Você está na página 1de 74

Vl Fórum Social Mundial

Caracas- Venezuela

Construção de Rede Social


em Saúde do Trabalhador

Secretaria de Atenção à Saúde - SAS


Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas - DAPE
Área Técnica de Saúde do Trabalhador
End.Eletrônico: cosat@saude.gov.br- Tel: (61) 315.2610
Construção do Controle Social em
Saúde do Trabalhador no Brasil
Bases Legais
A Saúde na Constituição Federal

Art. 196 “A saúde é direito de todos


e dever do Estado, garantido
mediante políticas sociais e
econômicas que visem a
redução do risco de doença e
de outros agravos e ao acesso
universal e igualitário às ações
e serviços para sua promoção,
proteção e recuperação.”

Implicações disso ...


Bases Legais
A Participação do Cidadão na
Saúde na Constituição Federal
Art 10 “ É assegurada a participação dos
trabalhadores e empregados nos
colegiados dos órgãos públicos em que
seus interesses profissionais ou
previdenciários sejam objetos de
discussão ou deliberação “
Art 194 VIII Compete ao poder público
organizar a seguridade social com base
nos seguintes objetivos...Caráter
democrático e descentralizado da
administração , mediante gestão
quadripartite , com participação dos
trabalhadores , dos empregadores , dos
aposentados e do governo nos
colegiados “
Art 198- As ações e serviços de saúde
devem ser organizadas , entre outras
com a seguinte diretriz ...participação da
comunidade “
Bases Legais
A Saúde do Trabalhador no SUS

Art. 200 Ao sistema único de saúde


compete:
II - executar as ações de vigilância
sanitária, epidemiológica e de
saúde do trabalhador;
VII - participar do controle e
fiscalização da produção,
transporte, guarda e utilização de
substâncias e produtos tóxicos e
radioativos;
VIII - colaborar na proteção do meio
ambiente, nele compreendido o do
trabalho.

Implicações disso ...


Bases Legais
Art. 3° da Lei 8.080/90
(Lei Orgânica da Saúde)
Fatores
Determinantes e
Condicionantes da Saúde:

Alimentação
Moradia
Saneamento
Meio Ambiente
Vestuário
Educação/Cultura
Esporte /Lazer
Transporte

Os níveis de saúde da população


expressam a organização social
econômica do país!

Implicações disso ...


Bases Legais
O Art. 6°, § 3° da Lei 8.080/90
LOS define a Saúde do
Trabalhador como:

“um conjunto de atividades que se


destina, por meio das ações de
vigilância epidemiológica e
vigilância sanitária, à promoção e
proteção da saúde do trabalhador,
assim como visa à recuperação e
à reabilitação dos trabalhadores
submetidos aos riscos e agravos
advindos das condições de
trabalho”, abrangendo: ...

Implicações disso ...


CONTROLE SOCIAL

Sistema Único de Saúde


Princípios e Diretrizes

• Universalidade
• Eqüidade
• Autonomia
• Integralidade)
• Intersetoriedade
• Direito a Informação
• Resolutividade
• Descentralização
• Participação da Comunidade
• Regionalização
• Hierarquização
• Gestor único em cada esfera do Governo
• Financiamento
CONTROLE SOCIAL

Sistema Único de Saúde

Institucionalização no interior do
aparelho estatal de um sistema
nacional de órgãos colegiados,
dotados de poder legal e onde os
usuários têm participação paritária

CONSELHOS DE SAÚDE
CONFERÊNCIAS DE SAÚDE
CONTROLE SOCIAL

Sistema Único de Saúde

Lei 8142/90
Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema
Único de Saúde (SUS)
Art. 1° - § 2° O Conselho de Saúde, em caráter permanente e
deliberativo, órgão colegiado composto por representantes do
governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários,
atua na formulação de estratégias e no controle da execução da
política de saúde na instância correspondente, inclusive nos aspectos
econômicos e financeiros, cujas decisões serão homologadas pelo
chefe do poder legalmente constituído em cada esfera do governo.
CONTROLE SOCIAL

