Você está na página 1de 47

BIOPLÁSTICOS

2008
BIOPLÁSTICOS

CLEIDE GONÇALVES
FABIANA MARTINS

2008
Introdução
Os biopolímeros são materiais poliméricos classificados
estruturalmente como polissacarídeos, políésteres ou poliamidas.

A matéria-prima principal para sua manufatura é uma fonte de carbono


renovável, geralmente um carboidrato derivado de plantios comerciais de
larga escala como cana-de-açúcar, milho, batata, trigo e beterraba; ou um
óleo vegetal extraído de soja, girassol, palma ou outra planta oleaginosa.
O estudo de polímeros
biodegradáveis se dá devido:
 Ao esgotamento das fontes de combustíveis fósseis.

 À grande geração de resíduos de origem petroquímica.

 Ao custo elevado do petróleo pelo aumento do consumo

 E ao seu acúmulo (impacto ambiental).


Plásticos
São polímeros petroquímicos derivados de fonte
não renovável / fóssil (petróleo), normalmente este
tipo de polímero não é biodegradável a não ser
quando produzido para essa finalidade

VANTAGENS: baixo custo, peso reduzido, grande


resistência, facilidade de moldagem e produção de diferentes
peças.

DESVANTAGENS: descarte no meio ambiente e


durabilidade, dificuldade de degradação.
O plástico tem substituído os metais, a madeira e os vidros,
na vida prática.
Geração de resíduos petroquímico

São gerados:
 No Mundo
 100 milhões de toneladas anuais.

 No Brasil.
 2,2 milhões de toneladas anuais, sendo:
• 40% destinadas à fabricação de embalagens.
• 51 mil toneladas de plásticos/dia.
• 19% do total de lixo gerado.
• Apenas 17,5 % é reciclado.
Evolução dos custos das
matérias primas e insumos
AS MATÉRIAS PRIMAS E OUTROS INSUMOS
TRADICIONAIS DA INDÚSTRIA QUÍMICA E
PETROQUÍMICA TÊM APRESENTADO CUSTOS
CRESCENTES, O QUE TEM ACARRETADO REDUÇÃO DAS
MARGENS DE LUCRO
EVOLUÇÃO DO PREÇO DO ÓLEO COMBUSTÍVEL – BRASIL R$/tonelada
HISTÓRICO DO PREÇO DO ÓLEO COMBUSTÍVEL 1A NO BRASIL

1.100

1.000

900
R$/t

800

700

600

500
jan/04 ago/04 fev/05 set/05 mar/06 out/06 abr/07 nov/07 jun/08 dez/08

Fonte: ANP
Tipos de Biopolímeros

Dentre as classes de biopolímeros as mais


significativas são:
 Polilactato (PLA)
 Polímeros de amido (PA);
 Polihidroxialcanoato (PHA);
Estes Biopolímeros
destacam-se por serem
Biodegradáveis;
Biocompatíveis;
Atóxicos;
Insolúveis em água;
Produzidos através de recursos renováveis;
Propriedades termoplásticas, características físicas e mecânicas
semelhantes às do polipropileno.
Histórico
 1920 – 1ª determinação da composição de PHA’s por Maurice
Lemoigne
1974 - Descobertos outros hidroxialcanoatos (HA)
1976 – Início das pesquisas de produção de P(3HB) por
fermentação bacteriana, na Inglaterra

1990 - primeiro produto obtido a partir de PHA, uma


embalagem de “shampoo” de uma indústria de cosméticos

1991- pesquisas no Brasil (IPT)


