Você está na página 1de 69

Ossos do Crânio são Divididos em:

• → Calota Craniana (Calvária)

• Frontal
• Parietal direito
• Parietal esquerdo
• Occipital
Assoalho ou Base do Crânio
• Temporal direito
• Temporal esquerdo

• Esfenoide

• Etmoide- Localiza-se no centro do crânio.


Topografia do Crânio- Marcos de Superfície

• PMS- Plano Mediossagital - Divide o corpo em


direito e esquerdo.

• Esse plano é importante no posicionamento


preciso do crânio , pois em toda incidência AP,
PA ou Lateral o PMS estará perpendicular ou
paralelo ao plano do filme.
LIP- Linha Interpupilar

• É a linha que conecta as pupilas , os cantos


externos e internos dos olhos.
Marcos de Superfície Frontal

• Glabela
• Acântion

• Ângulo ou Gônio

• Ponto Mentoniano
• Násio
Marcos de Superfície Lateral

• Glabela
• Acântion

• Ângulo ou Gônio

• Ponto Mentoniano
• Násio
Marcos da Órbita

• Olho → Canto externo .

• M I O – Margem Infra-
Orbitária → Refere-se a
borda inferior da órbita
óssea.
Linhas de Posicionamento do Crânio

• As Linhas de posicionamento são


importantes na radiografia do crânio, para
obter uma imagem mais precisa.

• Estas linhas tem como ponto de referência do


MEATO AUDITIVO EXTERNO (M A E).

• M A E – É a abertura do canal externo da


orelha, denominado ponto auricular.
Linhas de Posicionamento

• LGM – Linha Glabelomeatal .

• L O M – Linha Orbitomeatal .

• L I O M – Linha Infra-
• Orbitomeatal.

• L A M – Linha acantomeatal.

• L L M – Linha Labiomeatal.

• L M M – Linha Mentomeatal.
Linhas de Posicionamento
Rotina de Crânio- AP e P
Incidência AP
Incidência Perfil
AP e Perfil de Crânio
AP e P de Crânio
AP e P Crânio- Criança
Linha do Rochedo (osso temporal)
1/3 distal da órbita

Linha Orbito Meatal perpendicular ao filme.


Posicionamento
Plano Médio Sagital Perpendicular ao Filme

Incidência Ântero Posterior


Posicionamento do Crânio- Lateral

• Linha Interpupilar perpendicular


ao filme.

• Plano Médio Sagital paralelo ao


filme.

• Obs. Para não haver rotação do


crânio.
Procedimento Politrauma
Lesão
Lesão
Fatores Técnicos
• Filme- Dois filmes 24× 30 cm
• AP- Sentido longitudinal
• P- Sentido Transversal
• Identificação
• No Bucky
• Técnica → AP- mA 200 - KV - mAs
• → P- mA 200 – KV- mAs
Raio Central- (RC)

• AP- Perpendicular ao filme direcionado na glabela.

• A linha orbitomeatal (LOM) deve ficar


perpendicular ao filme.

• P- Perpendicular ao filme , direcionado 2 cm superior


e 2 cm anterior ao meato auditivo externo (MAE).

• Dfofi- 1 m
Estudo Radiológico

AP e P
• AP - A Linha Orbitomeatal (LOM),
perpendicular à mesa ou ao filme.

• P - A linha Interpupilar (LIP)


perpendicular ao filme,
e PMS paralelo à mesa.
Estruturas Mostradas

• AP- Frontal, parte do parietal direito e


esquerdo, parte do esfenóide direito e
esquerdo.

• P- As mesmas estruturas em uma visão lateral


do crânio superpostas com detalhes, toda a
sela túrcica ou turca .
01 02

01

02
Anatomia do Crânio- Frontal
Anatomia do Crânio - Lateral
Osso frontal Parietal
Frontal Parietal

Esfenoide

Occipital
Temporal
Occipital
Temporal
Esfenoide
Incidência AP Axial: Crânio
Método de Towne
Fatores Técnicos

• Filme - 24 × 30 cm.
• Panorâmico - sentido longitudinal.
• Identificação.
• No bucky.
• Técnica: mA 200 - KV - mAs
Raio Central (RC)

• Com angulação 30º caudal em


relação à LOM (linha
orbitomeatal), que deve ficar
perpendicular ao filme.

• Se a angulação for 37º caudal a


RC LIOM (linha Infra-orbitomeatal)
tem que estar perpendicular à
mesa ou ao filme.
• Dfofi - 1 m
Estudo Radiológico

AP Axial Método de Towne

• Abaixar o queixo em direção da fúrcula para que a LOM


(linha orbitomeatal fique perpendicular ao filme.