Sistema Único de Saúde

Conselhos de Saúde
Conferências de Saúde

Espaços participativos nos quais emerge uma nova


cultura política, configurando-se uma prática onde se faz
presente o diálogo, a contestação e a negociação a favor
da democracia e cidadania.
CONTROLE SOCIAL

Sistema Único de Saúde

Conselhos de Saúde Conferências de Saúde

Nacional Nacional

Estaduais Estaduais

Municipais Municipais

Temáticas Temáticas
CONTROLE SOCIAL

Controle Social no SUS

Direito e dever da sociedade em participar do


debate e da decisão sobre a formulação,
execução e avaliação da política nacional de
saúde
CONTROLE SOCIAL

Impacto da Atuação dos Conselhos


Capacidade dos componentes em reconhecer esse espaço
de poder, conflitos, negociações, formulações e
fiscalização, estabelecendo interações qualificadas e
produtivas.
CONTROLE SOCIAL

Mecanismos constitucionais de controle social


CF - ART.5º - Direitos e deveres do cidadão

Ministério Público (relevância pública)

Mandado de segurança

Mandado de injunção

Habeas-data
CONTROLE SOCIAL

Mecanismos constitucionais de controle social


Ação popular

Ação Direta de Inconstitucionalidade

Comissões do Legislativo

Código de Defesa do Consumidor

Ouvidorias

Organizações autônomas da sociedade


CONTROLE SOCIAL

Consolidação do SUS e das Políticas Interministeriais

Fortalecimento das instâncias do controle social.

Ampliação e consolidação da capacidade política legal e


técnica dos conselheiros e sociedade em geral para a
articulação e negociação demandada por esse espaço.
Governo Lula
Portaria Interministerial n. 153, fev/2004
GT Interministerial MPS/MS/TEM

Reavaliar papel do GEISAT


Analisar, propor ações integradas e intersetoriais

Elaborar Política Nacional de Saúde do Trabalhador

3ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador


Trabalhar sim, Adoecer não
Novembro 2005
Mundo do trabalho

•Década de 90

• Globalização, abertura do Brasil ao Capital Internacional,

•Reestruturação produtiva,novas tecnologias,novas formas de organização (fordismo-


especialização flexível) e gestão do trabalho ( metas de produção,flexibilização dos
salários,da jornada, multifuncional idade)

•Perda de centralidade do trabalho industrial, extinção de postos de trabalho, crescimento


do setor de serviços...

• externalização da produção via sub contratação,terceirização, flexibilização, trabalho em


domicílio...

•Precarização, aumento da informalidade...


Mundo do trabalho
•Eixo da reestruturação
capitalista é a volta da Estado máximo para o
liberdade do mercado capital em termos de
cortando as amarras subsídios, créditos ,
impostas pelo pacto infra-estrutura
social democrata e pelo
estado Intervencionista
•Estado Mínimo para o
trabalho através de corte
•Diminuição dos direitos de gastos sociais,
sindicais precarização das
políticas publicas,,
•Crescimento da congelamento do salário
instabilidade laboral dos funcionários
públicos, etc
•Redução dos direitos
sociais e trabalhistas
•Refluxo das lutas frente
Cortes nas políticas de proteção ao desemprego,
social is e trabalhistas e eliminação fragmentação do
de parte dos controles do Estado trabalho coletivo pelo
sobre as condições de uso da força aumento do
de trabalho individualismo
Mundo do trabalho
Aprofundamento da
Objetivo é produzir um subsunção real do
trabalhador subordinado trabalho ao capital com
ao capital incorporando- adoção das novas
o passivamente à ordem formas de organização e
gestão do trabalho

Objetiva-se “ destruir o Para isso é preciso


trabalho coletivo, ma liquidar antigas
seus coletivos e produzir identidades de classe e
um trabalhador as vigência das antigas
competitivo e relações de trabalho
individualista

Auto exigência para manter-


se no posto de trabalho Mudanças nas relações
Culpabilização do de trabalho
trabalhador
Movimento social

Movimentos sociais carentes de


referenciais de classe
Diminuição da taxa de sindicalização
Redução das intervenções nas lutas
corporativistas
Defesa no plano do emprego e melhoria
de salários

Controle social sobre as ações do


estado e sobre os destinos dos
recursos públicos torna-se foco
importante de resistência contra a
redução das políticas publicas , sua
privatização
Movimento social

Surgem novas formas de resistência- Globalizadas


-Fórum Social Mundial

Locais- pontuais

Movimento Social no Brasil está se reestruturando


Saúde do Trabalhador
3ºCNST e perfil do Movimento Social

A participação nas Conferências Municipais e


Estaduais foi BEM MAIOR do que se esperava

.Aconteceram cerca de 1239 Conferências Municipais


com um afluxo de mais de
100 000 participantes.

