Você está na página 1de 18

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do

Ceará – Campus Maracanaú

Áreas alagadas e Águas


temporárias.
Disciplina: Limnologia
Equipe: Alana Rafaela
Evandro Sousa
Kevin Yuri

MARACANAÚ (CE), FEVEREIRO DE 2018


Áreas Alagadas : Definições e Classificação

• As áreas alagadas ou pantanosas são


ecossistemas que, ou está
permanentemente sob inundação em
áreas rasas ou sofre inundações com
flutuações de nível.
• Programa Biológico Internacional: “área
dominada por macrófitas, herbáceas,
cuja produtividade ocorre no ambiente
aéreo acima do nível da água, enquanto
que as plantas sobrevivem ao excesso de
água que seria prejudicial para muitas
plantas superiores aéreas”.

2
Áreas Alagadas : Definições e Classificação

As áreas alagadas ocupam uma 2. Classificação


posição intermediária entre
ecossistemas terrestres e aquáticos: • Marinho;

• Presenças de água e tipos especiais • Estuário;


de solos;
• Riverinos;
• Sistemas intermediários entre
• Lacustre;
ecossistemas terrestres e aquáticos;
• Palustre.
• Variação de água bastante ampla.

3
Áreas Alagadas : Ciclo Hidrológico

• Ciclo Hidrológico é o mais importante determinante para o


estabelecimento de tipos específicos de áreas alagadas e seus
processos.
• O ciclo hidrológico define o hidroperíodo ou hidropulso, o qual
representa o padrão estacional do nível de água.
• O hidroperíodo, associado à flutuação de nível, varia
consideravelmente para as diversas áreas alagadas.
• O balanço hidrológico das áreas alagadas é muito importante e é dado
pela seguinte fórmula:
𝑫𝑽 = 𝑷𝒏 + 𝑺𝒆 + 𝑮𝒆 − 𝑬𝑻 − 𝑺𝒐 − 𝑮𝒐 ± 𝑻

4
Áreas Alagadas : Ciclo Hidrológico

5
Ciclos Biogeoquímicos

6
Ciclos Biogeoquímicos: Transporte de Nutrientes em
áreas alagadas:

Perdas:
Entradas:
• Fixação em sedimentos do fundo.
• água de superfície;
• atmosfera;
• precipitação;
• marés.
Saídas:
• Atmosfera;
• água de superfície;
• água de subsuperfícies.
7
Ciclos Biogeoquímicos: Reciclagem de Nutrientes:

Os mecanismos que contribuem para a retenção de nitrogênio nas


áreas alagadas são:
• Sedimentação;
• Fixação pela vegetação;
• Desnitrificação;
Processo bacteriano de desnitrificação:
• Transformam: Nitrato(NO3-) e Nitrito(NO2-) em: Óxido Nitroso(N2O)
e em Nitrogênio Atmosférico(N2).

8
Áreas alagadas como sistemas de retenção de
nitrogênio, fósforo, metais pesados e matéria orgânica:

• Autores: (Novitski, 1978; Mitsch e Gosselink, 1986; Weisner et al., 1994;


Leonardson, 1994; Hendricks e White, 2000; Hill, 1996; Whitaker e Matvienko,
1998).
• Autor: Abe et al. (2006).
• Região: Parelheiros, em SP.
• Tratamento inicial da água: da represa Billings para a represa de Guarapiranga.
• Autores: Salati(comunicação pessoal), Manfrinato(1989) e Salati et al. (2006).

9
Áreas Alagadas : Principais Adaptações Biológicas

• Os organismos que se desenvolvem em áreas alagadas apresentam algumas adaptações


específicas.
• Efeitos Estressantes: Flutuações de Nível, Período de Intensa Anoxia, Intensa Flutuação de
Salinidade.
• Plantas Flutuantes e Submersas.
• Extensa rede de raízes, folhas e material em decomposição.
• Gopal (1992) publicou uma extensa revisão sobre as principais adaptações dos organismos
ao regime de áreas alagadas.
• Adaptações Reprodutivas e de Alimentação.
• Plantas C4 Pelo fato de utilizarem CO2 atmosférico mesmo em baixas concentrações e
apresentarem baixa fotorrespiração.
10
Áreas Alagadas : Principais Adaptações Biológicas

11
Áreas Alagadas : Produção primária e diversidade de
espécies:

• Estudados por Mitsch e Gosselink (1983), os quais


verificaram resultados abaixo.

• A diversidade de espécies é elevada nessas regiões.

12
Áreas Alagadas : Produção primária e diversidade de
espécies:

• As redes alimentares em áreas


alagadas são complexas e
diversificadas.
• Comunidades de perifíton, epifíton
e epipélicas.
• Contribuições relativas das
comunidades de produtores
primários.

13
Outros Estudos no Brasil:

• Henry(2003).
• No volume Ecótonos nas
Interfaces dos Ecossistemas
Aquáticos(2003);

14
Atributos estruturais e funcionais de áreas alagadas:;
Morfometria:

• Posição em relação a rios; • Áreas Alagadas em Regiões Urbanas.


• Reservatórios; • Utilização das áreas alagadas pelo homem.

• Gradientes Horizontais e
Verticais;
• Ecótonos Litorâneos;
• Ecótonos Ripários;
• Ecótonos nas áreas úmidas
alagáveis;
• transição água e sedimento.

15
Águas Temporárias

• Essas tem uma profundidade geralmente pequena (>1,00 e <2,00 m),


ocupam depressões em zonas áridas ou semi-áridas.
• Outra característica importante das comunidades de lagoas
temporárias é a tolerância às flutuações de nível, salinidade e oxigênio
dissolvido.
• Do ponto de vista evolutivo, esses ecossistemas apresentam
comunidades extremamente adaptadas em termos fisiológicos e de
reprodução.

16
Síntese

• As áreas alagadas ou pantanosas são ecossistemas que esta permanentemente sob


inundação em áreas rasas ou sofre inundações com flutuações de nível.
• As áreas alagadas ocupam uma posição intermediária entre ecossistemas terrestres e
aquáticos.
• Ciclo Hidrológico é o mais importante determinante para o estabelecimento de tipos
específicos de áreas alagadas e seus processos.
• Áreas alagadas funcionam como transformadores efetivos de nitrogênio, fósforo e
carbono
• Áreas alagadas liberam significativas concentrações de 𝑁2 para a atmosfera por meio
de processos de desnitrificação.
• Os organismos que se desenvolvem em áreas alagadas apresentam algumas
adaptações específicas.

17
Referência
s
• TUNDISI, José Galizia; TUNDISI, Takako Matsumura. Limnologia. São Paulo:
Oficina de Textos, 2008.

18