Você está na página 1de 66

VANGUARDAS EUROPEIAS

MOVIMENTOS ARTÍSTICOS PIONEIROS DE RUPTURA COM MODELOS ARTÍSTICOS QUE NÃO EXPRESSAM O MUNDO

Profa. Meirylane Lopes


VANGUARDAS
EUROPEIAS

 As vanguardas caracterizavam-
se pela publicação inicialmente
de manifestos que foram
publicados no período de 1909
a 1924.

Futurismo
Expressionismo
Cubismo
Dadaísmo
Surrealismo
FUTURISMO
“NÃO HÁ MAIS BELEZA SENÃO NA LUTA. NADA DE OBRA-PRIMA SEM UM CARÁTER AGRESSIVO”.
FUTURISMO
 É um movimento artístico e literário surgido
oficialmente em 1909, com a publicação do
Manifesto Futurista, do poeta italiano Filippo
Marinetti, no jornal francês Le Figaro. A obra
rejeitava o moralismo e o passado.
Apresentava um novo tipo de beleza, baseado
na velocidade e na elevação da violência.
 Surpreende os meios culturais europeus pelo
caráter violento e radical de suas propostas.
 O Futurismo exaltou o dinamismo do mundo
moderno, especialmente a sua ciência e
tecnologia. • celebravam a civilização das
máquinas . • tinha aspirações políticas de
renovação pela destruição e essa busca
aproximou o movimento do partido fascista.
Visões simultâneas (1911–1912) - Umberto Boccioni
TRECHO DO MANIFESTO FUTURISTA
"Nós queremos glorificar a guerra – única higiene do mundo – o
militarismo, o patriotismo, o gesto destruidor dos anarquistas, as belas
ideias que matam, e o menosprezo à mulher. [...]
Queremos destruir os museus, as bibliotecas e as academias de todas as
espécies, e combater o moralismo, o feminismo e todas as torpezas
oportunistas e utilitárias. Cantaremos as grandes multidões excitadas pelo
trabalho, o prazer ou os motins, as marés multicoloridas e de milhares de
vozes da revolução em capitais modernas. Cantaremos a incandescência
noturna e vibrante de arsenais e estaleiros, resplandecendo sob luares
elétricos, as vorazes estações devorando suas fumegantes serpentes...
Lançamos da Itália para o mundo este nosso manifesto de violência
irrefreável e incendiária, com o qual fundamos hoje o Futurismo, porque
queremos libertar esta terra do fétido câncer de professores, arqueólogos,
guias e antiquários."
FUTURISMO

 A pintura futurista recebeu influência do


cubismo e do abstracionismo, mas
utilizava-se de cores vivas , contrastes e a
sobreposição das imagens com a
pretensão de dar a ideia de dinamismo,
entendido como a deformação e
desmaterialização por que passam os
objetos e o espaço quando ocorre a ação..
 Na poesia, utilizou frases fragmentadas,
para passar a ideia de velocidade, e
onomatopeias (palavras com sonoridade
que imitam ruídos, vozes, sons de objetos).
LÍNGUA PORTUGUESA - 3º ano
10. AS VANGUARDAS EUROPEIAS

ODE TRIUNFAL
(Álvares de Campos)
À dolorosa luz das grandes lâmpadas eléctricas da fábrica
Tenho febre e escrevo.
Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto,
Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos.

Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r-r eterno!


Forte espasmo retido dos maquinismos em fúria!
Em fúria fora e dentro de mim,
Por todos os meus nervos dissecados fora,
Por todas as papilas fora de tudo com que eu sinto!
Tenho os lábios secos, ó grandes ruídos modernos,
De vos ouvir demasiadamente de perto,
E arde-me a cabeça de vos querer cantar com um excesso
De expressão de todas as minhas sensações,
Com um excesso contemporâneo de vós, ó máquinas! (...)
FUTURISMO

 Os futuristas aspiram à captação de um instante


preciso na tela, sem a soma de momentos que,
em conjunto, constroem a ação. Além disso,
como um objeto em movimento também perde
sua forma original, é necessário fragmentar
volumes e linhas. Não bastasse isso, os futuristas
ousaram ainda mais. Repetiram essas
fragmentações até saturar o plano, com o que
conseguiram alcançar um de seus maiores
objetivos: a simultaneidade.

