Você está na página 1de 77

Matéria – Propriedades,

Transformações e Energia
QUÍMICA

Profª. Leidiane Caroline Lauthartte


Matéria

O universo é composto por matéria e energia.

Matéria é qualquer coisa que tem uma determinada massa


e ocupa espaço (volume).
Matéria
• A matéria pode ter dimensões limitadas, neste caso será um
corpo. Se o corpo possui finalidade específica, teremos então
um objeto. Exemplos:

• A madeira, o vidro e o ferro SÃO MATÉRIAS.

• Um pedaço de madeira, um caco de vidro, uma barra de ferro


SÃO CORPOS.

• Uma cadeira de madeira, um copo de vidro, um balanço de


ferro SÃO OBJETOS.
Matéria

Em Química estuda-se a estrutura e as propriedades da matéria


e as transformações de uma forma de matéria em outra.

Numa transformação química, substâncias são consumidas


para formação de novas substâncias.
Transformações químicas

Exemplos:
• Queima de papel;
• Acender um fósforo;
• Fogos de artifício;
• Cozinhar alimentos;
• Fotossíntese.
6 CO2 + 6 H2O + ENERGIA (LUZ) C6H12O6 + 6 O2
Matéria – fenômenos físicos
• Quando há o derretimento
do gelo, a substância “água”
não deixa de ser “água”.
Ocorrem apenas
transformações físicas.

• Outro exemplo: ao tocar a


corda do violão, há a
emissão do som. A corda
vibra, mas não deixa de ser
Chumbo derretido
corda do violão.
Matéria

• Uma reação química pode ser acompanhada por uma ou


mais reações químicas. Essas reações podem ser
representadas por meio de equações químicas. Por
exemplo a queima do papel:

• Papel + O2 H2O + CO2 + CINZAS

Reagentes Produtos
Matéria

Tipos de reação:
• Quando o número de reagentes é maior que o número
de produtos, a reação é chamada de Síntese:
H2(g) + ½ O2(g) H2O(l)

• Quando um Reagente se torna mais que um produto, a


reação é chamada de Análise:
H2O2(l) H2(g) + O2(g)
Como identificar uma reação Química?
Por exemplo, quando queima-se uma fita de magnésio, ocorre
a seguinte reação:

Magnésio + Oxigênio do Ar Óxido de Magnésio


Como identificar uma reação Química?

É possível notar que várias das propriedades da fita de


magnésio mudaram. Propriedades que normalmente se
alteram numa transformação química desse tipo são:

• Temperatura; cor, odor; formação de sólidos no interior de


líquidos (Precipitação); formação de gases.

• Outro ex: barra de ferro oxidada.


Estados físicos da Matéria
• Gases: não tem formato ou volume definidos; são altamente
comprimíveis e podem ser introduzidos em recipientes pequenos;

• Líquidos: sem forma definida, mas volume definido e ligeiramente


comprimíveis;

• Sólidos: formato e volume definidos e não são comprimíveis.


Estados físicos da Matéria
• Se determinada substância é um gás, líquido ou sólido, depende
da temperatura e pressão na qual se encontra.
• Há um quarto estado da matéria, chamado plasma, que
raramente é visto. Existe somente em temperaturas muito altas
no interior do Sol e de outras estrelas ou, na Terra, sob baixa
pressão. Consiste de átomos divididos por grande calor ou
eletricidade.
Temperatura e Pressão
A pressão e a temperatura se encontram de tal maneira
relacionadas que, ao variar a pressão, varia também a
temperatura em que uma substância muda de estado físico.

Temperatura de ebulição da água em diferentes altitudes.


Transformações físicas da Matéria
A maior parte das substâncias que conhecemos mudam de estado
quando a temperatura ou a pressão mudam o suficiente.

Esquema de mudanças do estado físico da matéria.


Fusão
• Passagem, provocada por um aquecimento, do estado sólido
para o estado líquido. O aquecimento provoca a elevação da
temperatura da substância até ao seu ponto de fusão. A
temperatura só aumenta depois que toda a substância passar
para o estado líquido.
Solidificação
• Passagem do estado líquido para o estado sólido, através de
resfriamento (arrefecimento). Quando a substância líquida inicia a
solidificação, a temperatura fica inalterada até que a totalidade
esteja no estado sólido, e só depois a temperatura continua a
baixar.
Vaporização
Passagem do estado líquido para o estado gasoso, por
aquecimento. Se for realizada lentamente chama-se evaporação,
se for realizada com aquecimento rápido chama-se ebulição.
Liquefação ou Condensação
• Passagem do estado gasoso para o estado líquido, devido ao
um resfriamento. Quando a substância gasosa inicia a
condensação, a temperatura fica inalterada até que a
totalidade esteja no estado líquido, e só depois a temperatura
continua a baixar.
A Lei de Lavoisier
Antoine Laurent Lavoisier, um cientista francês, fez
pesquisas que levaram-no a dizer que, quando ocorre uma
reação química, a massa dos reagentes é igual à massa dos
produtos. Essa observação é chamada de Lei da Conservação
da Matéria, ou Lei de Lavoisier.

“Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

É justamente por causa dessa lei que surgiu essa frase,


que foi pronunciada primeiramente pelo próprio Lavoisier.
Propriedades dos materiais

As propriedades observadas em toda matéria são


denominadas de propriedades gerais enquanto que aquelas
que podemos observar em certo grupo de matéria são
chamadas de propriedades específicas.
Propriedades Gerais dos Materiais

1 - Extensão:

Propriedade que a matéria tem de ocupar um lugar no


espaço, corresponde ao seu volume. A unidade padrão de
volume é o metro cúbico (m3), mas o litro (L) é também muito
usado.
Propriedades Gerais dos Materiais

2 - Massa - É a quantidade de matéria que


forma um corpo. A massa tem como unidade
principal o quilograma (kg).
Propriedades Gerais dos Materiais
3 - Impenetrabilidade - É a propriedade que os corpos
têm de não poder ocupar um mesmo lugar no espaço ao
mesmo tempo.
Propriedades Gerais dos Materiais
4 - Inércia - É a tendência natural que os corpos têm de manter seu
estado de repouso ou de movimento numa trajetória reta. Quanto
maior a massa de um corpo, maior será a sua inércia (apresenta maior
resistência à mudança do seu estado de repouso ou de movimento).

Fotografia estroboscópica de motorista durante a parada de um carro. Com uma série de


instantâneos em intervalos sucessivos de tempo, permite o estudo detalhado do movimento
do corpo. Observe a movimentação do motorista e a ação do cinto de segurança.
Propriedades Gerais dos Materiais
5 - Compressibilidade - É a propriedade que os corpos possuem
de terem seu volume reduzido quando submetido a determinada
pressão.
Propriedades Gerais dos Materiais
6 - Elasticidade - É a propriedade que um corpo tem de voltar
a sua forma inicial, cessada a força a que estava submetido. A
elasticidade a compressibilidade variam de um corpo para
outro.

Elasticidade do ar.
Propriedades Gerais dos Materiais

7 - Divisibilidade - Propriedade de poder se dividir em


partículas menores, sem perder suas características.
Propriedades Gerais dos Materiais

8 – Indestrutibilidade - É a propriedade que a matéria tem de


não poder ser criada nem destruída, apenas ser
transformada. Esta propriedade constitui um dos princípios
básicos da química – Lei de Lavoisier.
Propriedades Gerais dos Materiais

• Além das propriedades comuns a todas as matérias, há


propriedades específicas que, por sua vez, dividem-se em
organolépticas, químicas e físicas.

• ORGANOLÉPTICAS - São as propriedades pelas quais certas


substâncias impressionam nossos sentidos (visão, tato,
audição, olfato e paladar): Cor, brilho, sabor, brilho, odor, etc.
Propriedades Específicas dos Materiais
• FÍSICAS - Caracterizam as substâncias fisicamente.

1 - Ponto de fusão (PF) Temperatura na qual um material sólido passa a


liquido, em uma determinada pressão, sendo especifico para cada
substância pura.

2 - Ponto de Ebulição (PE): Temperatura na qual um material líquido


passa a gasoso, em uma determinada pressão para cada substância
pura.
Propriedades Específicas dos Materiais
3 - Densidade (d): também chamada de massa específica de uma
substância, é a razão entre a massa dessa substância e o
volume por ela ocupado.
d= m / v
• A densidade pode ser medida em: g/mL , g/ cm3, kg/L , etc.
Propriedades Específicas dos Materiais
A escala de dureza mais utilizada é a escala de Mohs, que apresenta a seguinte ordem de
classificação dos materiais:

• 4 – Dureza: É uma propriedade


geral da matéria que reflete a
resistência de um material à
abrasão ou ao risco.
Sempre o material mais duro
risca o mais mole.
Propriedades Específicas dos Materiais
5 - Maleabilidade: é a propriedade do material de poder ser
transformado em lâmina. Os metais ouro, prata, chumbo,
zinco, ferro, etc., são bastantes maleáveis.
Propriedades Específicas dos Materiais

6 - Ductibilidade: Propriedade que permite transformar


materiais em fios. Um exemplo é o cobre, usado em forma de
fios em instalações elétricas e o ferro na fabricação de
arames.
Propriedades Específicas dos Materiais
7 - Solubilidade ou coeficiente de solubilidade (CS): é a
quantidade máxima que uma substância pode dissolver-se
num líquido em uma dada temperatura. Substância insolúvel
possui CS muito pequeno.

