Você está na página 1de 17

As Teorias da Arte

Introdução à arte
• A arte não tem um significado
unívoco e universalmente
aceite.

• Foram surgindo várias teorias


mas houve dificuldade na
aceitação de uma só, pois
houve uma grande expansão
de objetos que fez com que se
levantassem questões sobre o
seu valor estético e artístico.
Teoria da arte como imitação
Platão
-A imitação é uma criação de imagens;
-O artista ao criar um objeto está apenas a imita-lo;
-O objeto é uma imitação da sua essência logo o
artista imita uma imitação.
• Esta teoria foi
defendida por :

Aristóteles
- A arte é uma imitação da natureza;
- Há tantas artes quantas as maneiras que há de
imitar os objetos.
Teoria da arte como imitação - Continuação
Segundo este teoria:

• O belo artístico é inferiorizado em comparação com o belo natural;

• A arte é um modo de reprodução do real.


Teoria da arte como imitação - Continuação
Críticas:

• Na arte não há uma realidade imediata mas sim uma realidade com
marca do artista:
-defendem a arte como uma transfiguração do real.
-defendem que a beleza artística é superior à beleza natural.

• Isto cria a teoria da arte como transformação do real.


Teoria da arte como imitação - Continuação
Hegel – critica esta teoria

• Critica a teoria da arte como imitação;


• Diz que reduz a arte a uma caricatura da vida;
• O homem limita-se a imitar a natureza para mostrar a sua
habilidade;
• Produz objetos inúteis e sem criatividade.
Teoria da arte como expressão
• Nesta teoria o valor da arte reside no prazer que ela proporciona e a sua
natureza reside na expressão da emoção Expressivismo.

• A expressão artística é o contrário da expressão vital, ou seja , é uma


expressão intencional e imediata.
Teoria da arte como expressão - Continuação

Segundo Tolstoi, existem


dificuldades na teoria:
 Talvez existam outros
fatores e outras condições
causais que presidam à
criação de obras de arte;
 O mérito da obra assenta
sobretudo na sua harmonia
interna;
 Dúvida a respeito do
conteúdo emocional de
certas obras;
 Não suscita numa emoção a
todas as pessoas.
Teoria da arte como forma significante

• A emoção estética desencadeada


no espectador pelas verdadeiras
obras de arte decorrem de um
qualidade que tais obras • Tal qualidade diz respeito
possuem: a chamada forma á relação existente entre as
significante. partes.
Essa propriedade é
indefinível, mas pode ser
reconhecida pelos críticos
mais sensíveis.
Teoria da arte como forma significante - Continuação

Todas as verdadeiras obras de arte são dotadas de uma forma significante.

• Existem duas objeções nesta teoria :


1- parece apoiar-se num argumento circular, uma vez que, refere que a
emoção estética resulta de uma propriedade destinada a desencadear
uma emoção no espetador. A emoção resulta de algo que produz emoção
estética e do qual nada mais se pode afirmar.
Teoria da arte como forma significante - Continuação

• 2 – não pode ser refutada:


- Se uma pessoa não sente emoção estética perante uma obra de arte,
essa pessoa está enganada, já que a obra desencadeia tal emoção.
- Se algum objeto não despertar uma emoção estética a um crítico
sensível, pode-se dizer que esse objeto é uma verdadeira obra de arte.
Teoria institucional da arte

Esta teoria diz-nos que

Existem dois aspetos comuns a todas as


obras de arte :
- Todas as obras de arte são artefactos
(sofrem manipulação por parte de
alguém );
- Estas obras possuem estatuto
porque este lhe foi conferido por
alguém com autoridade suficiente
para o fazer.
Teoria institucional da arte - Continuação

• Existem três criticas a esta teoria:

1- tudo se pode transformar numa obra de arte não sendo permitido


distinguir a boa de má arte por alguém com capacidade para o fazer;

2- é uma teoria circular uma vez que arte é só aquilo que um grupo restrito
decide considerar como tal;

3-deve haver razões para as pessoas ligadas ao mundo da arte escolherem


uns artefactos e não outros.
Teoria idealista da arte

• A verdadeira e autêntica obra de arte reside apenas na mente do artista,


ou seja, a arte não existe de um ponto de vista material.

O que o artista faz traduz-se numa expressão física.


Teoria idealista da arte - Continuação

• Obras de arte: não têm uma finalidade específica.


• Artefactos: pressupõem uma finalidade.

• Nenhuma obra de arte se reduz a um meio destinado a um fim utilitário.


Teoria idealista da arte - Continuação

• Existem duas críticas nesta teoria:

1- É estranho admitir que obras de arte são ideias em vez de materiais;

2- Só são obras de arte genuínas aquelas que não têm propósitos específicos
, por isso, excluem-se muitas obras, que mesmo tendo sido criadas para
divertir não deixam de ser artisticamente belas.
Trabalho
realizado por :
Catarina Varandas, nº3, 10º AQB2

Inês Damasceno, nº9, 10º AQB2

Tiago Silva, nº , 10º AQB2

Vasco Pais, nº , 10º AQB2