Você está na página 1de 73

* * * Eletricista Predial * * *

Medidas Elétricas

Conteúdo Programático

Galvanômetro;
Amperímetro;
Voltímetro;
Wattímetro Eletrodinâmico;
Medição de Resistências;
Medição de Resistência de Terra;
Transformadores para Instrumentos.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos de medição elétrica
1. Quanto ao tipo de grandeza: 2. Quanto a natureza do
• Amperímetro; torque motor ou princípio de
• Voltímetro; funcionamento:
• Ohmímetro; • Bobina Móvel ;
• Wattímetro; • Ferro Móvel;
• Terrômetro. • Eletrodinâmico;
• Bobinas Cruzadas.
3. Quanto ao seu emprego:
• Instrumentos Indicadores ;
• Instrumentos Registradores;
• Instrumentos Integradores.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Galvanômentro
Princípio de funcionamento
Os primeiros instrumentos para medir correntes elétricas
apareceram ainda em 1820, ano em que Öersted, físico dinamarquês,
mostrou que elas podem provocar efeitos magnéticos, e eram
conhecidos como “galvanômetros de tangente”. Consistia de uma bobina
formada por várias voltas de fio, que tinha que ser alinhada para que o
campo magnético produzido no seu centro estivesse na direção
perpendicular ao campo terrestre. Uma bússola era posicionada no
centro da espira. Tem-se então dois campos magnéticos perpendiculares,
e a agulha da bússola vai apontar na direção da resultante; a razão entre
os dois campos é dada pela tangente do ângulo que a agulha faz com o
norte. Sabia-se que o campo magnético produzido é proporcional a
corrente; portanto a corrente é proporcional a tangente do ângulo, daí o
nome do aparelho.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Galvanômentro
Princípio de funcionamento
Em 1882, Jacques Arsène
d’Ansorval, biofísico francês, propôs um
novo mecanismo, que tinha a vantagem
de não depender do campo terrestre e
poderia ser usado em qualquer
orientação. O galvanômetro d’Ansorval
é baseado na deflexão de uma espira
móvel devido ao campo magnético de
um ímã fixo instalado no aparelho.
Outra grande vantagem era a escala
linear: o ângulo de deflexão era
diretamente proporcional à corrente
percorrida. O galvanômetro d’Ansorval
é a base dos voltímetros, amperímetros
e ohmímetros analógicos.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Galvanômentro
Princípio de funcionamento
Quando uma corrente IG circula na bobina, o campo magnético do ímã
permanente produz um torque t sobre ela, dado por:

O eixo da bobina é solidário a uma


mola espiral; quando a bobina gira de um
ângulo Ɵ, a mola produz um torque
restaurador, oposto ao produzido pelo
campo, cujo valor é KƟ. Uma posição de
equilíbrio é alcançada quando:

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Galvanômentro
Princípio de funcionamento
O ângulo de deflexão é proporcional a corrente que atravessa o
galvanômetro. O instrumento é tanto mais sensível quanto menor for a
corrente IG necessária para provocar um dado desvio.

Os galvanômetros são
caracterizados pela corrente
necessária para que o ponteiro
atinja deflexão máxima, corrente de
fundo de escala, IGmax e por sua
resistência interna, RG.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
Galvanômetro - indica o valor da corrente IG que o atravessa pela
deflexão de uma agulha sobre uma escala através do efeito magnético
da corrente elétrica. Assim sendo, é essencialmente um medidor de
corrente (amperímetro), contudo, com pequenas adaptações elétricas é
usado também para medir outras grandezas elétricas, com a tensão e a
resistência elétrica, bem como grandezas outras, como a pressão.