Mercúrio passando em frente ao Sol (Mercurio transita


davanti al sole; 1914), Giacomo Balla
Dinamismo de um cão na coleira, de Giacomo Balla
FUTURISMO

 Esses meios explorados pelo


futurismo reverberaram,
posteriormente, em movimentos
como o dadaísta, o concretista,
bem como na tipografia dos tempos
modernos e no design gráfico típico
da pós-modernidade.
 Alguns dos primeiros artistas do
futurismo foram: Umberto Boccioni,
Carlo Carrà e Luigi Russolo.
Campo de Trigo com Corvos (1890), Vincent van Gogh
*van Gogh suicida-se após concluir esta tela

EXPRESSIONISMO
A EXPRESSÃO DA DOR HUMANA
EXPRESSIONISMO
 Surgido na Alemanha em 1905, o expressionismo foi
um movimento artístico calcado na expressão das
emoções e dos sentimentos.
 Os expressionistas traziam uma forte herança da arte
do final do século XIX, preocupada com as
manifestações do mundo interior e com uma forma de
expressá-las.
 Possuía um caráter deveras subjetivo, irracional,
pessimista e trágico, justamente por enfatizar as
mazelas e os problemas do ser humano.
Retrato de Dr. Gachet (1890) de Vincent van Gogh

EXPRESSIONISMO
 No Expressionismo ocorre o oposto do impressionismo*: o
movimento de criação parte da subjetividade do artista, do seu
mundo interior, em direção ao mundo exterior.
 O artista norueguês Edvard Munch é o precursor do
expressionismo. Sua obra mais importante é O Grito (1893),
considerada uma das mais emblemáticas do movimento
expressionista.
 Além dele, merecem destaque os artistas: Paul Klee, Kandinsky,
Modigliani e Van Gogh.
 Apesar das semelhanças com o FAUVISMO , o movimento
alemão foi muito mais violento e radical, demonstrando revolta
contra o status quo. (Estado atual).
O Grito (1893) de Edvard Munch
 Para o artista expressionista, a obra de arte é
reflexo direto de seu mundo interior e toda a
atenção é dada à expressão, isto é, ao modo
como forma e conteúdo livremente se unem
para dar vazão às sensações do artista no
momento da criação.
 A realidade que circunda o artista é horrível
e, por isso, ele a deforma ou a elimina, criando
a arte abstrata.
 A intimidade e a vivência da dor derivam do
sentido trágico da vida e causam uma
deformação significativa, torturada.
 A arte é criada sem obstáculos convencionais,
o que representa um repúdio à repressão
social. Autorretrato como um soldado (1915), Ernst Ludwig Kirchner
Expressionista alemão
EXPRESSIONISMO
O declínio desta estética, mais
fundamentada na pintura, ocorre a
partir de 1933 com a ascensão de
Hitler na Alemanha. Desde então, a
arte passa a seguir a tendência da
“arte pura” em paralelo com a
ideologia da busca da “raça pura”
instituída por Hitler ao povo
germânico.
A artista Anita Malfatti, em 1912,
foi à Alemanha, onde teve contato
com o Expressionismo alemão, o
qual influenciou as obras da artista.
Em 1917, após duas exposições,
Anita gera diversos rebuliços na
arte, os quais culminam na mostra
A Ventania. 1915-17, Anita Malfatti
de arte moderna, a qual deu início
ao movimento modernista em
1922. A paisagem local é representada como uma força selvagem,
agressiva e dinâmica, e o uso da deformação expressa certa
inquietação do olhar humano diante da natureza.
IMPRESSIONISMO – PARA CONHECER
O INÍCIO DAS MUDANÇAS
 A estética impressionista nasce em
Veneza, onde luz, cores e sensações
serão incorporadas à pintura.
 O Impressionismo consistia em uma
corrente da pintura que valorizava a
impressão, isto é, era uma arte sensorial
e subjetiva quanto ao modo de captação
da realidade. Na relação entre o artista
impressionista e a realidade, o
movimento de criação vai do mundo
exterior para o mundo interior.
 Claude Monet foi um dos maiores artistas Impressão - Nascer do Sol (1872), Claude Monet - França
da pintura impressionista da época.
PAUL CÉZANNE: TRANSIÇÃO
ENTRE IMPRESSIONISMO E
CUBISMO
 Criou um estilo próprio, influenciado
por Delacroix. Introduziu nas suas obras
distorções formais e alterações
de perspectiva em benefício da composição ou
para ressaltar o volume e peso dos objetos.
Concebeu a cor de um modo sem precedentes,
definindo diferentes volumes que foram essenciais
para suas composições únicas.
 Cézanne não se subordinava às leis da perspectiva
e, sim, as modificava. A sua concepção da
composição era arquitetônica; segundo as suas
próprias palavras, o seu próprio estilo consistia Banhistas (As grandes banhistas), 1905. Óleo sobre tela por Paul Cézanne (1839-
1906, França)
em ver a natureza segundo as suas formas
fundamentais: a esfera, o cilindro e o cone.
GUERNICA (1937), DE PABLO PICASSO