• OBS. Quando o paciente não conseguir flexionar


o pescoço, alinhar a LIOM perpendicular ao filme
e o RC com angulação 37º
Estruturas Mostradas

• AP Axial- Osso occipital, forame magno.


Estruturas - Towne
Anatomia Occipital - Objetivo

Occipital

Occipital

Occipital

Forame Magno
Incidência PA Axial- Crânio Método de Haas
Estruturas Mostradas - Haas
Hirtz– Submentovértice Para Base do Crânio
Hirtz – Submentovértice - Crânio
Submentovértice -Hirtz
Hirtz - Para Base do Crânio
Fatores Técnicos

• Filme- 24×30 cm.


• Panorâmico- sentido longitudinal.
• Identificação.
• No bucky.
• Técnica mA 200 - KV - mAs
Raio Central (RC)

RC
• Perpendicular ao filme
direcionado 2 cm
anterior do mento.

• DFoFi - 1 m
Estudo Radiológico

• Submentovértice – Método de Hirtz

• LIOM paralela ao filme.


Estruturas Mostradas
• Osso occipital.
• Forame Magno.

• Objetivo- Verificar fraturas na base do crânio.


(temporal , esfenoide e etimóide)
AP Axial Método de Towne e P para Sela
Turca (esfenóide)
AP Axial para Sela Turca
Perfil para Sela Turca
Fatores Técnicos
• AP - axial sentido longitudinal
• P - sentido transversal
• Identificação.
• No bucky.
• Técnica – AP Axial- mA 200- KV - mAs
P- mA 200- KV - mAs
• Com cone
Raio Central- AP Axial

• Com angulação de 37º caudal se o dorso da sela e os processos


clinóides posteriores forem o interesse principal e se apresentam
dentro do forame magno.

• Com angulação de 30º se os processos clinóides anteriores forem


o interesse principal se apresentam fora do forame magno.

• Centralizar no PMS na glabela e sairá no forame magno.

• Dfofi- 1 m
Raio Central - Lateral

• Perpendicular ao filme,
direcionado a 2 cm
anterior e 2 cm superior ao
meato acústico externo
(MAE) .

• Dfofi- 1
Estudo Radiológico

AP Axial Método de Towne Perfil

Linha Infra Orbitomeatal Plano mediossagital paralelo ao filme,


perpendicular ao filme. linha Interpupilar perpendicular ao filme.
Estruturas Mostradas- AP Axial
• 37º de angulação caudal- Dorso da sela, os processos clinóides
posteriores são projetados para o interior do forame magno.

• 30º de angulação caudal- Clinóides anteriores são claramente


visualizadas diretamente acima do forame magno e o dorso da sela
é projetada acima do forame magno.
Estruturas –Axial Sela Túrcica
Estruturas Mostradas- Perfil
• Sela Túrcica ou Turca.
• Processos Clinóides anteriores e posteriores.
Esfenoide
Occipital
Frontal
Ossos do Crânio
Temporal
Temporal
Etmoide
• Divide-se, para estudo, em ossos da face e ossos do crânio propriamente dito.

• Os ossos que compõe o crânio são: Frontal, Occipital, Esfenóide, Etmóide (ímpares), Parietal e
Temporal (pares).

• O crânio pode ser dividido em calota craniana ou calvária e base do crânio. A calvária é a parte
superior do crânio e é formada pelos ossos: Frontal, Occipital, e Parietais.

• A base do crânio forma o assoalho da cavidade craniana e pode ser dividida em três fossas ou
andares:

• A fossa anterior, também chamada de andar superior da base do crânio, é formada pelas lâminas
orbitais do frontal, pela lâmina crivosa do etmoide e pelas asas menores e parte anterior do
esfenóide.

• A fossa média, também chamada de andar médio da base do crânio, é formada anteriormente pelas
asas menores do esfenóide, posteriormente pela porção petrosa do osso temporal e lateralmente
pelas escamas do temporal, osso parietal e asa maior do esfenóide.

• A fossa posterior, também chamada de andar inferior, é constituída pelo dorso da sela e clivo do
esfenóide, pelo occipital e parte petrosa e mastoidea do temporal. Essa é a maior fossa do crânio e
também abriga o maior forame do crânio, o forame magno.

• Os ossos que compõe a face são: Mandíbula, Vômer, Hioide (ímpares), Maxilar, Palatino,
Zigomática, Concha nasal inferior, Lacrimal e Nasal (pares).

Você também pode gostar