Você está na página 1de 18

INTRODUÇÃO DO ISLAME NO BRASIL

EM NOME DE ALLAH O MISERICORDIOSO, O MISERICORDIADOR

Começo com o Nome Abençoado de ALLAH ( Deus Único da Unicidade Absoluta ) O louvamos e

glorificamos como só Ele deve ser louvado e glorificado. Ele que criou todos nós de uma gota de esperma [

18 Sura Al- Kahf (A Caverna) 37; 35 Sura Al-Fátir(O Originador) 11; 40 Sura Al-Mumin(O Crente) 67; 75 Al-

Quiáma(A Ressurreição) 37-40] e em cuja mão estão nossas vidas [ 48 Al-Fath(A Vitória) 10] e suplico por paz

e bênçãos a todos Seus nobres mensageiros e em particular, ao último de todos eles, o abençoado profeta

Muhammad(saas). 42 Sura Ash-Shura(A Consulta) 13.


Islame significa: Entregar-se a Deus( único)
com monoteísmo; submeter-se a Ele com obediência e inocentar-se da idolatria e
dos idólatras.
6. CERTAMENTE, COM A ADVERSIDADE VEM A FACILIDADE.
94 Al- Inchirah (A EXPANSÃO)
1. LÊ EM NOME DO TEU SENHOR, QUE CRIOU
Primeira ordem de Deus para o ser humano. 96 Sura Al-’Alac(O Coágulo)
Textos Corânicos produzidos pelo
escravo Domingos, nação Hauçá – 1835.
Os
MUÇULMANOS
Os negros africanos chegaram ao Brasil em 1517,
sendo os primeiros africanos embarcados na América
pelos portugueses levados para diversas regiões.
Alguns desses povos vindos para o Brasil eram
muçulmanos como os hauça, vindos do Sudão Central,
atual norte da Nigéria. Estes chegaram no Brasil no
final do século XVIII e início do XIX. A maioria dos
hauça foi levada para a Bahia e um pequeno grupo
para Pernambuco.

Com a vinda dos hauças para o Brasil, os islâmicos


receberam outros nomes como: malê (Etimologia
segundo Cacciatore, palavra ioruba imale
“muçulmano, do hauça mãlam “letrado” (2007,
pag.1819), do árabe “mu’allim” professor. Como
afirma Roger Bastide, o Islã foi introduzido no Brasil
pelos muçulmanos Hauça
LEVANTE DOS MUÇULMANOS CONTRA A PIOR DE TODAS
USURA: A ESCRAVIDÃO

