Você está na página 1de 63

Profa.

Silmara
Radiação Ultravioleta
1801: Ritter e Wollaston
Derivada do espectro magnético
Acima do violeta
Alta freqüência e curto λ
Ultravioleta - UV
Médico dinamarquês Niels Finsen que recebeu o Prêmio
Nobel de Medicina em 1903 pelo seu tratamento bem-
sucedido com tuberculose cutânea.
Radiação Ultravioleta
É uma radiação luminosa de calor
superficial, cujo método de dissipação é a
conversão.
O comprimento de onda é de 200 a 400
nm (0,20 a 0,40 m ou 2000 a 4000 Å) do
UV.
A RUV não é visível a olho nú. Vemos
uma luz branca devido a um filtro branco.
(Å = 10 -10 do metro)
O ultravioleta é dividido em três secções:
- UVA - 320 / 400 nm
- UVB - 290 / 320 nm
- UVC - 200 / 290 nm

2.900 a 3.300 Å = longa, estimulante,


terapêutico, penetração 0,1-0,5 mm
2.200 a 2.800 Å = curto, “destrutivo”,
bactericida p/ ar e esteriliza água,
penetração de 0,5 a 1,0 mm
O UV apresenta um comprimento de
onda menor que o comprimento de onda
do infravermelho.
> Comprimento de onda < penetração

UVA penetra menos que UVC


A RUV é absorvida pelo protoplasma =
alt fisiol/biolog
Dados Biofísicos
Base da ação fotobiologica: ABSORÇÃO
SÓ O ABSORVISO ALTERA O MEIO

Lei de Grittes-Drape: relação direta e linear



Fóton absorvido X molécula transformada

Intensidade do tempo
Efeitos da absorção
1.800 a 2.200 Å: são absorvidas pela água e não
possuem radiação solar (Tsukamoto)
PORÉM fontes artificiais podem ionizar a água,
formando radicais livres que podem ser os
responsáveis pelas demais reações (Holtz)
IPC: efeito sobre os aa não aromaticos
histidina, triptofano histamina, alanina
fenilalanina, cisteina → RUV → glicina, glutamina,
metionina esparagina
Em especial a absorção da TIROSINA como substancia
base da melanina ( com efeitos sobre a albumina e aa de
diferentes camadas)

Enzimas e hormônios também são transformados.

RUV é largamente utilizada na dermato-funcional


neonatologia

Lâmpadas pequenas e portáteis, contem mercúrio com


baixa pressão num tubo de quartzo e operam em ↓ To
Dosagem
Depende do local, tipo de tecido tratado, intensidade da
UV, separação fonte-alvo e comprimento de onda
DEM = dose de eritema mínimo
Expor a pele até gerar um eritema (TESTE DE SAIDMAN)

Incidência a 90º (absorção máxima)


Sensibilidade: ≠ individuo
Ideal: determinar a DEM a cada 3/6 meses
2,5 DEMs = ↑ vermelhidão + dor (persiste por
dias)
5 DEMs = edema local, dor e descamação
10 DEMs = bolhas
Teste de Saidman
Utilizado para determinar a dose de eritema mínimo,
DEM, que é o mínimo de tempo que o raio UV leva para
produzir a vermelhidão.

O eritema pode aparecer imediatamente mas pode levar


de 30 min. a 8 horas para aparecer.

Pede para o paciente marcar o eritema que estiver mais


claro (1º eritema é a DEM)