O valor máximo da corrente que um


galvanômetro pode medir é chamado de
corrente de fundo de escala (IFE) e
corresponde à deflexão máxima da agulha
sobre a escala (daí o nome). Correntes
menores do que IFE são indicadas por posições
intermediárias da agulha sobre a escala.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
Medição de Corrente - Todos os instrumentos analógicos destinados a medir
correntes, que atualmente são utilizados, baseiam o seu funcionamento na ação
magnética da corrente. Medidores de corrente, ou amperímetros, são ligados em
série com o circuito de corrente, apresentando uma pequena resistência interna.
Instrumentos de ferro móvel são fabricados para correntes até 250A, enquanto
os de bobina móvel são executados para medir correntes de apenas alguns
ampères.
Amperímetro
Os galvanômetros empregados nos
VOM (Volt/Ohm Meter), são
medidores de corrente chamados
“amperímetros de bobina móvel
ou ferro móvel”.
O galvanômetro seria ideal se a sua resistência interna fosse zero,
contudo, possui uma resistência interna que tem que ser considerada,
principalmente para correntes menores.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – Quanto ao tipo de grandeza
Amperímetro  Um amperímetro é construído pela associação em
paralelo de um resistor (chamado de "shunt") com um galvanômetro. A
corrente total It que atravessa o resistor RL se divide na corrente IG que
atravessa o galvanômetro, e é por ele medida, e na corrente IS que é
desviada atravessando o "shunt", na razão inversa de suas resistências.
O valor do “shunt” é determinado pelo fator de amplificação (n) sobre
a corrente IFE do galvanômetro.

Onde:

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
Amperímetro
A corrente IG que atravessa o galvanômetro é apenas uma
fração da corrente total It. Sabendo em que proporção a corrente
total It se divide entre IG e IS poderemos determinar quanto vale a
corrente total It medindo a parte dela que atravessa o galvanômetro.
Matematicamente, temos que:

O número adimensional é o fator de amplificação da escala natural de medida de


corrente do galvanômetro conseguida com a associação em paralelo com o resistor RS. A partir
dessa relação podemos calcular o valor da resistência necessário para converter o
galvanômetro num amperímetro na escala desejada.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza

Amperímetro: É o instrumento elétrico destinado a medir a intensidade


de corrente elétrica que percorre um circuito. Como se deseja medir a
corrente que “passa” pelo condutor, é necessário que esta corrente
também passe pelo amperímetro. Assim, o amperímetro deve ser ligado
em “série” com o circuito.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
Amperímetro: Exemplo matemático

Exemplo: A faixa de medição de amperímetro deve ser ampliada


de 100mA para 1A. A resistência interna é de 2 ohms. Qual o
tamanho do resistor shunt Rn?
Fator de amplificação:

Para a medição de correntes alternadas elevadas, são


usados transformadores de corrente.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
A sensibilidade de um amperímetro é definido pela corrente de
fundo de escala (IFE) do galvanômetro do qual é construído o
amperímetro:
Exemplo: IFE de 15mA da escala mais baixa.
A resistência do amperímetro na nova escala é Rt enquanto a
corrente máxima que se pode medir é igual a RGIFE/Rt. O produto da
resistência numa escala pela corrente máxima nessa escala é igual para
todas as escalas e corresponde à máxima queda de potencial no
amperímetro. Esse valor é uma característica do galvanômetro utilizado
no amperímetro, e é igual ao produto da resistência do galvanômetro RG
pela corrente de fundo IFE:
̶ Queda de potencial máxima no amperímetro = RGIFE (em ΩA).
(Perda Própria)

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
Medição de Tensão - Medidores de tensão ou voltímetros são medidores de
corrente com elevada resistência interna. Quando da aplicação de uma tensão,
circula no aparelho uma determinada corrente, que provoca a deflexão do
ponteiro. Devido a resistência interna inalterável do galvanômetro, a escala pode
ser ajustada em volts. Voltímetros são ligados em paralelo com o resistor ou
rede.

Voltímetro
O produto da corrente de fundo de
escala (IFE) pelo valor da resistência
interna (Rg) de um galvanômetro
expressa o valor máximo de tensão
que este galvanômetro pode ser
submetido. Também é o valor
máximo de tensão que pode ser
medido, usado este galvanômetro
em pararelo ao componente.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza

Voltímetro

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
Matematicamente temos que:

