Você está na página 1de 14

OLHANDO PARA TRÁS

ESE, Cap. 5, item 8:


“As aflições da vida podem ser impostas aos Espíritos
endurecidos, que per- sistem em fazer o mal, ou aos Espíritos
ignorantes que ainda não tem condições de fazer uma
escolha consciente.
Os espíritos arrependidos, que possuem maior esclarecimento
e desejam reparar o mal que fizeram, escolhem
espontaneamente essas aflições, pois ao praticarem o bem
libertam-se mais rápido de seus sofrimentos.
 Eles seguem o exemplo daquele que, tendo feito mal sua
tarefa, pede para recomeçá-la, não perdendo assim o fruto
As de
aflições e dores são ao mesmo tempo punições pelos erros
seu trabalho.
cometidos no passado e preparação para as provas futuras.

Devemos render graças a Deus, que em Sua bondade infinita


dá aos homens a oportunidade de reparar seus erros e não
condena de forma definitiva pela primeira falta.”
Nem todos são essencialmente maus. Entre alguns há
mais ignorância, leviandade, inconsequência e malícia
do que verdadeira maldade.
 Alguns não fazem o bem nem o mal; mas, apenas
pelo fato de não fazerem o bem, já demonstram sua
inferioridade.
 Outros, ao contrário, se comprazem no mal e ficam
satisfeitos quando encontram a ocasião de o fazer.
O QUE É CULPA?

Culpa quer dizer paralisação das nossas


oportunidades de crescimento no presente em
consequência da nossa fixação doentia em
comportamentos do passado.
 Quem se sente culpado
se julga em “peccatum”,
palavra latina que quer
dizer “pecado ou culpa.”
 A culpa é resultado da
raiva que alguém sente
contra si mesmo, voltada
para dentro, em forma de
sensação de algo que foi
Certas religiões utilizam-se frequentemente da culpa
como meio de explorar a submissão de seus fiéis.
 Usam o nome de Deus e suas leis como
provedores do mecanismo de punição e repressão,
afirmando que garantem a salvação para todos
aqueles que forem “tementes a Deus”. no entanto,
 Esquecem-se,
de que o Criador da Vida é
infinita Bondade e
Compreensão e que sempre
vê com os “olhos do amor”,
nunca punindo suas
criaturas;
 Na realidade, são elas
mesmas que se
autopenalizam por não se
renovarem nas
Nossa atual cultura ainda é a mais grave geradora de
culpa na formação educacional dos relacionamentos,
seja no social, seja no familiar.

No recinto do lar
encontramos muitos pais
induzindo os filhos à culpa:
“Você ainda me mata do
coração!”, (tática muito
comum para manter sob
controle uma pessoa
rebelde); ou dos filhos que
aprenderam a tramoia da
“A culpa é sua!!”
culpa, para obter aquilo
que desejam: “Os pais de
Culpar não é um
método educativo, nem
tampouco gerador de
crescimento, mas um
meio de induzir as
pessoas a não se
responsabilizar por
seus atos e atitudes.
Em muitas oportunidades encontramos indivíduos que
teimam em culpar os outros, acreditando ser muito
cômodo representar o papel de injustiçados e
perseguidos.

 Colocam seus erros sobre os ombros das pessoas,


da sociedade, da religião, dos obsessores, do
mundo enfim.
No entanto, só eles
poderão decidir se
reconhecem ou não suas
próprias falhas, porque
apenas dessa forma se
libertarão da prisão mental
a que eles mesmos se
Arrependimento - Expiação -
Reparação

 O arrependimento, embora seja o primeiro passo


para a melhoria da nossa condição espiritual, não é
o suficiente – é necessário também a expiação e a
reparação de nossos erros.

 Constituem, portanto, as três condições


necessárias para apagar os traços de uma falta e
suas consequências.
ELIMINANDO
O MECANISMO DE CULPA
REPARAÇÃO

EXPIAÇÃO

ARREPENDIMENTO
A Divina Providência sempre
“concede ao homem a faculdade
da reparação e não o condena
irrevogavelmente”.
Não guardemos culpa.
Optemos pelo melhor, modificando nossa
conduta.
Reconheçamos o erro e não olhemos para
trás, e sim, para frente, dando continuidade à
Bibliografia

1. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo 5


2. O Livro dos Espíritos – Questões 100 a 113;
3. O Céu e o Inferno – Segunda Parte, Capítulo 7
4. Renovando Atitudes – Capítulo 11;
5. Conflitos Existenciais, Capítulo 6.