Você está na página 1de 27

INTRODUÇÃO À

NEUROPSICOLOGIA

CLAUDSON CERQUEIRA
PSICÓLOGO (CRP-03/IP12940)
ESPECIALIZAÇÃO EM NEUROPSICOLOGIA (FUNDAÇÃO VISCONDE DE CAIRÚ)
O QUE SERÁ ABORDADO

• O que é a Neuropsicologia?
• Um pouco de história: a relação mente-cérebro;
• Estudos atuais em Neurospsicologia: aplicação prática;
• Neuropsicologia e a Clínica: Avaliação e Reabilitação;
• Neuropsicologia e Educação: Questões de aprendizagem;
O QUE É A NEUROPSICOLOGIA

• Estudo das relações entre cérebro e comportamento;


• Definições:
• ... Estudo dos mecanismos neurais que subservem o comportamento humano (Medonça e
Azambuja, 2014);
• Área específica da Psicologia que tem como objetivo investigar o papel de sistemas
cerebrais individuais em formas complexas de atividades mentais (Luria, 1981);
• Ramo da Psicologia que estuda a base neurológica dos fenômenos psicológicos... Do
comportamento normal e patológico.
O QUE É A NEUROPSICOLOGIA

“O objetivo teórico da neuropsicologia (...) é ampliar os modelos já conhecidos


e criar novas hipóteses sobre as interações cérebro-comportamentais”
(Resolução 002/2004, CFP)
UM POUCO DE HISTÓRIA...

• Problemática mente-cérebro desde os filósofos gregos:


• Alcmeão (séc IV a. C.): descobriu canais que ligam órgãos ao cérebro – os nervos;
• Hipócrates (460-355 a.C): cérebro como a parte mais importante do corpo e a sede da
inteligência;
• Demócrito (470-360 a. C.): localizou o pensamento no cérebro, a ira no coração e o
desejo no fígado;
• Platão (428/7-347 a.C.): cérebro (parte racional) e medula espinhal (parte irracional)
como a força vital sobre a qual atuava a alma;
• Aristóteles (384-322 a.C.): coração como centro da vida, sensação, movimento e calor.
UM POUCO DE HISTÓRIA...

• René Descartes – mudança de paradigma (1596-1650):


• Alma como substância consciente, pensamento;
• Alma (indivisível) diferente do corpo (divisível);
• Glândula pineal.

“A ideia cartesiana da mente separada do corpo explica porque ainda hoje muitos
investigadores em psicologia se julgam capazes de entender a mente sem nenhum
recurso à neurobiologia ou porque para muitos neurocientistas a mente pode ser
perfeitamente explicada em termos de fenômenos cerebrais, deixando de lado o resto
do organismo e o meio ambiente físico e social” (Pinheiro, 2005).
UM POUCO DE HISTÓRIA...

• Século XIX:
• Nascimento da biologia;
• Lei da seleção natural (Charles Darwin);
• Descobrimento da localização cerebral no córtex (Franz Gall)
• Frenologia – mapa frenológico;
• Cranioscopia;
• Surgimento da corrente localizacionista.
UM POUCO DE HISTÓRIA...

Carl
Paul Broca Linguagem
Wernicke
UM POUCO DE HISTÓRIA...
• Século XX:
• Lev Vygotsky (1896-1934) (abordagem biopsicossocial);
• Alexander Luria (1902-1977):
• Integração entre a psicologia e a neurologia;
• Noção do sistema nervoso funcionando como um todo (conexionismo);
• Unidades funcionais no córtex cerebral/neuroplasticidade;
• Princípios da reabilitação neuropsicológica.

“Toda atividade mental humana é um sistema funcional complexo efetuado por meio de uma
combinação de estruturas cerebrais funcionando em concerto, cada uma das quais dá a sua contribuição
particular para o sistema funcional como um todo”. (Luria, 1981, p. 23).
UM POUCO DE HISTÓRIA...
ESTUDOS ATUAIS EM NEUROPSICOLOGIA

• A neuropsicologia atual estuda os temas clássicos da psicologia, com métodos


da psicologia experimental e psicometria:
• Aprendizagem;
• Memória;
• Atenção;
• Percepção;
• Linguagem;
• Funções executivas;
• Comportamento motor.
ESTUDOS ATUAIS EM NEUROPSICOLOGIA

Psicologia

Neuro-
psicologia

Biologia Neurologia
Molecular
ESTUDOS ATUAIS EM NEUROPSICOLOGIA

• Estudos de Caso;
• Estudos em grupo (comparação entre grupo experimental e grupo controle);
• Uso de testes psicológicos e neuropsicológicos;
• Medidas eletrofisiológicas:
• Eletroencefalograma.
• Técnicas de neuroimagem:
• Ressonância Funcional Magnética (fMRi);
• Tomografia por Emissão de Pósitron (PET);
• Tomografia Computadorizada (TC).
Ressonância Magnética Funcional (fMRi)
Tomografia por Emissão de Pósitron (PET)
Tomografia Computadorizada (TC)
NEUROPSICOLOGIA E A CLÍNICA

• Avaliação Neuropsicológica:

“Consiste no método de investigar as funções cognitivas e o comportamento.


