Você está na página 1de 26

LITERATURA EM RORAIMA

BOA VISTA- RR
NOV/2013
•O que é a Máfia do Verso?
•Como surgiu a Máfia do Verso?
•Por que o nome Máfia do Verso?
•Quem integra a Máfia do Verso?
ROBERTO MIBIELLI
*Professor universitário, crítico
literário, poeta e publica no blog
www.rmibielli.blogspot.com. Autor
do primeiro livro da série Máfia do
Verso “Par T ilha”.

“Quando nasci um anjo torta


Desses que vivem nas sobras disse:
Vai, Roberto, ser gordo na vida”
SONY FERSECK
*Atualmente mestranda do Programa
de Pós-Graduação em Letras da UFRR.
Autora do segundo volume da série
Máfia do Verso, o livro Pouco Verbo.
Publicava no blog
www.sonyferseck.blogspot.com.br.

“Esse é o problema da vida


Ela não tem volta,
Só tem ida.”
SHEILA PRAXEDES
• Formada pela UFRR em Letras
com habilitação em inglês,
mestrado pela UFRR em
literatura, ex-professora da
UERR e agora professora da
UFRR. Organizadora e revisora
dos livros da série Máfia do
Verso.
ELIMACUXI
• Mestre em História Social, atua como
professora de História. É poeta, publicou um
e-book (Diverso Universo, prosa em verso)
em 2005 e, desde 2008, mantém o blog
Elimacuxi, Poesia Pura
(http://elimacuxi.blogspot.com.br/) onde
divulga seus poemas. Autora do terceiro livro
da série Máfia do Verso “Amor para quem
odeia”

“minha vida
é fervida
porque odeio
odeio quando me põem freio
quando me perguntam se não receio
e por que fazer rodeio?
odeio a verdade
que me acerta em cheio
quando me dizem que melhor
é o caminho do meio. “
MARCELO PEREZ
• Dramaturgo, contista, cronista e poeta,
Formado em Letras, com habilitação em
Literatura (UFRR) É editor e diagramador
do Fanzine Literário RECEITA NO VERSO,
publicação independente de incentivo à
leitura e produção textual. Em 2005
fundou a Cia. do Lavrado, grupo de teatro
relevante no estado de Roraima, no qual
atua como diretor, ator, produtor e
dramaturgo. Desde 2008, publica
regularmente suas experiências literárias
no blog SEXTAS CRÔNICAS
(www.sextascronicas2008.blogspot.com).
Será autor do quarto livro da série Máfia
do Verso intitulado “Ainda se estivesse
faltando pedaços
• “prefiro o inferno das tentativas
impossíveis do que o céu da
acomodação dos dias iguais”
DEVAIR FIOROTTI
• Professor universitário da
UERR, professor do
PPGL/UFRR, idealizador do
YAMIX, músico, artista
plástico, fotógrafo. Autor do
livro “30 Poemas e Solidão”
pela editora Patuá. Será o
quinto autor pela série Máfia
do Verso.

• “A vida se vai com um beijo


dado por mim em meu próprio
rosto”.
ADÍLIA QUINTELAS
• Nasceu no Rio de Janeiro em
27/08/1965. Nos anos 80 enveredou
pela música como interprete.
Formou-se em Ciências Biológicas.
Reside em Boa Vista desde 1996;
participou do primeiro festival
“Canta Roraima”em 2006 e do
concurso de poesias do SESI/RR
"COMPOESI" 2011 e 2012; desde
2008 publica seus poemas nas
Antologias do Congresso Brasileiro
de Poesia e na INTERNET em blogs
como o "Poetas do Brasil“. Será a
autora do sexto livro da série Máfia
do Verso.
• “profundo deveria ser só um suspiro
um instante antes do tiro
pulso que apedreja o peito
corte curto entre sul e norte
cisão na mente esquizofrênica
a loucura prá arte cênica
pro amor, só o racional
mas afinal quem ama é louco
internem pois esse bicho torto!”
RODRIGO MEBS
• Rodrigo Mebs natural de Curitiba-
PR, nascido 07-08-1890, reside em
Roraima desde de 2004, publica
seus poemas pelas antologias do
Congresso Brasileiro de Poesia, por
jornais e revistas, programas de
rádio e televisão, por meios
eletrônicos, como blogs e sites de
relacionamento. É poeta
performático, premiado diversas
vezes no Concurso Sesi Roraima de
Poesia. Lançou em 2011, o livro de
poemas: Por Amor Ou Por Vício.
Vocalista da banda de rock
Ditambah.

• “O fim rimará com o início e do pó


por amor ou por vício a vida
recomeçará.”
ZANNY ADAIRALBA
• Cursa Administração, é
compositora, cordelista e poeta.
Na área pública atua como
hestora/consultora cultural. É
membro fundadora do Coletivo
Arteliteratura Caimbé. Autora
de livros como “Palavras em
Preto e Branco”, “Repoetizando”
e “Literatura de Cordel”.
Colaboradora da série Máfia do
Verso.

“Quando cortou os pulsos


Escorreu por toda a mesa
Poesia.”
EDGAR BORGES
• Graduado em Jornalismo e em
Sociologia, com especialização em
Assessoria de Imprensa. Escritor, autor
do livro de microcontos Sem Grandes
Delongas (2011) e do e-book Roraima
Blues (2008), com participação em nove
coletâneas eletrônicas e impressas de
contos, poemas e microcontos. Editor
da coluna semanal de literatura Rede
Literária – Jornal Folha de Boa Vista
(RR), desde junho de 2012. Integrante
fundador do Coletivo Arteliteratura
Caimbé, associação cultural amazônica
criada em 2009
(www.caimbe.blogspot.com.br). Criador
e coordenador do projeto Caminhada
Arteliteratura. Colaborador da série
Máfia do Verso.

