Você está na página 1de 41

ESTADO DO ACRE

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO


COORDENAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL

PRIMEIRA FORMAÇÃO PARA


GESTORES E COORDENADORES

Fevereiro -
2018
•PERÍODO
21 e 22.02.18

•TEMPO PREVISTO
16h
1º DIA – 21/2/2018 – DURAÇÃO: 8h
MANHÃ

Abertura e boas vindas

 Boas vindas da Coordenadora do Núú cleo: Prof.ª Cardoci Paiva


Boas vindas da Sec. Múnicipal de Edúcaçaã o: Vinete Leitaã o

Acolhimento dos participantes – MÚÚ SICA

 Apresentaçaã o dos formadores da SEE e SEME e dos


participantes;

 Combinados acerca do cúmprimento dos horaú rios, úso de


celúlar dúrante o encontro e oútros qúe considerar necessaú rio;

 Apresentaçaã o, em slides, dos objetivos, conteúú dos e materiais da


formaçaã o – Planejamento 2018;
*
Capacidades/objetivos

• Súbsidiar as eqúipes gestoras das escolas da Rede Estadúal e


múnicipal de Edúcaçaã o para elaboraçaã o do Planejamento,
partindo da reflexaã o sobre os impactos das açoã es desenvolvidas
em 2017 a fim de avaliaú -las, alinhando objetivos e açoã es para
2018, bem como retomar e/oú replanejar estrateú gias da
organizaçaã o do trabalho pedagoú gico;
• Orientar as eqúipes escolares para a leitúra e apropriaçaã o dos
resúltados de avaliaçoã es externas, traçando úma visaã o ampla do
desempenho dos estúdantes de súa escola, de modo a súbsidiar
o planejamento de açoã es pedagoú gicas qúe atendam as reais
necessidades de todos os alúnos.
*
Expectativas de aprendizagens/conteúdos

• Anaú lise e reflexaã o sobre os impactos das açoã es desenvolvidas


em 2017;

• Súbsíúdios para elaboraçaã o do Planejamento escolar 2018 para


alinhamento de objetivos e açoã es;

• Orientaçaã o aà s eqúipes escolares para a leitúra, apropriaçaã o


dos resúltados de avaliaçoã es externas para útilizaçaã o
pedagoú gica desses indicadores.
*Recursos

• Data show/ caixinhas de som/ notebook.


• Extensaã o e adaptadores para tomadas;
• Apresentaçaã o Slides/Paúta;
• Qúadro branco, apagador e pincel;
• Papel A4/súlfite;
• Textos/coú pias dos anexos;
Fazer uma breve retomada das duas
formações realizadas em 2017 com
as equipes gestoras das escolas,
ressaltando a importância do
aprimoramento e execução do plano
de gestão, como forma de organizar e
consolidar o trabalho pedagógico.
1ª formação – Fevereiro de 2017
• Analisar e avaliar as ações pedagógicas
desenvolvidas em 2016 e os resultados alcançados,
utilizando-os para a elaboração do planejamento
escolar de 2017;

• Desenvolver situações que possibilitem a


elaboração de ações que contemplem as
necessidades de aprendizagem de todos os alunos;

• Sensibilizar a equipe gestora para organizar e


estruturar um programa de formação de leitores na
escola, visando à ampliação de práticas de leitura
nas diferentes áreas do conhecimento.
2ª formação - Julho de 2017

• Análise e planejamento de ações pedagógicas de acordo com o Plano


de Gestão Pedagógica da escola;

• Articulação e consolidação do trabalho do gestor, coordenador de


ensino, coordenadores pedagógicos e professores dos diferentes turnos,
para que se organizem pedagogicamente como unidade escolar;

• Intensificação da rotina pedagógica, observação em sala de aula e a


devolutiva ao professor, evidenciando o trabalho em equipe;

• Compreensão do planejamento e do acompanhamento em sala de


aula como modalidades privilegiadas de formação na escola;

• Fortalecimento do planejamento horizontal e vertical a partir das


Orientações Curriculares com foco na elevação da aprendizagem dos
alunos.
*
Avaliação dos impactos das ações
prioritárias desenvolvidas em 2017 –
Plano de Gestão Pedagógica
ATIVIDADE II
 Organizar os participantes por escola e rede;

 Disponibilizar o instrúmento (anexo 1) - Avaliaçaã o das açoã es


prioritaú rias 2017) com o recorte da matriz de gestaã o para o registro
das açoã es desenvolvidas, impactos observados e múdanças
propostas.

 Solicitar qúe possam discútir, analisar e avaliar as açoã es


prioritaú rias estabelecidas no Plano de Gestaã o Pedagoú gica elaborado
em 2017, com vistas a repensar e (re) planejar, júnto aà eqúipe
escolar, as açoã es para o ano de 2018, frente aos desafios inerentes
aos processos de ensino e aprendizagem.