CUBISMO
“EU PINTO AS COISAS COMO IMAGINO, E NÃO COMO AS VEJO”. [PABLO PICASSO]
CUBISMO

 O marco inicial do Cubismo ocorreu em


Paris, em 1907, com a tela Les
Demoiselles d''Avignon, do espanhol
Pablo Picasso. Nesta obra, influenciado
pela arte primitiva e pelas máscaras
africanas, o artista espanhol retratou a
nudez feminina de uma forma inusitada,
em que as formas reais, naturalmente
arredondadas, deram espaço a figuras
geométricas perfeitamente trabalhadas.
CUBISMO
 Surge em Paris, três anos após o Futurismo, nascido
de experiências do espanhol Pablo Picasso e do
francês Georges Braque.

 Proposta: Olha-se para um cubo e compreende-se a


totalidade do objeto. “O trabalho do artista não é
cópia nem ilustração do mundo real, mas um
acréscimo novo e autônomo”(Picasso).

 Caracteriza-se pela utilização de formas geométricas


para retratar a natureza, promovendo a fragmentação
e decomposição dos planos e perspectivas.
A Mulher que Chora (1937) - Pintura de Pablo Picasso
Sensação da pintura escultórica.
CUBISMO: FASES
 Fase Cezannista (ou também conhecida como Cezaniana):
aconteceu entre os anos de 1907 e 1909, através de fortes
influências do francês Paul Cézanne.
 Fase Analítica, durou até o ano de 1912: as cores eram
usadas de forma mais moderada, e as formas eram
predominantemente geométricas e desestruturadas pelo
desmembramento de suas partes. Com isso, surgia a
necessidade de não apenas observar a obra, mas decifrar,
entender o seu significado real.
 Fase Sintética, a partir de 1912: usava cores mais fortes, e
as formas eram usadas para constituir figuras reconhecíveis.
Eram realizadas colagens com letras, palavras, números,
pedaços de madeira, vidro, metal, pequenas partes de jornal
Natureza morta com toalha de mesa xadrez (1915),
e até mesmo de objetos inteiros.
de Juan Gris
CUBISMO NO BRASIL

 O Cubismo ganhou espaço no Brasil somente depois


da Semana de Arte Moderna de 1922, no entanto,
não existem no país artistas que apresentaram obras
com características exclusivas do Cubismo.
 Os artistas brasileiros receberam fortes influências,
mas apenas mostrando características mescladas do
Cubismo com outras expressões artísticas em suas
obras.
 Entre os artistas mais conhecidos que fizeram essa
mescla em seus trabalhos, podemos citar Tarsila do
Amaral, Anita Malfatti, Rego Monteiro e Di Cavalcanti.