• “O seu sexto sentido lhe avisou a


tempo do perigo, mas ele só sabia
contar até três.”
COM O QUE TRABALHA A MÁFIA DO VERSO?

• INSPIRAÇÃO;
• POESIA;
• POEMA
• VERSO;
• ESTROFE;
• RIMA;
• MÉTRICA;
• EU-LÍRICO OU EU-POEMÁTICO;
• POEMA-PRÁXIS
• POEMAS-PROCESSOS
INSPIRAÇÃO
• SF 1. Ato de inspirar(-se) ou de ser inspirado ou de ser inspirado.
(...) 3. Qualquer estímulo ao pensamento ou à atividade criadora. 4.
Entusiasmo poético; estro.

(INS) – PIRAÇÃO.
CRIAÇÃO POÉTICA
inspiração

Público poeta

Poema-
Técnica
poesia
POEMA X POESIA
• POEMA • POESIA
• Essência do poema.
• Estrutura do texto poético;
• Seu estudo está centrado na
• Seu estudo se limita à análise construção da ideia do texto
do metro, rimas e à construção
(mensagem, elaboração do
do verso.
referente)
VERSO X ESTROFE
• VERSO • ESTROFE
• Unidade básica do poema.
• Linha escrita, de sentido completo ou • Conjunto de versos.
fragmentário, que se caracteriza pela
obediência a determinados preceitos
rítmicos, fônicos ou meramente
gráficos, pelos quais difere das linhas
da prosa (Geir Campos)
• Diante das consquistas de
expressividade da poesia moderna,
mais especificamente a poesia
contemporânea da década de 50, não
seria prudente tratarmos de versos,
visto que o que importava para a
construção do poema era o campo
visual e sonoro, tomando assim, as
palavras como o material para a
construção gráfica. Daí a existência do
termo linossigno de Cassiano Ricardo.
RIMA
Concordância de sons finais ou interiores, entre versos, ou no
interior do mesmo verso.
Seguem o seguinte esquema de rimas: emparelhada, alternada,
interpolada, encandeada.

MÉTRICA
Unidade rítmica repetida ou combinada num verso. O metro de um
verso é definido pelo número de sílabas que o compõe,
consideradas até a última tônica. Dividem-se em isometria e
heterometria.
MÁFIA DO VERSO E A POESIA
• A Poesia é a capacidade de sensibilizar o outro para uma
realidade particular através da linguagem.
• A poesia é a humanidade em palavras.
• A poesia não é difícil, apenas requer contato e tempo para
desfrutar da linguagem poética e é esse o trabalho ao qual a
Máfia do Verso está se dispondo com a iniciativa.
ANÁLISE DE POESIA
A análise de poesia pode ocorrer em
níveis:
• Linguístico;
• Estilístico;
• Sociológico;
• Antropológico;
• Literário;
• Estruturalista
ANÁLISE DE POESIA
ANÁLISE DE POESIA
DICAS DE ANÁLISE DE POESIA
Bandalha
• Cada poesia sugere uma imagem ao leitor. Essa
capacidade de projetar na mente do leitor uma
imagem é chamada Imagética a que ,
geralmente, os poetas recorrem. Na hora da Sigo o som
análise poética apele para ela!
• Preste atenção nos vocábulos utilizados ao longo com os olhos
do poema, eles são capazes de descrever a
imagem que o eu-lírico quer construir ao longo Sobre duas rodas
da poesia. Sempre procure as palavras no
dicionário. Sigo a fuligem
• Preste atenção ao pronome pessoal no qual Com o olfato
desenvolve-se o poema
• Preste atenção ao título, se houver, da poesia. Do carro
Às vezes ele prenuncia o tema sobre o qual
versará a poesia. Inalo
• Busque relacionar a imagem sugerida pela Miragem
poesia às mais diferentes situações a que possa
estar ligada: aspectos sociais, afetivos, No asfalto
históricos, cotidianos, humanos, etc.
• Preste atenção à disposição da poesia na página, Estalo.
vez ou outra ela pode interferir na análise da
poesia.
(Ferseck, Sony. Pouco Verbo. Série Máfia do
Verso. 2013.P.22)
DICAS DE ANÁLISE DE POESIA
minha imagem hoje havia vida acumulada
nas olheiras
não concordou comigo
que eu sabia que não tinha
acordei sóbrio
havia um ter
me olhando bêbado que eu nunca tivera
no espelho do banheiro e uma cicatriz
mal dissimulada

então sorri no canto do olho


que me tornava
ou gargalhei
completo desconhecido
não sei
mas a imagem dramática
me cumprimentei
apenas piscava estarrecida
cordialmente
pelo dia recém surgido
e fui dormir aturdido

(MIBIELLI, Roberto. Par T ilha. Série Máfia do Verso. Vol. 1. 2013.


p.82)
DICAS DE ANÁLISE DE POESIA
EPITÁFIO de madrugada o mar está grogue
as ondas altas se esparramam na praia
Esse é o problema da vida o reflexo da lua
Ela não tem volta jogado de lado
Só tem ida. encalha na areia

(FERSECK, Sony. Pouco Verbo. Série Máfia do Verso. minha sombra sóbria
Vol.2. 2013. p. 16)
tenta se equilibrar nas pedras bambas
com as quais caminho

tento dizer um clichê honesto


e não consigo
basta-me então pensar

será que te amo

(MIBIELLI, Roberto. Par T ilha. Série Máfia do Verso.


Vol. 1. 2013. p.78)