Socialização dos registros apresentando cada pilar (um por vez) por
todos os grupos, de modo a evitar repetições e otimizar o tempo.
Anexo I - Matriz de Gestão Pedagógica
Planejamento e Gestão
Foco Ações Desenvolvidas Impactos Mudanças
( o que, de fato, foi realizado) (aplicação no dia-a-dia) (necessidade de
ajustes)
A – Realizar diagnoú stico da escola
para úso no planejamento.

B – Definir e monitorar metas.


Currículo, expectativas de aprendizagem e avaliação
A – Coordenar a implementaçaã o da
proposta cúrricúlar e expectativas
de aprendizagem da Secretaria de
Edúcaçaã o.

B – Analisar, comúnicar e promover


o úso pedagoú gico dos resúltados das
avaliaçoã es externas.

E – Coordenar aplicaçaã o e úso


pedagoú gico de avaliaçoã es
diagnoú sticas.

G – Desenvolver estrateú gias


especíúficas para alúnos, a partir de
dados das avaliaçoã es (internas e
externas).

H – Monitorar e prevenir
absenteíúsmo e evasaã o de alúnos.

Formação em Serviço
C – Analisar e aprimorar planos de
aúla e seqúeê ncias didaú ticas.

D – Observar e dar devolútiva sobre


a praú tica da sala de aúla.

Ambiente escolar
C – Promover o conhecimento e a
aplicaçaã o de boas praú ticas de gestaã o
da sala de aúla.

D – Comúnicar e envolver pais nos


esforços de aprendizagem.
*
Socialização dos registros apresentando cada
pilar (um por vez) por todos os grupos, de
modo a evitar repetições e otimizar o tempo.
*
Uso Pedagógico das Avaliações
1º MOMENTO

Fazer úma raú pida retomada do dia anterior e


proceder úma explanaçaã o sobre os diversos tipos de
avaliaçoã es efetúadas em nossas redes de ensino (PROA;
ANA; SEAPE, SAEB/IDEB);
Enfatizar qúe, tanto as avaliaçoã es externas como os
resúltados internos da escola, representam úm
diagnoú stico das aprendizagens e dificúldades dos
alúnos e qúe, se bem útilizados, orientam o (re)
planejamento de estrateú gias a fim de alcançar o qúe
ainda naã o foi consolidado.
2º MOMENTO

Apresentar as revistas do SEAPE;


Esclarecer qúe constitúem recúrsos complementares
qúe súbsidiam o trabalho pedagoú gico a partir da
avaliaçaã o, informando qúe a abordagem qúe faremos
estaú fúndamentada neste material;
 Destacar qúe o úso pedagoú gico das avaliaçoã es
externas colabora com o trabalho de Gestores e
coordenadores escolares.
*
Análise e uso pedagógico das
avaliações externas
1. Breve explanação sobre os padrões de desempenho
para que seja possível identificar:

• O qúe sabem os alúnos em cada padraã o de desempenho


• O qúe precisam saber
2.A contribuição desse diagnóstico na ação pedagógica da
equipe gestora, permite:

• Identificar as túrmas qúe precisam de apoio pedagoú gico;

• Refletir sobre os ajústes necessaú rios no planejamento de


atividades e acompanhamento desses alúnos;

• Identificar qúais os ajústes necessaú rios ao plano de formaçaã o


(grúpo de estúdo) e acompanhamento aos professores em sala
de aúla;

• A partir do níúvel de proficieê ncia dos alúnos, estabelecer metas


a serem alcançadas.
3. Quanto aos Professores, o uso pedagógico das avaliações
envolve as seguintes reflexões:
• O diagnoú stico foi útilizado para o planejamento das aúlas?

• Como os dados foram aplicados em sala de aúla?

• Foram identificadas as habilidades e conteúú dos de maior


fragilidade? Foram planejadas atividades para esse(s)
conteúú do(s)?

• Hoúve acompanhamento do desenvolvimento das


aprendizagens dos alúnos e das túrmas?

• Como foi feito o registro dessas aprendizagens?


• O qúe precisa ser assegúrado, cotidianamente, no
planejamento do professor, considerando o desenvolvimento
das habilidades e competeê ncias dos alúnos?

• O qúe os gestores da rede precisam favorecer para qúe os


alúnos aprendam o qúe estaú previsto para cada ano de
escolaridade?
3º MOMENTO

 Apresentaçaã o e anaú lise do resúltado geral do


PROA do Múnicíúpio.

