Você está na página 1de 25

UNIVAG CENTRO UNIVERSITÁRIO

GPA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, BIOLÓGICAS E ENGENHARIAS


CURSO DE AGRONOMIA

AVALIAÇÃO DE TOXIDEZ EM DIFERENTES DOSES DE BORO NA CULTURA DO TOMATE


(Lycopersicon esculentum Mill.)

ANDERSON MARCHIORO
EDERVAL PINHEIRO DA CRUZ
KARINA LEITE PINHEIRO
KATIELY EMERY RAMPANELLI SANTA CATARINA
MARINA MAYARA COSTA GOMES DA SILVA
RODRIGO GIOVANE DE AQUINO

VÁRZEA GRANDE – MATO GROSSO


2016
INTRODUÇÃO
• Origem: Espécie andina
• Família: Solanaceae
• Ciclo: 4-7 meses
• Hábito de crescimento: Determinado e indeterminado
• Tutorado e rasteiro
• Clima: Tropical de altitude (temperaturas amenas)
• Indiferente à fotoperíodo
ADUBAÇÃO
• A planta é altamente exigente em nutrientes e responde muito à
adubação (N, P, K, Ca, S, Mg).
• NITROGÊNIO
Favorece crescimento vegetativo e parte aérea.
Falta - Crescimento vegetativo lento e frutos pequenos.
Excesso - Folhas escuras, crescimento excessivo, menor quantidade
de flores e plantas mais suscetíveis a doenças e estresse hídrico.

Clorose por deficiência de N


ADUBAÇÃO
• FÓSFORO Folhas arroxeadas.
Falta de Fósforo.

Favorece crescimento radicular e engrossamento da haste;


Promove florescimento e estimula frutificação;
Aumenta precocidade.

• POTÁSSIO Queima das bordas das folhas.


Deficiência de potássio.

É o nutriente mais extraído;


Hastes mais resistentes, à doenças, melhora qualidade dos frutos
(sabor e cor).
ADUBAÇÃO
• BORO
Falta - Ponteiros necrosados e lóculos abertos.
Excesso - Manchas marrons nas folhas velhas nos bordos foliares, e
após, ocorre necrose.

Lóculos abertos. Ponteiros necrosados.


Deficiência de boro. Deficiência de boro.
IMPORTÂNCIA DO BORO
ESTÁGIO IMPORTÂNCIA DO ELEMENTO

Estabelecimento Garantir bom crescimento vegetal

Crescimento vegetativo Garantir que não ocorra limitação no crescimento

Florescimento/Frutificação Maximizar pegamento de flores, desenvolvimento e


frutificação

Amadurecimento/Frutos maduros Garantir amadurecimento uniforme


Fonte: Yara Brasil
OBJETIVO
Avaliar o desempenho das plantas em função das doses de boro
fornecidas.
MATERIAL E MÉTODOS
• Campo experimental do UNIVAG
• DETALHES DO PRODUTO: Plantas de hábito de crescimento
indeterminado, fortes e vigorosas, com excelente enfolhamento.
Frutos do tipo caqui/salada, longa vida, grandes, com paredes
grossas, firmes e alta uniformidade de tamanho e formato. Ótimo
sabor e firmeza.
Peso médio: 230 – 250g
Ciclo: 105 – 120 dias
Tipo de fruto: Caqui/salada grande
MATERIAL E MÉTODOS
• 15m(sulco) x1,20m (entre-sulco) x0,50m (entre-plantas)

• 4 linhas (30 plantas/linha):


2g de boro
4g de boro
6g de boro
8g de boro
ANÁLISE DE SOLO

OBS: Conforme as interpretações, o recomendado é utilizar 2g de boro.