• Ex: C.S do cloreto de prata em água é 0.0016g/L

• Ex.: A 25°C consegue-se dissolver 36 g de sal (NaCl) em 100mL


de H2O. Acima disto, ele precipita. Portanto, a solubilidade do
sal em água é, a 25°C, igual a 36 g/100mL.
Propriedades Específicas dos Materiais

8 - Magnetismo: Algumas substâncias têm a propriedade de


serem atraídas por ímãs, são as substâncias magnéticas.
Classificação dos Sistemas
• Sistemas homogêneos: São constituídos por uma ou mais
substâncias e apresentam apenas uma fase. Ex.: água; água
salgada e ar atmosférico
Classificação dos Sistemas
• Misturas homogêneas são aquelas em que não se distinguem
os diferentes componentes, ou seja, apenas uma fase pode
ser identificada. Ex: permanganato de potássio.
Classificação dos Sistemas

• Em se tratando de dois líquidos, é usual classificá-los como


miscíveis ou imiscíveis. Quando dois líquidos se misturam em
todas as proporções, eles são denominados miscíveis, como,
por exemplo, a mistura água e álcool ou a mistura gasolina e
álcool. Nesse caso, pode-se também dizer que a solubilidade
de um líquido em outro é infinita.
Classificação dos Sistemas
• Quando dois líquidos não se misturam, eles são denominados
imiscíveis. Dois líquidos imiscíveis formam um sistema
heterogêneo. Esses são aqueles em que os componentes
presentes podem ser facilmente identificados.

Água e óleo – duas fases


Classificação dos Sistemas

• Substâncias puras: São aquelas que possuem uma única


substância com composição e propriedades bem definidas.
Podem ser classificadas em simples ou compostas.

• Substâncias Simples: São formadas por apenas um elemento.


Não podem ser decompostas. Ex.: H2, O2, O3, Fe, Cl2.
Classificação dos Sistemas
• Substâncias compostas ou compostos: São formadas por dois ou
mais elementos. Podem ser decompostas. Ex.: H2O, CO2, H2SO4.
Obs.: As substâncias não podem ser separadas por processos físicos
(T.F., T.E., densidade e solubilidade). Durante a mudança de estado,
sua temperatura permanece praticamente constante.

• Substâncias impuras ou misturas: São aquelas que possuem duas


ou mais substâncias sem que elas mudem suas propriedades. São
fisicamente misturadas. Ex.: água salgada.
IMPORTANTE
1 - Substância pura: Durante a 2 - Mistura: Durante a fusão e
mudança de estado, a a ebulição, as temperaturas
temperatura permanece variam.
praticamente constante. Fusão Tf a T’f
Ebulição Te a T’e
IMPORTANTE
3 - Mistura Eutética: São 4 - Mistura Azeotrópica: São
misturas cuja temperatura misturas cuja temperatura
permanece constante (Tf) permanece constante durante
durante a fusão e varia (Te - a ebulição (Te) e varia durante
T’e) durante a ebulição: Ex.: a fusão (Tf - T’f). Ex.: Álcool +
certas ligas metálicas. água na proporção 96% + 4%,
respectivamente.
Separação de Misturas Homogêneas
a) Destilação simples: para separar mistura de sólido + líquido.
Ex.: água + sal
Separação de Misturas Homogêneas

b) Destilação fracionada: para separar misturas de líquido +


líquido, de temperaturas de ebulição não muito próximas.

• Ex.: água + acetona

• Te H2O = 100°C

• Te acetona = 55°C
Separação de Misturas Heterogêneas
a) Filtração: É o processo utilizado para separar misturas
heterogêneas de sólido e líquido ou sólido e gasoso. É
necessária a utilização de um filtro. Em laboratórios, utiliza-se
o funil com papel de filtro.
Separação de Misturas Heterogêneas

b) Decantação: É o processo utilizado para separar misturas


heterogêneas de líquidos insolúveis, onde o mais denso
decanta (funil de decantação) ou líquido e sólido, como água
e barro.
Separação de Misturas
c) Centrifugação: Através de uma
centrífuga, separa-se sólido de
líquido. Muito usado em
exames de sangue.

d) Levigação: Separação de sólido


e líquido através de corrente
de água.
Separação de Misturas
e) Sifonação: Uso de um sifão para retirada de um líquido.

f) Separação magnética: feito através de um ímã.