Apoú s a apresentaçaã o do PROA, fazer úma


relaçaã o entre o resúltado geral apresentado e o
resúltado da escola/múnicíúpio, comparando se
os resúltados estaã o parecidos oú diferentes.
ATIVIDADE III

Após as discussões e reflexões anteriores:

Organizar os participantes por múnicíúpio e rede.


Útilizar os resúltados do PROA de cada múnicíúpio;
 Solicitar qúe façam úso do relatoú rio final de meú dias dos alúnos
do 5º ano;
 Distribúir os instrúmentos para preenchimento (1 coú pia para
LP e 1 para MAT) - núú mero de alúnos por padraã o de desempenho
(anexo 3) e habilidades avaliadas (anexo 4)

Informar qúe neste momento, seraú analisado somente os resúltados do 5º ano


Anexo 3

Preencha o quadro abaixo com o número de alunos que


se encontram nos intervalos de porcentagens de acertos

5º ano
Padrão de desempenho Percentual de acertos Número de alunos
(média)

Abaixo do básico 0 a 49%

Básico 50 a 69%

Adequado 70 a 89%

Avançado 90 a 100%
Agora é hora de analisar as habilidades avaliadas no PROA e verificar
quais apresentaram mais dificuldades para os alunos.

 Identifiqúe as habilidades qúe tiveram menos de 50% de acertos

 Relacione a habilidade descrita e escreva, na frente de cada úma, o


percentúal de acertos

Levante algúmas (3 a 5) hipoú teses em relaçaã o a esses resúltados

Cite úm caminho qúe a escola pode tomar para qúe os alúnos desenvolvam as
habilidades qúe tiveram menores percentúais de acerto.

Anexo 4
Habilidades Descrição da Habilidade Percentual de Acertos
*
2º DIA – 6/2/2018 – DURAÇÃO: 8h
(MANHÃ E TARDE)
4º MOMENTO – continuação da atividade III

Ainda reúnidos por escola, solicitar qúe de


posse das Orientaçoã es Cúrricúlares, façam a
ligaçaã o entre as habilidade avaliadas e os
objetivos, conteúú dos, propostas de atividades e
propostas de avaliaçaã o.

 O qúe foi observado?


5º MOMENTO – continuação da atividade III
Sequenciando nosso percurso de uso pedagógico das avaliações
externas:

 Entregar o anexo 5 (qúestoã es para debate);

 Orientar qúe os grúpos, de posse do (anexo 5) (Qúestoã es para debate),


discútam entre si os qúestionamentos do referido instrúmento e, em segúida,
registrem no (anexo 6) (formúlaú rio de registro) as hipoú teses e consideraçoã es
relativas aà s qúestoã es debatidas anteriormente.
Anexo 5 - Questões para debate
Resúltados Qúestoã es para debate
Em relaçaã o aà distribúiçaã o de alúnos da escola por desempenho, em qúal níúvel se
Níúvel de desempenho encontra o percentúal mais alto de alúnos?
A escola consegúe identificar qúais saã o os alúnos qúe se encontram nos níúveis mais
baixos?
Qúe fatores escolares ajúdariam a explicar o percentúal de alúnos alocados nesses
níúveis?

Saã o pensadas açoã es pedagoú gicas para qúe os alúnos possam melhorar o seú
desempenho?
Ao comparar os percentúais de acertos por habilidades e o desempenho das túrmas, haú
Anaú lise do percentúal de acerto por variaçaã o oú semelhanças de desempenho entre as túrmas?
habilidade

Qúais seriam os possíúveis fatores qúe contribúíúram para qúe algúmas habilidades
apresentassem percentúais mais baixos?
Anexo 6 - Quadro para registro – Língua Portuguesa – 5º ano
Resúltados Hipoú teses levantadas e consideraçoã es feitas
Níúvel de desempenho

Anaú lise do percentúal de


acerto por habilidade

Quadro para registro – Matemática – 5º ano


Resúltados Hipoú teses levantadas e consideraçoã es feitas
Níúvel de desempenho

Anaú lise do percentúal de


acerto por habilidade
*ANALISANDO O PLANO DE AÇÕES
PEDAGÓGICAS
1º MOMENTO

De toda a trajetória vivenciada até o momento, podemos entender


que a apropriação e o uso pedagógico da avaliação externa:

 Perpassa conhecer e divúlgar as informaçoã es.

 Visa fortalecer a gestaã o democraú tica e valorizar o trabalho coletivo


(Anaú lise/apropriaçaã o dos resúltados)

 Propoã em tomadas de decisaã o e compartilhamento de


responsabilidades (papeú is definidos: Plano de Açaã o).

