Você está na página 1de 12

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE


FARMACOLOGIA CLINICA

Lesão por pressão como


complicação crônica de
traumatismo raquimedular
INGRID VALE
LUCIANA CASTRO
POLLYANA SALES
Traumatismo raquimedular (TRM)
COMPLICAÇÕES DA TRM
COMPLICAÇÕES DA TRM
LESÃO POR PRESSÃO-LPP

 As úlceras de pressão são áreas localizadas de necrose tecidual que


tendem a se desenvolver quando o tecido mole é comprimido entre uma
proeminência óssea e uma superfície externa por um período de tempo
prolongado

 Eles são um problema significativo em pacientes críticos, idosos e em


pessoas com lesão medular (LME)
FATORES DE RISCO
Idade avançada

Restrição ao leito

Obesidade

Hipotensão

Desnutrição

Incontinência

Anasarca

Sepse

Exposição da pele à fricção, cisalhamento e umidade


PATOGÊNESE DA LPP
• FATORES LOCAIS QUE CONTRIBUEM PARA A INFECÇÃO DE FERIDAS DE PRESSÃO:
- Quebras na integridade da barreira da pele;
- Mudanças induzidas pela pressão;
- Contaminação de áreas sujas contíguas;
Colonização

 A úlcera é primeiramente colonizada com a flora da pele, que é


rapidamente substituída por bactérias do ambiente local e do trato
urogenital ou gastrointestinal, muitas vezes de contaminação fecal direta
 Em um estudo, a cicatrização tardia de úlceras de pressão ocorreu
quando contagens bacterianas foram> 10 (5) unidades formadoras de
colônias (CFU) por grama de tecido;
 A presença de biofilme também está sendo cada vez mais reconhecida
como uma causa de cura tardia
MICROBIOLOGIA
 Estudo retrospectivo (HEYM et al 2004) avaliou a microbiologia de úlceras
de pressão infectadas em 101 pacientes com LME
 Enterobacter (29 %),
 Estafilococos (28 %)
 Enterococcus faecalis (16 %)
Avaliação Microbiológica

 Desafio- distinguir entre bactérias de invasão e colonização


 Técnicas de cultura mais comuns:
- Cultura quantitativa do cotonete
- Aspiração da agulha
- Biópsia do tecido/osso
 Cultura de Swab:
- Pouco útil clinicamente(reflete apenas infecções superficiais)
- Pode ajudar na identificação de pacientes com MRSA ou outras bactérias
resistentes.
 Hemocultura e cultura de amostra de biópsia- mais significativos clinicamente
Características Clinicas

 SINAIS LOCAIS DE TECIDOS MOLES


-Calor,eritema, secreção purulenta e mal cheiro.

 SINTOMAS SISTÊMICOS
- Febre, leucocitose
Estágios da Lesão por Pressão
•ESTÁGIO I- pele intacta de coloração púrpura ou bolha
sanguinolenta

•ESTÁGIO II- perda parcial de espessura dérmica úlcera


superficial com o leito de coloração vermelho pálida, sem
esfacelo

•ESTÁGIO III- perda de tecido em sua espessura total, com


gordura subcutânea visível, sem exposição de osso, tendão ou
músculo

•ESTÁGIO IV*- Perda total de tecido, com exposição óssea, de


músculo ou tendão, com presença de esfacelo,
descolamento e túneis

Você também pode gostar