Você está na página 1de 26

Universidade Estadual do Rio de Janeiro

Faculdade de Administração e Finanças

Funções e teorias administrativas /


Evolução do Pensamento Administrativo
Prof. Leonel Tractenberg
2012.1

Seção 8. Max Weber e a Teoria da Burocracia


A Escola de Relações Humanas
e o enfoque comportamental
Início do século XX 1903 Administração Científica (Taylor)
1909 Teoria da Burocracia (Weber)
1916 Teoria Clássica (Fayol)
1932 Escola das Relações Humanas
1947 Estruturalismo
1951 Teoria dos Sistemas
1954 Teoria Neoclássica
1957 Escola Comportamental
1962 Desenvolvimento Organizacional
1972 Teoria Contingencial
1990 Teorias do Caos e da Complexidade

2
Origens da Teoria da Burocracia
• Necessidade de um modelo de organização racional
aplicável não apenas na fábrica, mas às organizações
de forma geral

• Ideias produzidas por Weber no início do século foram


“descobertas” pela sociologia norteamericana na
década de 1930.

• Max Weber, filósofo e sociólogo alemão (1824-1920):


• Analisou e descreveu as características das
organizações modernas.
• “para se ter modernidade a burocracia é imprescindível”
• Burocracia é um sistema que busca organizar, de forma
estável e duradoura o comportamento humano, a
cooperação entre indivíduos com funções distintas e
especializadas, por meio da autoridade racional-legal.
Definição e influências

Organização humana
baseada na ciência
racionalidade: B moderna
U
planejamento e R
adequação racional dos O
meios aos objetivos C
capitalismo
pretendidos, a fim de R
garantir a máxima A
eficiência possível no C
alcance destes. I
A ética
protestante
Formas de autoridade
segundo Weber
Tipos de Características Exemplos Características Legitimação Aparato
sociedade / administrativo
autoridade

Tradicional Patriarcal e Clã, tribo, Não é racional. Tradição, Forma


patrimonialista. família, Poder herdado hábitos, usos e patrimonial e
Conservantismo sociedade ou delegado. costumes. formal feudal.
medieval. Baseado no
“senhor”.

Carismática Personalista, Grupos Não é racional, Caracterís- Inconstante e


mística e revolucionári- nem herdada, ticas pessoais instável.
arbitrária. os, partidos nem delegável. (heroísmo, Escolhido pela
Revolucionária. polítcos, Beaseada no magia, poder lealdade e
nações em “carisma”. mental) devoção ao
revolução. carismáticas líder, não por
do líder. qualificações
técnicas.

Legal, Racionalidade Estados Legal, racional, Promulgação e Burocracia.


dos meios e dos modernos, impressoal, regulamen-
racional ou objetivos. grandes formal. tação de
burocrática empresas, Meritocrática. normas legais
exército. previamente
definidas.
O modelo burocrático
ideal de organização
Organização burocrática ideal: Possibilita: Para
alcançar:
 formalidade e caráter legal das
normas
 caráter formal das comunicações previsibilidade do
 divisão racional do trabalho comportamento
 impessoalidade nas relações humano máxima
 hierarquização da autoridade eficiência
 rotinas e procedimentos da
padronização do organização
 competência técnica e mérito
desempenho dos
 especialização da administração participantes
 profissionalismo
 previsibilidade do funcionamento
 controles diversos sobre os
indivíduos
O modelo burocrático
ideal de organização
As burocracias são essencialmente sistemas de
normas. A figura da autoridade é definida pela lei, que
Formalidade tem como objetivo a racionalidade da coerência entre
meios e fins.

As pessoas são ocupantes de cargos ou posições


formais. Alguns dos cargos são de figuras de
Impessoalidade autoridade. A obediência é devida aos cargos, não
aos ocupantes, todas as pessoas seguem a lei.

As burocracias são formadas por funcionários. Como


fruto de sua participação, os funcionários obtêm os
meios para sua subsistência. As burocracias operam
Profissionalismo como sistemas de subsistência para os funcionários.

