Você está na página 1de 17

Mecanismos poupadores de água

como suporte ao planejamento


urbano

Grupo:

Eisten Alves Fonseca


John Kennedy F. Silva
Lilian de Fátima Rodrigues
Lorrane Gonçalves Caixeta
Matheus Borges Braga
Ronaldo Luiz da Silva Júnior
Vinícius Henrique Pereira Bueno
O objetivo do trabalho é:
• Avaliar a redução do consumo de água a partir
da utilização de mecanismos poupadores ;
• Verificar a demanda de água no bairro e sua
estimativa para os anos subsequentes;
• Sugerir parâmetros urbanísticos relativos ao
consumo de água, a serem incluídos na
legislação municipal.
Crescimento e adensamento
• Centralização;

• Descentralização;

• Verticalização.
Planejamento urbano sensível aos
recursos hídricos

• Pressão gerada pelo crescimento populacional;


• Criação de novas áreas para expansão urbana
que comprometem as áreas de mananciais
abastecedores das cidades;
Planejamento Urbano Sensível aos
Recursos Hídricos
• Proteger os sistemas naturais;
• Integrar o tratamento de águas pluviais à
paisagem;
• Proteger a qualidade da água;
• Reduzir escoamento e pico de fluxo; e
• Agregar valor, minimizando os custos de
desenvolvimento.
Instrumentos Legais de Planejamento e
Gestão

Os instrumentos legais de planejamento e


gestão das cidades existem para induzir o poder
público a agir em prol do interesse coletivo,
garantindo que todos os cidadãos tenham
acesso aos serviços, aos equipamentos urbanos
e a toda e qualquer melhoria realizada.
Dentre os instrumentos Legais que
regulam o Planejamento e gestão das cidades
destaca-se o Estatuto da Cidade (Lei n°
10.257/2001).
Esta lei estabelece normas de ordem
pública e interesse social que regulam o uso da
propriedade urbana em prol do bem coletivo, da
segurança e do bem-estar dos cidadãos, bem
como do equilíbrio ambiental.
As definições e diretrizes nos códigos
de obras municipais são fundamentais
para induzir o uso racional da água nos
objetos edificados, e precisam interagir
com as leis ambientais, garantindo que
o crescimento urbano ocorra de
maneira sustentável.
Materiais e Métodos
O trabalho foi organizado em três fases:

• Seleção dos mecanismos poupadores;

• Criação dos cenários de adensamento urbano e

suas demandas de água;

• Análise urbanística.
Seleção dos Mecanismos Poupadores
Na escolha e identificação dos mecanismos
poupadores foram considerados certos aspectos,
como:

• Facilidade de implementação,

• Relação custo beneficio à curto prazo

• Melhor adequação à região de estudo.


Seleção dos Mecanismos Poupadores
Com base nos aspectos foram selecionados como
mecanismos poupadores para a pesquisa:

• Torneira (com arejador);

• Chuveiro;

• Bacia sanitária;

• Reuso de água;

• Medidores individuais
Criação de Cenários
• Cenário 1- Esta etapa visou o calculo da demanda de
água dos lotes situados no bairro Catolé (Campina Grande
- PB) (com exceção dos prédios em construção).

• Cenário 2- Visou mostrar a rápida evolução da


construção civil, e o consumo de água destas novas
construções com os mecanismos poupadores.

• Cenário 3- Comparou os resultados de consumo das


construções normais, e das construções com os
mecanismos poupadores com uma margem de cinco anos.
Criação de Cenários
• Cenário 4- Calculou-se o crescimento populacional
num período de 10 e 20 anos com as estimativas do
IBGE, e utilizou os dados de crescimento da demanda
de água obtidos por Araújo (2012) para cada período de
anos.
• Cenário 5- Calculou-se o percentual de aumento da
demanda de água para os períodos de 10 e 20 anos com
os mecanismos poupadores e sem eles, verificando-se
assim a economia gerada pela implantação dos
mecanismos nas novas edificações, e
consequentemente, na área de estudo.
Análise Urbanística
• A taxa de adensamento no bairro foi definida de
acordo com os censos demográficos de 2000 e 2010
(IBGE, 2001; 2011), e de acordo com os tipos de
edificações recorrentes na área.
• Determinou-se a taxa de adensamento demográfico e
adensamento habitacional para o bairro do Catolé.
• Fez-se uma projeção da estimativa de consumo de
água para os próximos 10 e 20 anos, considerando o
incremento da população obtido através da taxa de
crescimento da população.
Resultado e Discussões
• O processo de verticalização tem sido o principal agente do adensamento na cidade,
pois concentra um número maior de unidades habitacionais em uma só área.

• A alta densidade populacional do bairro de Catolé é resultante do adensamento


construtivo e da verticalização, fator ainda comprovado pela extensão do bairro,
que é uma das maiores da cidade, com 2.897km².

• A verticalização oferece algumas vantagens como: concentração de usos e


infraestrutura em uma faixa territorial menor; diminuição da distância a ser
percorrida entre regiões, facilitando o deslocamento da população, e
consequentemente, reduzindo os investimentos em estruturas viárias, de
saneamento e abastecimento.

• A sobrecarga dos sistemas de infraestrutura tem sido um dos principais problemas


encontrados em áreas adensadas, pois, à medida que aumenta a população em um
determinado setor, aumentam-se o fluxo de veículos e os consumos de água e
energia; geram-se mais resíduos sólidos e líquidos; entre outros.
Conclusão
Se faz necessário grandes investimentos por parte dos gestores
municipais, porém uma legislação eficiente também é capaz de controlar e
minimizar os impactos decorrentes de um adensamento;
Concluiu-se que são boas ferramentas para economia de água, o
uso de mecanismos poupadores ao invés do sistema convencional
utilizado;
Além disso, a substituição representou baixos custos de
investimentos em relação ao custo total da obra, e se mostrou vantajosa
quando comparada à economia de água de 83,26%, gerada ao longo da
vida do edifício;
Portanto é possível minimizar o problema da escassez da água,
utilizando instrumentos de gerenciamento que contribuam para a
racionalização do uso e também aplicando a legislação de forma efetiva e
eficiente.