5’ 4’ 3’ 2’ 1’
15 a 20cm
Pele do antebraço
Distancia 30cm a 1m = lâmpada menos potente
(alterar conforme a potencia da lâmpada)
Se não aparecer eritema, coloca o dispositivo de novo e
deixa os 5 orifícios recebendo radiação por 5 min.
DEM – Dose eritema mínimo
Efeitos Fisiológicos
Locais Gerais
Eritema (histamina = Vasodilatação periferica (↓ PA
vermelhidão e vasodilatação) - Faixa 250 a 300n)
Pigmentação da pele ↑ tonus mmr
(melanina) Produção de vit D
Espessamento das camadas RUV > λ : produz vit D
superficiais da pele RUV< λ : decompõe vit D
RUV = fotoativa ergosterol da
pele
Efeito a curto prazo
Eritema: É uma reação inflamatória aguda que tem
como resultado final o eritema (avermelhamento da
pele associado com queimadura solar), a
pigmentação (bronzeamento) e o aumento da
espessura epidérmica.
Inflamação
Resposta da pele à exposição UV.
Começa algumas horas após a irradiação e atinge um
pico de 8 a 24 horas após a exposição.
A resposta inflamatória é caracterizada por
vasodilatação local e pelo aumento da
permeabilidade capilar.
Após 24 horas o processo inflamatório está
completo e em 30 horas começa a
reconstrução, caracterizado pelo aumento na
atividade dos queratinócitos e resulta em
espessamento da epiderme (hiperplasia).

PROTEÇÃO
Metabolismo de Ca++ e fósforo
Maneira indireta sobre a vit D
Efeito fotoquimico do RUV sobre os derivados do
colesterol que existem em peq. qti// sobre a pele.
A absorção da vit D ↑ o metabolismo do Ca++ e
fósforo.
λ = 3.12 2.65n

osteoporose
Osteoporose
Vit D

↑ absorção de Ca++ do ap gastrointestinal
E
Auxilia no controle da deposição do Ca++ no osso

↑ Absorção óssea

- A) Colecalciferol = RUV = 7-desidrocolesterol na


pele
- B) Ergosterol = RUV = Ergocalciferol
- A + B = 25-diidroxicolecalciferol = forma ativa
Ultravioleta - UV
Dermatológica dos últimos 30 anos foi a introdução de
um tratamento para várias doenças de pele, incluindo a
psoríase, conhecido como fotoquimioterapia

UV + drogas fotoativas
Os efeitos podem ser exacerbados quando há alguma
medicação ou substância química na pele ou no
corpo – fotossensibilização.

AGENTES FOTOSSENSIBILIZANTES:
Antibacterianos e antimicrobianos:
Tetraciclinas, sulfonamidas, griseofulvina
Diuréticos tiazídicos:
Clorotiazida(diuril),
hidroclorotiazida (hidrodiuril, oretic, esidrix),
metilclorotiazida (enduron).

Outras medicações:
Fenotiazinas (torazine – tranquilizante), Psoralens,
sulfoniluréias (dimelor, diabinese), difenidramina
(benadryl), anticoncepcionais orais, certos
cosméticos.
Efeito a longo prazo
Envelhecimento prematuro: ressecamento, fissuras e
diminuição da elasticidade.

Câncer de pele: tumor malígno mais comum em


seres humanos. O índice de cura excede 95% dos
casos com detecção e tratamento precoces.
Efeitos sobre os olhos
A exposição dos olhos à UV causa inflamação aguda
chamada fotoceratite (reação tardia – 6 e 24 horas
após a exposição).
Desenvolve conjuntivite seguida de eritema da pele
facial adjacente. A pessoa refere sensação de corpo
estranho no olho.
Os sintomas desaparecem em 48 horas.
UV B: provocam severos danos na córnea.
Além de causar dolorosas queimaduras de sol , câncer de
pele e a fotoceratite.
Pesquisas indicam que aproximadamente 50% da
exposição ultravioleta de uma pessoa acontece durante
os seus 18 anos de vida.
UV A- Abundante em nosso meio em virtude da
facilidade com que passa pela córnea. É a de maior
potencial de agressão à retina. Porém, em condições
normais, a maior parte dela é filtrada pelo cristalino, o
que preocupa são as irradiações UV não filtradas e
causam maiores danos aos olhos ou seja ,uma vez
transmitida para a retina, prejudica o cristalino.
Pterígeo