O número adimensional é o fator de amplificação da escala natural de


medida de tensão do galvanômetro conseguida com a associação em série com o
resistor RS. A partir dessa relação podemos calcular o valor da resistência
necessário para converter o galvanômetro num voltímetro na escala desejada.
A resistência do voltímetro na nova escala é RV enquanto a tensão máxima que se
pode medir é igual a RVIFE. A relação entre a resistência numa escala e a tensão
máxima nessa escala é a sensibilidade do voltímetro, uma "resistência específica"
que é característica do galvanômetro utilizado, igual ao inverso da corrente de
fundo de escala:
sensibilidade do voltímetro = IFE-1 (em Ω/V).
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
Voltímetro: Exemplo prático
O voltímetro é o
instrumento utilizado para medir
tensão elétrica. O voltímetro não
mede o potencial propriamente
dito, mas a sua diferença em
relação a um ponto de referência.
Para medir uma tensão, os
terminais do voltímetro devem
estar conectados aos pontos onde
se deseja comparar os potenciais,
ou seja, em “paralelo” com o
elemento sobre o qual se deseja
medir a tensão.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
MEDICÃO DE RESISTÊNCIA
Um ohmímetro nada mais é que um amperímetro com sua própria
fonte de f.e.m, que faz circular uma corrente através da resistência a ser medida,
corrente esta que é relacionada de forma inversa com a resistência a ser medida,
de forma a pode-se graduar a escala para que o valor da resistência R seja lida
diretamente.
A Figura mostra esquematicamente um ohmímetro.
.
Ohmímetro
Um ohmímetro é constituído pelos
seguintes elementos:
* Galvanômetro de bobina móvel;
* Bateria;
* Resistência de Calibração (Rc);
* Escala graduada.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 1. Quanto ao tipo de grandeza
MEDICÃO DE RESISTÊNCIA

O ohmímetro é o instrumento destinado à medição


de resistências elétricas. Para que se meça a resistência de
um determinado elemento, este não poderá estar
conectado ao circuito. Assim, para que seja medida uma
resistência, deve-se primeiramente retirá-la do circuito e,
em seguida, medi-la com as pontas de prova do ohmímetro,
tomando o cuidado de não tocar com as mãos os terminais
da resistência ou as pontas de prova enquanto se faz a
medição.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – Multímetro

Multímetro
O Multímetro é uma
das ferramentas mais utilizadas
entre os técnicos em eletrônica e
eletrotécnica, pois são eficientes
na pesquisa de defeitos em
aparelhos eletrônicos e também
possuem uma série de
características positivas que
tornam o Multímetro fácil
manusear, portátil e com
usabilidade simples. .

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – Multímetro
Multímetro Analógico
Os Multímetros analógicos
possuem várias escalas em seu painel
frontal e de acordo com a necessidade
de medição a agulha indica o valor
medido, este modelo de Multímetro é
considerado um pouco mais frágil em
relação ao Multímetro Digital por
possuir uma calibração em sua agulha,
caso o mesmo sofra uma queda a
possibilidade de danos é maior. Em sua
maioria os Multímetros Analógicos
medem: Tensão DC/AC, Sensibilidade
DC/AC, Corrente DC, Resistência, Teste
de Fuga de Transistores, Decibel, Teste
de Continuidade, Teste de Bateria

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – Multímetro
Multímetro Digital
Os Multímetros Digitais
mostram o valor medido em números
com ou sem as casas decimais
dependendo de sua precisão. Esses
Multímetros são mais modernos e
resistentes, muito utilizados por
técnicos que os levam para o seu
trabalho do dia a dia. Em sua maioria os
Multímetros digitais medem: Tensão
DC/AC, Corrente DC/AC, Resistência,
Temperatura, Capacitância, Indutância,
Frequência, Teste HFE, Teste Linha Viva,
Teste de Bateria.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento

Nos diversos galvanômetro, as interações entre os


diversos campos magnéticos dá origem às forças, qual seja:
Conjugado Motor (Cm) - devido às Forças “F” em relação ao
eixo.
Opondo-se ao conjugado motor, temos:
● Conjugado Antagonista (Ca) ou restaurador devido à molas -
Se opõe ao deslocamento do conjunto móvel e fazem-no
voltar à posição zero quando não há Cm.
● Conjugado de Amortecimento (Cam) - Evita oscilações do
conjunto móvel na posição de equilíbrio, e deslocamentos
bruscos na partida ou na volta ao “0”(zero).