Slide 7
Vantagens esperadas

Confiabilidade Interpretação Imparcialidade e


através de regras única das regras e meritocracia
claras e lógicas das ações

Precisão na Continuidade Constância de


definição do cargo da organização decisões
e na operação

Rapidez nas Redução do atrito Redução das


decisões entre as pessoas arbitrariedades e
abusos de poder
Contribuições para a teoria da burocracia e
teoria estruturalista

Autores Principais ideias

Max Weber Tipo ideal de organização burocrática

Tipologia das organizações com base nos


Amitai Etzioni
tipos de poder

Tipologia das organizações com base nos


Blau e Scott
tipos de beneficiários

Charles Perrow, Robert


Disfunções organizacionais
K. Merton e William Roth

Modelos mecanicista e orgânico de


Burns e Stalker
organização Slide 9
Etzioni: organizações diferentes baseadas
em diferentes formas de poder

Tipo de Contrato Tipo de


Tipo de Poder
Psicológico Organização

Coercitiva – objetivo é
Poder Coercitivo: Alienatório – obediência controlar o
baseia-se em punições mecânica comportamento.
(prisões)

Utilitária – objetivo é
Poder Manipulativo:
obter resultados por
baseia-se em Calculista – obediência meio de barganha com
recompensas utilitarista os funcionários.
(financeiras) (empresas)

Normativa – objetivo é
realizar missão ou tarefa
Poder Normativo:
Moral – disciplina, retidão, em que os participantes
baseia-se em seguir acreditam.
exemplificação
crenças, ideais (orgs. religiosas, orgs.
voluntárias) Slide 10
Etzioni: organizações diferentes baseadas
em diferentes formas de poder

PODER
COERCITIVO
(OBEDECER OU SER PUNIDO)

Organizações Trabalho
militares semi-escravo

PODER PODER
NORMATIVO UTILITÁRIO
(A MISSÃO ACIMA DE TUDO) (MANIPULATIVO)
Sindicatos, (TRABALHO  RECOMPENSA)

ONGs

Slide 11
Blau e Scott: organizações diferentes para
diferentes tipos de beneficiários

Beneficiário
Exemplos
principal
Os próprios membros da Clubes, associações,
organização cooperativas.
Os proprietários ou
Empresas de forma geral.
dirigentes
Hospitais, agências sociais,
Clientes
universidades.
Organizações do Estado e do
Sociedade em geral
governo.

Slide 12
As disfunções da burocracia

Org. burocrática

Características
conseqüências conseqüências
previstas imprevistas

previsibilidade de disfunções
comportamento da burocracia

maior
Ineficiência
eficiência
Perrow, Merton e Roth:
disfunções da burocracia
1. Particularismo - interesses de grupos, “panelinhas” etc.
2. Satisfação de interesses pessoais - abuso de autoridade, nepotismo etc.
3. Excesso de regras – “burocracia”, “papelada” em excesso etc.
4. Valorização excessiva de normas - processos travados só para cumprir
regras, usar as regras como defesa para não se responsabilizar.
5. Indefinição de responsabilidade – “esconder-se por detrás das regras”.
6. Hierarquia no processo decisório – centralização do poder, “gargalos” etc.
7. Individualismo – “cada um por si”, “não fazer o trabalho do outro” etc.
8. Mecanicismo e despersonalização – alienação, “eu só carimbo / assino” etc.
9. Barreiras à comunicação / informação – excesso de níveis hierárquicos,
jargão etc.
10. Desestímulo à inovação – desestímulo aos subordinados questionadores,
criativos, participativos etc.
11. Excesso de formalidade – distância interpessoal, formalismos, rituais etc.
12. Resistências às mudanças – oposição à mudança de regras.
Caso
• Identificar
disfunções
burocráticas
presentes no
Episódio 1 - Série
“Os Aspones”.

Slide 15
Estruturalismo
 Estrutura = elementos internos de um sistema,
(partes componentes) + relações entre elas.
 Funções = ações desempenhadas pelas partes.
 Sistema = conjunto de estruturas interdependentes.
O todo é maior que a soma das partes.

Slide 16
Estruturalismo
 Foco predominante de análise:
 Racionalidade
 Sistema interno da organização (fechado ou quase)
 Estruturas formais (papéis, regras, hierarquias etc.)
 Considera em menor grau: ambiente, estruturas
informais, “racionalidade limitada”

 Idéia fundamental: a estrutura condiciona o


comportamento dos indivíduos. A estrutura (em
geral) é mais forte que o indivíduo.
 Exs.: sala de aula, idioma, família, partitura musical.
Slide 17
O estruturalismo
Estrutura formal objetiva (papéis, regras, processos, etc.)

