Você está na página 1de 41

Universidade Castelo Branco

Escola da Saúde e Meio Ambiente


Disciplina Bioquímica
Profa Renata Calixto

Introdução ao estudo da Bioquímica:


ASPECTOS BÁSICOS DA QUÍMICA ORGÂNICA
Química Celular
Química Orgânica:
Parte da química que estuda a estrutura,
Bioquímica propriedades, composição, reações e síntese
de compostos orgânicos que, por definição,
Ou contenham carbono, mas que podem também
conter outros elementos, como o oxigênio e o
Química da Vida hidrogênio. Muitos deles contêm nitrogênio,
halogênios e, mais raramente, fósforo e
enxofre.

as células são constituídas por 70% de agua, e


a vida depende quase
exclusivamente de reações químicas que
ocorrem em soluções aquosas

a quimica das células e bastante complexa


COMPONENTES QUÍMICOS
DA CÉLULA

as células possuam uma grande variedade de moléculas pequenas contendo


carbono

a maior parte dos átomos de carbono presente nas células esta incorporada
em grandes moléculas poliméricas  MACROMOLÉCULAS

As propriedades únicas dessas macromoléculas permitem que as células e


os organismos cresçam, reproduzam-se e desempenhem todas as demais
atividades peculiares à vida.
Os organismos vivos são compostos por somente uma pequena seleção dos 92
elementos que ocorrem naturalmente.

CARBONO (C), HIDROGENIO (H), NITROGENIO (N) e OXIGENIO (O)  96,5% do


peso de um organismo
Os átomos desses elementos são ligados um ao outro por ligações covalentes, formando
moléculas

Uma vez que as ligações covalentes geralmente são cem vezes mais fortes que a energia
térmica presente nas células, os átomos não são separados por essa excitação térmica e as
ligações são rompidas apenas em reações especificas com outros átomos ou moléculas.
Duas moléculas diferentes também podem se manter juntas por meio de ligações não
covalentes, que são muito mais fracas.

Uma propriedade essencial de qualquer ligação covalente ou não covalente é sua força.
A força de uma ligação é medida pela quantidade de energia necessária para romper a
ligação, expressa tanto em unidades de quilojoules por mol (kJ/mol) ou quilocalorias por
mol (kcal/mol).
A vida depende das propriedades químicas da água
Quando uma região da molécula de água carregada positivamente (i.e., um dos dois
átomos de H) se aproxima de uma região carregada negativamente (i.e., do O) de uma
segunda molécula de água, a atração elétrica entre elas pode resultar em uma ligação
de hidrogênio. Essas ligações são muito mais fracas do que as ligações covalentes e são
facilmente rompidas pelo movimento cinético aleatório que reflete a energia térmica
das moléculas
Quatro tipos de interações
não covalentes
contribuem para manter a
associação entre as
moléculas em uma célula:
Atrações eletrostáticas
(ligações iônicas),
Ligações de hidrogênio
Atrações (ou forca) de van
der Waals
Força hidrofóbica:
promove a atração das
moléculas
A estrutura de uma ligação de hidrogênio típica

forma especial de interação polar


altamente direcional
Esquema mostrando como duas
macromoléculas com superfícies
complementares podem se ligar firmemente
uma à outra através de ligações
não covalentes.

Ligações químicas não covalentes tem 1/20 da


força de uma ligação covalente. Elas são capazes
de produzir uma ligação forte somente quando
muitas delas se formarem simultaneamente.
Embora apenas atrações eletrostáticas estejam
representadas no esquema, geralmente todas as
quatro forças não covalentes contribuem para
que duas macromoléculas se mantenham ligadas
Algumas moléculas polares formam ácidos e bases em água

Os prótons se movem facilmente em soluções aquosas


As células são formadas por
compostos de carbono
moléculas orgânicas
As células contêm quatro famílias principais de
moléculas
orgânicas pequenas

moléculas orgânicas pequenas compostos baseados no carbono

Monômeros compor gigantescas macromoléculas


A química das células é dominada por
macromoléculas com
propriedades extraordinárias
Ligações não covalentes determinam tanto a forma precisa
das macromoléculas como a forma com que se ligam a outras
moléculas

A maior parte das ligações covalentes das macromoléculas permite que átomos que
participam da ligação girem, de modo que as cadeias de polímeros possuam grande
flexibilidade

isso possibilita que a macromolécula adote um numero praticamente ilimitado de


formas, ou conformações

formas específicas das macromoléculas muitas ligações não covalentes fracas


a cadeia do polímero
pode ter preferência
por uma dada
conformação, que é
determinada pela
sequência linear dos
monômeros na cadeia
Os quatro tipos de interações não covalentes são importantes para as moléculas
biológicas:
• Proporcionam as formas características das macromoléculas biológicas;
• Essas ligações também criam atrações fortes entre duas ou mais
• moléculas diferentes .
• Essas formas de interações moleculares possibilitam uma grande
especificidade porque os contatos múltiplos necessários para uma associação
forte permitem que uma macromolécula selecione, por meio da associação,
apenas um entre os muitos milhares de outros tipos de moléculas presentes
nas células.
• Pode ocorrer ligações com qualquer grau de afinidade, permitindo que se
dissociem de forma rápida quando necessário.
Atividade Complementar
Leitura e síntese do Título: A Bioquímica e a Organização das células cap.1. CAMPBELL, M.
K. & FARRELL, S.O.

Bibliografia para o curso:


Básica
CAMPBELL, M.K. & FARRELL, S.O. Bioquímica. São Paulo: Cengage Learning. 2015. 8ª ed.
MORAN, L. A. Bioquímica. 5ª ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2013.
LEHNINGER, A. L. Princípios de bioquímica. 4ª ed. São Paulo: Sarvier, 2006.
Complementar
BAYNES, J.; DOMINICZACK, M. H. Bioquímica médica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.
CHAMPE, P. G. Bioquímica ilustrada. 4ª ed. Porto Alegre: ArtMed, 2009.
DEVLIN, T. M. Manual de bioquímica com correlações clínicas. São Paulo: Edgard Blucher,
2007.
POIAN, A. P. Hormônios e metabolismo: Integração e correlações clínicas. São Paulo:
Atheneu, 2005.
STRYER, L. Bioquímica. 4ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, c1996.
http://www.keepcalmdiy.com/tips-2/crie-seu-proprio-poster-keep-calm/