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento
Instrumento de Bobina Móvel
Os instrumentos de Bobina Móvel
têm o seu princípio de funciona-
mento baseado na Lei de Laplace do
eletromagnetismo, o qual
estabelece que: Um condutor
percorrido por uma corrente
contínua, mergulhado num campo
magnético, sofrerá o efeito de um
conjugado.
A rotação da bobina e consequente
deflexão do ponteiro, são propor-
cionais à corrente, o que faz com
que os intervalos sobre a escala
estejam igualmente distanciados.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento
Os instrumentos de bobina móvel são os mais utilizados
em instrumentação elétrica. É um dos primeiros aparelhos que
possibilitaram a realização de medição de precisão. São
apropriados para medição de correntes muito pequenas.
Atualmente constroem-se sistemas muito robustos e
sensíveis que permitem a medição da corrente da ordem de 10μA
e ainda menores.
Se ligarmos um instrumento de bobina móvel
diretamente à um circuito de corrente alternada, não
conseguiremos obter leitura alguma. Para solucionar este
problema, os fabricantes dos instrumentos fazem a ligação do
instrumento de bobina móvel à fonte CA através de um circuito
retificador o qual converte a tensão alternada em uma tensão
pulsante unidirecional.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento
Instrumento de Ferro Móvel
Composto por uma bobina por
onde circula a corrente da grandeza
a ser medida, e no seu interior duas
chapas de ferro doce, uma fixa, e
bem próxima, uma móvel com o
eixo do ponteiro solidário ao
movimento desta. Quando circula
corrente na bobina, as duas chapas
são magnetizadas identicamente .
Os pólos magnéticos resultantes se
repelem, exercendo um conjugado
sobre o eixo do ponteiro,
proporcional ao quadrado da
corrente na bobina.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento
Os medidores de ferro móvel podem ser utilizados
para medir CC ou CA de baixa frequência, podendo ainda
ser utilizados para medir formas de onda não senoidais.
Estes medidores possuem Classe de Exatidão pior do que os
medidores de bobina móvel e, por isso, são medidores mais
baratos. Estes instrumentos são frequentemente
encontrados em aplicações industriais devido à sua
construção robusta e simples, assim sendo, é comum
encontrá-los nos painéis de equipamentos como
estabilizadores, geradores elétricos e CCM´s entre outros.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento
Instrumento Eletrodinâmico
O sistema de medição eletrodinâmico
consiste de uma bobina móvel e uma
fixa. Perante a passagem de
determinada corrente, as bobinas
apresentarão a mesma polaridade e
assim levarão o ponteiro à deflexão, por
repulsão.
Numa inversão do sentido da corrente,
as condições de repulsão entre as
bobinas não se alteram e a deflexão do
ponteiro se dá sempre para o mesmo
lado. Por esta razão, o instrumento pode
ser utilizado tanto em corrente contínua
quanto em corrente alternada.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento
A principal aplicação deste tipo de instrumento é nos
medidores de potência (Wattímetros). Como a potência é obtida
do produto da tensão pela corrente, a bobina fixa é
dimensionada como bobina de corrente (poucas espiras de
condutor grosso), e a móvel como de tensão (muitas espiras de
fio fino). A potência, em watts, pode assim ser obtida
diretamente por simples leitura. Na medição de potências em
corrente alternada, a potência indicada é a potência útil, porque
apenas aquela parte da corrente que estiver em fase com a
tensão, efetuará um trabalho, e assim seu valor é :
P = U x I x cosϕ.
Estes instrumentos podem ser utilizados como
amperímetros, voltímetros ou wattímetros, tanto para medir em
correntes contínuas ou correntes alternadas.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Wattímetros

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento
Instrumento Bobinas Cruzadas
Entre os pólos de um imã perma-
nente, duas bobinas interligadas entre
si, porém cruzadas, estão dispostas de
tal forma que possam girar. Cada uma
das bobinas é ligada `a determinada
tensão. Por esta razão, cada uma das
bobinas influi com certa força
magnética sobre o imã permanente.
Se a tensão é igual em ambas as
bobinas seus efeitos magnéticos
contrários se equilibram, o que
significa que as bobinas se ajustam
sobre um valor central (médio).