Energia
 A energia manifesta-se à nossa volta e nas atividades que
desenvolvemos de muitas formas: nada acontece sem energia. A
energia faz parte do Universo que nos rodeia.

 As fontes de energia podem ser renováveis ou não renováveis


conforme o tempo que leva a repor-se a energia que delas vai sendo
utilizada. O século XX recorreu essencialmente a energias poluentes
ou sujas, como o petróleo, gás natural ou carvão. O século XXI irá
abrir as portas às energia limpas, que além de não serem poluentes
são inesgotáveis.
Fontes de energia

As fontes de energia podem classificar-se em:

 Fontes de energia primárias – quando ocorrem livremente na


Natureza.

Ex.: Sol, água, vento, gás natural, petróleo bruto.

 Fontes de energia secundárias – quando são obtidas a partir


de outras.

Ex.: eletricidade, gasolina, petróleo.


Fontes de energia

As fontes de energia primárias podem ser:

 Fontes de energia renováveis - são aquelas que se renovam


continuamente na Natureza, sendo, por isso inesgotáveis.

 Fontes de energia não renováveis - são aquelas cujas reservas


se esgotam, pois o seu processo de formação é muito lento
comparado com o ritmo de consumo que o ser humano faz delas.
Fontes de energia renováveis
O Sol
Esta energia pode ser utilizada para produzir:
 Calor através de coletores solares.
 Eletricidade através de painéis fotovoltaicos.

O vento

Esta energia pode ser utilizada para produzir


eletricidade através de aerogeradores.
Fontes de energia renováveis
A Água
A energia da água pode ser aproveitada recorrendo
aos modernos recursos da ciência e tecnologia.
Por isso constroem-se barragens hidroelétricas para
produzir eletricidade.

A biomassa
A biomossa consiste no aproveitamento da
energia acumulada nos combustíveis tradicionais
(lenha) e em algumas plantas com elevado teor
energético (milho, cana-de-açúcar).
Fontes de energia renováveis
Os géiseres e fumarolas
O calor proveniente do interior da Terra pode ser
aproveitado.
A água de uma jazida geotérmica pode ser
recuperada sob a forma de calor e ser aproveitada
para produzir eletricidade.

As marés
O aproveitamento desta energia pode ser feito
através de centrais elétricas que funcionam por
ação da água das marés.
É necessário uma diferença de 5 metros entre a
maré alta e a maré baixa para que este
aproveitamento se torne rentável.
Fontes de energia não renováveis

Gás natural Carvão Petróleo bruto

Estas fontes de energia não renováveis são combustíveis fósseis.


Parte da eletricidade que utilizamos provém destes combustíveis e é
produzida em centrais térmicas.
O calor que se liberta durante a queima destes combustíveis pode ser
utilizado para mover as turbinas das centrais e produzir eletricidade que
chega às nossas casas através dos cabos de alta tensão.
Fontes de energia não renováveis

Urânio

Também se pode produzir energia elétrica nas centrais


nucleares.
Nestas centrais a fonte de energia é normalmente o urânio.
Formas de energia
De acordo com os efeitos que a energia produz, ou conforme os
fenômenos a que está associada, atribuímos-lhes diferentes
qualificações:

Energia solar – é a energia que está


associada à radiação solar.

Energia luminosa – é a energia que está


associada à radiação solar, á luz de uma
lâmpada ou de uma vela.
Formas de energia

Energia hídrica – é a energia que está


associada à água armazenada numa
barragem.

Energia das ondas ou marés – é a


energia que está associada às ondas do
mar ou à subida e descida das marés.
Formas de energia

Energia geotérmica – é a energia que está


associada ao calor proveniente do interior
da Terra.

Energia eólica – é a energia que está


associada ao vento.
Formas de energia

Energia sonora – é a energia que está


associada às ondas sonoras.

Energia elétrica – é a energia que


está associada à corrente elétrica.
Formas de energia

Energia térmica – é a energia que está


associada às variações de temperatura
de um corpo.

Energia química – é a energia que


está associada ao carvão, petróleo,
alimentos, medicamentos.
Impactos ambientais – energias renováveis

Energia solar:
 Energia limpa.
 Ao instalar uma central fotovoltaica altera-se a paisagem existente e o
equilíbrio natural.