• da escravidão no Brasil, conforme


cita Joaquim Nabuco:
93 mil escravos hauças e Nupes escravidão é usura e a
foram exportados da Baía de Benin pior de todas, a de Shylock,
nos séculos XVIII e XIX. 22 mil levantada sobre a carne humana
escravos Nupes na década de (2003, pag. 179). José Cairus sobre
1740 e a de 1860; 70.800 hauças a diáspora africana (2003, pág. 15),
entre a década de 1780 e 1860. afirma que a revolta fora marcada
Assim sendo, foi essa leva de por estes mestres islâmicos. Houve
africanos islamizados que várias rebeliões escravas dos
trouxeram o Islã para o Brasil e muçulmanos na Bahia. A rebelião
junto com eles trouxeram as dos malês de 1835, é o ápice da
noções de limites da escravidão não aceitação do regime político
que sacudiram Salvador e o
Recôncavo entre 1807 e 1835. A escravista no Brasil .
inconformidade com a escravidão
no Brasil fez com que os hauças
suscitassem várias revoltas. A
maior delas ocorreu na noite do dia
24 e 25 de janeiro de 1835. Os
hauça eram homens letrados e
mestres do Islã. Esses mestres
convocaram seus alunos a fazerem
guerra contra usura; o pilar central
LÊ. Primeira ordem de
Deus para o ser humano.
96 Sura Al-’Alac(O Coágulo)
Mestres islâmicos vieram para o Brasil e
ensinaram a ler em árabe o Alcorão. O
relatório do chefe de polícia, Francisco
Gonçalves Martins, afirma que sob
circunstâncias religiosas foi organizado o
levante de 1835:
[...] Em geral vão quase todos sabendo ler e
escrever em caracteres desconhecidos que
se assemelham ao árabe, usado entre os
ussás, que figuram ter hoje combinado com
os nagôs. Existem mestres que davam lições
e tratavam de organizar a insurreição na qual
entravam muitos forros africanos e até ricos.
Têm sido encontrados muitos livros, alguns
dos quais dizem serem preceitos religiosos
tirados, principalmente do Alcorão{...]
LEGADO DOS MUÇULMANOS: ÁBADA
CAPOEIRA NÃO É APENAS LUTA CORPORAL MAS, É LUTA CONTRA A
DISCRIMINAÇÃO RACIAL E RELIGIOSA.
21/03/2016 Invasão da Mesquita
Era cedo quando um grupo de vândalos invadiu a Mesquita do Centro
Islâmico do Brasil, nesta segunda (21), na 712 Norte. Livros sagrados foram
rasgados e móveis jogados para fora do local. No momento, três pessoas
faziam a primeira oração do dia. De acordo com um dos líderes religiosos,
que preferiu não se identificar, os invasores entraram no local não na intenção
de roubar, mas de estragar vários livros sagrados. “Não é possível dizer a
quantidade exata do material que foi destruído, pois foram vários”, conta. Já
ocorreram roubos no local, segundo o líder, “mas é a primeira vez que
invadem apenas para destruir”. “Consideramos uma intolerância religiosa,
um desrespeito”, frisou o líder da
Mesquita. http://www.jornaldebrasilia.com.br/cidades/mesquita-do-centro-
islamico-e-invadido-por-vandalos-na-asa-norte/; acessado em 24/06/2017.
Os ataques ao Centro Islâmico de Brasília nesta segunda-feira (21) foram um
ato de intolerância religiosa contra a comunidade muçulmana, afirmou o
subsecretário de Direitos Humanos do Distrito Federal, Coracy Chavante. Na
manhã desta segunda, livros religiosos, utensílios e móveis do centro foram
jogados para fora do prédio, que funciona na Asa Norte. “As características
denotam muito um crime de ódio porque lá tinha objeto de valor, objeto de
som, e nada foi furtado. Livros e móveis foram jogados para fora, alguns
rasgados. Isso não denota nenhuma ligação com furto, roubo ou vandalismo”,
disse o subsecretário ao G1. . http://g1.globo.com/distrito-
federal/noticia/2016/03/vandalismo-em-mesquita-do-df-foi-intolerancia-
religiosa-diz-governo.html; acessado em 24/06/2017.
O Islam ontem e hoje.
Todos os louvores são para Deus, Louvado seja e que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre
o último Profeta e mensageiro de Deus e sobre sua família e os companheiros e sobre todos os
muçulmanos até o dia do Juízo Final.

Quando nós falamos do Islam Hoje, não falamos só, da ultima revelação, que fora feita ao
profeta Mohamad (sas), mas sim, da Única Religião, que também fora revelada aos
Mensageiros anteriores, O Islam.
Deus, o Único, diz: {e com certeza que revelamos a você e aos anteriores a você } e Deus, o
Único, diz: { e Dadivamo-los com Isaque e Jacó. A ambos guiamos. E a Noé guiamo-lo antes. E
de sua descendência guiamos a Davi, e a Salomão e a Jó e a Moisés e Aarão- e assim,
recompensamos aos bens feitores} ( Surata al-nan -84)

E com certeza fora enviado para todas as nações um Mensageiro, ou seja, para todos povos
que estiveram nesse planeta, em qualquer parte dele. Disse Deus, o Único: {e com certeza
enviamos para todas as nações um Mensageiro} (Surata alnahl -36).

Todos esses Mensageiros, foram enviados com a palavra da unicidade Divina, ou seja, um Deus
Único. {E não enviamos antes de ti, Mensageiro algum, sem que lhe revelássemos que não
existe Deus senão Eu; Então, adorai-Me}. (Surata al-anbiya´ - 25)

E com certeza, que Deus louvado seja; tanto enviou o Profeta Mohamad, como os outros
Profetas anteriores. E Deus, o Único, sabe mais do que nós, que fomos criados por ele, e a ele
retornaremos, e aqueles que seguirem o Seu caminho, serão os bens aventurados.