Catarata
Degeneração macular

Câncer de olhos
Use óculos escuro!!!!!
Nº de
Eritema Melanócit Indicação
os
Tem Não Bronzeame
UVA eritema altera nto
mínimo artificial e
psoríase
200x Aumenta vitiligo
UVB maior a prurido
chance
Eritema Não Antibacteri
UVC a partir comprova cida
de 3h do Secar
de sol feridas
Todas as lâmpadas produzem os três
tipos de raios porém as clínicas produzem
maior número de UVA. As lâmpadas não
possuem diferença do raio do sol, apenas
podem ter predominância de um dos
tipos.
UVC é utilizado beneficamente para
esterilização, desnaturando as proteínas de
bactérias.
lâmpadas de bronzeamento possuem
principalmente raios UVB e menos UVA. As
máquinas de bronzeamento podem ser úteis
na prevenção de osteoporose, tratamento de
psoríase e de acníase.
Efeitos adversos
Queimaduras de pele
Irritação dos olhos
Cegueira noturna
Carcinoma de células basais (câncer de
pele)
Indicações
Psoríase
Prurido bactericida
Úlceras de pressão
Raquitismo
Cicatrização de feridas abertas
Aumento da produção de vitamina D
Bronzeamento
Esfoliação
Acne
Contra-indicações
Micoses em geral Lúpus eritematoso
Dermatite generalizada
Herpes simples
Área dos olhos
Drogas fotossensíveis
Câncer
Albinismo
Cicatriz recente
Bronzeamento
O bronzeamento consiste no aumento
da pigmentação da pele e é um
mecanismo protetor ativado pela
exposição à UV.
Aumento da MELANINA (filtro biológico
da UV).
Ultravioleta - UV
Helioterapia - usando o sol como fonte de radiação
Actinoterapia - usando lâmpadas como fonte para o
tratamento de várias doenças de pele.

Actinotherapy Technique, publicado por Sollux em 1933


Actinoterapia - RUV
Importante para síntese de vit. D
Excesso: queimaduras, mudanças de pigmentação da
pele, envelhecimento da pele, efélides, melasma,
catarata, urticaria solar, erupções poliformes à luz,
alterações imunológicas e neoplasias
Natural = sol - Artificial = lâmpadas de quartzo
Actinoterapia - RUV
FPS = __D.E.M. da pele protegida__
D.E.M. da pele não protegida

Dose mínima de RUV capaz de produzir eritema na pele


(13/06/1983 MS)
Tipo de Reação FPS
pele recomendad
o

I Sempre queima, nunca bronzeia 8 a 15


(pele branca)
II Sempre queima, bronzeamento mínimo 6a7
(pele branca)
III Queima moderadamente, bronzeia discretamente 4a5
( pele branca ou morena clara)
IV Queima o mínimo, sempre bronzeia bastante 2a3
(pele morena)
V Raramente queima, bronzeia profundamente 2
(mulato)
VI Nunca queima, pigmentado profusamente nenhum
(negro)
Actinoterapia - RUV
Terapêutica:
Produção do eritema
Pigmentação e espessamento da pele
Efeito anti-raquítico
Efeito bactericida
Efeito sobre o metabolismo
Actinoterapia
Lâmpadas de arco de
- RUV
xenônio Lâmpadas fluorescentes
Caras (Sun Lamps – FS)
Espectro muito semelhante Emitem UV-C (filtro de
ao Sol acetato de celulose)
Campo pequeno São fracas em UV-A
Manutenção cara
Actinoterapia - CUIDADOS
Fazer uso de protetores oculares
Não utilizar lentes de contato durante a sessão
Usar protetor solar na face e lábios
Proteger os mamilos da exposição direta
Realizar uma única sessão diaria
Manter um intervalo de 48h entre as sessões
Não associar o bronzeamento artificial com o natural
no mesmo dia
Actinoterapia – RUV – C.I.
• Antecedentes familiares de CA de pele
• Realizou peeling recente
• Faz uso de creme com princípios fotossensíveis
• Apresenta a pele clara, historia de queimaduras
• Presença de efélides
• Possui lesões na pele com difícil cicatrização e/ou
crescimento progressivo
Dr Thomas B Fitzpatrick, dermatologista da Escola de
Medicina de Harvard, desenvolveu em 1975 uma escala
para fototipo. Escala de Fitzpatrick

Trata-se de uma classificação para os tipos de pele,


baseada na cor da pele e na reação a exposição
solar.
A coloração da pele é dada pelos melanócitos, células
presentes na pele, que são responsáveis pela produção
de um pigmento chamando melanina. A melanina é a
substância que determina a coloração da pele.