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 2. Princípio de funcionamento
Se cada uma das bobinas estiver ligada à tensão
diferente, então apresentam-se também campos
magnéticos de intensidade diferente, do que resulta que o
campo mais forte irá determinar a deflexão do corpo da
bobina. Disto se pode concluir que o instrumento de
bobinas cruzadas apenas se destina a indicar diferenças de
tensões. Seu emprego é encontrado sobretudo na medição
de resistências, assim como na de temperaturas e pressões,
à distância. para estas finalidades as tensões
correspondentes são enviadas ao instrumento por meio de
um divisor de tensão, que se altera em função da
temperatura ou pressão.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 3. Quanto ao emprego
Instrumentos Indicadores
São instrumentos que indicam, no
momento da medição, o valor instantâneo,
eficaz, médio ou de pico da grandeza
medida.
Exemplos: amperímetro, voltímetro,
Ohmímetro, wattímetro, etc.
A indicação da grandeza pode se
dar pelo deslocamento de um ponteiro
sobre uma escala graduada (instrumentos
analógicos) ou pela representação
numérica em um display (instrumentos
digitais).

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 3. Quanto ao emprego
Instrumentos Registradores
São instrumentos que registram os valores da grandeza
através de um traço contínuo ou pontos em um gráfico
sobre um rolo de papel graduado, para que possamos
fazer uma analise da variação da grandeza medida.
Os instrumentos que são ligados a CPUs, para
armazenamento do valor da(s) grandeza(s) medida em
memórias eletrônicas, também são classificados como
registradores.
Um instrumento registrador também pode
apresentar uma indicação da grandeza.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 3. Quanto ao emprego
Instrumentos Registradores

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Classificação dos instrumentos – 3. Quanto ao emprego

Instrumentos Acumuladores (integradores)


São instrumentos cujo mostrador apresenta o
valor acumulado da grandeza medida, desde o momento
em que os mesmos foram instalados até o presente
momento.
Exemplos: Medidor de energia elétrica.
Nestes instrumentos o valor da grandeza é obtido
pela diferença entre a leitura no fim do período,
chamada “leitura atual” e a leitura feita no início do
período, chamada de “leitura anterior”.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos de Energia
Instrumentos Acumuladores (integradores)

O consumo de energia
elétrica em cada instalação deve
ser medido e multiplicado pelo
custo do KWh, definido pela
concessionária, a fim de
quantificar o valor a ser pago pelo
consumidor relativo à energia
elétrica consumida durante um
certo período de tempo.

Os medidores mais utilizados são os Medidores de Energia


Eletromecânicos (Indutivo).
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos de Energia
Instrumentos Acumuladores (integradores)
Os Medidores de Energia Eletromecânicos (Indutivo)
estão sendo paulatinamente substituídos pelos medidores
digitais (microprocessados).

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos de Energia
Instrumentos Acumuladores (integradores)
Os Medidores de Energia Eletromecânicos (Indutivo)
são formados pelas seguintes partes:
Elementos  é o conjunto formado pela bobina de tensão,
pela bobina de corrente e seus respectivos núcleos. Os
medidores de dois elementos são utilizados em redes bifásicas
ou em redes trifásicas sem neutro. Já os de três elementos são
utilizados em sistemas trifásicos com neutro. Bobina de tensão
é submetida à mesma tensão elétrica aplicada à carga, sendo
construída com elevado número de espiras (elevada reatância
indutiva). Bobina de corrente (intensidade) é percorrida pela
corrente de carga, sendo construída com fio de baixa
resistência elétrica.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos de Energia
Instrumentos Acumuladores (integradores)
Disco  É o elemento que gira em torno de um eixo, por ação
eletromagnética, permitindo o registro da energia consumida. É feito de
alumínio com 99,8% de pureza.
Totalizador (integrador)  É o conjunto de engrenagens acopladas ao eixo
do instrumento, o qual traduz o movimento do disco, registrando o que
aparece no mostrador.
Ímã (freio eletromagnético)  Produz correntes parasitas no disco, no
sentido de se opor ao movimento rotativo do mesmo. No caso de
desligamento da carga: exerce força contrária à inércia do disco,
interrompendo o seu movimento (frenagem). No caso de carga energizada:
compensa variações brusca de tensão e corrente. Permite ajuste para
manter a precisão da medição.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos de Energia
O princípio de funcionamento do medidor de energia é o mesmo
que o de um motor de indução, ou seja, os campos gerados pelas bobinas
de corrente e de potencial induzem correntes em um disco, provocando a
sua rotação.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos de Energia
O disco do medidor de KWh gira devido ao efeito combinado
dos fluxo magnéticos produzidos nas bobinas de corrente e de tensão.
Duas condições são necessárias para o perfeito funcionamento
do medidor: A corrente na bobina de tensão deve estar 90° atrasada
com relação à tensão aplicada; As bobinas de corrente devem estar
dispostas de forma a gerar fluxos magnéticos opostos.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos (Energia)
Solidário com o disco existe um eixo em conexão com uma
rosca-sem-fim, que provoca a rotação dos registradores, os quais
fornecerão a leitura.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Simbologia
Para ter segurança no uso dos instrumentos de medidas
elétricas você deverá escolher aquele que tem as características
necessárias à medição a ser feita. Assim, nos seus visores são marcados
símbolos que distinguem os medidores.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Simbologia