MATERIAL E MÉTODOS
• Semeadura em 2 bandejas de isopor com 128 células cada
• Semeadura no dia 30/03/2016
• Transplantio no dia 20/04/2016 e primeira adubação de NPK
N- Sulfato de amônia – 6 gramas
P- Superfosfato simples – 24 gramas
K- Cloreto de potássio – 14 gramas
• Adubação de boro no dia 07/05/2016
MATERIAL E MÉTODOS
• Irrigação por sulco no dia 20/04/2016
• Amontoa no dia 07/05/2016
Favorecer a emissão de raízes adventícias ao caule.
MATERIAL E MÉTODOS
• Desbrota semanalmente após o dia 07/05/2016
Eliminar brotos laterais que surgem nas axilas das folhas.
• Tutoramento vertical individual com fitilho no dia 13/05/2016
MATERIAL E MÉTODOS
• AVALIAÇÃO:
Diâmetro do caule (cm);
Tamanho das plantas (cm);
Número de Pencas (quantidade);
Frutos por penca (quantidade).
MATERIAL E MÉTODOS

NOME DO PRODUTO DOSAGEM FINALIDADE


Tiger 5ml/L Mosca branca
Score 1ml/L Fungicida
Kasumin 1,5ml/L Fungicida
Abamectin 1ml/L Ácaro
Evidence 0,004ml/L Pulgão e tripes
Ampligo 1ml/L Inseticida
Karate 1ml/L Inseticida
Recop 2g/L Requeima
Cálcio 3ml/L Adubo foliar
RESULTADOS E DISCUSSÃO
DIÂMETRO
1.4
y = -1.45x + 1.485
1.2 1.11 R² = 0.5346
1
Altura de plantas

1 0.93

0.8
0.6
0.4
0.2
0
0
0 0.2 0.4 0.6 0.8 1
Doses

Obs: Contabilizado a partir de 5 cm acima do solo.


RESULTADOS E DISCUSSÃO
TAMANHO DE PLANTAS
120
y = -141.27x + 129.7
100 R² = 0.7836
89.55
Altura de Planta

80 84.92

60 61.77

40

20

0 0
0 0.2 0.4 0.6 0.8 1
Doses

Obs: Contabilizada a partir do solo até a ultima folha totalmente expandida.


RESULTADOS E DISCUSSÃO
NÚMERO DE PENCAS
6
4.83 y = -7.41x + 6.995
5 4.33 R² = 0.7429
4
Altura de Planta

1
0
0
0 0.2 0.4 0.6 0.8 1
Doses

Obs: Contabilizado apenas as pencas com frutos.


RESULTADOS E DISCUSSÃO
NÚMERO DE FRUTOS
y = -5.53x + 5.37
4.5
3.94 R² = 0.6489
4
3.4
3.5 3.08
Altura de Planta

3
2.5
2
1.5
1
0.5 0
0
0 0.2 0.4 0.6 0.8 1
Doses
RESULTADOS E DISCUSSÃO
• 2g não houve sintoma de toxidez;
• 4g teve sintoma de toxidez;
• 6g houve redução de porte e encarquilhamento de folhas em algumas
plantas e abortamento da primeira penca;
• 8g houve 100% de morte das plantas.
2 gramas
4 gramas

6 gramas 8 gramas
CONCLUSÃO
• Utilizar de 2 a 3 gramas de boro para o tomateiro;
• Embora 4g tenha bons resultados no gráfico, há plantas que
apresentaram toxidez;
• 6g e 8g não são recomendadas.
ARTIGO
TESE DE MESTRADO: Absorção e mobilidade do boro em plantas de tomate e de beterraba.
• Adubação com boro via foliar.
• Avaliado diferentes variáveis, como: Área foliar, altura das plantas, diâmetro de raiz, número
de folhas, entre outros.
• A adubação promoveu a maior produção de matérias secas do fruto e da planta inteira do
tomateiro, com pulverizações foliares de B na concentração de 0,340 g.
• A máxima produção dos frutos foi de 7.282,2 g por planta, atingida com a concentração de
0,340 g de B.
• As matérias secas da folha (MSF), caule (MSC), frutos (MSFR), raiz (MSR) e da planta inteira
(MSP) do tomateiro obtiveram melhores resultados com 0,340g.
• A partir dessa concentração, as plantas de tomate começaram a diminuir produtividade.
REFERÊNCIA
FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: Agrotecnologia
moderna na produção e comercialização de hortaliças. 2ª edição revista
e ampliada. Viçosa: UFV, 2003.
OBRIGADO