Todos os indivíduos, independentemente da raça,


possuem quantidades semelhantes de melanócitos. O
que difere a coloração de brancos e negros é a
capacidade de produção de cada um.
Fototipo I
Indivíduo extremamente branco, com pele clara, olhos
azuis e cabelos loiros.
Podem ser sardentos.
 Quando expostos ao sol se queimam com muita
facilidade e nunca se bronzeiam.
Pele considerada muito sensível.
Fototipo II
Indivíduo branco, com pele clara, olhos azuis, verdes
ou castanhos claros e cabelos loiros ou ruivos.
Quando expostos ao sol se queimam com facilidade e
bronzeiam muito pouco.
Pele considerada sensível.
Fototipo III
Indivíduo moreno claro.
Pode possuir olhos claros ou não, porém sempre com
cabelos um pouco mais escuros que o fototipo anterior.
Quando expostos ao sol, queimam e bronzeiam
moderadamente.
Pele com sensibilidade considerada normal.
Fototipo IV
Indivíduo moreno moderado.
Possui pele clara ou morena clara, cabelos castanhos
escuros e olhos escuros.
Quando expostos ao sol queimam-se pouco e
bronzeiam-se com facilidade.
Pele com sensibilidade considerada normal.
Fototipo V
Indivíduo moreno escuro.
Possui pele morena escura, cabelos escuros e
cacheados.
Quando expostos ao sol raramente se queimam e se
bronzeiam bastante.
Pele com sensibilidade considerada baixa (pouco
sensível)
Fototipo VI
Indivíduo negro.
Possui pele e olhos negros.
Cabelos negros e crespos (étnicos).
Quando expostos ao sol nunca se queimam uma vez
que a sua pele é totalmente pigmentada.
Pele considerada insensível.
Cor da pele de areas
Cor da expostas ao sol
pele (pouco/muito)

A cor esta
face
Não alterada
utilizamos a braços pela
parte exposta exposição
da pele: colo repetida e
prolongada
Outros fatores importantes
Historia genética e idade: já teve queimaduras solares
graves? Qdo?
Aparecimento do eritema: ante a exposição imediata
ao sol (antes de 10 minutos) OU ate 21 dias?
Tom de pele: Inverno e adquirindo o bronzeado
Outros: substancias fotosensibilizantes (alimentos,
remedios, cosméticos)

A PELE TEM MEMÓRIA CELULAR!!!


PRINCIPIOS:
1.COR DA PELE
2.SENSIBILIDADE À LUZ
3.REAÇÃO DA PELE
FRENTE A RUV
FOTO QUEIMADURA BRONZEA COR DA ETNIA
TIPO DO PELE

I Sempre Não Muito Celtas


branca
II Muito fácil Mínimo Branca Europeus

III Fácil Gradual Ligeiram


ente
morena

IV Ocasionalme Sim Morena Latinos


nte
V Raro Intenso e Muito Indianos,
rápido morena árabes,
asiaticos

VI Nunca Maximo Negra Negros


Crianças!!!
Cuidado dobrado!!!
Sua pele encontra-se em processo de maturação
Os mecanismos de proteção da pele ainda não são
eficientes:
- Produção de melanina
- “Engrossar” a pele
- Produção do suor
Atenção ainda para a
exposição solar nos diferentes:
Zonas geográficas
Clima
Altitude
Superfície exposta
Quantidade de tempo de exposição
Hora do dia da exposição
Estação do ano