Você está na página 1de 70

FACULDADE DE MEDICINA/INTA

MÓDULO SISTEMA NERVOSO


NEUROANATOMIA

Medula Espinhal e
Nervos periféricos
Prof. João Martins
Sistema Nervoso
Classificação

 Divisão Anatômica
Cérebro
Encéfalo Cerebelo Mesencéfalo
dentro do
crânio
Tronco Encefálico Ponte
SNC Bulbo
(Neuroeixo) Medula
dentro do dentro do canal
esqueleto axial vertebral
Cranianos
Nervos
Espinhais

SNP Gânglios Sensitivos (dorsais)


Viscerais (SNA)
Terminações Nervosas
As partes do sistema nervoso periférico (os nervos cranianos foram omitidos)
Sistema Nervoso
Classificação

 Divisão Funcional

Aferente (receptores periférico  SNC)


SN Somático
SN da vida de relação Eferente (SNC  mm. esqueléticos)

Aferente (visceroceptores  SNC)


SN Visceral Simpático
SN da vida vegetativa Eferente = SN Autônomo
(SNC  glândulas, mm. lisos e cardíaco) Parassimpático
Objetivos de Aprendizagem
Medula Espinhal

 Conhecer a anatomia macroscópica da


medula e sua relação com a coluna vertebral
 Conhecer a anatomia microscópica da
medula, incluindo os componentes de
substância cinzenta (colunas) e substância
branca (funículos), e as diferenças entre os
níveis cervical, torácico e lombar
 Entender a função dos principais tractos e
fascículos
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

 45 cm
 Limites:
 Bulbo
 Cone terminal (entre corpos vertebrais L1-L2)
 Filamento terminal
Visão posterior do encéfalo e da medula espinhal (ME) recobertos pela dura-máter
Visão posterior mostrando a região da medula espinhal e
da cauda eqüina coberta pela dura-máter
Medula Espinhal in Situ
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

 Intumescências
 Cervical
 C5, C6, C7, C8, T1 – Plexo braquial
 Lombar
 L1, L2, L3, L4, L5, S1, S2 – Plexo lombossacro
Relação das raízes nervosas com as vértebras
Visão posterior da parte inferior da medula espinhal e
da cauda eqüina, após a abertura da dura-máter Região inferior da medula espinhal e cauda eqüina
Visão oblíqua posterior da extremidade inferior da medula espinhal
e da cauda eqüina (lâminas removidas à direita)
Visão posterior da medula espinhal após
abertura da dura-máter Visão anterior da medula espinhal
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

 Fissura mediana anterior


 Sulco lateral anterior
 Sulco mediano posterior
 Sulco lateral posterior
 Sulco intermédio posterior
 Septo intermédio posterior
Substância branca Substância cinzenta
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

 Substância cinzenta
 Coluna anterior
 Coluna posterior
 Coluna lateral → medula torácica

 Canal central da medula


Citoarquitetura da substância cinzenta da medula
Secções transversais da medula espinhal em vários níveis
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

 Substância branca
 Funículo anterior
 Funículo lateral
 Funículo posterior
 Fascículo grácil
 Fascículo cuneiforme
Corte transverso da parte lombar da medula espinhal, mostrando
as raízes anterior e posterior de um nervo espinhal
músculos

diafragma

músculos do

músculos

Cortes transversos da medula espinhal, em níveis diferentes,


mostrando a disposição das substâncias cinzenta e branca
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

 Raízes
 Ventral
 Dorsal  Gânglio Espinhal
 Filamentos radiculares

 Nervo espinhal
 Ramo ventral
 Ramo dorsal
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

Filamentos radiculares Raiz ventral Nervo espinhal


(Radicelas) Raiz dorsal Ramos V e D
Segmento medular
Meninges espinhais e raízes nervosas – vista anterior (membranas removidas)
Esquema da medula espinhal com componentes sensitivos, motores e autonômicos dos nervos periféricos
Origem do nervo espinhal – secção através da vértebra lombar
Origem do nervo espinhal – secção através da vértebra torácica
Visão posterior da medula espinhal coberta pela dura-máter (DME).
Os gânglios sensitivos (GS) localizam-se na emergência dos nervos espinhais.
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