A Boneca, 1928, Tarsila do Amaral


CUBISMO NA LITERATURA

 O poeta francês Guillame Apollinarie foi o


responsável pelo primeiro manifesto da literatura
cubista em 1913, logo após as primeiras
exposições de artistas como Pablo Picasso e
Braque.
 Na literatura, a linguagem era usada para retratar
as palavras de forma simultânea, buscando
formar uma imagem.
Tradução
CUBISMO NA LITERATURA
 Apollinaire defendia a liberdade das palavras
e a invenção de vocábulos. O resultado são
palavras soltas, escritas tanto na vertical,
como na horizontal, sem a continuidade
tradicional.
 Propunha a destruição das sintaxes já
condenadas pelo uso criando um texto de
substantivos desprendidos, em desordem,
jogados de forma aparentemente anárquica
no texto.
 Incentivava o menosprezo por verbos,
adjetivo e pontuação. Pregava a utilização
dos versos livres, ou seja, sem a necessidade
da estrofe, da rima e da harmonia. Assim,
como na pintura, as colagens passaram a ser
incorporadas pelos textos poéticos.
 Principais autores do cubismo: Apollinaire e
Blaise Cendrars.
Quando nasci, um anjo torto POEMA CUBISTA
desses que vivem na sombra POEMA DE SETE FACES
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
disse: Vai, Carlos! ser gauche
na vida.

As casas espiam os homens


que correm atrás de mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.

O bonde passa cheio de pernas:


pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus,
pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.
O pintor espanhol Pablo Picasso (1881–1973), um dos
mais valorizados no mundo artístico, tanto em termos
QUESTÃO ENEM financeiros quanto históricos, criou a obra Guernica em
protesto ao ataque aéreo à pequena cidade basca de
mesmo nome. A obra, feita para integrar o Salão
Internacional de Artes Plásticas de Paris, percorreu toda
a Europa, chegando aos EUA e instalando-se no MoMA,
de onde sairia apenas em 1981. Essa obra cubista
apresenta elementos plásticos identificados pelo
a) painel ideográfico, monocromático, que enfoca várias
dimensões de um evento, renunciando à realidade,
colocando-se em plano frontal ao espectador.
b) horror da guerra de forma fotográfica, com o uso da
perspectiva clássica, envolvendo o espectador nesse
exemplo brutal de crueldade do ser humano.
c) uso das formas geométricas no mesmo plano, sem
emoção e expressão, despreocupado com o volume, a
perspectiva e a sensação escultórica.
d) esfacelamento dos objetos abordados na mesma
narrativa, minimizando a dor humana a serviço da
objetividade, observada pelo uso do claro-escuro.
e) uso de vários ícones que representam personagens
PICASSO, P. Guernica . Óleo sobre tela. 349 × 777 cm. Museu Reina Sofia, Espanha, 1937. Disponível em:
http://www.fddreis.files.wordpress.com. Acesso em: 26 jul. 2010 (Foto: Reprodução/Enem) fragmentados bidimensionalmente, de forma fotográfica
livre de sentimentalismo.
O pintor espanhol Pablo Picasso (1881–1973), um dos
mais valorizados no mundo artístico, tanto em termos
QUESTÃO ENEM financeiros quanto históricos, criou a obra Guernica em
protesto ao ataque aéreo à pequena cidade basca de
mesmo nome. A obra, feita para integrar o Salão
Internacional de Artes Plásticas de Paris, percorreu toda
a Europa, chegando aos EUA e instalando-se no MoMA,
de onde sairia apenas em 1981. Essa obra cubista
apresenta elementos plásticos identificados pelo
a) painel ideográfico, monocromático, que enfoca várias
dimensões de um evento, renunciando à realidade,
colocando-se em plano frontal ao espectador.
b) horror da guerra de forma fotográfica, com o uso da
perspectiva clássica, envolvendo o espectador nesse
exemplo brutal de crueldade do ser humano.
c) uso das formas geométricas no mesmo plano, sem
emoção e expressão, despreocupado com o volume, a
perspectiva e a sensação escultórica.
d) esfacelamento dos objetos abordados na mesma
narrativa, minimizando a dor humana a serviço da
objetividade, observada pelo uso do claro-escuro.
e) uso de vários ícones que representam personagens
PICASSO, P. Guernica . Óleo sobre tela. 349 × 777 cm. Museu Reina Sofia, Espanha, 1937. Disponível em:
http://www.fddreis.files.wordpress.com. Acesso em: 26 jul. 2010 (Foto: Reprodução/Enem) fragmentados bidimensionalmente, de forma fotográfica
livre de sentimentalismo.
DADAÍSMO
A ARTE QUE NUNCA FOI UMA TEORIA,
SEMPRE FOI UM PROTESTO