• Escola clássica
• Burocracia ideal

Ambiente • Estruturalismo Ambiente


externo interno
• Escola de RH
• Comportamental

Relações sociais (informais, subjetivas)

Slide 18
Enfoques prescritivos
vs. explicativos
 Teorias e enfoques prescritivos (como a
organização deveria ser):
 Escola clássica (Taylor, Fayol etc.)
 Escola de RH

 Teorias e enfoques explicativos (como e


porque a organização é como é):
 Burocracia
 Estruturalismo

Slide 19
Slide 20
Estruturalismo: análise e crítica da burocracia
Análises estruturalistas
Regras burocráticas atendem
a “racionalidades” de
determinadas coalizões. Contradições e disfunções da
Resistência à mudança é burocracia.
“natural” às burocracias. Resistência ao controle social.
Regras estabelecem espaços Cooptação como forma de
Paradoxos entre
de negociação. controle.
efeitos previstos e
imprevistos da
(GOULDNER) (SELZNICK)
estrutura, levando a
conflitos.
Apego a regras leva Múltiplas racionalidades  Regras e papéis são
a disfunções. (lógicas de ator) (CROZIER) continuamente desobedecidos,
relativizados, reinventados pela
(MERTON) cultura organizacional.
 O ideal da burocracia é uma ficção.
BUROCRACIA IDEAL
(WEBER): (BLAU)
 preocupação com a
racionalidade dos papéis,
regras e processos
organizacionais (estrutura)
para maior eficiência.

Slide 21
Visão sobre os conflitos
nas diferentes teorias organizacionais
• Premissas:
• Teoria Clássica e da Administração Científica:
• harmonia de interesses entre patrões e empregados;
• conflitos são ruins, prejudicam a eficiência;
• devem ser resolvidos no nível técnico da organização do trabalho.
• Enfoque das Relações Humanas:
• conflitos são ruins, mas são parte da natureza dos grupos;
• a administração deve buscar harmonia sendo compreensiva e
apoiadora.
• Burocracia ideal:
• Conflitos devem-se a papéis e regras mal definidos. A burocracia
ideal elimina conflitos.
• Enfoque estruturalista:
• Conflitos são inevitáveis, importantes e podem ser produtivos.
Slide 22
Visão sobre os conflitos
nas diferentes teorias organizacionais
• No conflito reside o impulso para a mudança e para a
inovação.

• O desenvolvimento da organização depende da


canalização dos conflitos para fins produtivos.

• Exemplos de conflitos inerentes à estrutura


organizacional:
• autoridade de linha X autoridade de staff
• centralização X descentralização
• comunicação livre X coordenação
• interesses pessoais X organizacionais

Slide 23
Burocracia versus estruturalismo
Burocracia ideal Estruturalismo
ênfase na estrutura organizacional na estrutura
organizacional, nas
pessoas e no ambiente
abordagem da formal formal e informal
organização

enfoque Sistema mecânico Sistema humano, social,


(fechado) influenciado pelo ambiente,
cultura, história
conceito da organização conjunto de funções, sistema social construído e
regras, papéis, processos reconstruído para atingir
oficiais metas
Burocracia versus estruturalismo
Burocracia ideal Estruturalismo
concepção do homem ser isolado que reage ser social que desempenha
como ocupante de cargo papéis dentro de várias
ou posição hierárquica organizações, flexível,
resistente a mudanças,
político, segue lógicas e
objetivos próprios, pode
cooperar e ser flexível
(HOMEM
ORGANIZACIONAL)
relação entre objetivos, prevalência dos objetivos balanço entre objetivos
organizacionais e organizacionais organizacionais e
pessoais / não há conflito individuais
perceptível entre objetivos / conflitos inevitáveis e até
organizacionais e desejáveis, pois conduzem
individuais à inovação
preocupação Eficiência no cumprimento eficiência e eficácia
de regras (maximizada) possíveis, negociadas
Bibliografia básica
• MAXIMIANO, A. Teoria Geral da Administração. 6ª Ed. São
Paulo: Atlas, 2010. Cap. 5

• MOTTA, Fernando C. P.; VASCONCELOS, Isabella, F.G.


de. Teoria Geral da Administração. 3a. edição. São Paulo:
Thomson, 2006. Cap. 5

Slide 26