Imamo El Hajj Omar

radioislamico38@gmail.com
GLOSSÁRIO:
1. ALCORÃO: É a mensagem de Deus para humanidade revelada ao profeta Muhammad (que Deus o abençoe e
lhe dê paz) através do anjo Gabriel;
2. BENIN: República de Benin (até 1980 dita Daomé);
3. HAUÇÁ: História. Diz-se de ou negro de cultura islâmica e procedente da Nigéria, trazido para o Brasil com o
tráfico de escravos, especialmente no início do século XIX;
4. ISLÃ: É uma palavra árabe que significa “submissão à vontade de Deus” (entregar-se a Deus). Islã não é uma
religião nova porque “submissão à vontade de Deus”, sempre foi a única e a mesma mensagem transmitida
pelos profetas de Deus. Alcorão 42:13.
5. MUÇULMANOS: Muçulmano(a) significa aquele(a) que se submente à vontade de Deus, independentemente de
sua raça, sexo, nacionalidade, ou origem étnica. Ser um muçulmano(a) implica em submissão voluntária e
obediência ativa a Deus e em viver de acordo com sua mensagem;
6. EID AL-FITR: Festa do desjejum, celebração que marca o fim do Ramadã;
7. RAMADÃ: Cronologia. Nono mês do calendário islâmico durante o qual os muçulmanos jejuam da
alvorada ao pôr do sol;
8. SURATA ou SURA: Um capítulo do Alcorão;
9. A Sura Al-Fatiha "A Abertura"é o primeiro capítulo do Alcorão. Seus sete versos são uma oração por orientação
divina e um louvor ao senhorio e a misericórdia de Deus. Este capítulo tem um papel especial nas tradicionais
orações diárias, por ser recitado no início de cada unidade de oração, ou rak'ah.
10. ZAKÁT: significa purificar a riqueza que a pessoa detém ao distribuir uma quantidade prescrita por Deus -
imposta sobre o rico - que tem de ser dada ao pobre e alguns beneficiários
1. Islamismo sem terror: ghttp://islamismo-sem-terror.webnode.com/news/os-haussas-no-brasil/; acessado em 24/06/2017.
2. CAIRUS, José Antônio Teófilo. Jihad, Cativeiro e Redenção: escravidão, resistência e irmandade, Sudão central e Bahia (1835). Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-
Graduação em História Social do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2002. http://livros01.livrosgratis.com.br/cp000138.pdf; acessado em
24/06/2017
3. REIS, João José. Rebelião Escrava no Brasil: a história do levante dos malês em 1835. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
4. NABUCO, Joaquim. O Abolicionismo. Edições do Senado Federal – vol. 07. Brasília, 2003. http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/1078/667747.pdf?sequence=4; acessado em
24/06/2017

5. HOUAISS, Dicionário da língua portuguesa. Objetiva. Rio de Janeiro, 2007.

6. ÜNAL, ALI. O ALCORÃO – Com interpretação Anotada. Edição Fatih Özorpak e Melek Özorpak, publicado por Tughra Books, Turkey, 2015.

7. MELLO, Priscilla Leal. Leitura, Encantamento e Rebelião. O Islã Negro no Brasil. Século XIX. Niterói – 2009. http://www.historia.uff.br/stricto/td/1111.pdf;acessado em 24/06/2017

8. A invasão da Mesquita http://www.jornaldebrasilia.com.br/cidades/mesquita-do-centro-islamico-e-invadido-por-vandalos-na-asa-norte/; acessado em 24/06/2017.

9.A invasão da Mesquita http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2016/03/vandalismo-em-mesquita-do-df-foi-intolerancia-religiosa-diz-governo.html; acessado em 24/06/2017.

10.A resposta à Islamofobia: This Response To An Islamophobic Demonstrator Is Totally Perfect http://www.huffpostbrasil.com/entry/muslim-father-anti-islam-protester_n_7128288;
acessado em 24/06/2017

11. Assunção, Mathias Rohrig; CAPOEIRA. The history of an Afro-Brazilian Martial Art; https://www.e-reading.club/bookreader.php/134571/Assuncao_-_Capoeira_-_The_History_of_Afro-
Brazilian_Martial_Art.pdf; acessado em 24/06/2017. It is very likely that some nineteenth-century capoeiras were Muslims. Islamic influence on capoeira are instance detectable in the use of
term ábada- denominating in contemporary capoeira the practitioners uniform. The term derives from the white tunics which Muslim slaves (malês) used during prayers. The capoeira scene in
Bahia página 114. É muito provável que algumas capoeiras do século XIX fossem muçulmanas. A influência islâmica na capoeira é detectável no uso do termo ábada - denominando na
capoeira contemporânea o uniforme dos praticantes. O termo deriva das túnicas brancas que os escravos muçulmanos (malês) usaram durante as orações

12. Reichert, Rolf “Os documentos Árabes do Arquivo Público da Bahia” 1ª série. Textos Corânicos. Afro-Ásia, 1966 https://portalseer.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/20257/12808
acessado em 24/07/2017
13. Jornal EXTRA ONLINE: Há mais muçulmanos do que católicos no mundo, diz Vaticano, 30/03/2008: https://extra.globo.com/noticias/mundo/ha-mais-muculmanos-do-que-catolicos-no-
mundo-diz-vaticano-486682.html Acessado em 30/07/2017

Interesses relacionados