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Noções de Padrão, Aferição, Calibração e Ajuste.

Padrão
É um elemento ou instrumento de medida destinado a definir, conservar
e reproduzir a unidade base de medida de uma determinada grandeza.
Possui uma alta estabilidade com o tempo e é mantido em um ambiente
neutro e controlado. (temperatura, pressão, umidade, etc.)

Quando um sistema de medição é calibrado, ele é comparado


com algum padrão cujo valor é presumivelmente conhecido. Este padrão
pode ser outro instrumento, um objeto tendo um atributo físico bem
conhecido a ser usado como comparação, uma solução com propriedade
química bem conhecida ou uma técnica conhecida e bem aceita para
produzir um valor confiável. Um padrão é a base de todas as medições,
em um laboratório ou oficina, em uma indústria, em um país e no mundo.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Noções de Padrão, Aferição, Calibração e Ajuste.

Calibração (Aferição)
Procedimento de comparação entre o valor lido por um instrumento e o
valor padrão apropriado da mesma grandeza. Apresenta caráter passivo,
pois os erros são determinados, mas não corrigidos.
Ajuste
Procedimento que consiste em ajustar o valor lido com um instrumento
com o valor padrão de mesma natureza. Apresenta caráter ativo, pois os
erros além de determinados são corrigidos.
Para estar de conformidade com a portaria do Inmetro, calibrar e
aferir possuem o mesmo significado. Calibrar é uma operação de
verificação. Durante a calibração, quando necessário, faz-se o ajuste, que
é uma atuação no instrumento para torná-lo exato. O primeiro passo do
ajuste, porém é a calibração, para verificar o status de chegada do
instrumento.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Erros da Medição - Introdução

É impossível fazer uma medição sem erro ou incerteza. Na


realidade, o que se procura é manter os erros dentro de limites
toleráveis e estimar seus valores com exatidão aceitável. Cada
medição é influenciada por muitas incertezas, que se combinam
para produzir resultados espalhados. As incertezas da medição
nunca podem ser completamente eliminadas, pois o valor
verdadeiro para qualquer quantidade é desconhecido.
A quantidade medida é sempre modificada pela medição,
tornando impossível a medição perfeita e sem erro.
A leitura feita pelo observador no elemento mostrador dos
dados possui erros inerentes aos equipamentos e ao método da
medição. Toda leitura apresenta erro e possui uma imprecisão.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos

Classificação dos Erros :


Os erros cometidos nas medidas podem ser classificados em :
Erros Grosseiros – Falha do Operador
Exemplo : Troca da posição dos algarismos, posicionamento
incorreto da vírgula nos números decimais / Aplicações incorreta
dos instrumentos.
Erros Sistemáticos – Deficiências do método utilizado, do material
empregado e da apreciação do experimentador / Efeitos ambientais
sobre o instrumento / Desgaste do mesmo.
Erros Acidentais – Uma mesma pessoa realizando os mesmos
ensaios com o mesmo circuito repetidas vezes, não consegue obter
o mesmo resultado.(Fator Sorte, chamado aleatório).
Erros Instrumentais
Erros ambientais

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
O mais comum dos erros do operador é o chamado erro
de paralaxe, onde o operador se posiciona de forma inadequada
ao mostrador do instrumento e realiza uma leitura errada.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Instrumentos de Medição - Terminologia
FAIXA DE MEDIDA (range)
Conjunto de valores da grandeza medida que estão compreendidos
dentro do limite superior e inferior da capacidade de medida do
instrumento. Expressa-se determinando os valores extremos.