"SOU POR PRINCÍPIO CONTRA OS


MANIFESTOS, COMO SOU TAMBÉM
CONTRA PRINCÍPIOS".
DADAÍSMO
 Surge em 1916, em Zurique – Suíça, no
Cabaret Voltaire.
 Promove um certo terrorismo cultural.
 Contraria todos os valores vigentes até
então.
 Valoriza o niilismo (descrença absoluta)
 Mundo ilógico.
 Cultua a realidade mágica da infância.
 Seu principal divulgador foi Tristan Tzara.
Roda de Bicicleta, Marcel Duchamp -1913

Objetos do quotidiano, sem valor, simplesmente encontrados ao acaso, transformaram-se em


objetos artísticos. Técnica pretendia mostrar a ideia de que era possível fazer arte a partir do nada.
 O Dadaísmo surge com a clara
intenção de destruir todos os sistemas
e códigos estabelecidos no mundo da
arte.

 Trata-se, portanto, de um movimento


antipoético, antiartístico, antiliterário,
visto que questiona até a existência da
arte, da poesia e da literatura.

 É contra a beleza eterna, contra as leis


da lógica, contra a eternidade dos
princípios, contra a imobilidade do
pensamento e contra o universal.
Merzbild Rossfett, c.1919 - Kurt Schwitters
 Diante de tanta instabilidade, medo e revolta
decorrentes da guerra, os dadaístas resolveram
radicalizar, apresentando trabalhos que defendiam
uma arte que concretizava ideias por meio da
espontaneidade e não um cuidadoso processo
criativo.

 Defendia também que o cultivo à arte não tinha


razão, uma vez que a Europa se banhava em
sangue.

 A palavra “dada” não tem significado. Foi escolhida


ao acaso.

 O dadaísmo está baseado no escândalo, na


polêmica, na provocação e na dimensão irracional
da condição humana como componentes
Cabeça Mecânica, Raul Hausmann -1920
essenciais da criação.
READY-MADE

 O termo é criado por Marcel Duchamp (1887 - 1968) para designar um tipo de objeto
que consiste em um ou mais artigos de uso cotidiano, produzidos em massa,
selecionados sem critérios estéticos e expostos como obras de arte em espaços
especializados (museus e galerias)
 Ao transformar qualquer objeto em obra de arte, o artista realiza uma crítica radical
ao sistema da arte. Assim, objetos utilitários sem nenhum valor estético em si são
retirados de seus contextos originais e elevados à condição de obra de arte
simplesmente ao ganhar uma assinatura e um espaço em exposições.
 Desse modo, produz arte porque instiga o espectador a rever suas noções de beleza
e de estética.
 São formados diferentes grupos, em diversas
cidades, unidos pelo espírito de questionamento
crítico e pelo sentido anárquico das
intervenções públicas;

 Na Alemanha, destacam-se os nomes de R.


Ruelsenbeck, R.Haussmann, Johannes Baader,
John Heartfield, G.Groz e Kurt Schwitters e de
Max Ernst;

 Nesse período morando em Nova York: Marcel


Duchamp e Man Ray.

Presente, Man Ray -1921


 Reunião de materiais
escolhidos ao acaso, nos
quais quase sempre se
podiam ler textos
elaborados com recortes de
diferentes jornais;
 Poesia de caráter abstrato,
que renuncia o significado
e o sentido.

 A possibilidade de
aproveitar qualquer objeto
como material artístico;
fotomontagem, recortes
fotográficos, colagens etc.