Energia eólica:
 Energia limpa.
 Os parques eólicos alteram a paisagem.
 Se for colocado em rotas migratória pode provocar a morte de muitas
aves.
Impactos ambientais – energias renováveis
Energia hidráulica:
 Energia limpa.
 As centrais hidroelétricas (barragens) provocam inundações alterando o
equilíbrio dos ecossistemas.
Energia da biomassa:
 Energia limpa.
 A produção de eletricidade através da combustão liberta gases nocivos e
partículas para a atmosfera, contribuindo para o aquecimento global.
Energia da geotérmica:
 Energia limpa.
 A libertação de vapor a alta pressão provoca poluição sonora e a
libertação de calor altera o ecossistema em redor.
Impactos ambientais – energias não renováveis
Energia nuclear:
 Energia poluente.
 É altamente perigosa.
 Em caso de acidente liberta-se radioatividade que é prejudicial a
qualquer organismo, permanecendo no meio durante muito tempo.

Energia dos combustíveis fósseis:


 Energia poluente.
 Alteram os habitats naturais onde se efetuam as extrações .
A queima dos combustíveis liberta para a atmosfera gases poluentes.
A exploração dos combustíveis fósseis conduz ao seus esgotamento uma
vez que as reservas são cada vez menores.
Exercício corrigido
3 Kg de madeira foi queimada com 1 Kg de oxigênio do ar. Qual é a massa
de gás carbônico produzida, sabendo que sobraram 2Kg de Cinzas e 0,5 Kg
de vapor de água? Resposta: Sabe-se, da lei de Lavoisier, que a massa dos
reagentes é igual à massa dos produtos. Para encontrar quem são os
reagentes e quem são os produtos, é preciso saber ler o enunciado: ele diz
que a madeira foi queimada com oxigênio. Ele pede a massa de CO2
produzida e diz que sobraram Cinzas e água. Assim, os produtos são o CO2,
as cinzas e a água. O reagentes, então, são a madeira e o O2. Chamando a
massa de gás carbônico produzida de m, temos:
Madeira + Oxigênio do ar Cinzas + Vapor de água + Gás Carbônico
3kg + 1Kg 2kg + 0,5kg + m
Essa é uma equação de primeiro grau para m. Portanto:
3 + 1 = 2 + 0,5 + m
m = 1,5 kg de Gás Carbônico
Exercícios
1 - Quais dos Seguintes Fenômenos podem ser considerados
fenômenos químicos?
a) Evaporação da água;
b) Queima do gás de cozinha;
c) Apodrecimento de uma fruta;
d) Ferrugem de uma vara de ferro;
e) Papel amassado.

2 - A reação química que ocorre na queima da fita de magnésio é


uma Síntese ou uma Análise? Explique:
Magnésio + Oxigênio do Ar Óxido de Magnésio
Por que se coloca sal no gelo para esfriar mais
rápido as bebidas em lata?
• Para acelerar o resfriamento é colocado sal no gelo ao redor da bebida. Isto faz com
que o gelo derreta e a salmoura fique a uma temperatura inferior a que estava
quando havia apenas o gelo. Para entender exatamente porque isso acontece,
vamos analisar o que faz uma substância passar do estado líquido para o sólido. Para
que isso ocorra, as moléculas precisam perder energia cinética; e existem alguns
fatores que influenciam nesta liberação. Entre estes está o tipo de forças
intermoleculares de cada substância. Quanto menores ou mais fracas forem as
forças de atração das moléculas, menor será o ponto de congelamento.
• Assim, o ponto de solidificação (temperatura de congelamento) da água é 0°C no
nível do mar, no entanto, ao se adicionar algum composto não volátil (como o sal),
as moléculas deste atraem fortemente as moléculas de água, dificultando a
organização dos cristais de gelo e, consequentemente, diminuindo seu ponto de
congelamento. Para questão de comparação, numa solução com 10% de sal, o ponto
de congelamento cairá para -6°C e com 20%, para -16°C.
• Desse modo, experimentalmente fica comprovado que a adição de um soluto não
volátil a um solvente dá origem a uma solução que tem o ponto de solidificação
menor que o solvente puro. Este é o objeto de estudo aCrioscopia ou Criometria.
• Este mesmo princípio é usado em regiões onde neva muito. Para derreter o gelo das
estradas, o departamento responsável espalha sal nas ruas.
Vidrarias de Laboratório