ALCANCE (span)
É a diferença algébrica entre o valor superior e o inferior da faixa
de medida do instrumento.

RANGEABILIDADE (largura de faixa)


É a relação entre o valor máximo e o valor mínimo, lidos com a
mesma exatidão na escala de um instrumento.
Exemplo:
Para um medidor de vazão cuja escala é 0 a 300gpm (galões por
minuto), com exatidão de 1% do span e rangeabilidade 10:1,
a exatidão será respeitada entre 30 e 300gpm.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Instrumentos de Medição - Terminologia
ZONA MORTA
É a máxima variação que a variável pode ter sem que provoque
alteração na indicação ou sinal de saída de um instrumento.
Exemplo:
Um instrumento com range de 0 a 200°C e uma
zona morta de:
0,1% = 0,1 x 200\100 = ± 0,2°C

HISTERESE
É o erro máximo apresentado por um instrumento para um mesmo
valor em qualquer ponto da faixa de trabalho, quando a grandeza
percorre toda a escala nos sentidos ascendente e descendente.
Expressa-se em percentagem do span do instrumento.
Deve-se destacar que a expressão zona morta está incluída
na histerese.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Instrumentos de Medição - Terminologia
Exemplo:
Num instrumento com range de –50ºC a
100ºC, sendo sua histerese de ± 0,3%,
o erro será 0,3% de 150ºC = ±0,45ºC

REPETIBILIDADE
É a máxima diferença entre diversas medidas de um mesmo valor
da variável, adotando sempre o mesmo sentido de variação.
Expressa-se em percentagem do span do instrumento. O termo
repetibilidade não inclui a histerese.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Instrumentos de Medição - Terminologia
A repetitividade é calculada a partir de sucessivas
medições da variável, mantidas as mesmas condições.
Quanto mais próximos estiverem os valores das
medições consecutivas da mesma entrada, maior é a
repetitividade do instrumento.

REPRODUTIBILIDADE

É uma expressão do agrupamento da medição do


mesmo valor, da mesma variável sob condições diferentes
(tempo diferente, local diferente, observação diferente),
durante um longo período de tempo.
A perfeita reprodutibilidade significa que o
instrumento não apresenta desvio, com o decorrer do tempo,
ou seja, a calibração do instrumento não se desvia
gradualmente, depois de uma semana, um mês ou até um ano.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos

As características de desempenho do instrumento


são importantes pois elas constituem a base para a escolha
do instrumento mais apropriado para a aplicação especifica.

Precisão;
Exatidão;
Sensibilidade;
Classe de precisão;
Tensão de isolação.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos

Precisão
É a qualidade que caracteriza um instrumento de
dar indicações equivalentes ao valor verdadeiro da
quantidade medida.
É o grau de concordância mútua e consistente entre
várias medições individuais, principalmente relacionada com
repetitividade e reprodutibilidade.
A precisão está relacionada com a qualidade do instrumento.

* * * Q U* A*L *I T Eletricista
E C - - - Predial * Predial
Eletricista * * * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos

Exatidão
É a aptidão de um instrumento para dar respostas
próximas ao valor verdadeiro do mensurando. É o grau de
conformidade de um valor indicado para um valor padrão
reconhecidamente aceito ou valor ideal.
A exatidão medida é expressa pelo desvio máximo
observado no teste de um instrumento sob determinadas
condições e através de um procedimento especifico.

A exatidão pode ser descrita de três maneiras:


* Percentual do Fundo de Escala (% do FE)
* Percentual do Span (% do span)
* Percentual do Valor Lido (% do VL)

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos - Terminologia
Exemplo:
Para um medidor de temperatura com range de 50 a 250oC
e valor medindo 100oC, determine o intervalo provável
do valor real para as seguintes condições :
✔Exatidão 1% do Fundo de Escala?
Valor real = 100ºC ± (0,01 x 250) = 100ºC ± 2,5ºC
✔Exatidão 1% do Span?
Valor real = 100ºC ± (0,01 x 200) = 100ºC ± 2,0ºC
✔Exatidão 1% do Valor Lido (Instantâneo)?
Valor real = 100ºC ± (0,01 x 100) = 100ºC ± 1,0ºC