2000 - teve início a produção de P(3HB) pela então
indústria brasileira PHB industrial SA
Polilactato (PLA)
PLA é um poliéster produzidos por
síntese química a partir de ácido
láctico obtido por fermentação
bacteriana de glicose extraído do
milho, com uso potencial na
confecção de embalagens, itens de
descarte rápido e fibras para
vestimentas e forrações.
Polímeros de amido (PA)
PA são polissacarídeos, modificados
quimicamente ou não, produzidos a partir
de amido extraído de milho, batata, trigo ou
mandioca. Pode ser utilizado na produção
de embalagens e itens de descarte rápido e,
em blendas com polímeros sintéticos, na
confecção de filmes flexíveis.
Polihidroxialcanoato (PHA)
PHA constitui uma ampla família de poliésteres
Bactérias
produzidos por bactérias através de biossíntese direta
de carboidratos de cana-de-açúcar ou de milho, ou de
óleos vegetais extraídos principalmente de soja e
palma. Dependendo da composição monomérica, pode
ser utilizado na produção de embalagens, itens de
descarte rápido e filmes flexíveis.
polihidroxialcanoatos
PHA
(bioplástico)
Estrutura PHA
O termo PHA é aplicado a uma variada família de poliésteres
representada pelo esquema da figura

Figura 1: Estrutura geral dos PHAs


Aplicações PHAs
 As aplicações mais gerais dos PHAs incluem filmes para embalagens e
plásticos convencionais.

 Como que os PHAs são biocompatíveis, são usados em aplicações


médicas e farmacêuticas (fios de sutura cirúrgica, implantes ósseos,
fármacos de libertação lenta,etc.).

 Na agricultura, os PHAs são usados em produtos de libertação de


reguladores de crescimento de plantas ou de pesticidas.
Produção de PHAs
 Os PHAs são sintetizados por um grande número de bactérias Gram
negativas e Gram positivas pertencentes pelo menos a 75 gêneros diferentes.
 Alguns exemplos de culturas puras usadas industrialmente para produzir
PHAs:
• Ralstonia eutropha,Alcaligenes latus, Azotobacter vinelandii e diversas
espécies de Pseudomonas.
 Os PHAs podem ser eficientemente produzidos por microrganismos
geneticamente modificados, como por exemplo a Escherichia coli
recombinante.
Produção de PHAs
 A produção de PHAs por estas bactérias ocorre, na maioria dos
casos,em situações em que um nutriente, que não a fonte de carbono,
é limitante para o crescimento. A quantidade de polímero acumulado
por estas bactérias pode atingir 80 % do seu peso celular.

 Alem da utilização de culturas puras, também pode ser utilizados


culturas mistas para a produção dos PHAs
PHB - Poli hidroxibutirato
CH3 O

CH CH2 C O
n

Poliéster de cadeia linear, termoplástico

Produzido por muitos organismos vivos em quantidades e pesos


moleculares diferentes

Bactérias o acumulam como fonte de energia

Pode ser produzido industrialmente por fermentação


O PHB (polihidroxibutirato) é produzido pela
bactéria Burkholderia sacchari (isolada em
solo de plantação de cana) e sintetizado a
partir do açúcar.
Matérias-primas potenciais
Exemplo: produção de 100.000 ton/ano de Poli hidroxibutirato (PHB)

Açúcar de cana Óleo de Soja Glicose de Milho


•Produtividade média de •Produtividade média da •Produtividade média do
cana em SP: 85 ton/ha soja no PR: 2,8 ton/ha milho no MS: 4,8 ton/ha
•Açúcar recuperável •Óleo recuperável na •Glicose recuperável da
contido na cana: 14% semente: 18% semente: 68%
•Sacarose necessária para
•Óleo necessário para •Glicose necessária para
produzir PHB: 3kg/kg
produzir PHB: 1,4kg/kg produzir PHB: 3,2kg/kg
•Para 100.000 ton PHB,
300.000 ton sacarose •Para 100.000 ton PHB, •Para 100.000 ton PHB,
•Equivalente a 2.150.000 140.000 ton óleo 320.000 ton glicose
ton cana •Equivalente a 777.800 •Equivalente a 470.000
•Precisa de 25.300 ha de ton soja ton milho
área cultivável •Precisa de 277.800 ha de •Precisa de 98.000 ha de
área cultivável área cultivável
Fontes de energia
Óleo
Soja Necessário fonte externa de energia
Farelo (ração)