 Nervos Espinhais
 31 pares
 8 cervicais
 12 torácicos
 5 lombares
 5 sacrais
 1 coccígeo
Segmento medular Segmento vertebral
Topografia vertebromedular
Relação entre os segmentos
radiculares da medula e os
corpos vertebrais
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica
Regra geral

Vértebras C2 a T10

Nº processo espinhoso 2 Segmento
Medular

Processo espinhoso
vértebra T11
Segmentos medulares L1 a L5
Processo espinhoso
vértebra T12

Processo espinhoso
vértebra L1
Segmentos medulares S1 a S5
Relação entre os segmentos
radiculares da medula e os
corpos vertebrais
Inervação segmentar da pele (segundo Hansen-Schliack)
Estrutura da Medula Espinhal
Anatomia Macroscópica

 Envoltórios

 Dura-máter – Paquimeninge
 Aracnóide Leptomeninge
 Pia-máter
Visão posterior do encéfalo e da medula espinhal (ME) recobertos pela dura-máter
Visão posterior mostrando a região da medula espinhal e
da cauda eqüina coberta pela dura-máter
------------------------------ L2
As relações entre a medula espinhal, os nervos espinhais e as meninges
Meninges espinhais e raízes nervosas – vista posterior
Epicone, cone medular e cauda eqüina
Estrutura e Função da Medula
Anatomia Microscópica

 Vias de associação
 Vias de projeção
 Ascendente
 Descendente
A forma mais simples de organização das vias sensoriais ascendentes (à esquerda) e das vias motoras
descendentes (à direita), mostrando os neurônios que as formam
Tratos ascendentes e descendentes da medula espinhal
Secções transversais da medula espinhal – tratos nervosos
Substância branca medular

Vias ascendentes* Vias descendentes*

Trato espinotalâmico lateral Trato corticoespinhal lateral

Trato espinotalâmico anterior Trato corticoespinhal anterior

Trato espinocerebelar anterior

Trato espinocerebelar posterior

Fascículos grácil e cuneiforme

* Vias principais
Vias ascendentes
Tato fino
Vibração
Posição
Estereognosia

Térmico e dolorosa

Tato grosseiro e pressão


Tônus e postura
Movimento e posição

Tratos espinotalâmicos Vias proprioceptivas inconscientes Vias proprioceptivas conscientes


Vias descendentes
Vias piramidais
Reflexo patelar. O arco reflexo
monossináptico estabelece também
conexões aferentes sensoriais
tálamo-corticais (percepção
consciente da percussão patelar).
Igualmente, o mesmo reflexo pode
sofrer influências supra-espinhais
através do trato corticoespinhal e do
sistema motor gama.
Nervos Periféricos
Nervos Espinhais - Trajeto

Gânglio Nervo espinhal


espinhal

Filamentos Forame intervertebral


radiculares Raiz dorsal
sensitiva Ramo dorsal
misto

Ramo ventral
Colunas anterior e Filamentos Raiz ventral Tronco do Nervo misto
motora espinhal
lateral da medula radiculares
misto

Plexo braquial
Nervos intercostais
(ramos ventrais dos nervos
espinhais torácicos)
Plexo lombossacro
Nervos Periféricos MMSS
Nervos Proximais
 Nervo músculocutaneo
 Nervo axilar
 Nervo supra-escapular
 Nervo torácico longo
 Nervo acessório
 Nervo escapular dorsal
 Nervo subscapular
 Nervo toracodorsal
 Nervos peitoral, medial e lateral
 Nervo subclávio
 Nervo cutâneo medial do braço e antebraço
Nervos Periféricos MMSS
Plexo Braquial
Nervos Periféricos MMII
Nervos Proximais
 Nervo ílio-hipogástrico
 Nervo ilioinguinal
 Nervo genitofemoral
 Nervo cutâneo femoral lateral
 Nervo obturador
 Nervo femoral
 Nervo glúteo superior
 Nervo glúteo inferior
 Nervo cutâneo femoral posterior
 Nervo pudendo
Nervos Periféricos MMII
Plexo Lombossacro