delas nada
retirem, mas obedeçam aos mandamentos do Senhor, o Deus de
vocês, que eu lhes ordeno.” (Deuteronômio 4:2)
OS SADUCEUS
• Os saduceus eram um grupo de judeus presente na
Judeia durante o período do Segundo Templo, desde o
século II a.C. até a destruição do Templo em 70 d.C.
• O seu nome originou-se provavelmente de Zadoque (o
primeiro Sumo Sacerdote do Templo que o Rei
Salomão havia construído no passado). De fato na
Septuaginta , Zadoque é Saddoúk.
• Apesar da pequena quantidade, os saduceus
representavam o alto escalão social e econômico da
sociedade judaica;
• O grupo cumpria variadas funções, dentre as quais se
pode mencionar a função de manutenção do Templo;
OS SADUCEUS
• Os saduceus tinham forte influência política. Eles
trabalhavam muito duro para manter a paz através de
sempre seguir as decisões de Roma (Israel nesta
época estava sob o controle romano) e, na realidade,
pareciam estar mais preocupados com a política do
que com o religioso;
• Religiosamente, os saduceus eram mais
conservadores na área de doutrina do que os fariseus;
• Por terem descendência Sacerdotal, se apegavam ao
entendimento literal das escrituras, sem levar em
conta possíveis interpretações. Por isso rejeitavam
a Lei Oral dos Fariseus.
SADUCEUS X FARISEUS
“…os Fariseus transmitiram um legado de muitas
observâncias por meio dos pais que não são escritas na lei de
Moises; e por essa razão é que os Saduceus as rejeitam e
dizem que estimamos as observâncias obrigatórias que estão
na palavra escrita, mas não devem considerar o que é
derivado da tradição dos nossos antepassados;
e a respeito destas coisas é que grandes disputas e diferenças
surgiram entre eles, enquanto os Saduceus são capazes de
persuadir ninguém, exceto os ricos e não a subserviente
população, mas os Fariseus têm a multidão de seu lado…
(Josefo, Antiguidades 13: 297-298)”
OS SADUCEUS
• Uma breve lista de suas crenças que contradizem as
Escritura:
– Não acreditavam na interferência de Deus no destino dos
homens, mas tão somente no livre arbítrio;
– Eles negaram qualquer ressurreição dos mortos (Mateus
22:23)
– Eles negaram qualquer vida depois da morte, defendendo a
crença de que a alma perecia com a morte; eles acreditavam
que não há qualquer penalidade ou recompensa depois da
vida terrena.
– Eles negaram a existência de um mundo espiritual, ou seja,
anjos e demônios (Atos 23:8).
JESUS E OS SADUCEUS
MARCOS 12:18-27
A tática dos questionadores era
esta: se Ele afirma que existe
ressurreição, então deverá
responder de qual deles ela será
esposa quando ressuscitarem,
visto que os sete a desposaram.

A intenção dos saduceus era


confundir Jesus e mostrar que
ele era um Mestre desprezível,
não digno de confiança.
JESUS E OS SADUCEUS
• Jesus mostrou o erro de raciocínio que eles cometiam,
apontando dois fatos bem compreensíveis:
1. Na ressurreição a ordem não é segundo esta vida em que se
casam e se dão em casamento. Lá, são como os anjos que nem
se casam, nem se dão em casamento;
2. A ressurreição existe. Jesus comprovou isto através de uma
passagem dos escritos que eles mesmos sabiam serem
inspirados. Se Deus estava dizendo “Eu sou...” com o verbo “ser”
no presente, e não, no passado, isto significa que Abraão,
Isaque e Jacó estão vivos na sua presença, porque ele não é
Deus de mortos e, sim, de vivos.
• Nestas condições, uma vez que existe a ressurreição e
também uma vida depois da morte, onde os
ressuscitados são seres espirituais como os anjos, então
toda a filosofia e doutrina dos saduceus está lançada por
terra.
JESUS E OS SADUCEUS
• Antes de dar estes ensinamentos, Jesus chamou os
saduceus à atenção para o fato deles errarem por duas
razões: por não conhecerem as Escrituras e, segundo,
por não conhecerem o poder de Deus.
– No caso da imortalidade alegavam não encontrar apoio na
Lei de Moisés para afirmá-la. Por isso a negavam. Mas foi
bem dos escritos de Moisés que Jesus retirou as provas que
contrariavam aquele ensino, mostrando que uma parte dos
problemas estava mesmo na falta de conhecimento das
Escrituras.
– Mas a ressurreição está na dependência do poder de Deus.
Quem não conhece o poder de Deus, não pode crer na
ressurreição.
JESUS E OS SADUCEUS