Trata-se da aplicação de técnicas de entrevistas, exames quantitativos e
qualitativos das funções que compõem a cognição abrangendo processos de
atenção, percepção, memória, linguagem e raciocínio” (Mäder-Joaqui, 2010).
NEUROPSICOLOGIA E A CLÍNICA
• Avaliação Neuropsicológica – Elementos Fundamentais.
O paciente:
O Neuropsicólogo:
- Entrevista clínica;
- Enfoque em diagnótico;
-Variações regionais e culturais;
- Controle de variáveis;
- Faixa etária;
- Domínio da técnica
- Nível de escolaridade.

A demanda:
Os métodos:
- Quantificação e qualificação das
funções cognitivas; - Avaliação quantitativa;
- Avaliação e reavaliação para - Avaliação qualitativa;
procedimentos médicos; - Testes formais;
- Avaliação para reabilitação; - Exercícios.
- Avaliação para informar incapacidades
ou condições ocupacionais.
NEUROPSICOLOGIA E A CLÍNICA

• Reabilitação Neuropsicológica:

“Conjunto de intervenções que objetivam melhorar os problemas cognitivos,


emocionais e sociais decorrentes de uma lesão encefálica, auxiliando a pessoa
a alcançar maior independência e qualidade de vida” (Wilson, 2003).
NEUROPSICOLOGIA E A CLÍNICA

• Condições clínicas para a reabilitação:


• Indivíduos nos quais ocorreram prejuízos ou modificações cognitivas ou comportamentais
devido a eventos que atingiram primária ou secundariamente o sistema nervoso central;
• Nos quais o potencial adaptativo não é suficiente para o manejo da vida prática,
acadêmica, profissional, familiar ou social, etc.;
• Nos quais foram geradas ou associadas a problemas bioquímicos ou elétricos do
cérebro, decorrendo disto modificações ou prejuízos cognitivos, comportamentais ou
afetivos.

CFP, 2004.
NEUROPSICOLOGIA E A CLÍNICA

• Diretrizes da reabilitação neuropsicológica:


• O processo de reabilitação é considerado como uma parceria entre as pessoas com
lesão, suas famílias e profissionais de saúde;
• Planejamento de objetivos;
• Consideração dos déficits cognitivos, emocionais e psicossociais no processo terapêutico;
• Base teórica fortalecida.
• A aplicação de tarefas e exercícios devem ser específicas às demandas do
indivíduo;
• Acompanhamento do uso de fármacos;
• Foco nos pontos forte do paciente, para compensar as perdas cognitivas.
NEUROPSICOLOGIA E EDUCAÇÃO

• Associação da Neuropsicologia com as questões relacionadas com o processo de


ensino-aprendizagem;
• Foco nos déficits de aprendizagem no contexto escolar;
• Pontos relacionados:
• Motivação para aprender;
• Ansiedade e estresse;
• Estado depressivo;
• Emoções;
• Movimento;
• Estilos de aprendizado;
• Diferenciações nas práticas de sala de aula
CONSIDERAÇÕES FINAIS

•A neurospicologia como uma área promissora e enriquecedora no âmbito


teórico-prático;
• Terreno fértil para desenvolvimento de pesquisas;
• Grandes passos dados ao longo da história, porém pequenos diante da
infinidade dos mistérios relacionados ao cérebro humano;
• Desafios a enfrentar.
REFERÊNCIAS
• FUENTES, D., MALLOY-DINIZ L. F., CAMARGO, C. H. P., COSENZA, R. M. et. al. (2014).
Neuropsicologia – Teoria e Prática. 2ed. Porto Alegre: Artmed.
• Malloy-Diniz; Daniel Fuentes; Paulo Mattos; Neander Abreu. (Org.). Avaliação neuropsicológica.
Porto Alegre: ARTMED, 2010.
• Handan, A. C., Pereira, A. P. A., Riechi, T. I. J. (2011). Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica:
desenvolvimento histórico e perspectivas atuais. Rev. Interação em Psicologia, v. 15, num. Especial,
2011, pp. 47-58;
• Resolução CFP nº 002/2004, Conselho Federal de Psicologia;
• Pinheiro, M. (2005)Aspectos históricos da neuropsicologia: subsídios para a formação de
educadores, Rev. Educar, n. 25, pp. 175-196;
• Kristensen, C. H., Almeida, R. M. M., & Gomes, W. B. (2001). Desenvolvimento histórico e
fundamentos metodológicos da neuropsicologia cognitiva. Psicologia: Reflexão e Crítica, 14, 259-
274.