Amido - Glicose
Milho Glúten Necessário fonte externa de energia
Óleo

Sacarose
Cana Energia renovável!
Bagaço
Produção de Bioplástico no Brasil
 A empresa que fabrica o bioplástico chama-se Biocycle (ciclo de vida)
faz alusão ao próprio processo de biodegradação.
 A matéria-prima surge da fotossíntese da cana-de-açúcar, sintetizada a
partir da transformação do gás carbônico, presente na atmosfera, água,
solo, energia solar e insumos agrícolas.
 A sacarose, oriunda da industrialização da cana-de-açúcar se
transforma em um biopolímero, o poliidro-xibutirato (PHB), por meio
do processo de fermentação.
 Em contato com um ambiente ativo biologicamente, ou seja, detentor
de bactérias e fungos, associado à temperatura e à umidade, o material
volta a ser gás carbônico e água, fechando o ciclo. “O produto é estável
na ausência das condições adequadas para a biodegradação”, esclarece
Ortega.
 Em um ambiente ativo, a embalagem desaparece no período de seis
meses a um ano e meio.
Plástico da cana de açúcar
Etanol

Energia
CO2

Vinhaça
Composto
Destilaria
CO2 Energia

Plantação de cana

C
om
Estação de compostagem

po
C
Melaço
an

s
to
Caldeiras
a Energia
Embalagem descartada Bagaço

Resina Açúcar Solventes


Plástica Fábrica de açúcar
Embalagem
Fábrica de PHB
Produção de PHB
O PHB produzido a partir do bagaço é obtido
por meio da hidrólise (quebra estrutural) do
produto. O bagaço libera então açúcares que
fazem parte de sua composição, como a
glicose, xilose e arabinose, que podem ser
consumidos pelas bactérias utilizadas no
processo de fabricação do plástico
biodegradável e quando a bactéria não
consegue mais aumentar de tamanho ela é
inativada e entra no processo um solvente
natural, que remove o polímero.
Fluxograma de Produção de PHB
Açúcar
Microorganismo Nutrientes
Água
MULTIPLICAÇÃO EM
LABORATÓRIO PRÉ-FERMENTAÇÃO ESTERILIZAÇÃO

Meio de Cultura
FERMENTAÇÃO Açúcar

SEDIMENTAÇÃO DO
MICROORGANISMO Água

Solvente
EXTRAÇÃO DO PHB
Frascos agitados ou
RECUPERAÇÃO DO Solvente
CRISTALIZAÇÃO
biorreatores Batelada
SOLVENTE
Alimentada;Duração: 24h a
Solvente
PURIFICAÇÃO
30h;Temperatura: 30ºC;pH:
Água 7,0.
SECAGEM

PHB PURO
O bioplástico sai da
máquina extratora
com a aparência de
um pó branco, ele
pode ser solidificado,
cortado e ganhar
cores.
Estes são os mercados de polímeros que potencialmente
podem ser substituídos por bioplásticos.

Segundo o IPT, estudos apontam a substituição de 5% a 10% do


volume total de plástico convencional fabricado no mundo, até o
meio do século.
Tipos de degradação - Oxi-biodegradação

Degradação resultante da oxidação do produto. Produtos oxi-


biodegradáveis utilizam aditivos como o Cobalto, Manganês e
Ferro que aceleram a degradação do plástico.

Os plásticos oxi-degradáveis não desaparecem na


natureza pois não são biodegradáveis, mas sim
degradáveis. O que de fato ocorre é a sua fragmentação em
pequenas partículas que se dispersam no ambiente, tornando a
sua coleta e a sua reciclagem absolutamente inviáveis e gerando,
por isso mesmo, a chamada “poluição invisível”, que causará
sérios e irreparáveis danos ao meio ambiente, a médio e
longo prazos, com graves conseqüências para as futuras
gerações. Em nossa opinião o uso dos plásticos oxi-degradáveis
não se constitui em uma alternativa ambiental confiável,
razão pela qual essa solução não vem sendo adotada no mundo
inteiro.
Tipos de degradação - Biodegradação

É a degradação do produto causada por atividade biológica


de ocorrência natural.
Pode acontecer de duas formas
 Biodegradação Aeróbica e
 Biodegradação Anaeróbica.