George Groz, O Culpado ainda é desconhecido Raoul Haussmann, Tatlin em Casa, Colagem e guache
POEMA DADAÍSTA

Die Schlacht (A Batalha), de Ludwig Kassak

Berr... Bum, bumbum, bum...


Ssi... Bum, papapa,bum, bumm
Zazzau... Dum, bum, bumbumbum
Prä, prä, prä... râ, äh-äh, aa...
Haho...
SURREALISMO
A ARTE DO SONHO, DO SUBCONSCIENTE, DA
NÃO RAZÃO, DA INFLUÊNCIA FREUDIANA
 Surge em 1924 com o Manifesto Surrealista de
André Breton.
 Propõe que o homem se liberte da razão, da
crítica, da lógica.
 Adere a filosofia de Sigmund Freud.
 Expressa o interior humano investigando o
inconsciente.
 As poesias e textos deste movimento são
marcados pela livre associação de ideias, frases
montadas com palavras recortadas de revistas e
jornais e muitas imagens e ideias do
inconsciente.

Girafa em Chamas (1937), Salvador Dalí


POEMINHA SURREALISTA

Gostaria, querida,
De ser inesperado
Como uma madrugada amanhecendo
À noite
E engraçado, também,
Como um pato num trem.

Millôr Fernandes

Automatismo: escreviam quaisquer palavras que entrassem em sua mente. Não alteravam o que escreviam,
pois isto seria uma interferência no puro ato de criação.
 O livro MACUNAÍMA de Mário de
Andrade é um bom exemplo do
surrealismo na literatura brasileira.
Ele foi escrito em apenas seis dias,
possuindo uma narrativa mágica,
quase automática, o autor reelabora
temas de mitologia indígena e visões
folclóricas.
Cisnes refletindo elefantes, de Salvador Dalí
SURREALISMO

 A finalidade do movimento era colocar


“o surreal fora do seu esconderijo”,
realizando a fusão da realidade com o
sonho. Daí a exaltação do maravilhoso
que reside no estado onírico, na
alucinação, no acaso, na
psicopatologia.
 Os surrealistas pretendiam criar uma
arte livre da razão, uma arte produzida
num estado de consciência em que o
artista estaria “sonhando acordado”.

A Queda, do pintor belga René Magritte


O SURREALISMO
 São frequentes o ilogismo + o
devaneio + o delírio + o sonho
+ a loucura + a hipnose + o
estado de transe + o humor
negro + as imagens
surpreendentes e
extravagantes+ o impacto do
inusitado + a livre expressão
dos impulsos sexuais.

O grande masturbador (Salvador Dali - 1929)


SALVADOR DALI
O MAIOR NOME DO SURREALISMO

 O pintor foi o mais extravagante dos


surrealistas e os temas recorrentes em
suas obras são: o sexo (e todas as
atribulações: angústias, medos,
frustrações, traumas), a memória (sua
permanência ou dissipação), o sono e o
sonho.
 *Utilizou o recurso da ANAMORFOSE:
representação de figuras que podem
ser interpretadas de mais de uma
maneira.
Faces da Guerra (Salvador Dali - 1940)
A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA
GALÁXIA DAS ESFERAS
SONHO CAUSADO PELO VOO
DE UMA ABELHA EM TORNO
DE UMA ROMÃ, UM SEGUNDO
ANTES DO DESPERTAR.
"Criança Geopolítica Observando o
Nascimento do Novo Homem“ (1943)
Frida Kahlo

É considerada, por alguns especialistas


em artes plásticas, uma artista que fez
parte do Surrealismo. Porém, a própria
Frida negava que era surrealista, pois
dizia que não pintava sonhos, mas sua
própria realidade. Frida Kahlo, Nucleus Of Creation (1945)
Frida Kahlo, "As Duas Fridas" (1939).
Frida Kahlo, "Columna Rota" (1944)
Sem esperança (1945)

Frida Kahlo, "Árvore da Esperança" (1946).


ARTE DEPRESSÃO

Você também pode gostar