Você está na página 1de 48

Prof.

Rodrigo Quadros Altieri Martinez

Correntes
Unidirecionais
Referências
LOW & REED. Eletroterapia Explicada: princípios e prática. 3ª Ed. Manole 2001.
ROBINSON, SNIDER, MACKLER. Eletrofisiologia Clínica 2ª ed. ArtMed, 2002.
KITCHEN, S. Eletroterapia: Prática baseada em evidências 11ª ed. São Paulo: Manole,
2003

Complementar

ASSOCIATION OF SWIMMING THERAPY. Natação para deficientes. São Paulo: Manole,


2000.
BASMAJIAN, J.V. Terapêutica por exercícios. 3.ed. São Paulo: Manole, 1980.
BATES, A . HANSON, N. Exercícios Aquáticos Terapêuticos. São Paulo: Manole, 1998
BECKER, B. E., COLE, A . J. Terapia Aquática Moderna. São Paulo: Manole, 2000
KATZ, J. Exercícios Aquáticos na gravidez. 1 ed. São Paulo: Manole, 1999.
KOURY, J. M. Programa de Fisioterapia Aquática. São Paulo: Manole, 2000.
Bioeletricidade
Scribonius Largus (43-48 DC)

• Alessandro Volta e a descoberta da pilha


voltaica (XVIII)
• Luigi Galvani
• Giovanni Aldini – Mary Shelley
Modelo Atômico
Matéria – Tudo que possui massa
Energia – capacidade da Massa realizar trabalho

Dalton

Thomson

Rutherford
Modelo Atômico Atual
• Prótons – Positivo
• Nêutrons – sem carga Elétrica
• Elétrons – Negativo
BOHR
Corrente Elétrica
Fluxo ordenado de partículas com carga elétrica quando existe
uma diferença de potencial elétrico entre as extremidades.

• Ions - É uma partícula carregada eletricamente:

• a) Cátions: Átomos que perderam elétrons ficando carregados


positivamente.

• b) Ânions: Átomos que ganharam elétrons ficando carregados


negativamente

Intensidade é dada pela quantidade de carga elétrica


que passa em um condutor por unidade de tempo. (A)
Tipos Corrente Elétrica

Corrente Direta (DC) ou Galvânica: sentido e


intensidade permanecem constante. Unidirecional.
Polarizada
Correntes Unidirecionais
• Galvânica ou Corrente Direta
• Corrente unidirecional
• Trata-se de uma corrente de
fluxo constante de elétrons em uma só direção.
Sem variação de :
1. Intensidade
2. Frequência
3. Polaridade
Histórico
• 1976 – Galvani e o tecido eletricamente
excitável
• Em 1870, Vam Bruns comprovou a ocorrência
de vestígios de iodeto na urina após um
tratamento com corrente galvânica
Corrente Galvânica
Polaridade
• Quando uma corrente possui polaridade significa que a
mesma não muda de direção, ou seja, o fluxo de
elétrons continua sempre no mesmo sentido.

1. Eletrodo positivo (vermelho) - Ânodo


2. Eletrodo negativo (preto) - Cátodo

Cada polo possui características distintas que deverão ser


levadas em consideração durante a terapêutica.
Divisão
• A aplicação da corrente galvânica pode ser
dividida em:
1. Galvanização
2. Iontoforese (ionização).
Galvanização
• Galvanização é o uso da corrente galvânica
para obter os efeitos do ponto de vista
fisiológicos: polares ambos desencadeiam
disfunções locais e a nível sistêmicos.
Efeito Polar: local e
sistêmico

conseqüências, primeiramente físicas


e posteriormente químicas
Corrente Galvânica – Efeitos fisiológicos
• Efeitos Polares

1. Alteração Vasomotora
2. Eletroquímico (dissociação elétrolítica)
3. Eletrotônus:
- Hiperpolarização – diminuição da excitabilidade
- Hipopolarização – aumento excitabilidade

4. Eletrosmose (migração de líquidos)


5. Ativação do Sistema Imunológico
AINH
Efeitos Iniciais visualizados
• Sensitivo: inicialmente cócegas e formigamento, ao
persistir o aumento da intensidade verifica-se
agulhadas.
• Hiperemia: são determinados pela ação vasomotora
• Eletrosmose: é a transferência de líquido de um
polo para outro, isso se dá do positivo para o
negativo. (????)
Efeitos Polares
Indicações
• Analgesia através do efeito eletrotônus;
• Anti-inflamatório pela atração dos fluidos
corporais no pólo negativo, em especial o
sangue e seus elementos de defesa natural;
• Estimulante circulatório através dos efeitos:
cataforese e anoforese;
• Antiedematoso