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos

Precisão e
exatidão são conceitos
diferentes. A precisão
é uma condição
necessária para a
exatidão, porém, não
é suficiente. Pode-se
ter um instrumento
muito preciso, mas
descalibrado, de modo
que sua medição não é
exata.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Tão importante quanto à precisão e exatidão do
instrumento, é sua rangeabilidade.
Para expressar a faixa de medição adequada do
instrumento define-se o parâmetro rangeabilidade, que é a
relação da máxima medição sobre a mínima medição, dentro
uma determinada precisão.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos
Sensibilidade
É a mínima variação que a grandeza pode ter,
provocando alteração na indicação ou sinal de saída de um
instrumento.
Exemplo: Um instrumento com range de 0 a 500ºC e com
uma sensibilidade de 0,05% terá valor de:
0,05% = 500\100 = ± 0,25ºC

A sensibilidade em instrumentos com


galvanômetros é dada em ohms por volts (Ω/V).
Quanto maior for a sensibilidade de um
instrumento, melhor este será. De uma maneira geral, os
instrumentos de bobina móvel são aqueles que apresentam
melhor sensibilidade entre os medidores analógicos,
podendo atingir valores da ordem de 100 kΩ/V.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos

Classe de precisão
É a margem de erro porcentual que se pode obter na
medição de uma determinada grandeza, por meio de um
instrumento de medidas elétricas. Os instrumentos de precisão
para laboratório têm classe de precisão de 0,1; 0,2 ou 0,5. Os
instrumentos de serviço para fins normais têm classe de precisão
de 1,0; 1,5; 2,5 ou 5,0.
Exemplo: Um instrumento cujo fundo de escsla seja 200 µA e classe de
exatidão de 1.5, apresentará um erro de 3 µA ([200µA*1.5]/100) para
qualquer valor medido. Note que, quanto menor o valor da corrente que
está sendo medida, maior é o erro percentual cometido e,
reciprocamente, quanto mais próximo do calibre o valor a ser medido se
situar, menor será o erro percentual cometido na medida. Uma prática
comum é selecionar um instrumento, de tal forma, que o valor da
grandeza a ser medida se situe no último terço da escala.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos

Tensão de isolação ou tensão de prova


É o valor máximo de tensão que um instrumento
pode receber entre sua parte interna (de material condutor)
e sua parte externa (de material isolante). Este valor é
simbolicamente representado nos instrumentos por úmeros
1, 2, 3 ou 5, contidos no interior de uma estrela.

Obs.: Quando a estrela se encontrar vazia a tensão de isolação é de 500V.

* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos

Resolução
Define-se como o menor incremento de entrada
o qual gera uma saída perceptível e repetitiva,
quantificando-se como porcentagem do fundo de
escala. É o menor incremento que se pode assegurar
numa leitura feita.

Exemplo: Se a escala de um amperímetro é marcada de


0,5 em 0,5 A, a resolução deste amperímetro será 0,5 A.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos

Perda Própria
É a potência dissipada dentro do
instrumento quando este instrumento é utilizado
para medir uma grandeza correspondente ao seu
calibre.

Exemplo: Um amperímetro de calibre 5A e


resistência própria de 0,5 Ohms, terá uma Perda
Própria de 12,5Watts(R*I2) . É desejável que a
perda própria de um instrumento seja mínima,
para que a sua introdução no circuito, não
perturbe o funcionamento deste circuito.
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos

Eficiência
É a relação entre seu calibre (fundo de escala) e a perda
própria.

Exemplos:
1- Um amperímetro com calibre de 5A e perda de
12,5Watts tem eficiência igual a 5A/12,5W, isto é, 0,4 A
/ W (Veremos adiante que um amperímetro é conectado
em série com o circuito).
Então, um voltímetro que apresente 200.000Ohms/Volt
(200KOhms/Volt) é menos eficiente que outro que
apresente 1.000.000Ohms/Volt (1MOhms/Volt).
* * * Eletricista Predial * * *
Medidas Elétricas
Medidores Elétricos
Características dos Instrumentos
2- No caso de um voltímetro, o calibre é especificado em
Volts enquanto a perda própria (potência dissipada
dentro do instrumento) em Watts. Como veremos
adiante, um voltímetro é colocado em paralelo com o
ponto do circuito a se medir a tensão (ver Figura3),
desta forma as seguintes relações são válidas:

* * * Eletricista Predial * * *

Você também pode gostar