Perguntas:
O que move essas pessoas?
O que elas buscam na CNST?
Quem são os participantes das CST ?
Pesquisa
Perfil dos 4000 participantes
das etapas estaduais
da 3ª CNST
Resultados Preliminares

Brasília, Novembro de 2005


Distribución de los entrevistados
segun el sexo

Masculino Feminino
47% 53%
Distribuição dos entrevistados
segundo Idade

34%
35%
30% 26%

25%
20% 16%
12%
15% 8%
10% 4%
5%
0%
Até 25 > 25_30 > 30_40 > 40_50 > 50_60 > 60
Distribuição dos entrevistados
segundo Escolaridade

49%
50% 39%
40%
30%
20% 10%

10%
0%
Primário Médio Superior
Distribuição dos entrevistados
segundo Renda Mensal

40% 33%

30%
22%
16% 17%
20% 12%

10%

0%
Até $600 $600_1000 $1000_1500 $1500_2000 >$2000
Setores representados

Outros
15%

Usuários
41%

Trabalhadores
da saúde
23%

Gestores
13% Prestadores
8%
Distribuição segundo ocupação

Outros 17,60%

Emp Comércio 1,40%

Empresários 2,60%

Trab ONG/OSIP 3,90%

Emp Indústria 4,20%

Desempregados 4,70%

Trab Mov Popular 5,20%

Trab em Igreja 5,50%

Emp serviços 6,70%


8,80%
Trab Sindicato
9,10%
Aposentados
Trab conta própria 9,70%
11,30%
Profissionais da Saúde

0,00% 2,00% 4,00% 6,00% 8,00% 10,00% 12,00% 14,00% 16,00% 18,00%
Participação

Outros 15,60%

Não participam 13,60%

Org. Em presarial 2,60%

Assoc de Bairros 18,30%

Movim entos da Igreja 20,20%

Partido político 27%

31,30%
Sindicatos/ass. Trabalhadores

Conselhos de saúde 51,80%

0,00% 10,00% 20,00% 30,00% 40,00% 50,00% 60,00%


Participação em Conferências Estaduais

1 vez antes + de 1 vez


12% 11%
1ª vez
77%
Paramos de ter vergonha de falar.
Falamos errado, mas falamos sem medo
O povo está mais organizado. Chega de sofrer. O povo quer mudar.
A mudança depende do povo e o povo cobra.

Movimento social
Participação este ano está maior, igual ou
menor que em outros anos?

60%
60%
50%
40% 29%
30%
20% 6% 5%
10%
0%
Maior Igual Menor Não sabe
Movimento social
Ocorreu um aumento da participação popular nos últimos tempos A
cada reunião que se faz estão mais pessoas.
Antes para participar era difícil. As pessoas tinham medo de participar.
Agora existem dificuldades, mas muita discussão e participação.

O povo tem medo do desemprego e isso dificulta a sua participação.


Importância atribuída às Conferências, tendo
em vista a saúde dos trabalhadores

96%
100%
80%
60%
40%
20% 3% 1% 0%

0%
Muito importantes Importantes Pouco Nada importantes
importantes
Nos próximos anos a saúde dos
trabalhadores brasileiros vai:

86%
100%

80%

60%

40%
10%
20% 3% 1%

0%
Melhorar Ficar igual Piorar NS / NR
O governo mudou. Antes a gente colocava o bloco na rua. Agora a gente articula,
negocia. O povo negocia.
Eu sou Isabel do Centro do Movimento Popular e agora eu aprendi a negociar. Um
sozinho é uma vara que pode ser quebrada. Todos juntos somos um feixe.
Com o Lula a Saúde do Trabalhador melhorou. Tem centros de atendimento e agora a
conferencia .

