Você está na página 1de 21

Mecânica dos Fluidos

Estática dos Fluidos:


Fundamentos
Estática dos Fluidos:
Fundamentos
 O que são fluidos compressíveis e
incompressíveis?
 Como a pressão varia no interior dos fluidos
compressíveis (ex: ar)?
 Como a pressão varia no interior dos fluidos
incompressíveis (ex: água)?
 O que significa o conceito de “carga”?
 O que acontece quando superpomos dois
fluidos incompressíveis e imiscíveis?
Fluidos

Compressíveis:
ρ→ varia

 Incompressíveis:
ρ→ é constante
Estática dos Fluidos:
Fundamentos
 Considere uma porção fluida genérica, referida a um
sistema de eixos coordenados xyz;
 O sistema é tomado de forma que o eixo dos z esteja
na vertical;
 Sejam i, j e k os vetores unitários segundo os eixos
coordenados;
 Considere um ponto P no interior dessa porção fluida
cuja pressão seja igual a p;
 Imagine que esse ponto esteja localizado no centro
de um paralelepípedo imaginário de faces paralelas
aos planos y0z, x0z e x0y;
Variação da pressão no
interior de um fluido
Ponto P
(pressão p)
A partir das componentes z
das Forças de pressão
deduz-se que: dy

dP/dZ = - .g k
dz

∂p/∂z
dx
i
j
x
y
∂p/∂x ∂p/∂y
Estática dos Fluidos:
Fundamentos
 Nas aplicações práticas de engenharia, g pode ser
considerada constante;
 De fato, dentro do intervalo de altitudes
compreendidas entre a maior profundidade
encontrada nos oceanos (aprox. 10 km abaixo do
nível do mar) e as camadas elevadas da estratosfera
(aprox. 20 Km acima do mar) temos uma aceleração
da gravidade completamente desprezível em face das
variações correspondentes de pressão ou mesmo da
massa específica do ar atmosférico ou da água;
Variação da Aceleração da
Gravidade g (m/s2)
Latitude Altitude acima do nível do mar (m)
(graus)
0 1000 2000 4000
0 9,7805 9,7774 9,7743 9,7682
10 9,7820 9,7790 9,7759 9,7697
20 9,7865 9,7834 9,7803 9,7742
30 9,7934 9,7903 9,7872 9,7810
40 9,8018 9,7987 9,7956 9,7895
50 9,8107 9,8077 9,8046 9,7984
60 9,8192 9,8162 9,8131 9,8069
70 9,8261 9,8231 9,8200 9,8139
Variação da Aceleração da
Gravidade g (m/s2)
 O valor padrão internacional adotado para g
pela Comissão Internacional de Pesos e
Medidas é 9,80665 m/s2 correspondente
aproximadamente à latitude de 45o e nível do
mar;
 A integração da equação dP/dZ = - .g
depende então do conhecimento da variação
de ;
Fluidos Incompressíveis
O’
X’
Plano X’oY’
z (Pressão =P’0)

P=p0-z

H
z
Plano XoY
(Pressão =P0)
O
X

dP/dZ = - .g  dP = - .g.dZ


P = - .g.Z +cte ou,
P = cte - .g.Z  P = P0 - Z
Assim
P = P0 + H
Fluido Compressível

É necessário
conhecer a lei
de variação de
 em relação
az
Caso especial dos líquidos:
O Conceito de Carga

 Consideremos um líquido genérico, em repouso,


sobre o qual as únicas forças de massa atuantes
sejam as devidas à ação da gravidade;
 Seja patm a pressão atmosférica atuante sobre a
superfície livre deste líquido;
 O plano x0z horizontal em relação ao qual as
coordenadas z são tomadas encontra-se representado
na figura apenas por seu traço sobre o plano vertical;
 Para simplificar: o plano de referência no qual são
medidas as coordenadas z é denominado de datum;
Caso especial dos líquidos:
O Conceito de Carga
z
Superfície Líquida
Pressão = patm

z0

P(Pressão=p)

z Plano x0y (“datum”)


Pressão= p0
0
Caso especial dos líquidos:
O Conceito de Carga
 Para os fluidos incompressíveis é aplicável a expressão:
p = p 0 - z

 Sendo patm a pressão reinante na superfície líquida e sendo paralelos


entre si essa superfície e o datum então o valor de p0 será:
patm= p0 - z0
p0 = patm + z0

 A pressão num ponto (P) qualquer, situado na distância z acima do


datum será:
p = p 0 - z
p = (patm + z0 ) - z
que pode ser reescrita como:
Caso especial dos líquidos:
O Conceito de Carga
p + z = patm + z0

Para valores de patm e z constantes:

p + z = patm + z0 = cte

• Essa expressão é importantíssima na engenharia;


• No interior de uma porção fluida, a soma da pressão com
o produto do peso específico do fluido pela distância de
um ponto qualquer até o datum é sempre constante;
• Forma mais usual:
z + p/  = z0 + patm /  = cte
Caso especial dos líquidos:
O Conceito de Carga

 Frequentemente nos referimos às pressões em


metros de coluna d’água ou em milímetros de
mercúrio;
 Isto indica a pressão como uma altura de um certo
fluido;

 Os termos (p/ ) e (patm/ ) são denominados cargas


de pressão e o termo z é denominado carga de posição

 A soma z0 + patm /  , ,constante é denominada carga


total absoluta
O Conceito de Carga

pabs1 pabs2
γ γ
O Conceito de Carga
 A altura pabsatm /  não representa a altura da camada de ar

atmosférico, mas a altura do líquido de peso específico capaz de
produzir sobre a superfície líquida uma pressão igual a atmosférica;
 PCA: Plano de carga estática absoluta;

 A expressão z + p/  = z0 + pabsatm /  = cte pode ser


reescrita:

z + (p + pabsatm)/  = z0 = cte ou ainda:

z + pefetiva/  = z0 = cte onde:


pefetiva = pabs - pabsatm
O Conceito de Carga
 Tendo em vista que usualmente usamos quase
sempre pressões efetivas:

z + p/ = z0 = cte onde:


p é a pressão efetiva
 O termo p/ é denominado carga de pressão
efetiva ou simplesmente carga de pressão,
ou ainda carga piezométrica
Carga Piezométrica
Líquidos Pressurizados
 No caso de líquidos armazenados em
reservatórios (nos quais a pressão em sua
parte superior seja diferente da atmosférica:

A B C
Líquidos Pressurizados
 Nos casos B e C não é necessário precisar em que
parte do ar comprimido a pressão é p0 pois o peso
específico do ar é muito pequeno (1 Kgf/m3);

 Na prática: a pressão é igual em todos os seus pontos

A B C