Nas atividades propostas até aqui, trilhamos os dois primeiros


enunciados acima indicados, na continuidade de nosso encontro de
formação, iremos contemplar o último. Para isso, utilizaremos os
problemas da escola de Ensino Fundamental Machado de Assis.
2º MOMENTO

ATIVIDAE IV

Ainda reúnidos por múnicíúpio:

Entregar o anexo 7 – (problemas da escola de Ensino


Fundamental Machado de Assis)

Entre os problemas relacionados, realize a


categorizaçaã o dos mesmos;

 Por graú de prioridade, destaqúe aqúeles mais


úrgentes de resolúçaã o e qúe estejam relacionados aà
categoria 1.
Classificar os problemas em treê s categorias:

* (1) Problemas qúe poderaã o ser resolvidos no aê mbito


da escola;

* (2) Problemas qúe demandam apoio de oú rgaã os


súperiores para serem resolvidos;

* (3) Problemas qúe poderaã o ser resolvidos


exclusivamente por oú rgaã os súperiores. Essa
classificaçaã o deveraú ser feita no proú prio instrúmento.
*
Escola Machado de Assis
Aspecto avaliado Problemas Categoria

 Rotatividade de professores.
Níúveis de desempenho  Professores faltosos.
 Professor sem perfil para o ano de atúaçaã o.
 Alúnos faltosos (por motivos diversos: violeê ncia, trabalho...).
 O coordenador pedagoú gico naã o acompanha as aúlas e, qúando acompanha, naã o
realiza devolútivas dos aspectos observados.
 Falta de coordenador pedagoú gico (escola sem coordenador).
 Coordenador pedagoú gico mais envolvido com o administrativo da escola do qúe
com o pedagoú gico.
 Excesso de demandas da SEE.
 Falta de planejamento para úso pedagoú gico dos espaços da escola (biblioteca,
sala de leitúra, laboratoú rio de informaú tica....).
 Aúseê ncia de atividades diferenciadas, de acordo com o níúvel de aprendizagem
dos alúnos.
 Falta de discússaã o coletiva em relaçaã o ao baixo desempenho das túrma/alúnos.
 Desvio padraã o dos alúnos/túrma.

 O alúno qúe naã o tem familiaridade com o tipo de prova: múú ltipla escolha/ item
Anaú lise do percentúal 
de teste.
A elaboraçaã o do item foi diferente do qúe o professor costúma trabalhar nas
de acerto por atividades em sala de aúla.
descritor 

O alúno naã o viú o conteúú do, oú naã o teve aprofúndamento do mesmo.
O alúno naã o conhece o geê nero textúal presente nas qúestoã es da avaliaçaã o.
 Conteúú do múito desafiador.
 Falta de projetos/seqúeê ncias de leitúra com foco na proficieê ncia leitora.
 Alúnos faltosos (por motivos diversos: violeê ncia, trabalho...).
 Falta de apoio pedagoú gico para os alúnos com dificúldade de aprendizagem
( dimensoã es I, II e III)
 Falta de gerenciamento do apoio pedagoú gico;
 Apoio pedagoú gico realizado com monitor naã o habilitado.
 Aúseê ncia de diaú logo/planejamento entre o monitor e o professor da túrma.
 Aúseê ncia de recúrsos para reprodúçaã o de materiais.
4º MOMENTO

 Apresentar o (Anexo 8) (Formúlaú rio de acompanhamento das açoã es


pedagoú gicas) como súgestaã o de instrúmento de acompanhamento das
açoã es traçadas pelas eqúipes escolares;

 Ressaltar qúe esse modelo de instrúmento para o acompanhamento das


açoã es naã o eú engessado, cada escola pode criar o seú proú prio oú aperfeiçoar
este modelo apresentado.

Anexo 8

Monitoramento das ações pedagógicas


Nome da açaã o prioritaú ria 1:
Objetivo qúantificado:
Resúltados apresentados ateú o momento Obstaú cúlos encontrados

Nome da açaã o prioritaú ria 2:


Objetivo qúantificado:
Resúltados apresentados ateú o momento Obstaú cúlos encontrados
* Orientações Gerais

Discutir encaminhamentos sobre:


 Calendaú rio letivo
 Orientaçoã es para Avaliaçaã o Diagnoú stica proposta pela SEE (
PROA INICIAL)

 Apresentar o instrúmento (Líúngúa Portúgúesa e Matemaú tica)

 Orientar a tabúlaçaã o dos resúltados

 Para 2018 estaú previsto formaçoã es semestrais por ano para os


professores e coordenadores e bimestral somente para coordenadores
pedagoú gicos.
Lei do nome social
*
Avaliação do encontro

Faça úm peqúeno relato sobre a formaçaã o;

Cite oútros conteúú dos qúe voceê gostaria de


aprofúndar nos proú ximos estúdos.