Movimento social
A qualidade dos serviços de saúde prestados
aos trabalhadores está:

50% 42%

40%
25%
30%
15%
20% 11%
6%
10%

0%
Ótima Boa Regular Ruim Péssima
Já teve problema de saúde provocado pelo
trabalho?

Sim
45%
Não
55%
Concorda com a frase:
No Brasil de hoje está mais
fácil do que antes conquistar mudanças a
favor da saúde dos trabalhadores

67%
70%
60%
50%
40%
30% 21%
20% 7%
3%
10%
0%
Concorda Concorda em Discorda em Discorda
totalm ente parte parte totalm ente
Eu tenho esperança e fé.
Nós vamos conseguir melhorar a saúde com eles ou sem eles.
A esperança está no povo.
Se o povo está informado a coisa muda.
Ele deve saber os seus direitos.

Movimento social
Concorda com a frase:
É difícil conseguir as coisas
pela política dos partidos, então o melhor é
fazer isso pelos movimentos sociais

50% 41% 46%

40%
30%
20% 8%
3%
10%
0%
Concorda Concorda em Discorda em Discorda
totalm ente parte parte totalm ente
Movimento social

Nós apoiamos o presidente logo depois da eleição do Lula.


Foi muito complicado e o embate muito pesado.
O movimento não sabia mais como se posicionar.
Nós confundimos os papéis de governo e de movimento sindical.
Hoje o movimento popular deve estar forte para conseguirmos
qualquer avanço nas nossas lutas
Concorda com a frase:
Está cada vez maior a
participação dos trabalhadores na construção
de políticas públicas a seu próprio favor

49%
50%
34%
40%
30%
20% 10%
4%
10%
0%
Concorda Concorda em Discorda em Discorda
totalm ente parte parte totalm ente
Concorda com a frase:
Atualmente está aumentando o
empenho das pessoas em ajudar os outros e
em mudar o mundo para melhor

60% 51%
50%
40% 28%
30%
13%
20%
5%
10%
0%
Concorda Concorda em Discorda em Discorda
totalm ente parte parte totalm ente
Conclusões preliminares
Os delegados e delegadas presentes nas
Conferências Estaduais de ST:

são cidadãos e cidadãs que, na sua maioria


participam de movimentos e organizações sociais
inclusive na área da saúde - mas não apenas nesse
campo, dedicando parcela significativa de seu tempo a
essas atividades.

- não estão passivos diante das desigualdades sociais.

- de modo geral, estão empenhados em


“mudar as coisas e melhorar o mundo”.

Acreditam que um mundo diferente é possível.


Na percepção que têm do mundo,
das questões de Saúde do Trabalhador, do
Poder e das relações disto
com a conjuntura política atual,
pode-se identificar um processo
caracterizado por
3 momentos:
1º momento:
“Entusiasmo com Paralisia”

Os participantes relataram, em quase todos os grupos, que


no primeiro momento após a eleição do Presidente Lula
ficaram ENTUSIASMADOS, mas que este entusiasmo veio
combinado com certa PARALISIA.

Aparece uma grande força simbólica no fato de que


alguém do povo - que não é da elite- tornou-se presidente.
1º momento:
“Entusiasmo com Paralisia”

Algumas frases significativas captadas:

“A gente pensou assim: pronto! Um de nós [Lula] chegou


lá. Não tem que preocupar mais... e aí ficamos quietos,
esperando [o país] mudar”.

“Essa parte ficou garantida: ele não é da elite e está em


Brasília, é o presidente. Isso é muito. Isso é muito mesmo”.
2º momento:
“Pés no chão com Depressão”

Em um segundo momento surgiu um sentimento


de DECEPÇÃO e percepção de LIMITES, que não
levaram, aparentemente, a uma ruptura com o
projeto do Presidente Lula.
2º momento:
“Pés no chão com Depressão”

Frases ilustrativas deste momento:

“Lula está sozinho em Brasília. Não vai ter


jeito de fazer muita coisa...”.