A ignorância das Escrituras e o


desconhecimento do poder de Deus
são dois erros muito perigosos em
matéria de fé, porque têm
consequências eternas.
OS SADUCEUS
• Porque os saduceus estavam mais preocupados com a
política do que com a religião, eles não se
preocuparam com Jesus até quando as coisas
chegaram ao ponto de que Jesus iria chamar a
atenção indesejada de Roma. Foi a esta altura que os
fariseus e saduceus se uniram e planejaram que Cristo
fosse morto. (João 11:48-50)
• Os saduceus deixaram de existir em 70 D.C. Já que
este grupo existia por causa de seus laços políticos e
sacerdotais, quando Roma destruiu Jerusalém e o
Templo em 70 D.C., os saduceus também foram
destruídos.
CONCLUSÃO
Tanto os fariseus quanto os saduceus foram muito
censurados por Jesus. Talvez a melhor lição que
podemos aprender com os fariseus e saduceus é a
de não ser como eles. Ao contrário dos saduceus,
devemos acreditar em tudo o que a Bíblia diz,
incluindo no supernatural e em vida após a morte.
Ao contrário dos fariseus, não devemos tratar
tradições como tendo igual autoridade com a
Escritura, e não devemos permitir que o nosso
relacionamento com Deus seja reduzido a uma
lista legalista de regras e rituais.
Atividade Avançada
1) De onde originou o nome “saduceus” e como isso
influenciou a formação deste grupo judaico?
2) Liste 2 diferenças entre os saduceus e os fariseus?
3) Cite 3 crenças dos saduceus que os tornavam um
grupo de judeus diferenciado dos demais?
4) Como erraram os saduceus quando interrogaram
Jesus em Marcos 12:18-27?
OS ESCRIBAS
OS ESCRIBAS
• Escribas: é, literalmente, alguém que escreve.
• Diferindo dos Fariseus e dos Saduceus, os Escribas já
existiam no antigo testamento. Por exemplo, Esdras
era um escriba (Ne 8: 4; Ed 7:12);
• Na Bíblia, o escriba era um especialista na Lei. Suas
principais funções eram interpretar a Lei de Moisés,
trazendo soluções para as questões difíceis, e fazer
cópias exatas da Lei para o uso nas sinagogas. Ele
era referência quando o assunto era a Lei de Deus.
Era uma espécie de teólogo, de mestre, de professor,
de doutor da Lei;
OS ESCRIBAS
• Com o passar dos anos, na época de Jesus, os escribas,
com suas interpretações da Lei, já haviam montado uma
espécie de “tradição” que andava paralela ao que dizia a
Palavra de Deus. Ela é mencionada na Bíblia como
“tradição dos Anciãos”.
• Eles fizeram uma espécie de “lei” paralela que eles
mesmos escreveram e que a atribuíam como sendo a
vontade de Deus e da qual eram doutores.
“Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos
anciãos? Pois não lavam as mãos, quando comem”
(Mateus 15. 2)
• Lavar as mãos antes das refeições foi uma “lei”
incorporada na religião e na cultura pelos escribas por
“tradição”. Não há nenhuma lei na Bíblia mencionando
essa obrigatoriedade;
OS ESCRIBAS
• Os escribas do Novo Testamento criaram as regras e
regulamentos para todas as situações possíveis. Isto
tornou-se a lei oral, a tradição dos antigos;
• Diversas “tradições” foram incorporadas na religião
judaica e na cultura, o que fez com que Jesus se
dirigisse aos escribas de forma dura:

“Os mestres da lei (Escribas) e os fariseus se assentam na


cadeira de Moisés. (...) Eles atam fardos pesados e os
colocam sobre os ombros dos homens, mas eles mesmos
não estão dispostos a levantar um só dedo para movê-los.”
(Mateus 23:2,4)
OS ESCRIBAS
Por que a influência dos escribas pode ser considerada
prejudicial ao evangelho?
1. Monopolizavam a interpretação da palavra de Deus
(Mc 12.28-34)
Eram tão audaciosos que chegavam a afirmar que os seus
mandamentos excediam em dignidade os mandamentos de
Deus.
Diziam eles: “As palavras dos escribas são mais amáveis que
as da Lei; entre as palavras da Lei, existem as importantes e
as banais; as dos escribas, todas são importantes” (Luis
Claude Fillion, Enciclopédia da Vida de Jesus, p.99).
OS ESCRIBAS
Por que a influência dos escribas pode ser considerada
prejudicial ao evangelho?
2. Determinavam as regras para liturgia do culto
(Mt 23.13)
Por ocuparem uma posição de destaque, os escribas
decidiam quem deveria participar das reuniões.
3. Negligenciavam o mandamento de Deus e
guardavam suas próprias tradições
“Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de
regras ensinadas por homens’. Vocês negligenciam os
mandamentos de Deus e se apegam às tradições dos
homens". (Marcos 7:7,8)
JESUS E OS ESCRIBAS
Mc 2,1-12
• Para os escribas existia somente uma norma para o perdão
dos pecados: “Só Deus pode perdoar pecados”. Para
alguém receber o Perdão de seus pecados: deveria ir até o
templo de Jerusalém e ofertar um sacrifício de animais;
• Jesus perdoa os pecados sem mesmo que a pessoa tenha
que se dirigir ao Templo e fazer ofertas e sacrifícios;
• A preocupação dos escribas, conhecedores da lei era
simplesmente conservar o cumprimento da lei judaica.
Jesus ao contrário vê o sistema de morte que a lei
subjugava o povo e se preocupa com a vida e a saúde das
pessoas.
JESUS E OS ESCRIBAS
Mc 3,20-30
• A maneira de Jesus agir era muito estranha para os
escribas. Procuravam um argumento forte para que toda a
fama de Jesus vinda das curas, milagres e discursos
convincentes fosse paralisada;
• Os escribas afirmam que a atividade e ação de Jesus vem
inspiradas por Belzebu e pela força e poder do chefe dos
demônios. (V.22)
• As ações e obras de Jesus acontecem pela força e o poder
do Espírito Santo;
• Jesus condena a acusação feita contra ele que seria um
pecado sem perdão e contrapõe dizendo a blasfema contra
o Espírito Santo é o único pecado que dura para sempre e
que os errados seria eles que estavam o acusando.
Os Essênios
• Eram adeptos de uma seita judaica que existiu na
Palestina, no Oriente Médio, entre os séculos 2 a.C. e 1
d.C.
• Os essênios viviam afastados
da sociedade, no deserto,
concentrados em estudar o
Torá, jejuar, rezar e realizar
rituais de purificação, numa
espécie de comunismo
primitivo, no qual todos os
bens eram de propriedade
coletiva.
Os Essênios
• Em suas sociedades, que em geral excluíam mulheres, eles
observavam rigorosamente os mandamentos de Moisés e
obedeciam a uma estrita regra de disciplina, codificada em
manuscritos, que regulava todos os detalhes da vida diária;
• O surgimento da seita ocorreu numa época em que a
classe alta de Jerusalém, na Palestina, estava sob forte
influência da cultura grega (helenismo) – racional e pagã;
• Uma das consequências da influência foi o afastamento
entre o governo judeu local e alguns grupos religiosos, que
pregavam a defesa de costumes mais tradicionais desse
povo.
• A Bíblia não faz nenhuma referência aos essênios. Eles não
se envolviam na vida pública e provavelmente se
mantiveram afastados de Jesus e seus seguidores.
CONCLUSÃO
• Aprendemos que vários movimentos, seitas e partidos
políticos estavam presentes na época e no ministério
terreno de Jesus, e que muito influenciaram para
revelar a postura e a atitude do Mestre.
• Concluímos com algumas lições práticas, a partir da
vida e experiência de Jesus:
1. Em nenhum momento, Jesus mudou o foco do cumprimento de
Sua missão. Ele cumpriu o propósito do Pai até o fim;
2. Jesus não Se deixou intimidar apesar da pressão externa que
sofreu durante todo Seu ministério terreno;
3. Somos advertidos a não nos deixarmos envolver por
movimentos e grupos que se levantam contra a igreja, na
tentativa de apresentar outro evangelho (Gl 1.6-9).
Atividade Avançada
1) Quem eram os Escribas e o que eles criaram de tão
importante para o povo Judeu?
2) Porque a influência dos escribas foi prejudicial ao
evangelho?
3) Qual o grande ensinamento de Mc 2:1-12 e como
isso conflita com os ensinos dos escribas?
4) Quem eram os Essênios?