Para que ocorra a biodegradação é necessário


a presença de agentes de degradação
Agentes de Deterioração
 Luminosidade
 Umidade
 Temperatura
 Ph
 Poluição Atmosférica
 Fungos
 Ventilação
Jornais ou vegetais que
supostamente
deveriam se
biodegradar foram
encontrados intactos
depois de décadas, por
cientistas que
pesquisam aterros
sanitários, devido à
ausência dessas
Formas de Biodegradação

Biodegradação aeróbica

A degradação ocorre na presença de


oxigênio, produzindo gás carbônico,
água e matéria orgânica estabilizada. É
a degradação que ocorre, por exemplo,
ao ar livre.
Formas de Biodegradação

Biodegradação anaeróbica

A degradação ocorre na ausência de


oxigênio, produzindo principalmente
metano, dióxido de carbono e matéria
orgânica estabilizada. É a degradação
que acontece, por exemplo, no fundo
dos lixões.
No meio ambiente o bioplástico demora de seis meses a um ano
para se decompor, transformando-se em gás carbônico,
hidrogênio e água.
Teste de biodegradação de PHB
em diversos ambientes
10,0

9,0 Rios

8,0 Água Tratada


Amostra de PHB (g)

7,0 Esgoto
Ambiente Anaeróbico
6,0
Ambiente Aeróbico
5,0
Biodigestores
4,0

3,0

2,0

1,0

0,0
0 50 100 150 200 250 300 350 400 450

Tempo (dias)
Tempo de Degradação de
Embalagens

0 dias 32 dias 45 dias


Tempo de Degradação de
Embalagens

52 dias 61 dias
Panorama da produção e utilização de
Bioplásticos
TOYOTA
 A Toyota é um dos maiores produtores de “ plásticos verdes” do mundo ao
lado da Cargill Dow. Desde 1998 há uma Divisão de Biotecnologia e os
bioplásticos são produzidos a partir de fontes naturais renováveis, tais como:
cana de açúcar, milho e mandioca.
 A Toyota está usando bioplásticos nos modelos de automóvel RAUM e
PRIUS.
 Fornece também matérias primas para indústrias de cosméticos.
 Há solicitação de bioplásticos por todos os setores das indústrias e não
 estão conseguindo atender a demanda. O custo atual é de cerca de cinco
vezes o do convencional, segundo a Toyota.
Fonte: www.toyota.co.jp
TOYOTA MODELO RAUM

Vendido no Japão. O carpete e


cobertura do pneu reserva feitos de
bioplástico.
Utilização na área médica

 Utilização em Implantes

 Liberação controlada de fármacos

 Fios de sutura

 Moldes para engenharia de tecidos


Utilização na Agro-indústria
Questões importantes sobre a
utilização de cana de açúcar na
produção do Bioplástico
O plantio de cana degrada o solo?

Sim, pode reduzir a fertilidade da terra. Daí a


necessidade de fazer o rodízio com a cultura de
leguminosas, como feijão, amendoim e soja.

A cana tem de ser replantada a cada seis anos.

No intervalo de seis meses entre a retirada das plantas


antigas e o replantio é que se alterna a cultura.
A plantação de cana pode provocar
desmatamento na Amazônia e no
cerrado?

As entidades de produtores de etanol alegam que,


embora o solo da Amazônia seja favorável à cana, o
regime de chuvas da região Norte não é compatível
com essa cultura. Isso, no entanto, não elimina o risco
de que a expansão da lavoura de cana "empurre" em
direção à Amazônia outras atividades igualmente
indutoras do desmatamento, como a pecuária e a
produção de soja.
Conclusão

 Ampla área de aplicação

Utilização de resíduos como substrato

Diminuição do custo de produção

Melhoramento do processo