“Muita gente saiu do movimento popular e


foi pro governo. E o governo não funciona
sem pressão. Acontece que o movimento
popular esvaziou, perdeu muita liderança...”
3º momento:
“Participação com Pés no Chão”

Retomada da participação, com realismo, sem euforia,


mas com esperança. O sentimento predominante foi de
que a crise política não tem poder de derrotar este novo
sentimento: esperança combinada com realismo.
Há uma percepção de que, mesmo na conjuntura atual, o
Estado deve ser pressionado para que as coisas
aconteçam a favor do povo. Mas atualmente existe uma
receptividade maior do Estado às pressões populares.
3º momento:
“Participação com Pés no Chão”

Frases ilustrativas deste momento:

"Lula subiu pra Brasília. Temos que subir. Se ele foi, nós também
podemos ir".

“Hoje eu sinto que as autoridades aqui [em minha cidade] me


respeitam mais porque ele está lá [em Brasília]. A conversa é
diferente: “toma um cafezinho...”. Antes era na casca. Mas... não
vai cair nada do céu”.
3º momento:
“Participação com Pés no Chão”

“A esperança derrotou o medo. Não vai ser


esse mensalão que vai derrotar a esperança".
“Quem consegue se sensibilizar com a dor do
outro não perde a esperança."
• Fortalecimento do Controle Social
• Construção de rede de comunicação e
educação popular em Saúde do Trabalhador
Redes

Mayte Raya Amazarray Psicóloga -Federação dos Bancários do RS


Redes

“Sempre que olhamos para a vida,


olhamos para redes”
(Fritjof Capra – A Teia da Vida).
Redes
Mayte Raya Amazarray Psicóloga -Federação dos Bancários do RS
Rede é um conjunto de nós interconectados”
(Castels)

Redes
Cada nó da rede representa uma unidade e
cada fio um canal por onde essas unidades
se articulam através de diversos fluxos”.
( Cássio Marinho)
Redes

Mayte Raya Amazarray Psicóloga -Federação dos Bancários do RS


• Rede como um
processo de
organização social
apto a responder às
exigências de
flexibilidade,
descentralização e
democracia do
mundo
contemporâneo,
permitindo, por
princípio e na sua
base, o exercício da
auto-determinação e
da autonomia.
Redes
Redes

Mayte Raya Amazarray Psicóloga -Federação dos Bancários do RS


• Sociedad de la información

• Estructura social está asociada a “informacionalismo”


• SI: Nuevo sistema tecnológico, económico y social.
Productividad no depende del incremento cuantitativo
de los factores de producción (capital, trabajo, recursos
naturales), sino de la aplicación de conocimientos e
información a la gestión, producción y distribución,
tanto en los procesos como en los productos. (Castells)
Redes Sociais

Conceitos Fundamentais:

Valores e objetivos compartilhados:


Compartilhar objetivos é condição necessária, mas não é
suficiente para construir uma rede; para além disso é
valores em comum e um modo de funcionamento em rede.
Redes Sociais

Conceitos Fundamentais:

Autonomia:
Cada integrante mantém sua independência em
relação à rede e aos demais integrantes. Numa
rede não há subordinação.
Redes Sociais

Conceitos Fundamentais:

Descentralização:
Uma rede não tem centro. Ou melhor, cada ponto
da rede é um centro em potencial
Redes Sociais

Conceitos Fundamentais:

A Pedagogia da Prática:
Só aprendemos a fazer rede, fazendo rede. Não há
fórmula que dê conta da complexidade da
experiência de rede.
Redes Sociais

Conceitos Fundamentais:

A Rede Como Ator Político:


Na horizontalidade da gestão e democracia nos
processos decisórios, que a rede se constitui em
sujeito político, interlocutor legítimo de governos,
ONGs e dos movimentos sociais, no debate sobre
políticas públicas.
Redes Sociais

Rede em Saúde do Trabalhador

Rede Social em Saude do Trabalhador


Proposta Inicial

Comunicação Educação Debates Teóricos


Internet Comunicação Popular e Politicos
MUITO
OBRIGADO !