Analgesia Edema AINH


Aplicação e Dosimetria
• Limpeza da pele
• Posicionamento dos eletrodos - Pólos
• Baixa intensidade – 0,1mA – 5 mA
• Tempo – 5 a 15 minutos
• Nível sensitivo
CI

• Nunca utilizar sobre áreas hipoestésicas e


cognitivo não preservado
• Marca-passo; Seio carotídeo
• Cardiopatia ou disritmias;
• Apresentam dor não diagnosticada;
• Epilepsia;
• Três primeiros meses de gestação;
• Ferida Aberta
CD (Galvânica)
• Com efeitos de polaridade (oxidativa)

Queimaduras
Lesões Tissulares
Iontoforese
• É a introdução de íons medicamentosos no
tecido com auxílio da corrente galvânica.

A seleção da polaridade iônica


correta e a colocação sob o
eletrodo com polaridade
semelhante são indispensáveis.
Iontoforese
Bases da Iontoforese
1. Lei de Du Fay – cargas elétricas do mesmo
sinal se repelem e cargas de sinal contrário se
atraem.
2. Experiência de Chatzk – Esta experiência tem
o objetivo de demonstrar a migração iônica e
os fenômenos de eletrólise. (polo positivo
azulado)
História
• Veratti em 1748
• século XIX, Morton escreveu um livro sobre a
cataforese de íons nos tecidos, isto é, a
migração de cátions de um eletrodo positivo
em direção a um eletrodo de polaridade
negativa.

Grafite e manchas pretas


Experimento de Leduc
• 2 coelhos + Soluções de estricnina e de cianeto
Estricnina apresentou convulsões tetânicas,
segundo morreu apresentando sintomas de
envenenamento por cianeto.
Iontoforese - Galvanica
• A iontoforese galvânica é o uso da corrente
contínua para aumentar a administração
transcutânea .

PENETRAÇÃO DO ATIVO
• A quantidade de íon (ativo) transferido
depende diretamente do tempo (duração da
corrente) e da intensidade aplicada.
Via de penetração
• Via intercelular: difunde-se ao redor do estrato
córneo .
• Via transcelular: passa diretamente pelo estrato
córneo matriz lipídica intercelular intermediária;
• Via apêndices: rota paralela, folículo piloso,
glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas.
Aplicação
• Quando a corrente é aplicada, os cátions
presentes na solução em contato com o ânodo se
movem em direção ao cátodo, enquanto os
ânions presentes no cátodo se movem na direção
oposta.
• A intensidade recomendada 0,1 a 0,5 mA/cm2,
seja, multiplique a intensidade recomendada pela
área de aplicação (eletrodo), considerando uma
intensidade máxima total de 5 mA
Medicação
• Todos os medicamentos devem ser ionizáveis, hidrossolúveis e em
concentrações adequadas
• Esta técnica libera medicamentos em profundidades que variam de 6 a 20
mm.
• Após penetração a medicação é espalhada por meio da difusão passiva,
não sendo mais afetada pela passagem da corrente elétrica.
Indicação
• Algumas indicações da iontoforese e conforme a
substância utilizada:
• Tratamento da hiperidrose;
• Ação antibacteriana e anti-inflamatória;
• Alívio de dor crônica, especialmente neurogênica;
• Redução de edema;
• Tratamento do tecido cicatricial e aderências;
• Alívio da dor.
Corrente Farádica
• A corrente farádica é uma corrente
interrompida, de curta duração (1 ms), e
baixa freqüência (50 Hz)
Corrente Farádica

• Capacidade de produzir contração muscular


através de despolarização do nervo motor
• Isométrico Passivo
• Aumento de tônus muscular
• Estética
Correntes Diadinâmicas
CDB
• DF – Difásica Fixa: corrente de 100 Hz com
retificação de onda completa e 10 ms.
CDB
• MF – Monofásica fixa: corrente de 50 hz com
retificação de meia onda e 10ms.
CDB
• CP - Curtos Períodos: correntes monofásicas e
difásicas alternadas (1s) e sem intervalos
CDB
• LP – Longos Períodos: duas correntes
monofásica combinada com difásica
CDB
Parâmetros
Eletrodos